Artigo publicado na Communications Earth & Environment

Cientistas confirmam amplificação das ondas de calor no antártico devido às alterações climáticas

Ricardo Trigo participa em investigação liderada por Grupo Antártico da Agência Meteorológica Espanhola, Instituto de Geociências do CSIC e pela Universidade de Barcelona

Paisagem antártica na zona de estudo

Paisagem antártica na zona de estudo

Marc Oliva

As alterações climáticas amplificam as ondas de calor no continente antártico. Esta é a conclusão apresentada pelos cientistas Sergi González-Herrero, David Barriopedro, Ricardo M. Trigo, Joan Albert López-Bustins e Marc Oliva no artigo “Climate warming amplified the 2020 record-breaking heatwave in the Antarctic Peninsula”, publicado esta sexta-feira, dia 27 de maio de 2022, na revista Communications Earth & Environment, na sequência do estudo de uma das ondas de calor mais intensas registadas desde que há dados na Península Antártica.

Um dos autores - Ricardo Trigo -, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia e investigador do Instituto Dom Luiz da Ciências ULisboa, salienta a importância deste trabalho, liderado pelo Grupo Antártico da Agência Meteorológica Espanhola (AEMET), Instituto de Geociências do CSIC e pela Universidade de Barcelona. Pela primeira vez é possível confirmar que a mudança climática é capaz de amplificar uma onda de calor no continente antártico.

O artigo publicado na revista do grupo Nature baseia-se no estudo de uma das ondas de calor mais intensas na Península Antártica entre 6 e 11 de fevereiro de 2020 de que há registo. O mês de fevereiro nesse ano foi anormalmente quente na Península Antártica e essa onda de calor representou a 6 de fevereiro de 2020 um novo recorde de temperatura absoluta - 18,3ºC na base Esperanza - para todo o continente antártico.

A probabilidade de se observar uma onda de calor semelhante à registada aumentou cerca de dez vezes, desde o período de 1950-1984, em grande medida devido às alterações climáticas.

mapas referentes a ondas de calor
Onda de calor de 6 a 11 de fevereiro de 2020: (a) anomalias do campo de geopotencial aos 500 hPa (contornos; em gpm) e temperatura de 2 metros (sombreada; em °C); (b) percentis de temperatura a 2 metros, com regiões que atingiram o percentil 99 e novos valores máximos representadas a tracejado e pontilhado respetivamente. Período de referência: 1950-2019
Imagem cedida pelos autores

GJ Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ)

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Fotografia de participantes na Training School

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

Páginas