27 e 28 abril 2017

Jobshop Ciências

“Enquanto docente grande parte das minhas funções passam por integrar os nossos estudantes no mercado de trabalho”, diz Cristina Catita, professora do DEGGE e uma das organizadoras da feira anual de emprego

ACI Ciências

Indicadores Jobshop Ciências 2016

35 empresas/entidades participantes
30 workshops empresas
858 alunos inscritos nos workshops empresas
17 apresentações no “Flash Empresas”
11 apresentações de estudantes “Talentos em Ciências”
21 antigos alunos presentes no “Espaço Alumni
210 alunos inscritos nos workshops de preparação para o mercado de trabalho, sessões de role play de entrevistas de trabalho, revisão de currículos e sessão de competências empreendedoras

Nos dias 27 e 28 de abril de 2017 realiza-se a 8.ª edição da feira anual de emprego da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Conhecer o lado prático do curso foi um dos motivos que levou Carolina Xavier a participar o ano passado na Jobshop Ciências na qualidade de finalista da licenciatura em Matemática Aplicada, ramo de Estatística e Investigação Operacional.

Refletir sobre o que podem fazer no futuro é um fator de motivação. “Um aluno quando acaba o curso quer ter algum apoio”, conta Daniel Oliveira, formado em Engenharia da Energia e do Ambiente.

Diana Botelho Duarte estuda Matemática em Ciências e antes de terminar o curso pretende saber como é que as empresas funcionam, por isso já frequentou um estágio de verão.

Rita Matildes apoiou a organização do evento o ano passado, na época estava preste a entregar a tese de doutoramento em Ciências Geofísicas e da Geoinformação, especialização em Engenharia Geográfica, e durante o evento pôde estabelecer contactos com algumas empresas. Para Rita Matildes “esta jobshop foi incrivelmente cheia, extremamente intensa e com uma afluência enorme”.


Celso Pinto

“Passados 3/4 meses de terminar a licenciatura em Geologia Aplicada do Ambiente estava a trabalhar na área que queria e com as pessoas que queria… Melhor era impossível”, conta Celso Pinto, técnico superior do Departamento Litoral e Proteção Costeira da Agência Portuguesa de Ambiente.

O ano passado participou na Jobshop Ciências e conversou com alunos da licenciatura em Geologia, alertando-os para o que poderá vir a ser o mercado de trabalho e para os desafios que irão enfrentar, deixando alguns conselhos. Empenho e genuinidade são características importantes e conciliadas com alguma sorte e muita perseverança podem determinar o sucesso profissional.

Celso Pinto trabalha desde 2000. Em 2012 começou a trabalhar na Agência Portuguesa de Ambiente estando ligado ao planeamento costeiro, gestão do risco costeiro, questões relacionadas com a erosão costeira e as próprias intervenções que são feitas no litoral português. Formou-se em Ciências há 16 anos e em 2007 regressou à Faculdade como trabalhador/estudante para realizar o mestrado em Geologia Económica e Aplicada. Quis juntar o útil ao agradável. “A Universidade tem um papel muito importante! Depois de estar a trabalhar há alguns anos senti necessidade de acrescentar mais conhecimento à minha área”, refere salientando que a investigação aplicada tem benefícios para a universidade e para a entidade empregadora, por isso há vários anos que trabalha em conjunto com a Faculdade.

“A faculdade não é só o conhecimento, dá outras valências que são tão ou mais importantes que o conhecimento, tais como: trabalhar em equipa, sobre pressão, com pessoas de diferentes áreas; saber ouvir e saber lidar com situações de stress.”
Celso Pinto, Agência Portuguesa de Ambiente

A poucos dias da Jobshop Ciências 2017, a opinião de quem já participou no fórum destinado a promover o contacto entre o mundo empresarial, a área internacional, o setor público e os estudantes finalistas e recém-graduados dos vários cursos de Ciências é muito positivo.

"Uma faculdade que se preocupa com o conhecimento que os alunos recebem e com a sua integração no mercado de trabalho é uma faculdade que dá segurança"
Conversas em Ciências com Gustavo Ribeiro

Gustavo Ribeiro começou a trabalhar na Accenture antes de terminar o mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica. Através da consultoria ganhou competências em muitas áreas. Para Gustavo Ribeiro o conhecimento técnico é importante mas a vontade de aprender é fundamental. “O espirito crítico é muito valorizado pelos empregadores”, diz o antigo aluno de Ciências.


Joana Estevans

Joana Estevans começou a trabalhar na Fidelidade ao mesmo tempo que começou a tirar o mestrado em Matemática Financeira. A jovem é atuária do ramo não vida. Os conhecimentos adquiridos na licenciatura em Matemática ensinaram-na a pensar. Para a jovem, “as pessoas têm que procurar o que querem e o que gostam”. Como gosta muito de estudar, ingressou no doutoramento em Estatística e Investigação Operacional.

Uma feira pensada para os alunos e sua empregabilidade
Conversas em Ciências com Ana Atouguia

“O envolvimento de todos foi a chave do sucesso”, diz Ana Atouguia, a propósito da última edição da feira anual de emprego. “É muito importante trabalharmos para o mesmo objetivo e aqui foi isso que aconteceu”, conclui a coordenadora do Gabinete de Empregabilidade da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno (AMAA), que aconselha os estudantes a consultarem com regularidade o portal de emprego.

Se os alunos tiverem dúvidas sobre oportunidades de emprego, quiserem saber mais sobre os empregadores também podem dirigir-se ao atendimento geral e entrar em contacto com o Gabinete que está disponível para rever currículos e prestar apoio em processos de recrutamento, por exemplo.

Competências transversais dos alunos
Conversas em Ciências com Andreia Santos

O ano passado a adesão à feira de emprego foi grande. Para Andreia Santos, psicóloga no Gabinete de Apoio Psicopedagógico (GAPsi) da AMAA, este tipo de atividade é muito importante. “Estas pessoas não têm nenhuma experiência com o mercado de trabalho”, diz acrescentando que o evento permite que os estudantes reflitam sobre a temática.

A Maxdata está sempre a recrutar por isso também foi uma das empresas presentes na feira anual de emprego. O que procuram? Pessoas com brio, competentes e dispostas a dar o máximo todos os dias.

"O melhor de Ciências é a transversalidade do conhecimento dos nossos alunos"
Conversas em Ciências com Cristina Catita

Cristina Catita, professora do DEGGE e uma das organizadoras da Jobshop Ciências, entende que este acontecimento proporciona um conhecimento bilateral. “Enquanto docente grande parte das minhas funções passam por integrar os nossos estudantes no mercado de trabalho”, afirma realçando que espera que este ano haja ainda uma maior mobilização por parte do corpo docente e dos estudantes.

“Tudo aquilo que ajudar os nossos estudantes a entrar no mercado de trabalho é importante para a nossa Faculdade de Ciências, não só por razões de responsabilidade social, mas também práticas”, comenta José Rebordão, subdiretor de Ciências. Este ano espera que o acontecimento seja ainda melhor e o culminar dos anos anteriores. Para José Rebordão, a Jobshop Ciências é um instrumento fundamental para a atuação da faculdade, uma responsabilidade permanente e uma oportunidade para as empresas conhecerem o universo Ciências.

"Encontramos graduados de qualquer área científica associados a empresas de qualquer área de negócio"
Conversas em Ciências com José Rebordão

Rui Roda estudou Engenharia Física em Ciências por isso foi com especial prazer que participou o ano passado na feira de emprego. Entrou no mercado de trabalho em finais de 1989 numa iniciativa deste género, através de um estágio profissionalizante. Primeiro trabalhou com lasers, depois mudou para o mercado das telecomunicações. Atualmente coordena os programas de Inovação da ESRI Portugal. A responsabilidade que lhe está atribuída é dinamizar os SIG e dar suporte às ideias inovadoras.

“A jobshop em si é a oportunidade de vir buscar talentos para a ESRI Portugal. Neste momento 10% dos seus quadros são pessoas que saíram daqui.”
Rui Roda, ESRI Portugal

Bruno Ferreira também estudou em Ciências. Primeiro frequentou a licenciatura em Biologia Ambiental Terrestre e mais tarde o mestrado em Ecologia e Gestão Ambiental. Recorda com carinho esses anos produtivos, considerando a experiência interessante. A capacidade de análise e de encontrar soluções interessantes ganhou-os na faculdade, diz o jovem cujo primeiro emprego foi numa consultora. O ano passado esteve no Espaço Alumni para falar da sua experiência. Conversou com cinco alunas de Biologia e deixou conselhos, nomeadamente que participem em projetos de investigação e que tenham interesse em descobrir “coisas” novas.

“Trabalhar e estudar ao mesmo tempo foi muito importante.”
Bruno Ferreira, Prosegur


Inês Vilas Boas e Duarte Lima

Quando Inês Vilas Boas e Duarte Lima participaram na Jobshop Ciências estavam no último ano do mestrado em Engenharia Geográfica. Ela estudava a vulnerabilidade sísmica dos edifícios de Lisboa em 3D, ele edifícios inteligentes. Participaram em vários workshops e também entregaram currículos. Durante a feira os alunos podem contactar com as empresas nas bancas e tirar dúvidas, como foi o caso de Filipe Azinheira, na época finalista de Estatística Aplicada.

A Just Code it quer chegar aos estudantes e por isso participou na feira de emprego. O conceito é simples: permitir o desenvolvimento de projetos de alunos de qualquer área, enquanto ainda são estudantes.

“Quanto mais investigamos, mais ideias alcançamos para aplicar no dia-a-dia”, comenta Miguel Costa, licenciado, mestre e doutor em Engenharia Informática, atualmente na NOS. Enquanto aluno de Ciências Miguel Costa participou em muitas Informanias. “É importante que os alunos tenham uma visão das várias empresas que estão no mercado e o que procuram”, comenta. Para Miguel Costa os estudantes que procuram uma experiência profissional devem ter sempre uma atitude positiva: acreditar em si próprios, arriscar sem medo de falhar.

Ana Prata, cofundadora da MY.SKINMIX, é empreendedora por natureza e foi nessa condição que participou na jobshop. Falou da sua experiência como estudante de Microbologia Aplicada, da sua startup e de como se sente realizada afirmando que é muito importante não largarmos o que gostamos de fazer.

"É importante que percebam que podem fazer alguma coisa diferente"
Conversas em Ciências com Ana Prata

Para Sandro Batista, da Focus BCc, foi muito importante estar presente no fórum, até porque a Faculdade tem sido “uma ótima fonte de recursos humanos”, especialmente das áreas de Engenharia Geográfica e Engenharia Geoespacial. Patricia Silva, da Caixa Mágica, normalmente acompanha as feiras de emprego e o ano passado esteve pela primeira vez em Ciências. O balanço foi positivo. Rita Ardisson, da Glintt, também considerou a experiência positiva salientando os perfis “muito interessantes” dos alunos que entrevistaram.

Notícias relacionadas - info-Ciências digital
Informania e a CADI-FCUL 22 junho 2011
Informania decorre de 17 a 20 de Abril - 17 de abril 2007

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

"É mais uma vez com uma enorme alegria que constatamos que Ciências ULisboa foi reconhecida como faculdade de excelência, sendo escolhida por mais de nove centenas de alunos na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) ao ensino superior", escreve Pedro Almeida, subdiretor da Faculdade.

trevo

Todos os dias são bons para serendipidades. Todos os dias também são bons para ocasiões previstas e que produzem factos.

Clara Grilo

Clara Grilo é bióloga e tem desenvolvido estudos sobre o impacto das estradas na fauna silvestre, nomeadamente na abundância relativa, comportamento, mortalidade por atropelamento e risco de extinção em aves e mamíferos. É investigadora no CESAM Ciências ULisboa, mas também é uma alumna da Faculdade. Fique a par de como foi estudar nesta faculdade e o que a levou a ir para o estrangeiro.

Um lince Ibérico sub-adulto

Mais de 120 espécies de mamíferos terrestres são particularmente vulneráveis à mortalidade por atropelamento e várias populações podem extinguir-se em 50 anos se persistirem os níveis de atropelamentos observados. A declaração é de Clara Grilo, investigadora do CESAM Ciências ULisboa, que lidera a investigação e que resultou na publicação de um artigo na prestigiada revista científica Global Ecology and Biogeography.

A missão Sentinel marca uma nova era na observação da Terra com o Copernicus

"A deteção remota veio revolucionar a forma de observação da Terra (...) desde as câmaras acopladas a aviões (...) aos mais variados sensores a bordo dos diversos satélites que orbitam a Terra, estes equipamentos têm permitido a aquisição sistemática de grandes volumes de imagens da superfície terrestre, possibilitando a sua monitorização a um nível global, regional e local de modo a uma gestão mais sustentável", escreve Ana Cristina Navarro Ferreira, professora do DEGGE Ciências ULisboa, por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial.

Estrutura molecular do óxido aniónico [Mo7O24]<sup>6-</sup>, cuja dissolução apresenta propriedades oncocidas

Investigação conjunta entre o BioISI Ciências ULisboa, a CIC NanoGUNE e a Universidade de Glasgow permite um avanço no conhecimento sobre quimioterapias com óxidos de molibdénio e realça as nuances pelas quais os sucessivos equilíbrios de pH controlam a ação oncocida aparente do {Mo7}.

Cratera inativa em Cabo Verde

António Morais Romão Serralheiro, professor catedrático jubilado da Ciências ULisboas, faleceu no passado dia 25 de agosto. A Faculdade apresenta as sinceras e sentidas condolências aos seus familiares, amigos e colegas. Leia a homenagem de um dos seus antigos alunos, atualmente professor e investigador da Faculdade, José Madeira.

Ricardo Simões no laboratório

Ricardo Simões, antigo aluno da Ciências ULisboa e investigador pós-doutorado do Centro de Química Estrutural da ULisboa, é um dos vencedores do Prémio Franzosini 2020, e o primeiro cientista português a receber este galardão internacional, que devido à situação pandémica foi entregue este verão.

Aula Magna

Os Prémios Científicos ULisboa/ CGD 2020 existem desde 2016. Até 2020 já foram concedidos 83 prémios e 87 menções honrosas a cientistas da Universidade. Desses, 14 prémios e 16 menções honrosas foram entregues a cientistas da Ciências ULisboa. Este ano na Faculdade estão de parabéns oito personalidades.

Dunas Monte Gordo

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e a Ciências ULisboa assinaram recentemente um contrato de cooperação para desenvolvimento de viveiros de espécies dunares.

Quatro cenários diferentes para a formação do próximo supercontinente

Como será o clima da Terra quando o próximo supercontinente se formar? Ana Pires, comunicadora de ciência do IDL Ciências ULisboa, escreve sobre a nova publicação que tem em conta o impacto da tectónica de placas, da rotação do planeta e da radiação solar no clima futuro da Terra. Este novo trabalho publicado na revista Geochemistry, Geophysics, Geosystems da American Geophysical Union é da autoria dos cientistas Michael Way, Hannah Davies, João C. Duarte e Mattias Green.

Uma aplicação mais recente da fotogrametria é a robótica com base em câmaras estéreo, usada em veículos autónomos terrestres e espaciais, como é o caso do Perseverance

"Não é de mais dizer, que hoje em dia, a fotogrametria é indispensável na cartografia da Terra e que leva a Engenharia Geoespacial até à superfície de Marte", escreve Paula Redweik, professora do DEGGE Ciências ULisboa, por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial.

Mulher a escrever num quadro e homem ao lado

"A comunicação tem múltiplas funções num organismo. Uma boa prática, por exemplo, passa por acautelar a reputação dessa estrutura, e para que tal aconteça quem trabalha numa organização deve conhecer esse organismo, nomeadamente a sua missão, visão e lema; e o conjunto de pessoas que constituem esse grupo de trabalho", escreve Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Cumprimento entre Bernardo Duarte e o Reitor da ULisboa

A 26 de julho comemorou-se o Dia da ULisboa. A sessão decorreu na Aula Magna, e contou com a Cerimónia de Entrega de Prémios Científicos ULisboa/CGD das edições de 2019 e 2020. Num conjunto de 18 prémios e 23 menções honrosas, nesta edição de 2020, foram atribuídos quatro prémios e quatro menções honrosas a docentes e investigadores da Ciências ULisboa.

Trabalho a decorrer no âmbito da campanha oceanográfica EMSO-PT Leg 1

O Instituto Dom Luiz (IDL) da Ciências ULisboa é responsável pelo desenvolvimento e construção de estações sísmicas de fundo oceânico (OBS).

A aluna está a centrifugar amostras de ácidos nucleicos no âmbito do fluxograma experimental da atividade de sequenciação.

Mónica Vieira Cunha, professora do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa, investigadora do cE3c e coordenadora científica do projeto COVIDETECT, foi uma das oradoras da sessão “COVIDETECT – Deteção e quantificação de SARS-CoV-2 em águas residuais, como alerta precoce para a disseminação do vírus na comunidade”, organizada pela Águas do Norte, em formato online, no passado dia 13 de julho.

Mão a segurar num telemóvel com o google maps em fundo

Mais uma crónica por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial, desta vez da autoria de Ana Cristina Navarro Ferreira, professora do DEGGE Ciências ULisboa.

Jorge Relvas

Jorge Relvas, professor do Departamento de Geologia da Ciências ULisboa e investigador do Instituto Dom Luiz, é o primeiro português a ser distinguido com a medalha da Society for Geology Applied to Mineral Deposits.

Faleceu no passado dia 28 de junho de 2021 Maria da Conceição Vieira de Carvalho, professora do DM Ciências ULisboa, investigadora do CMAFcIO e investigadora visitante permanente na Rutgers University, nos USA. Ciências ULisboa lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Encontro Ciência 2021 - Dezoito cientistas recebem as medalhas de mérito científico

O Ciência 2021 atribuiu 18 medalhas de mérito científico, destaque para os professores cientistas da Faculdade - Fernando Catarino, Isabel Âmbar e Maria José Costa (Zita). Por ocasião deste importante acontecimento surgiram três conversas com os membros da Faculdade: "a cereja em cima do bolo". 

Logotipo Radar

Décima sétima rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade.

engenheiro a operar com digitalização a laser 3D

Mais uma crónica por ocasião das comemorações do centenário do curso de Engenharia Geográfica/Geoespacial, desta vez da autoria de João Calvão Rodrigues, professor do DEGGE Ciências ULisboa.

Pessoa com a mão no ar

"Será que a sociedade portuguesa reconhece a excelência da investigação científica produzida em Portugal? Não basta produzir conhecimento científico de elevada qualidade, para que este seja reconhecido pelo público como tal", escreve Ana Subtil Simões, editora da Newsletter de Ciências.

Rui Gonçalvez Deus fardado

Rui Gonçalves Deus, oficial da Marinha e especialista em Investigação Operacional, dá-nos a conhecer o seu percurso académico e profissional, e conta-nos de que forma a passagem pela Faculdade o ajudou a alcançar o sucesso profissional.

 Estrutura molecular

Os compostos alílicos de Mo(II) têm sido estudados na Ciências ULisboa há vários anos, tendo sido demonstrada a sua atividade como precursores de catálise na oxidação de olefinas.

Páginas