27 e 28 abril 2017

Jobshop Ciências

“Enquanto docente grande parte das minhas funções passam por integrar os nossos estudantes no mercado de trabalho”, diz Cristina Catita, professora do DEGGE e uma das organizadoras da feira anual de emprego

ACI Ciências

Indicadores Jobshop Ciências 2016

35 empresas/entidades participantes
30 workshops empresas
858 alunos inscritos nos workshops empresas
17 apresentações no “Flash Empresas”
11 apresentações de estudantes “Talentos em Ciências”
21 antigos alunos presentes no “Espaço Alumni
210 alunos inscritos nos workshops de preparação para o mercado de trabalho, sessões de role play de entrevistas de trabalho, revisão de currículos e sessão de competências empreendedoras

Nos dias 27 e 28 de abril de 2017 realiza-se a 8.ª edição da feira anual de emprego da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Conhecer o lado prático do curso foi um dos motivos que levou Carolina Xavier a participar o ano passado na Jobshop Ciências na qualidade de finalista da licenciatura em Matemática Aplicada, ramo de Estatística e Investigação Operacional.

Refletir sobre o que podem fazer no futuro é um fator de motivação. “Um aluno quando acaba o curso quer ter algum apoio”, conta Daniel Oliveira, formado em Engenharia da Energia e do Ambiente.

Diana Botelho Duarte estuda Matemática em Ciências e antes de terminar o curso pretende saber como é que as empresas funcionam, por isso já frequentou um estágio de verão.

Rita Matildes apoiou a organização do evento o ano passado, na época estava preste a entregar a tese de doutoramento em Ciências Geofísicas e da Geoinformação, especialização em Engenharia Geográfica, e durante o evento pôde estabelecer contactos com algumas empresas. Para Rita Matildes “esta jobshop foi incrivelmente cheia, extremamente intensa e com uma afluência enorme”.


Celso Pinto

“Passados 3/4 meses de terminar a licenciatura em Geologia Aplicada do Ambiente estava a trabalhar na área que queria e com as pessoas que queria… Melhor era impossível”, conta Celso Pinto, técnico superior do Departamento Litoral e Proteção Costeira da Agência Portuguesa de Ambiente.

O ano passado participou na Jobshop Ciências e conversou com alunos da licenciatura em Geologia, alertando-os para o que poderá vir a ser o mercado de trabalho e para os desafios que irão enfrentar, deixando alguns conselhos. Empenho e genuinidade são características importantes e conciliadas com alguma sorte e muita perseverança podem determinar o sucesso profissional.

Celso Pinto trabalha desde 2000. Em 2012 começou a trabalhar na Agência Portuguesa de Ambiente estando ligado ao planeamento costeiro, gestão do risco costeiro, questões relacionadas com a erosão costeira e as próprias intervenções que são feitas no litoral português. Formou-se em Ciências há 16 anos e em 2007 regressou à Faculdade como trabalhador/estudante para realizar o mestrado em Geologia Económica e Aplicada. Quis juntar o útil ao agradável. “A Universidade tem um papel muito importante! Depois de estar a trabalhar há alguns anos senti necessidade de acrescentar mais conhecimento à minha área”, refere salientando que a investigação aplicada tem benefícios para a universidade e para a entidade empregadora, por isso há vários anos que trabalha em conjunto com a Faculdade.

“A faculdade não é só o conhecimento, dá outras valências que são tão ou mais importantes que o conhecimento, tais como: trabalhar em equipa, sobre pressão, com pessoas de diferentes áreas; saber ouvir e saber lidar com situações de stress.”
Celso Pinto, Agência Portuguesa de Ambiente

A poucos dias da Jobshop Ciências 2017, a opinião de quem já participou no fórum destinado a promover o contacto entre o mundo empresarial, a área internacional, o setor público e os estudantes finalistas e recém-graduados dos vários cursos de Ciências é muito positivo.

"Uma faculdade que se preocupa com o conhecimento que os alunos recebem e com a sua integração no mercado de trabalho é uma faculdade que dá segurança"
Conversas em Ciências com Gustavo Ribeiro

Gustavo Ribeiro começou a trabalhar na Accenture antes de terminar o mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica. Através da consultoria ganhou competências em muitas áreas. Para Gustavo Ribeiro o conhecimento técnico é importante mas a vontade de aprender é fundamental. “O espirito crítico é muito valorizado pelos empregadores”, diz o antigo aluno de Ciências.


Joana Estevans

Joana Estevans começou a trabalhar na Fidelidade ao mesmo tempo que começou a tirar o mestrado em Matemática Financeira. A jovem é atuária do ramo não vida. Os conhecimentos adquiridos na licenciatura em Matemática ensinaram-na a pensar. Para a jovem, “as pessoas têm que procurar o que querem e o que gostam”. Como gosta muito de estudar, ingressou no doutoramento em Estatística e Investigação Operacional.

Uma feira pensada para os alunos e sua empregabilidade
Conversas em Ciências com Ana Atouguia

“O envolvimento de todos foi a chave do sucesso”, diz Ana Atouguia, a propósito da última edição da feira anual de emprego. “É muito importante trabalharmos para o mesmo objetivo e aqui foi isso que aconteceu”, conclui a coordenadora do Gabinete de Empregabilidade da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno (AMAA), que aconselha os estudantes a consultarem com regularidade o portal de emprego.

Se os alunos tiverem dúvidas sobre oportunidades de emprego, quiserem saber mais sobre os empregadores também podem dirigir-se ao atendimento geral e entrar em contacto com o Gabinete que está disponível para rever currículos e prestar apoio em processos de recrutamento, por exemplo.

Competências transversais dos alunos
Conversas em Ciências com Andreia Santos

O ano passado a adesão à feira de emprego foi grande. Para Andreia Santos, psicóloga no Gabinete de Apoio Psicopedagógico (GAPsi) da AMAA, este tipo de atividade é muito importante. “Estas pessoas não têm nenhuma experiência com o mercado de trabalho”, diz acrescentando que o evento permite que os estudantes reflitam sobre a temática.

A Maxdata está sempre a recrutar por isso também foi uma das empresas presentes na feira anual de emprego. O que procuram? Pessoas com brio, competentes e dispostas a dar o máximo todos os dias.

"O melhor de Ciências é a transversalidade do conhecimento dos nossos alunos"
Conversas em Ciências com Cristina Catita

Cristina Catita, professora do DEGGE e uma das organizadoras da Jobshop Ciências, entende que este acontecimento proporciona um conhecimento bilateral. “Enquanto docente grande parte das minhas funções passam por integrar os nossos estudantes no mercado de trabalho”, afirma realçando que espera que este ano haja ainda uma maior mobilização por parte do corpo docente e dos estudantes.

“Tudo aquilo que ajudar os nossos estudantes a entrar no mercado de trabalho é importante para a nossa Faculdade de Ciências, não só por razões de responsabilidade social, mas também práticas”, comenta José Rebordão, subdiretor de Ciências. Este ano espera que o acontecimento seja ainda melhor e o culminar dos anos anteriores. Para José Rebordão, a Jobshop Ciências é um instrumento fundamental para a atuação da faculdade, uma responsabilidade permanente e uma oportunidade para as empresas conhecerem o universo Ciências.

"Encontramos graduados de qualquer área científica associados a empresas de qualquer área de negócio"
Conversas em Ciências com José Rebordão

Rui Roda estudou Engenharia Física em Ciências por isso foi com especial prazer que participou o ano passado na feira de emprego. Entrou no mercado de trabalho em finais de 1989 numa iniciativa deste género, através de um estágio profissionalizante. Primeiro trabalhou com lasers, depois mudou para o mercado das telecomunicações. Atualmente coordena os programas de Inovação da ESRI Portugal. A responsabilidade que lhe está atribuída é dinamizar os SIG e dar suporte às ideias inovadoras.

“A jobshop em si é a oportunidade de vir buscar talentos para a ESRI Portugal. Neste momento 10% dos seus quadros são pessoas que saíram daqui.”
Rui Roda, ESRI Portugal

Bruno Ferreira também estudou em Ciências. Primeiro frequentou a licenciatura em Biologia Ambiental Terrestre e mais tarde o mestrado em Ecologia e Gestão Ambiental. Recorda com carinho esses anos produtivos, considerando a experiência interessante. A capacidade de análise e de encontrar soluções interessantes ganhou-os na faculdade, diz o jovem cujo primeiro emprego foi numa consultora. O ano passado esteve no Espaço Alumni para falar da sua experiência. Conversou com cinco alunas de Biologia e deixou conselhos, nomeadamente que participem em projetos de investigação e que tenham interesse em descobrir “coisas” novas.

“Trabalhar e estudar ao mesmo tempo foi muito importante.”
Bruno Ferreira, Prosegur


Inês Vilas Boas e Duarte Lima

Quando Inês Vilas Boas e Duarte Lima participaram na Jobshop Ciências estavam no último ano do mestrado em Engenharia Geográfica. Ela estudava a vulnerabilidade sísmica dos edifícios de Lisboa em 3D, ele edifícios inteligentes. Participaram em vários workshops e também entregaram currículos. Durante a feira os alunos podem contactar com as empresas nas bancas e tirar dúvidas, como foi o caso de Filipe Azinheira, na época finalista de Estatística Aplicada.

A Just Code it quer chegar aos estudantes e por isso participou na feira de emprego. O conceito é simples: permitir o desenvolvimento de projetos de alunos de qualquer área, enquanto ainda são estudantes.

“Quanto mais investigamos, mais ideias alcançamos para aplicar no dia-a-dia”, comenta Miguel Costa, licenciado, mestre e doutor em Engenharia Informática, atualmente na NOS. Enquanto aluno de Ciências Miguel Costa participou em muitas Informanias. “É importante que os alunos tenham uma visão das várias empresas que estão no mercado e o que procuram”, comenta. Para Miguel Costa os estudantes que procuram uma experiência profissional devem ter sempre uma atitude positiva: acreditar em si próprios, arriscar sem medo de falhar.

Ana Prata, cofundadora da MY.SKINMIX, é empreendedora por natureza e foi nessa condição que participou na jobshop. Falou da sua experiência como estudante de Microbologia Aplicada, da sua startup e de como se sente realizada afirmando que é muito importante não largarmos o que gostamos de fazer.

"É importante que percebam que podem fazer alguma coisa diferente"
Conversas em Ciências com Ana Prata

Para Sandro Batista, da Focus BCc, foi muito importante estar presente no fórum, até porque a Faculdade tem sido “uma ótima fonte de recursos humanos”, especialmente das áreas de Engenharia Geográfica e Engenharia Geoespacial. Patricia Silva, da Caixa Mágica, normalmente acompanha as feiras de emprego e o ano passado esteve pela primeira vez em Ciências. O balanço foi positivo. Rita Ardisson, da Glintt, também considerou a experiência positiva salientando os perfis “muito interessantes” dos alunos que entrevistaram.

Notícias relacionadas - info-Ciências digital
Informania e a CADI-FCUL 22 junho 2011
Informania decorre de 17 a 20 de Abril - 17 de abril 2007

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Dia Internacional em Ciências 2019

As candidaturas a um período de estudos ou de investigação ao abrigo do Programa Erasmus+ na Faculdade começaram a 1 de dezembro, mas os estudantes puderam informar-se logo no Dia Internacional em Ciências dos tipos de mobilidade em curso, bem como dos requisitos necessários para a respetiva candidatura, que termina no último dia do ano.

Tabela Periódica no C8

Isabel Pinheiro podia ter escolhido uma carreira na área da investigação, mas optou pelo ensino. “Cada descoberta, cada aula, cada aula partilhada com um colega é um momento diferente”, refere a professora de Física e Química da Escola Seomara da Costa Primo, apaixonada pela educação e pela tabela periódica, que em 2019 celebra 150 anos.

"A memória da FFCUL, instituição, que soube merecer uma apreciação inequivocamente positiva dos investigadores que serviu, e de todas as instituições que financiaram as suas atividades, será mantida no seu site, onde se encontram todos os relatórios e contas desde 2009, e onde se pode seguir, com toda a transparência, a vida da FFCUL." Leia o artigo de José Manuel Rebordão, ex-presidente do Conselho Diretivo e da Comissão Liquidatária da FFCUL.

Universidade Agostinho Neto

Após o sucesso dos mestrados em Gestão e Governança Ambiental e Microbiologia Aplicada, dos quais resultaram os primeiros 25 mestres em Angola nestas áreas, iniciou-se este ano, a 2.ª edição do mestrado em Gestão e Governança Ambiental, com novos 25 alunos. José Guerreiro, professor do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa, esteve em serviço externo em Angola, tendo regressado a Portugal este sábado, dia 14 de dezembro, após fechar com sucesso o 1.º ano curricular de mais uma edição deste programa.

Imagem abstrata Ciências ULisboa

"A compreensão do tempo pode ser feita em função dos ganhos e perdas de informação. Assim, a adaptação é um ganho de informação, a degradação é um tipo de perda e implica um aumento de entropia. Os fenómenos complexos aparecem entre os estados de baixa e os de alta entropia, onde a baixa entropia dá-nos a ordem da complexidade", in no Campus com Helder Coelho.

O Tec Labs - Centro de Inovação da Faculdade participou numa missão de quatro dias, na Alemanha, organizada pelo Health Cluster Portugal (HCP). Leia a crónica publicada no blog do Centro de Inovação da Faculdade e saiba como decorreu a visita.

O Prémio Breakthrough em Física Fundamental 2020, um dos mais prestigiantes em Física, foi atribuído ao projeto Event Horizon Telescope (EHT) e a cada um dos 347 membros, incluindo o português Hugo Messias, antigo aluno da Ciências ULisboa e atualmente investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço. Hugo Messias foi ainda galardoado este ano com o prémio GQ Men of the Year, na categoria ciência.

Andreia Tracana, Giulia Sent e Carolina Sá junto ao Discovery em Ponta Delgada

Carolina Sá, professora do DBV e investigadora do polo da Faculdade do MARE, doutorada em Ciências do Mar, juntamente com Andreia Tracana, Giulia Sent respetivamente mestre e estudante do mestrado em Ciências do Mar, também elas investigadoras do MARE Ciências ULisboa, participaram no cruzeiro AMT29, que atravessou o Atlântico, desde o Reino Unido até Punta Arenas, na América do Sul, a bordo do navio Discovery.

Rui Agostinho com alunos

Rui Agostinho, professor do Departamento de Física e investigador do polo da Faculdade do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, recebe no Dia Nacional da Cultura Científica o Grande Prémio Ciência Viva Associação Mutualista Montepio 2019, pela sua ação notável na promoção da cultura científica como professor, investigador, autor e divulgador na área da Astronomia.

Sala da aula

Ana Eliete dá aulas de Matemática há cerca de 15 anos e sempre quis ser professora. Escolheu a profissão por vocação. É licenciada em Ensino da Matemática, pela Universidade de Évora, e em 2011 concluiu o mestrado em Matemática para Professores, pela Ciências ULisboa.

A fibrose quística é uma doença genética hereditária rara que afeta cerca de 400 pessoas em Portugal

Margarida Amaral, professora do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa e coordenadora do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas, foi distinguida com o Jack Riordan & Paul Quinton CF Science Award 2019, que visa homenagear os cientistas cuja missão é encontrar a cura para a fibrose quística.

Representantes da Delta Soluções, Nevaro, Vawlt e equipa do Tec Labs no Web Summit 2019

O Tec Labs voltou a marcar presença no Web Summit, com a Delta Soluções, a Nevaro, a Vawlt Technologies e a UpHill, segundo o blog do Centro de Inovação da Faculdade. Entretanto, já é possível efetuar o pré-registo na edição 2020 do mediático certame dedicado à inovação tecnológica.

Maria Elvira Callapez e Vânia Carvalho, do Museu de Leiria, recebem o prémio das mãos de Thomas Misa, presidente da SHOT e Arwen Mohun, presidente eleita da SHOT

A exposição “Plasticidade – uma História dos Plásticos em Portugal” - em exibição no Museu de Leiria - ganhou o Dibner Award for Excellence in Museum Exhibits. A exposição premiada é uma das metas do projeto “O Triunfo da Baquelite – Contributos para uma História dos Plásticos em Portugal”, coordenado por Maria Elvira Callapez, investigadora do polo da Ciências ULisboa do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia.

 2.ª edição do prémio “Internet +” de inovação e empreendedorismo da China e países de língua portuguesa para estudantes universitários

A Nevaro, uma proto-company da Ciências ULisboa, fundada por Francisca Canais e Rita Maçorano, duas alunas do mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica (MIEBB), e por Hugo Ferreira, professor do Departamento de Física e investigador do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica da Faculdade, participou na 2.ª edição do prémio “Internet +” de inovação e empreendedorismo da China e países de língua portuguesa para estudantes universitários, ganhando no final do concurso o prémio de bronze.

Galeria Ciências

"Visitar esta exposição é entrar na pesquisa de Katrin von Lehmann sobre o desenho usando o método artístico de experimentação, assim como na aventura interdisciplinar que pretende, a partir da Filosofia, perceber um pouco mais das possíveis relações entre Arte e Ciência." Crónicas em Ciências com Catarina Pombo Nabais, curadora da exposição.

Encontro sobre Mamíferos Marinhos

 A 1.ª edição do Encontro sobre Mamíferos Marinhos (EMMA 2019) realiza-se em Ciências ULisboa, no auditório da FCiências.ID, sito no edifício C1, piso 3, no próximo dia 15 de novembro, e visa reunir a comunidade científica e empresarial que trabalha com mamíferos marinhos em Portugal.

20 de outubro comemorou-se o Dia Europeu da Estatística

O Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa juntou-se à celebração do Dia Europeu da Estatística pelo 4.º ano consecutivo, numa sessão com três convidados de peso - Hygor Piaget, Carlos da Camara e Vitor Sousa - que apresentaram de forma clara a Estatística como pilar transversal da ciência.

Margarida Amaral, professora do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa e coordenadora do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas, visitou este ano a Naturalist, uma empresa startup, sediada na ilha do Faial, nos Açores e que integra investigadores da Faculdade e do Centro de Ciências do Mar e Ambiente.

Em plena emergência climática, um grupo de investigadores desenvolveu um novo método de criar hidrogénio a partir da água e que pode fomentar novas oportunidades para a captura de energia renovável. “Este estudo permite uma melhor compreensão dos resultados experimentais e poderá guiar estudos futuros da mesma linha temática”, refere Nuno A. G. Bandeira, investigador do DQB Ciências ULisboa, do CQB, do BioISI e um dos autores do artigo.

Margarida Dionísio Lopes, João Brito, Inês Ramos, Débora Borges Santos com Luís Carriço

A equipa Nikola Tesla foi a grande vencedora desta segunda edição dos Innovation Days, com a Keep on Care, uma aplicação que ajuda os cuidadores informais a organizarem as suas atividades e a contactarem especialistas. Leia a crónica publicada no blog do Centro de Inovação da Faculdade.

Topografia de um modelo geodinâmico

Um novo estudo publicado na prestigiada revista Nature Communications e no qual estiveram envolvidos João C. Duarte, investigador do DG Ciências ULisboa e do IDL e Filipe M. Rosas, professor do DG Ciências ULisboa e investigador do IDL, mostrou que a resposta a esta pergunta se encontra na fronteira entre o oceano Pacífico e a margem continental do este asiático, junto ao Japão e às Filipinas, já que nesta zona existe um limite de placas tectónicas caracterizado pela presença de grandes zonas de subducção, onde diversas placas tectónicas mergulham umas sob as outras.

Ondas de calor de 1 a 7 de agosto de 2018 (à esquerda) e de 24 a 30 de junho de 2019 (à direita). As cores indicam o número de dias com intrusão de massa de ar quente proveniente do norte de África. Os pontos a negro identificam as regiões que, pela primeira vez (pelo menos desde 1948), foram afetadas por uma massa de ar com essas características

Um grupo de investigadores descobriu que as intrusões de massas de ar provenientes do Saara aumentaram de frequência, particularmente desde meados da década de 1970, concluindo ainda que estes fenómenos atingem latitudes cada vez mais a norte no espaço europeu. O grupo integra investigadores de Ciências ULisboa e do IDL, entre outras instituições portuguesas e estrangeiras.

A equipa de cerca de 170 EU Careers Ambassador de 2019/2020 de vários países da UE

No ano letivo de 2019/2020, todos os estudantes de Ciências ULisboa que tenham interesse e dúvidas sobre as carreiras da União Europeia (UE) poderão contactar Catarina Hoosseni por email eucareers.fcul@gmail.com ou via LinkedIn! A aluna da Ciências ULisboa do último ano do mestrado integrado em Engenharia Biomédica e Biofísica está disponível para aconselhar e explicar todo o processo de recrutamento na UE!

Comité de Gestão da Ação COST CA15216 reuniu-se em Ciências ULisboa

Comité de Gestão da Ação COST CA15216 reuniu-se no campus da Ciências ULisboa. O objetivo desta ação é decifrar os segredos dos organismos que produzem bioadesivos e usar as suas propriedades invulgares, nomeadamente boa adesão na presença de fluidos, convertendo-os em novos produtos com aplicações médicas e industriais.

Propagação de bactérias (E.coli) num meio com obstáculos. Cada linha representa a trajetória de uma bactéria diferente

Estudo da UCL e do CFTC Ciências ULisboa pode ser útil no controlo de ecossistemas microbióticos e no desenvolvimento de dispositivos médicos. Entrevista com Nuno Araújo e Vasco Braz, autores do artigo publicado na Nature Communications.

Páginas