Visitantes conhecem “bastidores” das empresas

“Estamos cá, podem vir até nós!”

Empresa Outmind trabalha o conceito de marketing sensorial aliado à tecnologia
GCIC - FCUL

Sempre de portas abertas para receber os que trazem boas e consistentes ideias, o Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL, celebrou o arranque do novo plano estratégico da instituição com o mesmo espírito: abrindo as portas dos laboratórios das atividades empreendedoras, ali desenvolvidas, à comunidade.
“Entendo que é necessário mostrarmos desagrado face ao atual tecido social, económico e cultural existente mas há o outro lado, a atitude empreendedora. É necessário que todos coloquemos a questão: o que é que nós podemos fazer para mudar o mundo? De que forma inconformada é que podemos atuar para desenvolver projetos diferentes e inovadores? (…) Queremos dar a conhecer um novo espaço, uma nova marca, uma nova estratégia para o Tec Labs e também, claramente, incentivar as pessoas a terem uma atitude diferente face ao empreendedorismo”. O raciocínio pertence a Luís Matos Martins, presidente do Conselho de Administração do Tec Labs, em funções desde maio deste ano.

A viagem pelo mundo do empreendedorismo foi estruturada por forma a surpreender logo à chegada. À espera dos visitantes estavam os colaboradores da empresa OF Produções, promotora de atividades de índole coletivo, cultural e desportivo para diferentes faixas etárias que de forma dinâmica e simpática receberam, encaminharam e mostraram-se disponíveis para dar resposta a qualquer necessidade dos visitantes.
Quem visitou o novo Centro de Inovação da FCUL no passado mês de outubro, pôde fazê-lo por um período de 12 horas, conhecendo as 31 empresas suportadas por laboratórios especializados e de grande potencial científico, assim como os 130 profissionais que nelas trabalham.


Fonte: Tec Labs - Centro de Inovação da FCUL
Legenda: Alunos observam apresentação de marketing sensorial da empresa Outmind

Ana Andrade, de 62 anos, já sabia da existência do centro. Ainda assim, não quis perder a oportunidade de ver de perto o que há muito lhe suscitava interesse. “Não sou desta área e não sei muito sobre o assunto mas este é um tema que me interessa. Vi e ouvi uma explicação breve de todas as empresas mas centrei a minha atenção na Bioalvo. Esta empresa chama-me especialmente à atenção pelo facto de se debruçar sobre a temática do mar e/ou oceano, sendo este um recurso que nós não exploramos muito e deveríamos explorar. Um dos exemplos que me surpreende é o facto de terem ido aos Açores buscar uma determinada matéria para a reproduzir em laboratório passando a ser, automaticamente, uma mais-valia que pode ter várias aplicações desde um creme antirrugas, detergentes ou até em medicamentos anti Parkison”, explicou a visitante.

Outros curiosos estabeleceram como “paragem obrigatória”, no percurso pelo Tec Labs, os laboratórios da Bioalvo. À entrada, Patrícia Calado, representante da empresa portuguesa que maximiza a aplicação de produtos naturais, esclarecia: “Temos bibliotecas de produtos naturais exclusivamente portugueses que são, na maioria, bactérias marinhas. O nosso objetivo é conseguir colocar produtos no mercado, trabalhando em parceria com outras empresas que tenham como ingrediente ativo um produto natural português. O que fazemos é utilizar bactérias que vivem em ambientes marinhos extremos, como sendo exemplo as fontes hidrotermais, neste caso, perto da região dos Açores. Recolhemos amostras a partir das quais isolamos as bactérias marinhas já nos nossos laboratórios”.

Passando a porta do laboratório, os visitantes puderam assistir à atividade que ali estava a ser desenvolvida pelos colaboradores. “Temos um carinho especial por um destes ingredientes, o refirmarine, chamamos-lhe o “botox marinho” porque é um ingrediente derivado de uma bactéria portuguesa que tem atividade antirrugas. Está neste momento a ser desenvolvido para ser incorporado num creme”, explicou Patrícia Calado.

Dos produtos naturais para o marketing sensorial, muitos foram os que ficaram atentos à atividade da empresa Outmind. Como elemento representativo do seu trabalho, a empresa apresentou um projeto inovador em 4D, traduzido numa televisão capaz de proporcionar experiências sensoriais ao público. Atentos à imagem emitida, os visitantes foram surpreendidos com fumo a sair da TV enquanto o ator da publicidade fumava, com um líquido a ser vertido num copo enquanto alguém servia uma bebida no filme e foram até seduzidos pelo aroma de café e bolos de chocolate libertado pelo ecrã, entre outras situações ilustrativas que tiveram um efeito surpresa em todos os que por ali passavam.

“Trabalhamos o conceito do marketing sensorial aliado à tecnologia. O trabalho que aqui apresentamos serve para cativar a atenção das pessoas que circulam, principalmente aquelas que estão junto a um ponto de venda para que assim se ajude a potenciar as vendas”, esclareceu José Gomes da equipa Outmind.

No BioFIG - Centro para a Biodiversidade Genómica Integrativa e Funcional, uma unidade de I&D da FCUL instalada no Tec Labs, os visitantes observaram os aparelhos tecnológicos utilizados para o desenvolvimento de investigações na área da Biologia e Microbiologia e ouviram esclarecimentos quanto às políticas de suporte às empresas aqui desenvolvidas.

“As empresas que necessitem têm acesso aos materiais existentes no laboratório e aos próprios consumíveis (procedendo ao registo de utilização). Quer na fase da prova de conceito, quer na fase de arranque, as jovens empresas ou aquilo que vão ser futuras empresas, podem aqui testar as suas ideias em ambiente laboratorial. Se têm sucesso, depois estabilizam-se e adquirem o seu material mas na fase inicial não têm que fazer o investimento, às vezes brutal do ponto de vista financeiro, para poderem testar uma metodologia que depois pode até nem ser o seu modelo de negócio”, declarou, Rogério Tenreiro, professor do Departamento de Biologia Vegetal da FCUL e coordenador de um dos grupos de investigação daquela unidade.

 
Fonte: Imagem cedida por Tec Labs - Centro de Inovação da FCUL
Legenda: Contacto directo com os produtos das empresas, no Open Day

O dia do lançamento oficial da marca foi ainda assinalado por uma sessão de apresentação do novo plano estratégico da instituição, reforçando a projeção nacional e internacional que a administração estipula como um dos objetivos principais para fomentar, cada vez mais, atividades e negócios entre as partes envolvidas.
Para além da equipa dirigente do Tec Labs, houve oportunidade de ouvir alguns dos representantes das entidades associadas a esta instituição como foi o caso do diretor da FCUL, J.M. Pinto Paixão e da vereadora da Câmara Municipal de Lisboa, Graça Fonseca.

Sobre a importância deste centro para a capital e da contínua aposta na melhoria das atividades a que se propõe, Graça Fonseca reforçou: “O que nós queremos em Lisboa é ter uma rede de espaços de incubação, como este, que possam funcionar de forma complementar entre si. (…) É nessa perspetiva que vemos esta transformação, são exatamente projetos e espaços como este, que apoiam quem tem uma ideia e quem tem a ousadia de arriscar hoje em dia, abrindo um negócio, uma empresa que nós precisamos!”.

João Remondes e Davis Gouveia, membros da Startup Lisboa marcaram presença no Open Day com o intuito de criar sinergias e potenciar negócios. “Viemos ver esta remodelação e perceber um pouco como é a nova dinâmica. Acho que acima de tudo, este centro é importante pela promoção da ciência e das novas tecnologias dentro da área do empreendedorismo, o que é fulcral. Consideramos que esta é uma forma de cativar outras empresas a vir para Portugal e, estando no meio académico e no meio empresarial, é a melhor forma de o conseguir”, disseram, felicitando a iniciativa.

Dos visitantes interessados, mas distantes das matérias relacionadas com o empreendedorismo, aos profissionais da área, os dois pisos das instalações preencheram-se de curiosidades e outras tantas dúvidas. A intenção da iniciativa manter-se-á, tal como o presidente do Conselho de Administração do Tec Labs sublinhou: “Queremos passar a mensagem de que estamos cá, podem vir até nós!”.

 

Empresas pertencentes ao Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL:
Aqua Food  | Bioalvo | Biopremier | Biosurfit | Fytozimus | Ega | Escola De Mar | LumiSense | ICTE | Prewind | SDSIL | Fluiddo Interactive | Outmind | Peopleware | Speedges | AAVANZ | Associação Portuguesa de Dietistas  | BIZ4U | Make it Bizz | Gesengue | Lusitanicus | OF Produções | Ortik | Other Signs | PAR – Respostas Sociais| Science4you | Upaje | We Value

 

 

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
ETAR de Gaia Litoral

A análise de mais de 200 amostras de águas residuais das cinco estações de tratamento de águas residuais (ETAR) monitorizadas no âmbito do projeto COVIDETECT comprova a presença de material genético nos afluentes que chegam às ETAR e evidencia a ausência de deteção do material genético do vírus SARS-CoV-2 nos efluentes tratados. As etapas do tratamento das ETAR são eficientes na remoção do genoma viral dos efluentes.

National Cancer Institute

Investigadores do LASIGE Ciências ULisboa, INESC TEC e Universidade do Minho apresentam uma nova técnica de deduplicação de dados baseado em semelhanças e padrões encontrados nos ficheiros de sequenciação de genomas humanos e uma codificação das alterações para a recuperação desses dados.

logotipo

Sétima rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Keep on Care.

Computador

“O período de confinamento pode ser encarado como um primeiro grande teste à integração de renováveis no sistema elétrico, prelúdio do que se prepara com a transição energética global em curso”, escreve o cientista Miguel Centeno Brito.

Conceção artística do telescópio espacial Athena (Advanced Telescope for High-Energy Astrophysics)

“Ciências ULisboa tem vindo a aumentar a sua capacidade e a sua intervenção no desenvolvimento científico e tecnológico de alguns dos projetos mais importantes para o avanço da Astrofísica, não só nos próximos anos, mas nas próximas décadas”, diz o cientista José Afonso.

post it

Cristina Luís, investigadora do Departamento de História e Filosofia das Ciências e do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), é a responsável em Portugal pelo projeto “Citizen Science as the new paradigm for Science Communication (NEWSERA)”, coordenado por Rosa Arias, fundadora da Science for Change e que visa estudar como a ciência cidadã pode mudar o paradigma da comunicação da ciência.

janela

Entrevista com o cientista Carlos Cordeiro, que lidera o SAFE Coating, um projeto que tem a Biomimetx e o Hospital Curry Cabral como parceiros e que em seis meses procurará implementar uma tecnologia capaz de inativar o SARS-CoV-2 em superfícies, impedindo a sua viabilidade fora do hospedeiro humano e consequentemente, eliminando uma importante via de transmissão viral.

Lusovenator, a nova espécie pertence ao grupo dos carcharodontossáurios - dinossáurios carnívoros, alguns dos maiores predadores do planeta Terra. A sua descoberta mostra que estes dinossáurios estavam presentes no hemisfério norte 20 milhões de anos antes do que indicava o registo conhecido. O estudo foi liderado por Elisabete Malafaia, investigadora do IDL, polo da Ciências ULisboa.

O Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico (RNIE) 2020 inclui 56 infraestruturas. Ciências ULisboa coordena a CoastNet, a PORTULAN CLARIN e a RNEM, integrando ainda outras sete infraestruturas.

A fase de implementação da Rede Portuguesa de Monitorização Costeira (CoastNet) terminou recentemente, segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade recentemente. A apresentação pública da CoastNet coordenada por José Lino Costa, professor do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa, acontece a 7 de julho, num evento a decorrer por videoconferência.

O projeto MarCODE visa desenvolver uma ferramenta multidisciplinar para potenciar o rastreio e a rotulagem ecológica de espécies marinhas de interesse comercial, segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade. O estudo iniciado este mês de julho deverá terminar daqui a três anos.

Sexta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Nevaro.

Cláudio Pina Fernandes, coordenador do GAPsi Ciências ULisboa, escreve sobre o Princípio da Incerteza e chama a atenção para alguns aspetos.

O mundo de hoje é completamente dominado pela necessidade imperiosa de saber recolher e analisar dados, escrevem os cientistas Tiago A. Marques e Soraia Pereira. Leia o artigo dedicado ao roteiro serológico nacional, uma iniciativa promovida pelo Instituto Gulbenkian de Ciência e que conta com a colaboração do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa, da autoria destes investigadores.

Ciências ULisboa volta a participar com equipas de estudantes no Global Management Challenge (GMC). No passado dia 16 de junho começou a 1ª fase do GMC 2020, que conta com quatro equipas desta faculdade compostas por alunos dos mestrados integrados em Engenharia Biomédica e Biofísica, em Engenharia da Energia e do Ambiente e em Engenharia Física, assim como alunos das licenciaturas em Matemática Aplicada e Tecnologias de Informação.

teste

Cerca de 194 milhões de aves e 29 milhões de mamíferos podem ser atropelados por ano nas estradas europeias, de acordo com a estimativa de uma equipa internacional de investigadores liderada por Clara Grilo, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), polo da Ciências ULisboa, com sede na Universidade de Aveiro. Os resultados estão publicados na revista científica Frontiers in Ecology and Environment.

“A História do Pi em hipervídeo” está na Internet e pode ser consultada por todos e em toda a parte. O hipervídeo integra de forma estruturada e interativa vídeo e outros tipos de informação, nomeadamente, textos, imagens, áudio e animações. Saiba mais sobre este projeto lendo a entrevista com as professoras Suzana Nápoles e Teresa Chambel.

A dinâmica das epidemias é descrita por sistemas de equações diferenciais. Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática da Ciências ULisboa, apresenta neste artigo o modelo epidemiológico desenvolvido em 1927 por Kermack e McKendrick.

No próximo ano letivo, Ciências ULisboa irá utilizar novos modelos de ensino/aprendizagem, todos com horas de contacto entre docentes e alunos, mas que se diferenciam pela existência e forma da componente presencial, anunciou a Faculdade em comunicado de imprensa.

Um grupo de cientistas da Ciências ULisboa e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, membros do CENTRA - Centro de Astrofísica e Gravitação participa no desenvolvimento do METIS (Mid-infrared ELT Imager and Spectrograph), um poderoso instrumento que vai equipar o maior telescópio do mundo - o Extremely Large Telescope.

A equipa do projeto Lista Vermelha de Invertebrados Terrestres e Dulçaquícolas de Portugal Continental preparou a campanha de ciência cidadã - “Invertebrados da Lista Vermelha procuram-se” -, cujo lançamento ocorre esta sexta-feira, dia 5 de junho.

Duas pessoa dão as mãos

"A nossa necessidade de conexão e de afeto é singular, no sentido em que precisamos e procuramos o contacto com outros seres humanos", escreve Inês Ventura, psicóloga do GAPsi Ciências ULisboa.

Mulher sentada em banco junto ao rio Tejo

Um grupo multidisciplinar de cientistas propõe a criação de um roteiro nacional para a realização de testes serológicos em Portugal e defende que a avaliação rigorosa e concertada da prevalência da doença COVID-19 é a única forma de conhecer a real vulnerabilidade da população e monitorizar a dinâmica da epidemia.

Logotipo da rubrica Rardar

Quinta rubrica Radar Tec Labs dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a THEREUS.

ETAR de Serzedelo

A primeira etapa do COVIDETECT já está concluída e com sucesso anunciou esta quarta-feira a AdP - Águas de Portugal. Ciências ULisboa assegura a coordenação científica do projeto, financiado através do programa Compete 2020.

Páginas