Visitantes conhecem “bastidores” das empresas

“Estamos cá, podem vir até nós!”

Empresa Outmind trabalha o conceito de marketing sensorial aliado à tecnologia
GCIC - FCUL

Sempre de portas abertas para receber os que trazem boas e consistentes ideias, o Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL, celebrou o arranque do novo plano estratégico da instituição com o mesmo espírito: abrindo as portas dos laboratórios das atividades empreendedoras, ali desenvolvidas, à comunidade.
“Entendo que é necessário mostrarmos desagrado face ao atual tecido social, económico e cultural existente mas há o outro lado, a atitude empreendedora. É necessário que todos coloquemos a questão: o que é que nós podemos fazer para mudar o mundo? De que forma inconformada é que podemos atuar para desenvolver projetos diferentes e inovadores? (…) Queremos dar a conhecer um novo espaço, uma nova marca, uma nova estratégia para o Tec Labs e também, claramente, incentivar as pessoas a terem uma atitude diferente face ao empreendedorismo”. O raciocínio pertence a Luís Matos Martins, presidente do Conselho de Administração do Tec Labs, em funções desde maio deste ano.

A viagem pelo mundo do empreendedorismo foi estruturada por forma a surpreender logo à chegada. À espera dos visitantes estavam os colaboradores da empresa OF Produções, promotora de atividades de índole coletivo, cultural e desportivo para diferentes faixas etárias que de forma dinâmica e simpática receberam, encaminharam e mostraram-se disponíveis para dar resposta a qualquer necessidade dos visitantes.
Quem visitou o novo Centro de Inovação da FCUL no passado mês de outubro, pôde fazê-lo por um período de 12 horas, conhecendo as 31 empresas suportadas por laboratórios especializados e de grande potencial científico, assim como os 130 profissionais que nelas trabalham.


Fonte: Tec Labs - Centro de Inovação da FCUL
Legenda: Alunos observam apresentação de marketing sensorial da empresa Outmind

Ana Andrade, de 62 anos, já sabia da existência do centro. Ainda assim, não quis perder a oportunidade de ver de perto o que há muito lhe suscitava interesse. “Não sou desta área e não sei muito sobre o assunto mas este é um tema que me interessa. Vi e ouvi uma explicação breve de todas as empresas mas centrei a minha atenção na Bioalvo. Esta empresa chama-me especialmente à atenção pelo facto de se debruçar sobre a temática do mar e/ou oceano, sendo este um recurso que nós não exploramos muito e deveríamos explorar. Um dos exemplos que me surpreende é o facto de terem ido aos Açores buscar uma determinada matéria para a reproduzir em laboratório passando a ser, automaticamente, uma mais-valia que pode ter várias aplicações desde um creme antirrugas, detergentes ou até em medicamentos anti Parkison”, explicou a visitante.

Outros curiosos estabeleceram como “paragem obrigatória”, no percurso pelo Tec Labs, os laboratórios da Bioalvo. À entrada, Patrícia Calado, representante da empresa portuguesa que maximiza a aplicação de produtos naturais, esclarecia: “Temos bibliotecas de produtos naturais exclusivamente portugueses que são, na maioria, bactérias marinhas. O nosso objetivo é conseguir colocar produtos no mercado, trabalhando em parceria com outras empresas que tenham como ingrediente ativo um produto natural português. O que fazemos é utilizar bactérias que vivem em ambientes marinhos extremos, como sendo exemplo as fontes hidrotermais, neste caso, perto da região dos Açores. Recolhemos amostras a partir das quais isolamos as bactérias marinhas já nos nossos laboratórios”.

Passando a porta do laboratório, os visitantes puderam assistir à atividade que ali estava a ser desenvolvida pelos colaboradores. “Temos um carinho especial por um destes ingredientes, o refirmarine, chamamos-lhe o “botox marinho” porque é um ingrediente derivado de uma bactéria portuguesa que tem atividade antirrugas. Está neste momento a ser desenvolvido para ser incorporado num creme”, explicou Patrícia Calado.

Dos produtos naturais para o marketing sensorial, muitos foram os que ficaram atentos à atividade da empresa Outmind. Como elemento representativo do seu trabalho, a empresa apresentou um projeto inovador em 4D, traduzido numa televisão capaz de proporcionar experiências sensoriais ao público. Atentos à imagem emitida, os visitantes foram surpreendidos com fumo a sair da TV enquanto o ator da publicidade fumava, com um líquido a ser vertido num copo enquanto alguém servia uma bebida no filme e foram até seduzidos pelo aroma de café e bolos de chocolate libertado pelo ecrã, entre outras situações ilustrativas que tiveram um efeito surpresa em todos os que por ali passavam.

“Trabalhamos o conceito do marketing sensorial aliado à tecnologia. O trabalho que aqui apresentamos serve para cativar a atenção das pessoas que circulam, principalmente aquelas que estão junto a um ponto de venda para que assim se ajude a potenciar as vendas”, esclareceu José Gomes da equipa Outmind.

No BioFIG - Centro para a Biodiversidade Genómica Integrativa e Funcional, uma unidade de I&D da FCUL instalada no Tec Labs, os visitantes observaram os aparelhos tecnológicos utilizados para o desenvolvimento de investigações na área da Biologia e Microbiologia e ouviram esclarecimentos quanto às políticas de suporte às empresas aqui desenvolvidas.

“As empresas que necessitem têm acesso aos materiais existentes no laboratório e aos próprios consumíveis (procedendo ao registo de utilização). Quer na fase da prova de conceito, quer na fase de arranque, as jovens empresas ou aquilo que vão ser futuras empresas, podem aqui testar as suas ideias em ambiente laboratorial. Se têm sucesso, depois estabilizam-se e adquirem o seu material mas na fase inicial não têm que fazer o investimento, às vezes brutal do ponto de vista financeiro, para poderem testar uma metodologia que depois pode até nem ser o seu modelo de negócio”, declarou, Rogério Tenreiro, professor do Departamento de Biologia Vegetal da FCUL e coordenador de um dos grupos de investigação daquela unidade.

 
Fonte: Imagem cedida por Tec Labs - Centro de Inovação da FCUL
Legenda: Contacto directo com os produtos das empresas, no Open Day

O dia do lançamento oficial da marca foi ainda assinalado por uma sessão de apresentação do novo plano estratégico da instituição, reforçando a projeção nacional e internacional que a administração estipula como um dos objetivos principais para fomentar, cada vez mais, atividades e negócios entre as partes envolvidas.
Para além da equipa dirigente do Tec Labs, houve oportunidade de ouvir alguns dos representantes das entidades associadas a esta instituição como foi o caso do diretor da FCUL, J.M. Pinto Paixão e da vereadora da Câmara Municipal de Lisboa, Graça Fonseca.

Sobre a importância deste centro para a capital e da contínua aposta na melhoria das atividades a que se propõe, Graça Fonseca reforçou: “O que nós queremos em Lisboa é ter uma rede de espaços de incubação, como este, que possam funcionar de forma complementar entre si. (…) É nessa perspetiva que vemos esta transformação, são exatamente projetos e espaços como este, que apoiam quem tem uma ideia e quem tem a ousadia de arriscar hoje em dia, abrindo um negócio, uma empresa que nós precisamos!”.

João Remondes e Davis Gouveia, membros da Startup Lisboa marcaram presença no Open Day com o intuito de criar sinergias e potenciar negócios. “Viemos ver esta remodelação e perceber um pouco como é a nova dinâmica. Acho que acima de tudo, este centro é importante pela promoção da ciência e das novas tecnologias dentro da área do empreendedorismo, o que é fulcral. Consideramos que esta é uma forma de cativar outras empresas a vir para Portugal e, estando no meio académico e no meio empresarial, é a melhor forma de o conseguir”, disseram, felicitando a iniciativa.

Dos visitantes interessados, mas distantes das matérias relacionadas com o empreendedorismo, aos profissionais da área, os dois pisos das instalações preencheram-se de curiosidades e outras tantas dúvidas. A intenção da iniciativa manter-se-á, tal como o presidente do Conselho de Administração do Tec Labs sublinhou: “Queremos passar a mensagem de que estamos cá, podem vir até nós!”.

 

Empresas pertencentes ao Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL:
Aqua Food  | Bioalvo | Biopremier | Biosurfit | Fytozimus | Ega | Escola De Mar | LumiSense | ICTE | Prewind | SDSIL | Fluiddo Interactive | Outmind | Peopleware | Speedges | AAVANZ | Associação Portuguesa de Dietistas  | BIZ4U | Make it Bizz | Gesengue | Lusitanicus | OF Produções | Ortik | Other Signs | PAR – Respostas Sociais| Science4you | Upaje | We Value

 

 

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Esquema do vaso

Um grupo de guardiões da HortaFCUL realizou várias oficinas intituladas “Permacultura de Levar para Casa” no Centro Cultural de Belém, integradas na exposição “Agricultura e Arquitetura: Do Lado do Campo”. Durante a exibição da exposição, realizaram-se 24 oficinas, abrangendo um total de 500 alunos de diversas idades, desde a pré-primária ao 9º ano de escolaridade (dos 4 aos 14 anos).

Pormenor do Estudo em fio dos Painéis de São Vicente, por Almada Negreiros (1950)

Pedro Freitas, professor do Departamento de História e Filosofia das Ciências e investigador do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, escreve sobre Almada Negreiros, figura maior da cultura portuguesa do século XX.

abutre

"Centenas de cadáveres destes abutres encontravam-se sem cabeça, empilhados e intencionalmente escondidos sob arbustos", escreve Mohamed Henriques, doutorando do programa doutoral Biologia e Ecologia das Alterações Globais, juntamente com outros investigadores e conservacionistas numa carta publicada em outubro na Science.

O Dia da Investigação acontece a 28 de outubro de 2020

O Dia da Investigação acontece a 28 de outubro e será transmitido através do canal YouTube da Ciências ULisboa, anuncia a Faculdade em comunicado de imprensa. Consulte o programa e saiba quais são os temas em análise e os oradores das várias sessões, inscreva-se no evento e para ter uma ideia do que o espera assista à reportagem.

Flávio Gomes Oliveira a verificar se as armadilhas capturaram algum musaranho

Flávio Gomes Oliveira, doutorando do programa doutoral em Biologia e Ecologia das Alterações Globais, é um dos autores de um estudo publicado em outubro na Behavioral Ecology, cujos resultados integram a sua tese de doutoramento. Nesta entrevista o jovem investigador faz um balanço dos primeiros anos do doutoramento e deixa conselhos para quem quer seguir esta área.

Musaranho-de-dentes-brancos a ser devolvido à natureza

Um estudo realizado em Lisboa por um grupo de investigadores do CESAM, polo da Ciências ULisboa e da Universidade Adam Mickiewicz de Poznań, na Polónia, detetou diferenças substanciais no comportamento e metabolismo dos musaranhos-de-dentes-brancos que ocorrem na capital portuguesa, quando comparados com indivíduos provenientes de áreas naturais.

Emmanuelle Charpentier e a Jennifer Doudna

Este ano, o Prémio Nobel da Química foi atribuído às cientistas Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna pelo "desenvolvimento de um método de edição do genoma", denominado CRISPR/Cas9. Leia o artigo da autoria de Lúcia Santos e Madalena Pinto, estudantes de doutoramento no polo da Faculdade do BioISI e Federico Herrera, professor do Departamento de Química e Bioquímica e investigador do BioISI.

Chuva intensa

Um estudo publicado na Nature Communications revela um aumento significativo da quantidade de humidade proveniente das regiões fornecedoras de água precipitável, água transportada até aos continentes pelos chamados rios atmosféricos (ARs).

Logotipo dos Prémios Científicos ULisboa/Caixa Geral de Depósitos 2019

A cerimónia de entrega dos Prémios Científicos ULisboa/CGD 2019 estava prevista para 20 de outubro, na Reitoria da ULisboa, mas face à evolução da pandemia da COVID-19 e na sequência da resolução do Conselho de Ministros emitida recentemente, a cerimónia será adiada para data a anunciar quando as condições de segurança estejam novamente reunidas. Das 30 distinções desta última edição, cinco são para professores e investigadores da Ciências ULisboa.

Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez

O Prémio Nobel da Física 2020 distingue um dos teóricos mais distintos dos últimos 60 anos, o matemático e físico sir Roger Penrose e os astrónomos Reinhardt Genzel e Andrea Ghez, que revelaram a presença de um buraco negro extremamente massivo na região central da Via Láctea. Leia o artigo dos cientistas José Pedro Mimoso e Nelson Nunes, em colaboração com José Afonso e António Amorim.

Imagem abstrata

Ciências ULisboa integra a Rede de Inovação da Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM), cujo objetivo é promover a ponte entre a investigação produzida em ambiente académico e o contexto industrial e empresarial.

Logotipo Radar Tec Labs

Oitava rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a QPLab.

Campus da Ciências ULisboa

Ciências ULisboa volta a preencher a totalidade das vagas, no âmbito da 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) ao ensino superior: 1001 candidatos conseguiram colocação nas 13 licenciaturas e nos três mestrados integrados desta faculdade, 449 como 1.ª opção. O número de vagas aumentou na maioria dos cursos, assim como as notas dos últimos alunos colocados nesta 1ª fase.

Cidade

Melhorar o funcionamento e a otimização energética de edifícios e equipamentos, resolvendo algumas das suas limitações, é um dos objetivos do projeto “Self Assessment Towards Optimization of Building Energy (SATO)”, liderado pela Ciências ULisboa e que tem início marcado para o próximo mês de outubro. O projeto integra 16 parceiros europeus da academia e dos sectores público e empresarial e representa a primeira grande colaboração científica entre o LASIGE e o IDL.

Papéis, canetas e braços

Vários alunos da Ciências ULisboa, da Universidade do Algarve (Ualg) e da Faculdade de Medicina Dentária (FMD) da ULisboa apresentaram este verão projetos de iniciação à investigação, desenvolvidos no âmbito da iniciativa “Sê Investigador por Três Semanas!”, promovida pelo Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL), com o objetivo de cativar os jovens para esta atividade.

cabra-montês

Dezenas de cientistas, técnicos e vigilantes da natureza do ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, bem como cidadãos uniram-se em prol do novo Livro Vermelho dos Mamíferos de Portugal continental. O objetivo é melhorar até 2021 o conhecimento destas espécies e dessa forma contribuir para o estabelecimento de medidas e ações de conservação.

Imagens de perfil de 19 cientistas

Entre março e julho deste ano, as redes sociais da Faculdade deram a conhecer 19 pessoas e histórias de investigação, no âmbito da iniciativa “O que faço aqui?”, disponível no site da Faculdade.

Pessoa com livros

"Neste momento tão dinâmico em que vivemos será importante pensar sobre aquilo que se pode ou não controlar e ir aprendendo a navegar perante a realidade que se apresenta a cada momento", escreve a psicólogia Andreia Santos.

Alunos e professoras no campus da Faculdade

O novo ano letivo começou esta semana e a Faculdade deu as boas-vindas aos alunos do Advanced Quantitative Methods on Health Care Innovation, cujas aulas online começaram esta terça-feira e se prolongam em Portugal até ao próximo dia 15 de outubro.

Estação de Extração de RNA

“Foi incrível perceber que numa adversidade, o ser humano tem a capacidade de se reinventar e criar novos projetos", diz Daniel Salvador, voluntário no CT Ciências ULisboa, entre maio e julho, licenciado e mestre pela Ciências ULisboa, atualmente estudante do 4.º ano do doutoramento em Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da ULisboa.

Criança em casa acompanhada pela presença de um adulto

Uma equipa de nove estudantes da ULisboa - LxUs -, supervisionados por Hugo Ferreira, professor do Departamento de Física e investigador do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica da  Ciências ULisboa, ganhou o Translation Potential Runner-Up Award na 5.ª edição do SensUs Student Competition, 2.º lugar na categoria de potencial de translação, um prémio que valoriza a capacidade de criação de um modelo de negócio, viável e com qualidade.

Pormenor da visão artística da observação da "estrela bebé"

Pela primeira vez foi possível observar como é que uma “estrela bebé” adquire massa até chegar à sua massa final. Arcos de campo magnético ligam a “estrela bebé” ao disco circundante e a massa flui. Os resultados desta observação encontram-se publicados na revista Nature. O artigo resulta de uma colaboração no âmbito do GRAVITY, um instrumento desenvolvido por um consórcio internacional e do qual fazem parte cientistas do CENTRA, polo da Ciências ULisboa.

Marta Palma no CT Ciências ULisboa

“A maior aprendizagem é perceber que de facto existem pessoas maravilhosas, com uma enorme generosidade e grande sentido de voluntarismo e muito dinâmicas. E que trabalhando juntos, podemos de facto fazer a diferença”, diz Marta Palma, funcionária do Departamento de Biologia Animal e voluntária no Centro de Testes Ciências ULisboa.

Homem em banco de jardim, observando o rio

Andreia Santos, psicóloga do GApsi Ciências ULisboa, deixa um alerta: "o nível de cansaço sentido pelas pessoas a assistir a conferências, palestras através de um ecrã é superior ao de assistir ao mesmo de forma presencial".

Vanessa Mendonça

“Este prémio simboliza não só o reconhecimento do meu trabalho, mas também de toda a equipa que nele participou”, conta Vanessa Mendonça, segunda classificada pelo Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias 2020. Vanessa Mendonça concluiu o mestrado e o doutoramento na Faculdade e atualmente é investigadora do MARE.

Páginas