ERC concede Starting Grant a Joaquim Alves Gaspar no valor de 1,2 milhões de euros

Pormenores de planisfério de Cantino, desenhado por um cartógrafo anónimo português, em 1502

Imagem cedida por JAG

Scripta manentO que se escreve, fica, permanece.

“Os resultados que já obteve têm sido verdadeiramente ground-breaking (uso a expressão com toda a consciência). A partir de análises muito cuidadas da geometria das antigas cartas náuticas mostrou como realmente elas eram construídas e usadas, e, nesse sentido, ligou a compreensão dessas cartas à compreensão das práticas associadas à sua feitura e uso - um passo absolutamente inovador, e da maior importância para a História das Ciências. Sem desmerecer do bom trabalho que outros especialistas de Cartografia têm feito, os contributos de Joaquim Alves Gaspar são o que de mais original e de maior impacto se fez em cartografia antiga nas últimas décadas”.

Henrique Leitão - Presidente do Departamento de História e Filosofia das Ciências (DHFC) de Ciências, membro do CIUHCT

“Pela primeira vez um membro desta faculdade é distinguido como investigador principal de uma prestigiada bolsa ERC, que o tenha sido na área da História das Ciências é uma confirmação de que a aposta que se tem vindo a fazer nesta área, e que culminou na recente criação do DHFC, está a ser amplamente recompensada”

Ana Simões - Vice-coordenadora do CIUHCT e professora do DHFC de Ciências

O Conselho Europeu de Investigação (ERC) atribuiu uma Starting Grant, no valor de 1,2 milhões de euros, a Joaquim Alves Gaspar, membro integrado do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT) e investigador principal do projeto “The Medieval and Early Modern Nautical Chart: Birth, Evolution and Use”.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido este sábado por Ciências, este financiamento permitirá pagar bolsas de investigação, missões ao estrangeiro e adquirir equipamento necessário ao desenvolvimento deste projeto, que propõe resolver nos próximos cinco anos uma série de questões fundamentais e em aberto na História da Cartografia, recorrendo para o efeito a técnicas inovadoras – análise cartométrica, modelação numérica e análise multiespectral das cartas –, em complemento dos métodos tradicionais de investigação histórica.

No âmbito das Ciências Náuticas e Cartografia, Joaquim Alves Gaspar espera que os resultados deste projeto corroborem e complementem, "o que tem vindo a ser demonstrado sobre o enorme contributo dos portugueses para o conhecimento científico do mundo, na época dos Descobrimentos e expansão marítima”.


Joaquim Alves Gaspar

Segundo o seu perfil biográfico, Joaquim Alves Gaspar nasceu em 1949, em Lisboa. É casado, tem quatro filhos e um neto. Durante anos o especialista em Navegação, Hidrografia e Cartografia foi oficial da Marinha portuguesa. Após a reforma e concluído o doutoramento na Universidade Nova de Lisboa, ingressou, em 2010, no CIUHCT, como membro integrado e na qualidade de investigador pós-doutoral. Ao longo do percurso como investigador tem desenvolvido técnicas inovadoras de análise geométrica e de modelação numérica das cartas antigas, as quais se têm revelado extremamente eficazes para uma melhor compreensão de como essas cartas foram construídas e utilizadas. Os atuais interesses de investigação situam-se no âmbito da História da Cartografia e da Navegação, com especial enfoque na cartografia medieval do Mediterrâneo e na cartografia ibérica do Renascimento.

Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

 

Manuel Nunes Marques, antigo diretor do Observatório Astronómico de Lisboa e professor aposentado do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da FCUL, faleceu durante a madrugada de 18 de abril. A missa de corpo presente realiza-se esta quinta-feira, pelas 19h00, na Igreja Nossa Senhora Conceição dos Olivais Sul, em Lisboa. O funeral realiza-se a 19 de abril, pelas 15h00, na Igreja de Santo António das Areias, no concelho de Marvão. Aos familiares, amigos e colegas, a FCUL apresenta as sinceras condolências.

A Geometria na Politécnica, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

 

O interesse pelas ciências e tecnologias surgiu ainda no liceu, tendo optado por prosseguir os estudos na área da Biologia, em parte por influência de duas professoras dessa disciplina.

Visitas guiadas à  Exposição Formas & Fórmulas

13 de abril 11h30-13h00

11 de maio 11h30-13h00

Diálogos com Formas & Fórmulas

11 de abril 18h

No próxima quinta-feira, 11 de Abril, a FCUL e em particular, o Departamento de Informática, vão ser "invadidos" pelos alunos do secundário. Para visitar o DI-FCUL já temos cerca de 200  alunos inscritos.

As expetativas da equipa da Universidade Verde só podiam ser elevadas: as verbas alcançadas no âmbito desta iniciativa serão usadas para implementar medidas de eficiência energética, já identificadas nas auditorias realizadas.

Trial para todos os membros da b-on

 

“No stand da FCUL descobrimos áreas que não sabíamos sequer que existiam e que agora vamos querer pesquisar, já valeu a pena ter vindo. Vamos ter mais informação e hipóteses para ponderar!”, declarou um grupo de alunos da Escola Salesiana de Manique a visitar a banca da FCUL na Futurália.

“A maioria das instituições de ensino superior em Portugal têm qualidade superior às do Brasil, contrariando de forma que não deixa dúvidas a 'recomendação' do Governo brasileiro”, escreve Fernando Ramos num artigo publicado no jornal "Público" no passado dia 26 de março.

O artigo intitulado "PAMPA in the wild: a real-life evaluation of a lightweight ad-hoc broadcasting family" da autoria de Christopher Winstanley, Ra

O Departamento de Informática marcou presença na última edição da Futurália. A Futurália, a Feira de Ofertas Educativas e Formativas para estudantes, realizou-se de 13 a 16 de Março, na Feira Internacional de Lisboa (FIL)

“Luís Mendes Victor dedicou uma carreira de mais de 40 anos à investigação nas diversas áreas da Geofísica. Professor Catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desde 1991, ensinou Geofísica, Sismologia, Prospeção Geofísica, Hidrologia e Física dos Recursos Naturais”, refere o colega e amigo, Jorge Miguel Miranda.
 

Atualmente, a nova rubrica disponibiliza entrevistas realizadas a participantes e colaboradores da última edição do Dia Aberto e a dois investigadores que trabalham na área da surdez genética.

Pode-se dizer, sem risco de exagero, que a Estatística é a mais social das ciências exatas.

Atualmente 47 alunos estudam na FCUL através do programa Maiores de 23 anos. A FCUL conversou com uma dessas alunas, Ana Jardim, de 35 anos, aluna do 2.º ano de Engenharia Informática.

“Tenho interesse em prosseguir os estudos académicos por vários motivos, entre eles o pessoal, sei que posso dar muito mais não só para mim como também para a sociedade e também porque poderei melhorar a minha condição de trabalho”, afirma Elísio Gomes, de 31 anos e visitante do Dia Aberto a Maiores de 23 da UL.

O primeiro de uma série de vodcasts de divulgação científica do CAAUL dedicados aos maiores tópicos da atualidade em Astronomia apresenta o ALMA.

“A professora Luísa Maria Abrantes será sempre recordada pela sua enorme dedicação e empenho durante os 40 anos de serviço a esta casa”, refere o seu colega e amigo Jorge P. Correia.

A FCUL volta a marcar presença na Futurália, na FIL, no Parque das Nações, juntamente com outras unidades orgânicas da UL, entre 13 e 16 de março.

“Foi o professor Henrique Leitão que me alertou para o facto de a questão do real impacto de Pedro Nunes na náutica do seu tempo estar por resolver.

“Foi o professor Henrique Leitão que me alertou para o facto de a questão do real impacto de Pedro Nunes na náutica do seu tempo estar por resolver. A tese e o prémio foram passos saborosos de um caminho longo mas que tem todo o potencial de ser gratificante e divertido”, reforça Bruno Almeida, vencedor do Prémio Cultura 2012 atribuído pela Sociedade de Geografia de Lisboa.

Páginas