Protocolo de cooperação

Ciências ULisboa e cE3c assinam protocolo para estudar o impacto da exploração eólica offshore

fotografia de grupo

A assinatura do protocolo decorreu na reitoria da ULisboa

cE3c

Foi assinado um protocolo de cooperação entre Ciências ULisboa, a FCiências.ID – Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências, o Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) e a empresa dinamarquesa Copenhagen Infrastructure Partners, que visa a investigação e mitigação dos impactos da exploração eólica offshore ao largo da Figueira da Foz.

O estudo estará a cargo do cE3c, fazendo uso das suas valências científicas na conservação dos valores naturais das zonas costeiras, quer em terra, nos ecossistemas dunares, quer no ar, na investigação acerca da ecologia e ameaças que incidem sobre as aves marinhas.

O assunto teve destaque nos media: Jornal EconómicoAmbiente Magazine.

Recentemente, em resposta à divulgação de um relatório do governo com as áreas propostas para o desenvolvimento da energia eólica offshore, uma equipa de cientistas do cE3c, em colaboração com cientistas do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) e do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), efetuaram uma análise preliminar dos dados atualmente disponíveis, a fim de evitar e minimizar o impacto das novas infraestruturas nas aves marinhas. O protocolo agora assinado irá permitir prestar o apoio necessários à avaliação, mitigação e inovação para o desenvolvimento sustentável de sistemas costeiros e dunares, bem como da biodiversidade que lhes está associada.

Para Cristina Máguas, professora do Departamento de Biologia Vegetal e investigadora coordenadora do cE3c, este protocolo e as ações que lhe são subjacentes permitirão “atribuir um carácter de pioneirismo ao estudo dos efeitos da exploração eólica offshore na interface terra-ar a nível nacional”. A especialista em sistemas dunares acrescenta ainda que “é muito importante integrar as visões e as missões das várias entidades que procuram enfrentar as várias crises que atravessamos: a crise energética e climática e a crise da perda da biodiversidade, compatibilizando as soluções, rumo a um futuro verdadeiramente sustentável”.

A Copenhagen Infrastructure Partners é hoje o maior fundo de investimento do mundo no domínio das energias renováveis. Este protocolo surge em articulação com o conhecido projeto “Nortada”, anunciado em fevereiro deste ano por Afonso César Machado, diretor de mercado da Copenhagen Offshore Partners para Portugal. “Por reconhecermos a excelência da investigação científica feita em Portugal e o valor dos investigadores e cientistas portugueses, consideramos que é fundamental envolvê-los no desenvolvimento dos projetos. Esta é uma prioridade à qual pretendemos dar continuidade, durante todas as fases dos projetos", refere o empresário. O projeto “Nortada” é um dos mais ambiciosos no contexto nacional, com um investimento previsto na ordem dos 8 mil milhões de euros para o desenvolvimento do parque eólico offshore da Figueira da Foz, que irá produzir 2 gigawatts e gerar um considerável contributo socioeconómico para a região. O objetivo é que entre em funcionamento até 2030.

Gabinete de Comunicação cE3c
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas