GRAVITY

“A missão aos telescópios foi cheia de emoções”

Investigador do CENTRA Ciências ULisboa e professor da FEUP mediu colunas de matéria das “estrelas bebé”

Pormenor da visão artística da observação da "estrela bebé"

A “estrela bebé” que foi estudada nesta observação (aqui um pormenor dessa visão artística) é umas das mais próximas do planeta Terra e encontra-se na constelação da Hidra, a maior constelação no céu visível no hemisfério Sul

Mark A. Garlick

Pela primeira vez foi possível observar como é que uma “estrela bebé” adquire massa até chegar à sua massa final. Arcos de campo magnético ligam a “estrela bebé” ao disco circundante e a massa flui.

Os resultados desta observação encontram-se publicados na revista Nature. O artigo “A measure of the size of the magnetospheric accretion region in TW Hydrae” resulta de uma colaboração no âmbito do GRAVITY, um instrumento desenvolvido por um consórcio internacional e do qual fazem parte os professores da Ciências ULisboa e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, integrados num dos grupos do Centro de Astrofísica e Gravitação (CENTRA) - António Amorim, Paulo Garcia e Mercedes Filho.

A equipa portuguesa participou na conceção, design, montagem, testes, casos científicos, verificação e implementação deste instrumento, bem como nos pipelines de análise dos dados, aspetos que permitiram esta observação.

Paulo Garcia
Paulo Garcia esteve no telescópio, no Observatório do Paranal, no Chile e mediu as colunas de matéria que formam as “estrelas bebé”
Imagem cedida por PG

Paulo Garcia também esteve no telescópio, no Observatório do Paranal, no Chile e mediu as colunas de matéria que formam as “estrelas bebé”. É nos discos circundantes que se formam planetas. “O nosso sistema solar passou por um processo semelhante há cinco mil milhões de anos”, conta Paulo Garcia acrescentando que “a missão aos telescópios foi cheia de emoções. Nas noites anteriores à medição as condições meteorológicas estavam complicadas. O pôr-do-sol era espetacular, mas não se conseguia medir. Na noite em que conseguimos foi uma enorme excitação detetar um sinal. À medida que o tempo passava e acumulávamos mais medições vimos que o sinal era mesmo real e que estava presente em vários telescópios ao mesmo tempo”.

A equipa responsável por esta observação reúne mais de 70 cientistas e espera agora continuar a observar os “berços e as estrelas bebés” com características distintas, com o intuito de compreender os mecanismos que determinam o estado final dessas estrelas.

A “estrela bebé” que foi estudada nesta observação é umas das mais próximas do planeta Terra e encontra-se na constelação da Hidra, a maior constelação no céu visível no hemisfério Sul.

Esta investigação recorreu à interferometria, uma tecnologia de medição que combina vários telescópios. “Na prática cria-se um supertelescópio cujo tamanho é da ordem das separações entre os telescópios. Este supertelescópio permite ver detalhes dezenas de vezes mais finos do que um telescópio isolado”, explica Mercedes Filho, acrescentando que “a participação portuguesa em projetos como o Gravity demonstra a nossa capacidade para contribuir para grandes projetos internacionais, tanto do ponto de vista científico, como também do ponto de vista de engenharia”.

Por sua vez, António Amorim, refere que este estudo parece indicar que o magnetismo estelar contribui para criar uma região que para a migração dos planetas e que futuras medições com o GRAVITY permitirão explorar esta questão em aberto. “O telescópio Kepler detetou uma enorme população de planetas muito perto da estrela central, em contraste com o sistema solar. Ainda não se sabe como esses planetas se acumularam nessa região”, conclui.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A FCUL dá as boas-vindas aos novos alunos, após o arranque do novo ano letivo, a 17 de setembro.

Filipe Duarte Santos - Professor Catedrático e Jubilado do Departamento de Física e Director do SIM

Imagem de perfil de Maria Filomena Camões, professora do DQB-FCUL

Maria Filomena Camões, professora do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, assina um artigo sobre a criação do Instituto Nacional de Metrologia da Colômbia e a inauguração de um laboratório do qual é madrinha.

Guiomar Evans - Prof. Auxiliar do Departamento de Física e Investigadora do Centro de Física da Matéria Condensada

A missa do 30.º dia em memória de José Manuel Pires dos Santos, professor aposentado do Departamento de Informática da FCUL, realiza-se a 11 de setembro, pelas 19h00, na Igreja da Luz, em Carnide.

Toda a morte, mesmo a anunciada, é uma surpresa. Um misto de espanto e de descrença como se não fosse possível acontecer.

As actividades da Semana Zero do DEGGE têm lugar nos dias 12, 13 e 14 de Setembro.

Bolsas Universidade de Lisboa / Fundação Amadeu Dias

Em cinco anos, a UL e a FAD apoiaram 134 projetos. A Faculdade de Ciências distingue-se com o maior número de alunos e respetivos trabalhos distinguidos, setenta.

Apresentações públicas do Programa de Doutoramento em Biologia

Apesar do próximo ano letivo começar já dia 17 de setembro, a FCUL ainda está a receber candidaturas de alunos interessados nos seus cursos pós-graduados.

Centro de Dados da FCUL

Tal como anunciado em julho, a modernização do Centro de Dados da FCUL foi realizada durante os meses de verão e está prestes a terminar.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Fluxo de energia bancária

“O princípio de que aumentar o capital dos bancos favorece a estabilidade bancária, para além de estar errado, penaliza países como o nosso de forma ainda mais gravosa”, refere em entrevista Pedro Gonçalves Lind, um dos autores do regular article “The Dynamics of Financial Stability in Complex Networks”.

Os cidadãos estrangeiros abrangidos pelos programas “Erasmus Mundus” e “Ciência sem Fronteiras” podem ter autorização de residência em menos de 15 dias e direito à mobilidade no espaço da União Europeia.

Jardim

Através do sistema Concursos pode aceder a mais informações sobre o convite publicado no Jornal Oficial da União Europeia.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Adultos e criança em atividade da Ciência Viva no Verão

Até 15 de setembro, a iniciativa Ciência Viva no Verão percorre o País organizando mais de 1700 atividades científicas gratuitas para toda a população. As inscrições permanecem abertas até 15 de setembro, de acordo com o calendário de atividades. Nesta altura, já são mais de 20 mil os inscritos.

Nos dias 9 e 10 de Agosto a plataforma Moodle da FCUL vai estar inacessivel devido a uma manutenção de rotina.

As nossas desculpas pelos possiveis incómodos causados.

Liliana Caldeira junto aos posters

A investigação sempre foi um objetivo, que ganhou força após o prémio para melhor poster ser-lhe atribuído numa importante conferência internacional. Até ao final do ano, Liliana Caldeira, aluna de doutoramento em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, deverá defender a tese.

Pontos de interrogação

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Páginas