AppEEL - Applied Evolutionary Epistemology Lab

Pormenor de obra de arte
Octávio Pinto

No Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa (CFCUL) nasceu, em julho de 2012, o AppEEL - Applied Evolutionary Epistemology Lab, um laboratório que visa abordar o conceito da Epistemologia Evolutiva Aplicada e que reúne uma equipa internacional e multidisciplinar.

“No nosso laboratório, focamo-nos em saber como a Síntese Expandida em particular pode ser aplicada ao estudo da evolução do comportamento humano. Na Biologia, teoria evolutiva já não é sinónimo apenas de teoria da seleção natural. De facto, para explicar a origem e evolução de certos fenómenos biológicos, têm sido propostas outras teorias, complementares e, por vezes, contraditórias. Os investigadores envolvidos nestas áreas do conhecimento têm por isso defendido que a Síntese Moderna, o paradigma padrão da Biologia Evolutiva, precisa de ser alargada, de forma a incluir teorias sobre a Simbiogénese, os Equilíbrios Pontuados, a Coevolução, etc.”, explica Nathalie Gontier, coordenadora do AppEEL.

Para os fundadores do AppEEL, este laboratório pode ser considerado o primeiro centro no mundo a reunir investigadores que estudam a evolução sociocultural a partir das teorias que formam parte da Síntese Expandida. O conselho consultivo deste novo grupo de investigação é composto pelos professores Michael Bradie e Clifford Hooker, considerados os pais fundadores da Epistemologia Evolutiva; por Niles Eldrege, o fundador da Teoria dos Equilíbrios Pontuados; Ian Tattersall, um antropólogo internacionalmente reconhecido; Douglas Zook, o antigo presidente e atual vice-presidente da International Symbiosis Society; Frank Ryan, um dos maiores especialistas na área da Simbiose; e Francisco d’Errico, um proeminente investigador em Arqueologia.
Pormenor de cúpula
Fonte: Octávio Pinto
Legenda: O AppEEL reúne uma equipa internacional e multidisciplinar e conta com um conselho consultivo composto por figuras ímpares

Um dos atuais projetos do AppEEL designa-se “Implementing the Extended Synthesis into the Sociocultural Domain” e é financiado pela fundação norte-americana John Templeton Foundation. Este projeto, iniciado em setembro de 2012, deverá estar concluído no final de agosto de 2013. Nathalie Gontier e Olga Pombo coordenam a investigação composta por uma equipa transdisciplinar e da qual fazem parte Francisco Carrapiço, investigador do Centro de Biologia Ambiental da FCUL; Luís Correia, professor do Departamento de Informática da FCUL; o médico Marco Pina e a webdesiger Márcia Belchior, ambos membros do CFCUL; Emanuele Serrelli, investigador da Universidade de Milão Bicocca, em Itália e Larissa Mendoza Straffon, investigadora da Universidade de Leiden, na Holanda.

Para Olga Pombo, coordenadora do CFCUL, o novo laboratório vai, sem dúvida, ao encontro de um dos mais importantes objetivos do CFCUL: “apoiar e promover o desenvolvimento da Filosofia das Ciências em Portugal através do estímulo e participação em projetos de Investigação nacionais e internacionais” já que, entre outros aspetos, “é interdisciplinar, isto é, procura realizar avanços teóricos em colaboração com uma significativa rede de disciplinas científicas, da Sociobiologia à Linguística, da Embriologia à Antropologia, da Genética à Primatologia, da Paleontologia à Arqueologia”.
Chão com tapete e parte de uns sapatos
Fonte: Octávio Pinto
Legenda: O projeto “Implementing the Extended Synthesis into the Sociocultural Domain” deverá estar concluído no final de agosto de 2013

A página de Internet do AppEEL pretende ser uma plataforma científica que possibilite a troca de ideias e o desenvolvimento de parcerias. Os investigadores do grupo pretendem contribuir para a formação e erudição da comunidade académica através da organização de duas escolas internacionais sobre Evolução, abertas a estudantes de mestrado, de doutoramento e de pós-doutoramento; e mediante a realização de uma conferência pública sobre a Síntese Expandida e um dia da Evolução para adolescentes. Paralelamente pretendem preparar sessões sobre Epistemologia Evolutiva Aplicada e submetê-las à apreciação da European Philosophy of Science Association e à Society for Philosophers of Science in Practice.

A Síntese Expandida ainda é uma teoria pouco estudada. Para muitos investigadores das Ciências Humanas e Sociais é até desconhecida. “Dada a importância atualmente atribuída à Simbiogénese e à Teoria dos Equilíbrios Pontuados no seio da Biologia Evolutiva, podemos dizer tratar-se de uma obrigação científica investigar o modo como essas teorias podem contribuir para a nossa compreensão da Evolução Humana Sociocultural”, comenta Nathalie Gontier.

O que é a Epistemologia Evolutiva Aplicada?
Existe um campo da filosofia da ciência e das ciências evolutivas que pergunta de que modo as teorias da biologia evolutiva podem ajudar à nossa compreensão da evolução humana, social e cultural. Com o aparecimento da Sociobiologia, os antropólogos e os primatólogos, por exemplo, interrogaram-se de que modo comportamentos específicos da espécie humana, como a linguagem ou a arte, evoluíram em termos biológicos através da seleção natural. A Epistemologia Evolutiva Aplicada é o campo que investiga os paralelos entre a evolução biológica, por um lado, e a evolução sociocultural, por outro. Os epistemólogos evolutivos e os filósofos das ciências evolutivas dirigem a sua investigação sobretudo para a implementação da teoria da selecção natural ao domínio sociocultural. Uma infeliz consequência que daqui decorre é que a Síntese Expandida é pouco estudada, permanecendo desconhecida para muitos investigadores das Ciências Humanas e Ciências Sociais. Porém, dada a importância atualmente atribuída à Simbiogénese e à Teoria dos Equilíbrios Pontuados no seio da Bologia Evolutiva, podemos dizer tratar-se de uma obrigação científica investigar o modo como essas teorias podem contribuir para a nossa compreensão da evolução humana sociocultural.

Em que é que consiste a Teoria dos Equilíbrios Pontuados?

A teoria dos equilíbrios pontuados foi descrita inicialmente na paleontologia. Esta teoria demonstra que a evolução pode, por vezes, ocorrer mais rapidamente do que Darwin inicialmente previra, em períodos que alternam com outros de estase prolongada. Nestes períodos de estase, as espécies aparentemente não evoluem e ou demonstram mera variação ou não aparentam estar a experimentar mudanças duradouras na sua anatomia.
 

O que é a Evolução horizontal?

A evolução pode ocorrer através da fusão de espécies ou dos cruzamentos horizontais de material genético de um organismo para o outro. Todos os principais reinos da vida podem adquirir DNA externo através de transferência lateral ou horizontal. Os processos de transmissão horizontal também podem ocorrer com frequência na evolução sociocultural. Durante muito tempo, os neodarwinistas pensaram que estas trocas horizontais de material genético eram impossíveis.

Fonte: Nathalie Gontier e Marco Pina

Calendário AppEEL
14 a 18 fevereiro 2013 - Membros do AppEEL apresentam comunicações em dois simpósios sobre a natureza e o âmbito da Síntese Expandida, durante o encontro da American Association for the Advancement of Science, em Boston, nos EUA
11 a 15 março 2013 Escola de Inverno dedicada à Macroevolução, Evolução da Linguagem, Simbiogénese e Transferência Horizontal de Genes, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa
16 março 2013 - Conferência Pública Sobre Evolução, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa
16 março 2013 - Dia da Evolução para Adolescentes, no Pavilhão do Conhecimento, Lisboa
27 a 29 maio 2013 - Conferência internacional sobre Evolutionary Patterns, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa
15 a 19 julho 2013 – Escola de Verão dedicada à Filosofia da Biologia, Teoria Evolutiva Geral, Evolução Sociocultural, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa

Ana Subtil Simões e Raquel Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt

SIMPLES AZULEJOS

Azulejos quadrados e Matemática

 

Bandeira de Marrocos

Atualmente a equipa prossegue com os trabalhos de correção de falhas e de afinação do CuCo de modo a dar apoio às sete faculdades marroquinas e a prepará-lo também para entrar em operação no DI-FCUL já no próximo ano letivo.

José Afonso

Chama-se galáxia IRAS 08572+3915 e é a mais luminosa do universo local. José Afonso é um dos membros da equipa de astrónomos internacionais, que anunciou recentemente a descoberta. O investigador da FCUL e dirigente do CAAUL é muito otimista quanto ao presente e futuro desta área científica.

Consulte informação adicional aqui.

Bill Fyfe foi um grande amigo de Portugal. Orientou ou coorientou vários doutoramentos de portugueses, acerca de temas relevantes para Portugal e fomentou as ligações científicas entre Portugal-Brasil-Canadá. Em 1990 a Universidade de Lisboa outorgou-lhe o grau de doutor honoris causa.

Uma das consequências do aumento da disponibilidade de fontes laser de maior potência, compactas e a baixo preço é o aumento da sua má utilização.

Circo Matemático

“O objetivo do Circo é mostrar que é possível utilizar resultados matemáticos para produzir resultados espetaculares e para divertir e motivar as pessoas”, explicou o professor da FCUL, Pedro Freitas.

Temos sido pioneiros de muito boas práticas no ensino superior. Uma excelente escola e nós, que cá estamos, sabemos isso. E os alunos também. Os que cá estão e os que já cá estiveram. Mas hoje não chega. Temos que saber responder aos desafios e temos que exportar as nossas mais-valias.

Inscrições 2013/2014

Atualmente estudam na FCUL mais de cinco mil alunos, a maioria conhece bem os cantos da casa centenária, outros nem tanto, por isso é especialmente importante o acolhimento dado durante o arranque do ano letivo, que o digam a Catarina, a Leonor e o Ricardo!

Joaquim Dias

Num planeta com mais de 7000 milhões de pessoas, vão ser necessárias quantidades enormes de alguns recursos naturais que começam a escassear. Chegará em breve a era da mineração submarina? Existe tecnologia adequada? Será possível a mineração em condições de preservar a diversidade natural dos ecossistemas marinhos?

Ana Bastos

Através de diversas atividades práticas vamos aprender qual o papel do sol na dinâmica da atmosfera e do oceano, qual a importância dos oceanos, das calotes polares e da vegetação, como se formam as nuvens e os sistemas meteorológicos, e como funciona o ciclo da água.

Foi a 26 de Outubro que se realizou a Maratona Inter-Universitária de Programação, 2013, (MIUP2013).

Uma das surpresas do Dia Internacional passa pela exposição do concurso de fotografia lançado recentemente e alusivo ao tema “Mobilidade Internacional”.

Maria Inês Cruz

Atualmente, para além do “básico” lápis de grafite com que todos ainda escrevemos, até o desenvolvimento dos carros híbridos está dependente da evolução e extração dos recursos da nossa “casa”.

Susana Custódio

Como é que são gerados os tremores de Terra? E os tsunamis? Como é que nós reconhecemos no terreno a existência de tsunamis antigos? Porque é que na Nazaré vemos ondas tão grandes? Todos estes fenómenos são o reflexo de um enorme dinamismo do nosso planeta.

SCOPUS é também uma ferramenta para estudos bibliométricos e avaliações de produção científica.

Na cobertura dos edifícios da Universidade de Lisboa foi recentemente instalada a maior central fotovoltaica da cidade de Lisboa. Para além da bela vista sobre o Jardim do Campo Grande, vamos poder apreciar os desafios e o potencial dos telhados urbanos para produção de eletricidade solar.

A empresa SISCOG – Sistemas Cognitivos, SA, procura candidato para integrar a sua equipa.

J. A. Quartau

Na verdade, considerando apenas as abelhas, se estas fossem recompensadas pelo seu trabalho na polinização dos pomares e de outras plantas cultivadas, teríamos que lhes pagar como fatura anual global pelo menos setenta mil milhões de euros, a que seria ainda necessário adicionar várias centenas de milhões pelos lucros adicionais com a produção de mel e de cera.

Livre acesso a trabalhos dos cientistas laureados com o Prémio Nobel 2013

Palmira Carvalho, Raquel Barata e David Felismino

O Jardim Botânico deve, mais do que nunca e no futuro, ser encarado como um espaço de coesão urbana, fundamental e complementar ao espaço edificado e à sua articulação com a envolvente, em termos ecológicos, estéticos, culturais, históricos, sociais e económicos.

As aulas de Projeto Empresarial começam em fevereiro de 2014. Enquanto o 2.º semestre não chega, a FCUL desafia os alunos a testarem ideias no passatempo do Tec Labs Centro de Inovação da FCUL e quem sabe participar na 2.ª edição do YA Bootcamp.

8 de Novembro no GeoFCUL. Campo Grande, Lisboa.

Pages