FCUL no mundo

“Vão e desfrutem de cada dia”

Rosto de Vera Carvalho
Cedida por Vera Carvalho

Vera Carvalho é aluna do mestrado de Bioinformática e Biologia Computacional da FCUL. Em agosto de 2011, a vontade de querer algo mais para além daquilo que o país lhe estava a proporcionar levou-a a embarcar na aventura Erasmus. O destino foi a Dinamarca, mais precisamente a Arhus Universitet. Depois do período de estudos neste programa, Vera deu continuidade ao desafio a que se propôs e ingressou num período de estágio na Kubenhavn Universiete, onde ainda se encontra.

Se em três palavas pudesse descrever a experiência que tem vivido, optaria por “diferente”, “mais” e “melhor”.
Quando questionada sobre a influência deste marco na sua vida profissional futura, não hesitou em citar a fundadora do programa Erasmus, Sofia Corradi: “quando os alunos voltam do intercâmbio (...) são pessoas diferentes, têm algo mais”, e isso é algo que muitas entidades empregadoras valorizam”. A experiência tem vindo a conquistá-la e, para já, o regresso ao país de origem não faz parte dos planos.

Fique a saber mais sobre a aventura além-fronteiras desta aluna da FCUL, na entrevista que se segue
Para mais informações sobre o programa Erasmus, bem como os restantes programas de mobilidade, basta consultar o portal da FCUL. No presente ano letivo, as inscrições para este programa terminam já no dia 10 de fevereiro.

Fonte: Cedida por Vera Carvalho
Legenda: A aluna da FCUL viajou até à Dinamarca, em 2011, para desenvolver um período de estudos e aqui permanece. Agora, em período de estágio

FCUL - O que despertou o interesse em ter uma experiência além-fronteiras?

Vera Carvalho (VC) - A novidade... Querer algo mais.

FCUL - A quem recorreu, dentro da FCUL e fora dela, para pedir informações e/ou conselhos sobre este assunto?

VC - Essencialmente ao portal da FCUL, ao gabinete de relações internacionais e a amigos que tinham amigos em Erasmus.

FCUL - Sempre soube para onde ir nesta aventura Erasmus ou a incerteza quanto ao destino também fez parte do roteiro?

VC - A minha decisão foi tomada com base nos rankings das (poucas) universidades com quem a FCUL tinha acordo e que tinham o mestrado em Bioinformática. Portanto, não, inicialmente não tinha nenhum destino em mente.

FCUL - Porquê estudar fora do país?

VC - Porque o meu país já me deu tudo o que tinha para dar. Estava na altura de obter mais.

FCUL - Como descreveria o país que a acolheu?

VC - Este país provoca dois tipos de reação: há pessoas que vêm, desfrutam do seu Erasmus, divertem-se imenso e fazem amigos, mas quando chega ao fim sabem que está na hora de ir para casa. Foi bom mas já chega. Depois há as pessoas que se adaptam. Que se começam a sentir em casa, e que encaram as contrariedades como um desafio. Essas pessoas ficam.

FCUL - Como é o dia-a-dia do estudante no local onde se encontra? Se em três palavras pudesse caracterizar a sua experiência, quais seriam?

VC - Há tempo para tudo. Há tempo para ir às aulas, há tempo para estudar e tirar boas notas, há tempo para sair até às tantas da manhã, ou beber um café depois de jantar. Sextas-feiras e sábados à noite ninguém fica em casa, o resto da semana é conforme vai apetecendo. Três palavras... Diferente, mais e melhor.

FCUL - Há alguma situação engraçada ou que a tenha marcado por qualquer outra razão que queira destacar?

VC - Não sei se isto é engraçado ou triste, mas a certa altura os amigos que se fazem em Erasmus conhecem-nos melhor que os amigos portugueses...

FCUL - De que tem mais saudades longe de terras lusas?

VC - Da comida. Do preço da comida. De poder dar um abraço a um amigo e ele não sentir o seu espaço pessoal invadido.

FCUL - Que importância julga ter esta experiência no seu percurso académico/profissional?

VC - É evidente que uma pessoa que tem formacão em locais diferentes, tem vantagem sobre uma pessoa que estudou toda a vida na mesma faculdade. É-se avaliado de outra maneira, há toda uma série de competências que são postas à prova. É necessária uma flexibilidade que não seria estimulada de outra forma.

FCUL - Julga que este marco da sua vida terá influência na sua vida profissional futura?

VC - Citando a professora Sofia Corradi, fundadora do programa Erasmus, “quando os alunos voltam do intercâmbio (...) são pessoas diferentes, têm algo mais”, e isso é algo que muitas entidades empregadoras valorizam.

FCUL - Qual a importância de ter uma experiência além-fronteiras no contexto da área científica em que estuda?

VC - Contactar com áreas de investigacão que nem se sabia que existiam. Quando uma pessoa está confinada à sua universidade, tem tendência para pensar que o que se passa no resto do mundo é aquilo que os professores lhes contam. A verdade é que há muito mais, e a menos que se seja leitor assíduo de revistas científicas que abranjam um largo espectro de temas, não se tem noção da diversidade de investigacão que anda a ser feita.

FCUL - Que conselhos deixa aos seus colegas que queiram ter uma experiência Erasmus ou àqueles que ainda tenham dúvidas?

VC - Vão sozinhos, não tenham medo, não tenham expectativas. Vão e desfrutem de cada dia, sem pensar no dia de voltar para casa.

FCUL - Que dicas lhes dá caso queiram embarcar nesta aventura?

VC - Informem-se bem sobre a Universidade para onde tencionam ir. Verifiquem se há ajuda na questão do alojamento, se há eventos de boas-vindas aos novos alunos, etc.. Tudo isto é muito importante quando se chega a um país novo.

FCUL – Continua nesta aventura do Erasmus… Que verbo julga vir a aplicar quanto ao seu futuro próximo: regressar ao país de origem ou ficar no estrangeiro?

VC - Ficar no estrangeiro.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Fotografia de participantes na Training School

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

CIÊNCIAS esteve presente nesta edição, com a participação dos docentes do Departamento de Física: Alexandre Cabral, no painel de abertura “À conversa sobre carreiras espaciais” e

Semana Internacional da Compostagem

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico.

A VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - completou 30 anos em janeiro de 2024. Para comemorar, realizou no dia 30 de abril de 2024, a Festa da Primavera, um espetáculo de música e divertimento dedicado à comunidade de CIÊNCIAS e ao público em geral.

Celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974 da Academia das Ciências de Lisboa

A 9 de maio realiza-se a segunda de duas jornadas de debate académico e científico organizadas pela Academia das Ciências de Lisboa, que tem por objetivo ‘analisar e discutir a evolução do panorama científico português de forma prospetiv

Lançamento do projeto Barrocal-Cave marca um novo capítulo na Conservação da Biodiversidade em Portugal

O prestigiado Palácio Gama Lobo foi o cenário escolhido para o lançamento do projeto Barrocal-Cave, financiado pelo Prémio Fundação Belmiro de Azevedo 2023.

No passado dia 10 de abril, tivemos a honra de receber um grupo de estudantes e dois professores da Universidade de Leiden, na Holanda. Com um total de 40 estudantes, todos da área das bio farmacêuticas, a visita prometia ser entusiástica.

Miguel Pinto

No dia 29 de abril, Miguel Pinto visitou a Escola Básica Professora Aida Vieira, no Bairro Padre Cruz em Lisboa, para realizar oficinas de divulgação científica e atividades didáticas.

Fotografia de alguns dos oradores

O que é a sustentabilidade? Como podemos agir a nível local, procurando um impacto global? Estas e muitas outras questões marcaram a segunda edição da Semana da Sustentabilidade CIÊNCIAS, entre 15 e 19 de abril de 2024.

Grande Auditório durante a celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS

Mais de 500 pessoas assistiram no Grande Auditório à celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS, na passada terça-feira, 23 de abril, numa cerimónia marcada por distinções, homenagens e um balanço dos últimos meses, com os olhos postos no futuro. 

Buracos negros Gaia

Um grupo de cientistas descobriu um grande buraco negro, com uma massa quase 33 vezes superior à massa do Sol, escondido na constelação de Aquila, a menos de 2000 anos-luz da Terra, ao analisar a grande quantidade de dados da missão Gaia da ESA.

Alunos com mãoes no ar num sala de aula

É possível brincar com a Matemática e prova disso foram as várias atividades que se realizaram na Faculdade nos dias 13 e 14 de março de 2024. Março foi um mês dedicado a esta ciência, motor da sociedade. Leia a opinião de quem participou nestas atividades e ainda nas Jornadas de Matemática.

robot e criança

Ecossistema de grandes modelos de linguagem de IA Generativa para a língua portuguesa foi expandido com novas versões dos modelos Albertina e Gervásio.

Participantes da 1.ª edição do JAB

A 1ª edição do JAB, um evento inovador destinado a jovens empreendedores, organizado pela JUST - Júnior Iniciativa de Ciências ocorreu nos dias 22 e 23 de março passado e teve como foco a Educação de Qualidade, quarto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável.

Pessoas

Uma comitiva da Shanghai Ocean University (SHOU), cuja origem remonta à Escola de Pesca da Província de Jiangsu, fundada em 1912, visitou Ciências ULisboa no passado dia 25 de março. Wang Hongzhou, presidente do Conselho da universidade chinesa, elogiou o avanço da investigação realizada na Ciências ULisboa, destacando as boas práticas de gestão, interdisciplinaridade e foco na missão. Durante a ocasião, Luís Carriço, diretor da Ciências ULisboa, reconheceu a importância das relações bilaterais com a China.

Alunos dinarmarqueses junto à tabela periódica

Um grupo de 25 estudantes do ensino secundário do Egedal Gymnasium & HF, da Dinamarca, visitou a Ciências ULisboa no passado dia 21 de março.

Sala com pessoas

A “Sessão de demonstração do serviço CONNECT – Caso de uso #1, Estuário do Tejo” ocorreu no passado dia 13 de março.

Várias pessoas no stand da Fcauldade Futurália

Como já vem sendo tradição, a Ciências ULisboa esteve presente na 15.ª edição da Futurália, a maior feira de educação, formação e empregabilidade do país, que se realizou entre 20 e 23 de março, na FIL - Feira Internacional de Lisboa e que juntou muitos visitantes, especialmente candidatos ao ensino superior. A Direção da Ciências ULisboa agradece aos mais de 200 estudantes voluntários e aos cerca de 70 professores, investigadores, entre outros profissionais que se vestiram de azul para esclarecerem as dúvidas dos candidatos ao ensino superior, lançando ainda o convite para visitarem a Faculdade no próximo Dia Aberto, que se realiza no próximo dia 8 de maio e cujas inscrições podem ser feitas aqui. Até lá!

Imagem do Miguel Pires durante a competição ocorrida em videoconferência

Miguel Pires, estudante da licenciatura de Engenharia Geoespacial da Ciências ULisboa, venceu a edição portuguesa do Esri Young Scholars Award e que lhe dá a oportunidade de apresentar o seu projeto Dashboard CicLisboa no maior evento de Sistemas de Informação Geográfica a nível mundial - o Esri User Conference e a Education Summit -, ambos a decorrer no próximo mês de julho, em San Diego, na Califórnia (EUA).

Pessoa numa praia com neve

A missão da Ciências ULisboa é criar, transmitir e difundir conhecimento científico e tecnológico, promovendo uma cultura de aprendizagem permanente, valorizando o pensamento crítico e a autonomia intelectual. Nesta “casa“ todos os dias alunos, professores, investigadores, entre outros profissionais encontram motivos para cuidar do nosso planeta. Bem hajam!

Dia Internacional das Florestas 2024

Leia o testemunho de António Vaz Pato, estudante do mestrado de Biologia da Conservação e guardião da HortaFCUL, a propósito desta efeméride e assista ao vídeo que preparamos para celebrar esta data especial nas nossas redes sociais: YouTube, Facebook, LinkedIn e Instagram.

céu

João Pires Ribeiro, professor aposentado do Departamento de Física da Ciências ULisboa, faleceu dia 18 de março, em Lisboa, aos 83 anos. A Ciências ULisboa lamenta o triste acontecimento e apresenta as condolências aos seus familiares, amigos, colegas e antigos estudantes.

Tiago Oliveira, Ricardo Mendes e Alysson Bessani

A Vawlt, uma spin-off da Ciências ULisboa, conseguiu angariar 2,15 milhões de euros e três novos investidores - a Lince Capital, a Basinghall e a Beta Capital - para impulsionar ainda mais a inovação do seu produto, elevando o investimento total acumulado para os três milhões euros.

Pages