43rd International Symposium on Essential Oils

Óleos essenciais e voláteis na FCUL

Imagem alusiva à extração de óleos essenciais
Centro de Biotecnologia Vegetal da FCUL

Os óleos essenciais são princípios odoríferos, produzidos pelas plantas, e utilizados, desde a antiguidade, tanto com fins terapêuticos, como no fabrico de perfumes e cosméticos.

O interesse renovado pela utilização de substâncias naturais, biologicamente ativas, tem encorajado a utilização dos óleos essenciais como agentes antimicrobianos e antioxidantes em alimentos.

Para tal, muito contribuiu o facto de os óleos essenciais aliarem o seu papel aromatizante à condição de serem produtos naturais e biodegradáveis, apresentarem baixa toxicidade para os mamíferos e poderem desempenhar, simultaneamente, as funções de mais do que um dos seus equivalentes sintéticos.

Além destas propriedades, os óleos essenciais encontram ainda aplicação na proteção de culturas agrícolas, prevenindo doenças e pragas, com a vantagem de não se acumularem no ambiente e terem um largo espectro de ação, o que diminui o risco de desenvolvimento de estirpes patogénicas resistentes. No seu conjunto, estas propriedades, têm despertado, nos últimos anos, um interesse crescente, a nível mundial, pelo estudo das plantas produtoras de óleos essenciais.

No contexto da importância crescente dos óleos essenciais, foi com particular regozijo que o Centro de Biotecnologa Vegetal (CBV-FCUL) acolheu, de 5 a 8 de setembro de 2012, e pela segunda vez na FCUL, o International Symposium on Essential Oils, desta feita na sua quadragésima terceira edição - 43rd International Symposium on Essential Oils - ISEO2012.
Imagem alusiva à extração dos óleos essenciais
Fonte: Centro de Biotecnologia Vegetal da FCUL
Legenda: Durante o ISEO2012, a academia, os investigadores, os industriais e o público em geral tiveram oportunidade de trazer novos contributos à área dos óleos essenciais e voláteis, realçando a notoriedade desta área científica

Aquele que é hoje conhecido como o International Symposium on Essential Oils, teve início em setembro de 1969, quando quatro cientistas da área da farmacognosia se reuniram, informalmente, em Leiden, na Holanda, para discutir problemas comuns, relacionados com a análise de óleos essenciais.

Essa foi a primeira de uma série de reuniões anuais, que se alargaram a outros investigadores não só da academia, professores e estudantes, mas também da indústria. A referência à participação portuguesa nesta série de simpósios data de 1984, aquando da sua décima quinta edição, e os membros do CBV-FCUL que este ano organizaram o evento participaram, pela primeira vez, nesta série de simpósios, em 1989. Embora sendo um simpósio que acolhe participantes de todo o mundo, este decorreu sempre na Europa, tendo sido realizado em Portugal pela primeira vez há dez anos (33rd ISEO), pela mesma equipa, também na FCUL.

Este ano, e com o objetivo de discutir os avanços mais recentes na temática dos óleos essenciais e áreas afins, o ISEO2012 reuniu 284 participantes, de 42 países, sendo que 32% dos participantes foram jovens investigadores estudantes de graduação, pós-graduação e de doutoramento. A Comissão Organizadora distingiu dois convidados de honra, os professores Karl-Heinz Kubezcka e Johannes Scheffer pela sua contribuição ímpar nesta série de simpósios.

Com ênfase na ação dos óleos essenciais e voláteis, os dados de estudos experimentais de campo, combinados com sistemas biológicos complexos, dados estatísticos e abordagens analíticas de alta tecnologia, foram alguns dos temas abordados. Além disso, muitos outros tópicos, incluindo a perceção do sabor (umami e kokumi), aspetos ecológicos, os mecanismos moleculares, a análise e aplicação em seres humanos e animais, para citar apenas alguns, foram detalhados, visando focar o conhecimento atual, bem como os problemas e as estratégias futuras na ampla área dos óleos essenciais e voláteis.
Imagem alusiva à extração dos óleos essenciais
Fonte: Centro de Biotecnologia Vegetal da FCUL
Legenda: Os óleos essenciais são princípios odoríferos, produzidos pelas plantas, e utilizados, desde a antiguidade, tanto com fins terapêuticos, como no fabrico de perfumes e cosméticos

Das 337 propostas de resumos, 261 foram aceites e incluídos no program, book of abstracts and participants list. O programa científico incluiu oito conferências plenárias, proferidas por peritos de reconhecido mérito internacional, sobre alguns dos temas de maior impacte na área. Além dessas, decorreram nove apresentações orais, e duas sessões de apresentação das 238 contribuições sob a forma de painéis. Realizou-se ainda uma sessão especial para a apresentação oral de seis trabalhos selecionados de jovens investigadores. Em exibição permanente, estiveram representadas algumas editoras de livros, revistas assim como empresas de equipamento de laboratório.

Considerando que a contribuição de jovens investigadores é de extrema importância para manter a vitalidade desta área, a International Federation of Essential Oils and Aroma Trades (Ifeat) e a Comissão Organizadora do ISEO2012, uniram esforços para apoiar a participação destes jovens no simpósio deste ano, custeando um total de 20 registos de inscrição. Quarenta jovens investigadores de 17 países (África do Sul, Alemanha, Argélia, Brasil, China, Espanha, Estados Unidos da América, Holanda, Iemen, Irão, Itália, Japão, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia e Sérvia) apresentaram as suas candidaturas. Das 20 contribuições selecionadas, 14 foram apresentadas sob a forma de painéis. As restantes seis foram escolhidas para apresentação oral, numa sessão especial do ISEO2012, dedicada a jovens investigadores.

Os eventos sociais incluíram os apontamentos musicais da Fortuna (Tuna da Universidade Nova de Lisboa) e da VicenTuna (Tuna da FCUL), respetivamente, nas cerimónias de abertura e de encerramento do simpósio. O jantar do congresso que teve lugar no Castelo de São Jorge, em Lisboa, contou com um apontamento de fado.

Durante quatro dias, a academia, os investigadores, os industriais e o público em geral tiveram oportunidade de trazer novos contributos à área dos óleos essenciais e voláteis, realçando a notoriedade desta área científica, trocar experiências e tecnologia, promover e divulgar a interação entre as diversas áreas dentro da temática e complementar e valorizar os conhecimentos da nova geração de investigadores.

O bom acolhimento por parte dos órgãos de comunicação social e dos participantes do evento foram registados não só por recortes de imprensa ou artigos dedicados ao assunto, mas também pelas felicitações recebidas sob a forma de manifestações pessoais e/ou mensagens recebidas dos participantes.

O apoio e envolvimento da FCUL, o empenho dedicado de vários colaboradores, e a contribuição, a vários níveis, de instituições e empresas nacionais e estrangeiras, muito contribuíram para a dignificação e para o sucesso deste evento.

Ana Cristina Figueiredo, José Gonçalves Barroso e Luis Gaspar Pedro, professores do DBV-FCUL e membros da Comissão Organizadora do ISEO2012
ETAR de Gaia Litoral

A análise de mais de 200 amostras de águas residuais das cinco estações de tratamento de águas residuais (ETAR) monitorizadas no âmbito do projeto COVIDETECT comprova a presença de material genético nos afluentes que chegam às ETAR e evidencia a ausência de deteção do material genético do vírus SARS-CoV-2 nos efluentes tratados. As etapas do tratamento das ETAR são eficientes na remoção do genoma viral dos efluentes.

National Cancer Institute

Investigadores do LASIGE Ciências ULisboa, INESC TEC e Universidade do Minho apresentam uma nova técnica de deduplicação de dados baseado em semelhanças e padrões encontrados nos ficheiros de sequenciação de genomas humanos e uma codificação das alterações para a recuperação desses dados.

logotipo

Sétima rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Keep on Care.

Computador

“O período de confinamento pode ser encarado como um primeiro grande teste à integração de renováveis no sistema elétrico, prelúdio do que se prepara com a transição energética global em curso”, escreve o cientista Miguel Centeno Brito.

Conceção artística do telescópio espacial Athena (Advanced Telescope for High-Energy Astrophysics)

“Ciências ULisboa tem vindo a aumentar a sua capacidade e a sua intervenção no desenvolvimento científico e tecnológico de alguns dos projetos mais importantes para o avanço da Astrofísica, não só nos próximos anos, mas nas próximas décadas”, diz o cientista José Afonso.

post it

Cristina Luís, investigadora do Departamento de História e Filosofia das Ciências e do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), é a responsável em Portugal pelo projeto “Citizen Science as the new paradigm for Science Communication (NEWSERA)”, coordenado por Rosa Arias, fundadora da Science for Change e que visa estudar como a ciência cidadã pode mudar o paradigma da comunicação da ciência.

janela

Entrevista com o cientista Carlos Cordeiro, que lidera o SAFE Coating, um projeto que tem a Biomimetx e o Hospital Curry Cabral como parceiros e que em seis meses procurará implementar uma tecnologia capaz de inativar o SARS-CoV-2 em superfícies, impedindo a sua viabilidade fora do hospedeiro humano e consequentemente, eliminando uma importante via de transmissão viral.

Lusovenator, a nova espécie pertence ao grupo dos carcharodontossáurios - dinossáurios carnívoros, alguns dos maiores predadores do planeta Terra. A sua descoberta mostra que estes dinossáurios estavam presentes no hemisfério norte 20 milhões de anos antes do que indicava o registo conhecido. O estudo foi liderado por Elisabete Malafaia, investigadora do IDL, polo da Ciências ULisboa.

O Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico (RNIE) 2020 inclui 56 infraestruturas. Ciências ULisboa coordena a CoastNet, a PORTULAN CLARIN e a RNEM, integrando ainda outras sete infraestruturas.

A fase de implementação da Rede Portuguesa de Monitorização Costeira (CoastNet) terminou recentemente, segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade recentemente. A apresentação pública da CoastNet coordenada por José Lino Costa, professor do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa, acontece a 7 de julho, num evento a decorrer por videoconferência.

O projeto MarCODE visa desenvolver uma ferramenta multidisciplinar para potenciar o rastreio e a rotulagem ecológica de espécies marinhas de interesse comercial, segundo comunicado de imprensa emitido pela Faculdade. O estudo iniciado este mês de julho deverá terminar daqui a três anos.

Sexta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a Nevaro.

Cláudio Pina Fernandes, coordenador do GAPsi Ciências ULisboa, escreve sobre o Princípio da Incerteza e chama a atenção para alguns aspetos.

O mundo de hoje é completamente dominado pela necessidade imperiosa de saber recolher e analisar dados, escrevem os cientistas Tiago A. Marques e Soraia Pereira. Leia o artigo dedicado ao roteiro serológico nacional, uma iniciativa promovida pelo Instituto Gulbenkian de Ciência e que conta com a colaboração do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa, da autoria destes investigadores.

Ciências ULisboa volta a participar com equipas de estudantes no Global Management Challenge (GMC). No passado dia 16 de junho começou a 1ª fase do GMC 2020, que conta com quatro equipas desta faculdade compostas por alunos dos mestrados integrados em Engenharia Biomédica e Biofísica, em Engenharia da Energia e do Ambiente e em Engenharia Física, assim como alunos das licenciaturas em Matemática Aplicada e Tecnologias de Informação.

teste

Cerca de 194 milhões de aves e 29 milhões de mamíferos podem ser atropelados por ano nas estradas europeias, de acordo com a estimativa de uma equipa internacional de investigadores liderada por Clara Grilo, investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM), polo da Ciências ULisboa, com sede na Universidade de Aveiro. Os resultados estão publicados na revista científica Frontiers in Ecology and Environment.

“A História do Pi em hipervídeo” está na Internet e pode ser consultada por todos e em toda a parte. O hipervídeo integra de forma estruturada e interativa vídeo e outros tipos de informação, nomeadamente, textos, imagens, áudio e animações. Saiba mais sobre este projeto lendo a entrevista com as professoras Suzana Nápoles e Teresa Chambel.

A dinâmica das epidemias é descrita por sistemas de equações diferenciais. Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática da Ciências ULisboa, apresenta neste artigo o modelo epidemiológico desenvolvido em 1927 por Kermack e McKendrick.

No próximo ano letivo, Ciências ULisboa irá utilizar novos modelos de ensino/aprendizagem, todos com horas de contacto entre docentes e alunos, mas que se diferenciam pela existência e forma da componente presencial, anunciou a Faculdade em comunicado de imprensa.

Um grupo de cientistas da Ciências ULisboa e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, membros do CENTRA - Centro de Astrofísica e Gravitação participa no desenvolvimento do METIS (Mid-infrared ELT Imager and Spectrograph), um poderoso instrumento que vai equipar o maior telescópio do mundo - o Extremely Large Telescope.

A equipa do projeto Lista Vermelha de Invertebrados Terrestres e Dulçaquícolas de Portugal Continental preparou a campanha de ciência cidadã - “Invertebrados da Lista Vermelha procuram-se” -, cujo lançamento ocorre esta sexta-feira, dia 5 de junho.

Duas pessoa dão as mãos

"A nossa necessidade de conexão e de afeto é singular, no sentido em que precisamos e procuramos o contacto com outros seres humanos", escreve Inês Ventura, psicóloga do GAPsi Ciências ULisboa.

Mulher sentada em banco junto ao rio Tejo

Um grupo multidisciplinar de cientistas propõe a criação de um roteiro nacional para a realização de testes serológicos em Portugal e defende que a avaliação rigorosa e concertada da prevalência da doença COVID-19 é a única forma de conhecer a real vulnerabilidade da população e monitorizar a dinâmica da epidemia.

Logotipo da rubrica Rardar

Quinta rubrica Radar Tec Labs dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a THEREUS.

ETAR de Serzedelo

A primeira etapa do COVIDETECT já está concluída e com sucesso anunciou esta quarta-feira a AdP - Águas de Portugal. Ciências ULisboa assegura a coordenação científica do projeto, financiado através do programa Compete 2020.

Páginas