Ciências ULisboa é membro fundador

CCDesert

CCDesert

O CCDesert irá ficar sediado em Alcoutim, no distrito de Faro, uma das regiões mais vulneráveis à desertificação e às alterações climáticas em Portugal

cedida por Município de Alcoutim

Entre os projetos já desenvolvidos pelo cE3c há, por exemplo, o AdaptForChange (coordenado pelo eChanges e CCIAM) sobre o reflorestamento de áreas semiáridas em Portugal, “Portugal adapts forest management to global change scenarios in drylands”, que foi notícia no sítio My Clymate Services através da entrevista de Alice Nunes, investigadora pós doutorada no grupo eChanges do cE3c. No site Drylands Ecology, Desertification & Climate Change Adaptation é possível ficar a conhecer outros trabalhos desenvolvidos pelos investigadores do cE3c na área da desertificação.

O Centro de Competências na Luta contra a Desertificação (CCDesert) teve a primeira Assembleia Geral em agosto passado, na qual foram eleitos e tomaram posse os respetivos órgãos de gestão. O Centro visa promover o desenvolvimento e a sustentabilidade do combate à desertificação e Ciências ULisboa é um dos membros fundadores, através do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) e do Instituto Dom Luiz (IDL).

Aquando a criação do CCDESERT pelo Governo este verão, Cristina Máguas, professora do Departamento de Biologia Vegetal (DBV) de Ciências ULisboa e coordenadora do cE3c, redigiu uma declaração de manifestação de interesse: “O cE3c tem desenvolvido não só atividade científica relevante nas áreas da Ecologia, indicadores de aridez e desertificação, alterações climáticas e restauração de áreas degradadas e desertificadas ao nível nacional e internacional, mas também na mitigação e adaptação das comunidades locais, ecossistemas e dos agentes económicos através de parcerias estratégicas com municípios e outros stakeholders envolvidos nas áreas sujeitas ao fenómeno da desertificação, providenciando soluções técnicas e inovadoras”.

Cristina Branquinho e Paula Matos, investigadora no eChanges do cE3c, propuseram a utilização dos líquenes como um novo indicador ecológico global para seguir as mudanças nas alterações climáticas em áreas desertificadas, durante uma das sessões do 12.º Fórum das Nações Unidas sobre Florestas, decorrido em Nova Iorque entre 1 e 5 de maio de 2017, tal como noticiado na época.

Os parceiros deste projeto – 37 entidades entre as quais universidades, municípios, empresas, organismos públicos e associações de produtores e desenvolvimento local -, irão produzir recomendações e informações atualizadas para os agricultores e as diferentes entidades que são gestoras do território e da paisagem, como é caso de Cristina Branquinho, professora do DBV Ciências ULisboa e investigadora no grupo Ecology of Environmental Change (eChanges) do cE3c e de André Vizinho, investigador do grupo Climate Change Impacts, Adaptation and Modelling (CCIAM) do cE3c desde 2012.

 “O combate à desertificação é uma área transversal porque inclui conhecimentos de várias dimensões, desde o nível dos solos ao nível do clima, do comportamento das espécies, dos ecossistemas, entre outros. Integrar todas as dimensões é um desafio científico porque implica não só conhecer muito sobre cada uma destas dimensões como integrar todo este conhecimento para conseguir ter uma ação concreta no território”, comenta André Vizinho. Para o investigador a comunidade académica e científica tem de fazer permanentemente o esforço de traduzir o seu conhecimento para a sua utilidade no território.“Este envolvimento mostra não só a nossa motivação como a nossa capacidade de articulação institucional e de gerar conhecimento e colocar esse conhecimento ao serviço da sociedade”, acrescenta.

O CCDesert irá ficar sediado em Alcoutim, no distrito de Faro, uma das regiões mais vulneráveis à desertificação e às alterações climáticas em Portugal. Contudo, o seu trabalho estende-se às áreas suscetíveis à desertificação ao longo de todo o país.

 

Raquel Salgueira Póvoas, Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa com cE3c
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
costa maritima

Carlos Antunes, foi nomeado vogal de reconhecido mérito da Comissão de Domínio Público Marítimo, um órgão consultivo da Autoridade Marítima Nacional que estuda e emite pareceres sobre os assuntos relativos à utilização, manutenção e defesa do domínio público marítimo.

Šima Krtalić

Šima Krtalić, aluna de doutoramento da Ciências ULisboa, afiliada ao projeto Medea-Chart, ganhou recentemente a décima edição do prémio "Imago Mundi" 2023 da referida revista académica, destinado a homenagear o melhor artigo em História da Cartografia.

Várias pessoas num sala

Ciências ULisboa participou na 3.ª edição do roadshow EA-IDEIA - Estrutura de Acompanhamento da Investigação, Desenvolvimento, Experimentação e Inovação da Armada, organizado pela Marinha Portuguesa.

Pedro Machado

Pedro Machado, investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e professor da Ciências ULisboa, foi homenageado pelo Grupo de Trabalho para a Nomenclatura de Pequenos Corpos (WGSBN) da União Astronómica Internacional (IAU), com a atribuição do seu nome a um asteroide, que tem quase três quilómetros de diâmetro e demora quatro anos e meio a dar uma volta ao Sol.

ave a voar em cima do mar

Um novo estudo internacional sobre a análise do risco de exposição ao plástico por aves marinhas identifica o Mediterrâneo como a região de maior risco a nível global. O artigo foi publicado na revista científica Nature Communications e conta com 18 cientistas portugueses, entre eles quatro investigadores da Ciências ULisboa.

foto dos tres finalistas

Filipa Rocha, estudante de doutoramento na Ciências ULisboa, alcançou o 2.º lugar do Prémio Jovens Inventores 2023, atribuído pelo Instituto Europeu de Patentes. O prémio corresponde a um valor pecuniário de dez mil euros. A cerimónia de entrega de prémios decorreu esta manhã, em Valência, Espanha.

fotografia de grupo

Foi assinado um protocolo de cooperação entre Ciências ULisboa, a FCiências.ID, o cE3c e a empresa dinamarquesa Copenhagen Infrastructure Partners, que visa a investigação e mitigação dos impactos da exploração eólica offshore ao largo da Figueira da Foz.

Logotipo da ACL

Cristina Branquinho e Isabel Trigo foram eleitas em 2023 respetivamente sócias correspondentes nacionais da Classe de Ciências -  Ciências Biológicas e Ciências da Terra e do Espaço – da Academia das Ciências de Lisboa (ACL).

O projeto EDUCOAST, promovido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, desenvolve programas educacionais para diversos níveis de ensino e para profissionais, na área das geociências costeiras e marinhas, tendo como base o trabalho de campo e as práticas experimentais.

Conceção artística do telescópio espacial Euclid no espaço

A missão espacial Euclid da Agência Espacial Europeia (ESA) irá penetrar nos últimos 10 mil milhões de anos de história do Universo para tentar compreender pela primeira vez o que está a acelerar a expansão do Universo. O lançamento do telescópio espacial Euclid está previsto para 1 de julho. O telescópio vai observar durante seis anos mais de um terço do céu. A participação portuguesa na missão Euclid é coordenada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

João Pedro e Vera no laboratório

Ciências ULisboa integrou recentemente o projeto “Autonomia 21”, um projeto da Associação Pais 21 cujo objetivo é integrar jovens com Trissomia 21 no mercado de trabalho. O dinamizador desta ideia na Faculdade foi Federico Herrera, professor do DQB e investigador do BioISI. No âmbito deste projeto, Ciências ULisboa recebeu dois jovens que estão neste momento a estagiar num dos laboratórios da Faculdade.

José Pedro Granadeiro e Rui Rebelo

A expedição Selvagens 50 organizada pelo Instituto das Florestas e Conservação da Natureza da Madeira reuniu cerca de 40 especialistas de diversas instituições, entre os quais se incluem os professores do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa, José Pedro Granadeiro (aves marinhas) e Rui Rebelo (répteis terrestres).

Conceção artística de um exoplaneta semelhante a Vénus, em órbita da sua estrela

Uma equipa de investigadores escolheu um planeta a 106 anos-luz, com 1,37 vezes o diâmetro da Terra, descoberto em 2022, para apresentar a primeira simulação a três dimensões do clima de um planeta de tipo rochoso com as características que atualmente conhecemos em Vénus.

Grupo de alunos e professores

A 9.ª edição da final nacional das Olimpíadas Portuguesas da Geologia decorreu nos dias 3 e 4 de junho, no Centro Ciência Viva de Estremoz / Pólo de Estremoz da Universidade de Évora, com a participação de 25 estudantes vindos de diversas regiões do País, incluindo uma delegação dos Açores (São Roque do Pico).

Rádão

O professor do DQB Ciências ULisboa e investigador do BioISI Ciências ULisboa é o primeiro autor de um novo artigo publicado no jornal Physical Chemistry – Chemical Physics da Royal Society of Chemistry, onde foram estudados diferentes compostos de rádon e xénon - dois gases nobres – e onde as suas propriedades energéticas e de ligação química foram analisadas.

Fundo do oceano

Ricardo Melo, professor do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e investigador do MARE, integra o júri do Prémio Mário Ruivo – Gerações Oceânicas. As candidaturas da 3.ª edição deste prémio decorrem até 31 de julho.

Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro chegou à Faculdade em 1982 com a missão de criar uma escola de Termodinâmica e Processos de Transporte. Em abril de 2019 jubilou-se. Ainda assim, o seu trabalho enquanto investigador continua: todos os dias úteis chega à Faculdade pelas 8h30/9h00. Conheça o percurso do cientista.

3 alunos numa mesa, na semana da sustentabilidade

Neste Dia Mundial do Ambiente recordamos a Semana da Sustentabilidade, organizada por núcleos de estudantes da Faculdade, com o apoio da Associação de Estudantes e do Laboratório Vivo para a Sustentabilidade.

José Guerreiro, docente do Departamento de Biologia Animal e investigador do MARE, iniciou funções esta quinta-feira, dia 1 de junho, como presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Miguel Miranda e a plateia

O professor e geofísico Jorge Miguel Miranda deu a sua última aula na passada sexta-feira, e despediu-se do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, laboratório do Estado que presidiu nos últimos dez anos.

pessoas numa sala com computadores

Esta segunda-feira, dia 29 de maio, Ciências ULisboa recebeu a visita de Oksana Zholnovych, ministra da Política Social da Ucrânia, e Miguel Fontes, secretário de Estado do Trabalho. Os governantes visitaram uma turma durante uma ação de formação do programa UPskill, com o intuito de ficar a conhecer melhor este projeto.

12 finalistas do 3 MT

Patrícia Chaves foi distinguida com o segundo lugar, na primeira edição da competição 3MT – Três Minutos de Tese dinamizada pela Universidade de Lisboa. O pódio ficou completo com Catarina Botelho, em primeiro lugar, e Matteo Pisano, em terceiro lugar, ambos do Instituto Superior Técnico. Os nossos parabéns aos vencedores e a todos os finalistas!

Auditório com pessoas

Ciências ULisboa está de parabéns! 100% dos seus ciclos de estudos avaliados no segundo ciclo de avaliação (2017-2022) foram acreditados sem condições, pelo período máximo (seis anos), pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

Grupo de pessoas

Entre os dias 13 e 17 de março deste ano realizou-se a excursão geológica de campo na Bacia Lusitânica (bacia sedimentar mesozóica na região centro-oeste de Portugal), a pedido da SHELL e organizada pela empresa GeoLogica (Portugal), do geólogo Pedro Barreto, antigo aluno de Geologia da Faculdade.

Jorge Miguel Miranda

No próximo dia 26 de maio, pelas 11h00, terá lugar no Grande Auditório da Faculdade a cerimónia de jubilação de Jorge Miguel Miranda, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia na Ciências ULisboa, investigador do Instituto Dom Luís (IDL) e presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Páginas