Opinião

Porque nos preocupamos especialmente com alguns riscos?

#COVID19 #EuFicoEmCasa

A nossa perceção subjetiva de risco aumenta à medida que o nosso medo cresce

unsplash - Marina Vitale
Cláudio Pina Fernandes
Cláudio Pina Fernandes
Fonte ACI Ciências ULisboa

Uma das memórias que guardo de modo mais vivo das aulas de Físico-Química do secundário é o Princípio da Incerteza de Heisenberg. A sua formulação atraiu-me de imediato, ao incluir um elemento probabilístico, ao contrário da noção determinística de muitos modelos.

A ideia central resume-se a que, se quiséssemos calcular a posição de um eletrão, segundo este princípio, não se poderia determinar a sua posição exata, mas apenas a probabilidade de ele se encontrar num certo ponto, num determinado momento.

Perdoem-me os colegas de Química e de Física a inocência do enunciado. Por inépcia assimilativa minha ou por menor rigor científico do professor, foi isto que ficou! Mas não foram exatamente as questões relativas à posição ou ao movimento dos eletrões que me fizeram o click. Este foi dado pela realização de que a incerteza está presente desde a escala atómica até aos grandes fenómenos.

Cada vez que tomamos uma decisão, cada vez que fazemos uma ação, cada vez que entramos em interação com o mundo, há um certo nível de incerteza em relação ao resultado. E o resultado pode ser mais positivo ou mais negativo. Só que a noção de resultado negativo, traz a noção de risco. Afinal, não queremos como consequência esse tipo de resultados. Temos receio ou medo! Deste modo, a incerteza, o risco e o medo passam a fazer parte de uma mesma equação.

Felizmente, para a maioria das situações, temos o nosso sistema de ponderação bem afinado. Afastamo-nos ou protegemo-nos quando a probabilidade de ocorrência de um risco é elevada e avançamos quando ela é baixa. Convivemos bem com imensas coisas que têm um risco associado, tanto que estão incorporadas nas nossas rotinas (exemplos: andar de carro, andar na rua ou comer uma refeição). Porquê? Porque o nosso sistema identifica como de baixa probabilidade de más ocorrências.

Mas, este sistema de ponderação pode ser enviesado. Basta que estejamos especialmente preocupados com algo. E a nossa perceção subjetiva de risco aumenta à medida que o nosso medo cresce. Como resposta, revelamos sinais de ansiedade e ativamos mecanismos de proteção contra a ameaça.

Em muitas situações, não quer dizer que os factos indiquem que há uma alteração de probabilidade de ocorrência ou que esta é elevada. Nesses momentos podemos desejar uma coisa, aquela que seria uma solução: colocar controlo sobre as coisas. Se tudo estivesse sobre controlo, tudo seria previsível. Pode ser muito tentador contrariar o Princípio da Incerteza de Heisenberg, mas corremos um outro risco, o de estar à procura de uma solução impossível, que apenas nos gera mais frustração e preocupação.

Face à incerteza, talvez devêssemos ter em atenção alguns aspetos

  • O Princípio da Incerteza é inerente à vivência humana.
  • Temos um sistema que nos permite fazer ponderações de risco. Fazemo-lo todos os dias com imensas coisas.
  • Se há algum tipo específico de preocupação, ele vai enviesar o sistema de ponderação.
  • O risco não aumenta, mas a nossa perceção subjetiva sim, logo a nossa reação emocional e a nossa conduta.
  • Passamos a estar mais vigilantes em relação a isso e a dar mais atenção. Fazemos aquilo que tão bem é captado numa frase de O Principezinho: “Aquilo que a tua rosa tem de tão especial é a atenção que lhe dás”.
Cláudio Pina Fernandes, Gabinete de Apoio Psicopedagógico da Área de Mobilidade e Apoio ao Aluno da Ciências ULisboa
ínfo.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A FCUL dá as boas-vindas aos novos alunos, após o arranque do novo ano letivo, a 17 de setembro.

Filipe Duarte Santos - Professor Catedrático e Jubilado do Departamento de Física e Director do SIM

Imagem de perfil de Maria Filomena Camões, professora do DQB-FCUL

Maria Filomena Camões, professora do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, assina um artigo sobre a criação do Instituto Nacional de Metrologia da Colômbia e a inauguração de um laboratório do qual é madrinha.

Guiomar Evans - Prof. Auxiliar do Departamento de Física e Investigadora do Centro de Física da Matéria Condensada

A missa do 30.º dia em memória de José Manuel Pires dos Santos, professor aposentado do Departamento de Informática da FCUL, realiza-se a 11 de setembro, pelas 19h00, na Igreja da Luz, em Carnide.

Toda a morte, mesmo a anunciada, é uma surpresa. Um misto de espanto e de descrença como se não fosse possível acontecer.

As actividades da Semana Zero do DEGGE têm lugar nos dias 12, 13 e 14 de Setembro.

Bolsas Universidade de Lisboa / Fundação Amadeu Dias

Em cinco anos, a UL e a FAD apoiaram 134 projetos. A Faculdade de Ciências distingue-se com o maior número de alunos e respetivos trabalhos distinguidos, setenta.

Apresentações públicas do Programa de Doutoramento em Biologia

Apesar do próximo ano letivo começar já dia 17 de setembro, a FCUL ainda está a receber candidaturas de alunos interessados nos seus cursos pós-graduados.

Centro de Dados da FCUL

Tal como anunciado em julho, a modernização do Centro de Dados da FCUL foi realizada durante os meses de verão e está prestes a terminar.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Fluxo de energia bancária

“O princípio de que aumentar o capital dos bancos favorece a estabilidade bancária, para além de estar errado, penaliza países como o nosso de forma ainda mais gravosa”, refere em entrevista Pedro Gonçalves Lind, um dos autores do regular article “The Dynamics of Financial Stability in Complex Networks”.

Os cidadãos estrangeiros abrangidos pelos programas “Erasmus Mundus” e “Ciência sem Fronteiras” podem ter autorização de residência em menos de 15 dias e direito à mobilidade no espaço da União Europeia.

Jardim

Através do sistema Concursos pode aceder a mais informações sobre o convite publicado no Jornal Oficial da União Europeia.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Adultos e criança em atividade da Ciência Viva no Verão

Até 15 de setembro, a iniciativa Ciência Viva no Verão percorre o País organizando mais de 1700 atividades científicas gratuitas para toda a população. As inscrições permanecem abertas até 15 de setembro, de acordo com o calendário de atividades. Nesta altura, já são mais de 20 mil os inscritos.

Nos dias 9 e 10 de Agosto a plataforma Moodle da FCUL vai estar inacessivel devido a uma manutenção de rotina.

As nossas desculpas pelos possiveis incómodos causados.

Liliana Caldeira junto aos posters

A investigação sempre foi um objetivo, que ganhou força após o prémio para melhor poster ser-lhe atribuído numa importante conferência internacional. Até ao final do ano, Liliana Caldeira, aluna de doutoramento em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, deverá defender a tese.

Pontos de interrogação

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Páginas