Opinião

Amostragem aleatória

Base para um roteiro serológico nacional

É fundamental recolher uma amostra aleatória, naturalmente estratificada por classes relevantes, como sexo, idade e região, de cobertura nacional

unsplash - freestocks
Tiago Marques
Tiago Marques
Fonte Rogers Media

Soraia Pereira
Soraia Pereira
Imagem cedida por SP

O primeiro pico desta pandemia já passou, e agora? Apenas uma amostragem aleatória com uma cobertura alargada a nível nacional vai permitir tirar a fotografia necessária para compreender qual a estratégia a seguir nos próximos tempos. E foi por este motivo que o Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL) se associou ao roteiro serológico que está a ser promovido pelo Instituto Gulbenkian de Ciência.

Qual a proporção da população que já esteve exposta ao SARS-COV2? A pergunta é simples, mas a resposta complicada. Temos disponíveis testes serológicos (que medem a resposta do sistema imunitário). Então porque é difícil estimar essa quantidade? Até ao momento, têm sido testados indivíduos que pertencem a grupos de risco, ou apresentam sintomas, ou são residentes do concelho X que tem disponibilidade financeira para tal. Será esta uma amostra representativa da realidade nacional? Ninguém pensaria em estimar o número de desempregados a partir de inquéritos nas ruas de bairros onde existem centros de desemprego. Da mesma maneira, esperar que amostras selecionadas num contexto hospitalar, ou laboratorial, ou voluntário, seja ele qual for, dão uma imagem não enviesada da população é na melhor das hipóteses um ato de fé. E atos de fé não podem ser a base de um processo científico. Mas são esses atos de fé que até agora guiam a maior parte dos estudos serológicos que têm sido apresentados a nível mundial.

Scripta manent. O que se esceve, fica, permanece.
Tiago Marques responde a questões sobre este roteiro no programa Europa Minha, transmitido no passado dia 13 de junho na RTP [10:40 - 13:11].

A forma mais eficiente de o fazer é neste caso conhecida. Os nuestros hermanos espanhóis já o fizeram e esse estudo tem sido elogiado internacionalmente. Porque não aproveitarmos esta oportunidade para sermos, mais uma vez, um bom exemplo lá fora, o que, até surpreendentemente para os velhos do Restelo, temos sido várias vezes nesta pandemia? É fundamental recolher uma amostra aleatória, naturalmente estratificada por classes relevantes, como sexo, idade e região, de cobertura nacional. O Instituto Nacional de Estatística é sem dúvida a entidade mais competente para o fazer e tem todas as infraestruturas necessárias preparadas. O problema é fundamentalmente logístico, mas o retorno é sem dúvida significativo. Na implementação no campo, o INSA - Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, pela experiência que já acumulou em inquéritos de saúde e outros estudos serológicos, poderia contribuir decisivamente para o sucesso deste projeto. Este documento é também, e acima de tudo, isso mesmo: uma tentativa de arranjar parceiros que estejam dispostos a implementar uma ideia que nos parece o melhor caminho nesta fase.

A contribuição do CEAUL e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa neste projeto passa pela inferência da proporção da população imunizada e pela sua análise espacial, a partir dos dados recolhidos no roteiro, utilizando as metodologias estatísticas mais apropriadas para esse efeito. Depois de termos os dados através dessa amostragem aleatória, estimar a sero-prevalência não é muito diferente de estimar o número de desempregados no pais, algo que nós no CEAUL já fizemos com grande sucesso (link, link).

Este é apenas mais um exemplo de como o mundo de hoje é completamente dominado pela necessidade imperiosa de saber recolher e analisar dados. Esse é o trabalho da Estatística, e que justifica a necessidade de haver grupos de estatística fortes em qualquer universidade que pretenda ter investigação de ponta. Ficamos por isso muito contentes por poder associar Ciências ULisboa a esta iniciativa, cientes que este trabalho vem mais uma vez realçar a vontade da Faculdade em contribuir para a resolução dos grandes problemas societais.

Tiago A. Marques e Soraia Pereira, investigadores do CEAUL Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Bill Fyfe foi um grande amigo de Portugal. Orientou ou coorientou vários doutoramentos de portugueses, acerca de temas relevantes para Portugal e fomentou as ligações científicas entre Portugal-Brasil-Canadá. Em 1990 a Universidade de Lisboa outorgou-lhe o grau de doutor honoris causa.

Uma das consequências do aumento da disponibilidade de fontes laser de maior potência, compactas e a baixo preço é o aumento da sua má utilização.

Circo Matemático

“O objetivo do Circo é mostrar que é possível utilizar resultados matemáticos para produzir resultados espetaculares e para divertir e motivar as pessoas”, explicou o professor da FCUL, Pedro Freitas.

Temos sido pioneiros de muito boas práticas no ensino superior. Uma excelente escola e nós, que cá estamos, sabemos isso. E os alunos também. Os que cá estão e os que já cá estiveram. Mas hoje não chega. Temos que saber responder aos desafios e temos que exportar as nossas mais-valias.

Inscrições 2013/2014

Atualmente estudam na FCUL mais de cinco mil alunos, a maioria conhece bem os cantos da casa centenária, outros nem tanto, por isso é especialmente importante o acolhimento dado durante o arranque do ano letivo, que o digam a Catarina, a Leonor e o Ricardo!

Joaquim Dias

Num planeta com mais de 7000 milhões de pessoas, vão ser necessárias quantidades enormes de alguns recursos naturais que começam a escassear. Chegará em breve a era da mineração submarina? Existe tecnologia adequada? Será possível a mineração em condições de preservar a diversidade natural dos ecossistemas marinhos?

Ana Bastos

Através de diversas atividades práticas vamos aprender qual o papel do sol na dinâmica da atmosfera e do oceano, qual a importância dos oceanos, das calotes polares e da vegetação, como se formam as nuvens e os sistemas meteorológicos, e como funciona o ciclo da água.

Foi a 26 de Outubro que se realizou a Maratona Inter-Universitária de Programação, 2013, (MIUP2013).

Uma das surpresas do Dia Internacional passa pela exposição do concurso de fotografia lançado recentemente e alusivo ao tema “Mobilidade Internacional”.

Maria Inês Cruz

Atualmente, para além do “básico” lápis de grafite com que todos ainda escrevemos, até o desenvolvimento dos carros híbridos está dependente da evolução e extração dos recursos da nossa “casa”.

Susana Custódio

Como é que são gerados os tremores de Terra? E os tsunamis? Como é que nós reconhecemos no terreno a existência de tsunamis antigos? Porque é que na Nazaré vemos ondas tão grandes? Todos estes fenómenos são o reflexo de um enorme dinamismo do nosso planeta.

SCOPUS é também uma ferramenta para estudos bibliométricos e avaliações de produção científica.

Na cobertura dos edifícios da Universidade de Lisboa foi recentemente instalada a maior central fotovoltaica da cidade de Lisboa. Para além da bela vista sobre o Jardim do Campo Grande, vamos poder apreciar os desafios e o potencial dos telhados urbanos para produção de eletricidade solar.

A empresa SISCOG – Sistemas Cognitivos, SA, procura candidato para integrar a sua equipa.

J. A. Quartau

Na verdade, considerando apenas as abelhas, se estas fossem recompensadas pelo seu trabalho na polinização dos pomares e de outras plantas cultivadas, teríamos que lhes pagar como fatura anual global pelo menos setenta mil milhões de euros, a que seria ainda necessário adicionar várias centenas de milhões pelos lucros adicionais com a produção de mel e de cera.

Livre acesso a trabalhos dos cientistas laureados com o Prémio Nobel 2013

Palmira Carvalho, Raquel Barata e David Felismino

O Jardim Botânico deve, mais do que nunca e no futuro, ser encarado como um espaço de coesão urbana, fundamental e complementar ao espaço edificado e à sua articulação com a envolvente, em termos ecológicos, estéticos, culturais, históricos, sociais e económicos.

As aulas de Projeto Empresarial começam em fevereiro de 2014. Enquanto o 2.º semestre não chega, a FCUL desafia os alunos a testarem ideias no passatempo do Tec Labs Centro de Inovação da FCUL e quem sabe participar na 2.ª edição do YA Bootcamp.

8 de Novembro no GeoFCUL. Campo Grande, Lisboa.

Torre meteorológica

Para comemorar o seu aniversário, o IDL organizou uma pequena exposição com o título “160 anos do IDL: 150 anos do Observatório” a decorrer até ao dia 22 de novembro, no hall do edifício C6 da FCUL.

É fundamental que cada jovem se assuma como gestor da própria carreira, devendo ser dinâmico e proativo no que toca à sua inserção profissional.

Dynamics of calcite cementation

Conferência dia 14 de Novembro, 16h00, sala 6.1.36, C6, FCUL, Campo Grande, Lisboa.

Some scientific events are being organized by CIO's members.

To get a detailed list of those events and more informations, click here!

Páginas