Projeto de mestrado consiste no desenvolvimento de dispositivo de dosimetria para irradiações com protões

Aluna de Engenharia Física distinguida pelo Marie Sklodowska-Curie Fellowship Programme

Rita Pestana

O projeto de Rita Pestana foca-se na dosimetria para irradiações com protões. O objetivo do seu trabalho é que no futuro a realização de mais estudos relacionados com a terapia de protões seja possível

DCI Ciências ULisboa

A IAEA é a principal organização intergovernamental do mundo para a cooperação científica e técnica no campo nuclear, contribuindo para os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. O MSCFP foi lançado em 2020 e visa apoiar a realização de mestrados na área da Física nuclear e aplicações por mulheres, como um incentivo para aumentar o número de investigadoras nesta área e presta homenagem a Marie Sklodowska-Curie, a cientista polaca que no final do século XIX foi pioneira na investigação relacionada com a radioatividade. Este programa consiste na atribuição de uma bolsa e proporciona ainda uma oportunidade de estágio. Anualmente são atribuídas cerca de 100 bolsas a nível mundial. O programa tem a duração máxima de dois anos e as estudantes selecionadas recebem um apoio até 20.000 euros para custo de vida, suportando ainda o valor da propina.

Rita Pestana é aluna do 2.º ano do mestrado em Engenharia Física e em março inicia um estágio no Centro de Microanálises de Materiais (CMAM), em Madrid, no âmbito do seu curso e ao abrigo do Marie Sklodowska-Curie Fellowship Programme (MSCFP) da Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA, em Inglês).

O projeto de Rita Pestana foca-se na dosimetria para irradiações com protões. A bolsa que lhe foi atribuída no âmbito do MSCFP tem a duração de um ano. A jovem vai desenvolver um equipamento, que permite medir a corrente de protões que chega às células enquanto são irradiadas. O centro de investigação espanhol tem um acelerador de protões dedicado a estudos de Física nuclear fundamental e aplicada, possibilitando a realização de estudos pré-clínicos de terapia de protões, isto é, irradiar células com diversas patologias e estudar os efeitos da radiação.

“Para realizar este tipo de estudos é crucial caracterizar o feixe em tempo real, nomeadamente, saber quantos protões chegam às células e qual é a energia dos mesmos. Esta medição permite determinar o valor da dose, uma unidade que representa o impacto da radiação ionizante nos organismos vivos. Saber qual a dose que está a ser depositada nas células durante as experiências é essencial para caracterizar a experiência e perceber quais as condições em que a irradiação é benéfica”, explica Rita Pestana. O objetivo do seu trabalho é que no futuro a realização de mais estudos relacionados com a terapia de protões seja possível.

imagem de uma simulação do protótipo
Simulação do protótipo do equipamento a realizar no âmbito da tese de mestrado de Rita Pestana
Imagem cedida por RP

"Saber qual a dose que está a ser depositada nas células durante as experiências é essencial para caracterizar a experiência e perceber quais as condições em que a irradiação é benéfica."
Rita Pestana

Rita Pestana e Daniel Galaviz
Daniel Galaviz incentivou a aluna a candidatar-se ao programa. O professor do DF Ciências ULisboa diz que a jovem integrou-se perfeitamente na sua equipa de investigação, no LIP
Fonte DCI Ciências ULisboa

Pontos de vista, por Rita Pestana

Mestrado

Após a recente reestruturação do curso existe um maior número de unidades curriculares opcionais, pelo que cada estudante pode delinear o seu currículo de acordo com as áreas que acha mais interessantes. Sugiro aumentar a oferta formativa de unidades curriculares de diversas áreas, nomeadamente, a Física nuclear.

Conselho

A candidatura a uma bolsa ou programa é o primeiro passo para poder vir a consegui-lo. Mantenham-se informados quanto às oportunidades que existem, porque são sempre mais do que pensamos e muito provavelmente há uma que se adequa ao vosso perfil. Quando se candidatarem, não desistam por questões burocráticas, por pensarem que não vale a pena o esforço. A minha seleção para este programa foi uma surpresa, no momento da candidatura não imaginava que fosse possível. Acreditem nos vossos projetos e capacidades!

Futuro

A nível profissional, gostava de seguir uma atividade na minha área de estudo. Neste momento estou focada em terminar o mestrado. Depois verei o que o futuro me reserva.

Para Rita Pestana, a Física e a Matemática sempre foram as áreas que despertaram mais interesse durante o ensino básico e secundário. Já na universidade a Engenharia Física foi a opção escolhida, por ser uma área que tem “uma formação base muito forte e permite seguir caminhos muito distintos”.

Rita Pestana está a gostar do mestrado e estudar na Faculdade tem sido uma experiência bastante positiva. “O que mais me surpreendeu pela positiva foi a disponibilidade da maioria dos docentes para ajudar os estudantes em tudo o que é necessário. Gosto quando nos são dadas todas as ferramentas para que possamos trabalhar e alcançar os nossos objetivos académicos”, conta.

"O que mais me surpreendeu pela positiva foi a disponibilidade da maioria dos docentes para ajudar os estudantes em tudo o que é necessário."
Rita Pestana

Daniel Galaviz, professor do Departamento de Física (DF), responsável do grupo Nuclear Reactions, Instrumentation and Astrophysics do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), é o orientador da Rita Pestana, e foi ele que a incentivou a candidatar-se ao programa, considerando-a uma jovem fantástica. “A Rita é uma excelente estudante, tem-se integrado perfeitamente na minha equipa de investigação e tem mostrado um grau de independência muito elevado, o que criou as bases para propor o desafio que acabou por se converter no tópico principal da tese de mestrado que vai desenvolver em Madrid, coorientada por mim desde Lisboa e por Sílvia Viñals i Onsès, no CMAM”, comenta Daniel Galaviz.

“A Rita é uma excelente estudante."
​Daniel Galaviz

Ana Subtil Simões, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas