3.ª edição

Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019

Teses premiadas nas três edições contaram com a orientação de professores de Ciências ULisboa e investigadores do cE3c

O Prémio de Doutoramento em Ecologia visa valorizar o trabalho desenvolvido por recém-doutorados ao longo dos seus programas doutorais

unsplash - Franck V.

“Do ponto de vista biológico, nesta tese usámos dados de High Throughput Sequencing para tentar perceber até que ponto a seleção natural atua ao nível do genoma do sobreiro, bem como para caracterizar o seu fundo genético. Com estes dados exploramos também como poderá o sobreiro responder do ponto de vista adaptativo às alterações climáticas.”
Francisco Pina Martins

Francisco Pina Martins é doutorado em Biologia e Ecologia das Alterações Globais, um programa doutoral de Ciências ULisboa em associação com a Universidade de Aveiro, e foi orientado por Octávio Paulo, professor do DBA e investigador do polo de Ciências ULisboa do cE3c;  e Georgios Pappas Jr, professor da Universidade de Brasília, no Brasil.

Adrià López-Baucells doutorou-se em Biodiversidade, Genética e Evolução (BIODIV), um programa doutoral assegurado por Ciências ULisboa, pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, com a colaboração do cE3c, do Centro de Biodiversidade e Recursos Genéticos, do Instituto de Biologia Molecular e Celular e do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular. Jorge Palmeirim, professor do DBA e investigador do polo de Ciências ULisboa do cE3c e Christoph Meyer, colaborador do cE3c e investigador na Universidade de Salford, no Reino Unido, foram os seus orientadores.

Francisco Pina Martins, Adrià López-Baucells e Inês Gomes Teixeira são os vencedores do Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019, organizado pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO), com o apoio da Fundação Amadeu Dias.

Francisco Pina Martins, investigador do Departamento de Biologia Animal (DBA) de Ciências ULisboa e do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c); Adrià López-Baucells, investigador do Museu de Ciências Naturais de Granollers, na Catalunha, e colaborador  do cE3c e Inês Gomes Teixeira, investigadora do Centro de Estudos Ambientais e Marinhos – CESAM, polo da Universidade de Aveiro, foram distinguidos com os 1.º, 2.º e 3.º lugares respetivamente, de acordo com notícias publicadas nos sites da SPECO e do cE3c.

Os premiados vão apresentar os seus trabalhos no 18.º Encontro Nacional de Ecologia, durante o 15.º Congresso Europeu de Ecologia, que terá lugar entre 29 de julho e 2 de agosto em Ciências ULisboa.

Os galardoados serão distinguidos com prémios monetários no valor de €3000, €2000 e €1500 atribuídos aos 1.º, 2.º e 3.º lugares, respetivamente, recebendo ainda um bónus de dois anos de quotas pagas enquanto membros da SPECO.

O Prémio de Doutoramento em Ecologia visa valorizar o trabalho desenvolvido por recém-doutorados ao longo dos seus programas doutorais. Na edição deste ano o júri recebeu nove candidaturas elegíveis, de doutorados com teses defendidas nas Universidades de Lisboa, Coimbra, Aveiro e Minho. Nas três edições do Prémio foram distinguidas teses de programas doutorais, que contaram com a orientação de professores de Ciências ULisboa e investigadores do cE3c.

“Para mim, este [Guia de Campo para os Morcegos da Amazónia] é um dos resultados mais importantes da minha tese de doutoramento. É um guia baseado em chaves de identificação previamente publicadas, modificadas com base em descrições das espécies na literatura, mas com bastante conteúdo baseado em observações pessoais. E inclui a primeira chave de identificação acústica de morcegos da Amazónia, com espectrogramas dos sons emitidos pela maior parte das espécies da região.”
Adrià López-Baucells

Imagens dos galardoados
Francisco Pina Martins, Adrià López-Baucells e Inês Gomes Teixeira, vencedores do Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019
Fonte SPECO

 

ACI Ciências ULisboa com cE3c
info.ciencias@fc.ul.pt

"Associada à ideia de perfeccionismo surge a luta por objetivos elevados e irrealistas". Mais uma rubrica da psicóloga Andreia Santos.

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com Margarida Amaral, professora do DQB e coordenadora do BioISI e que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia deste site.

Joaquim Alves Gaspar, distinguido em 2016 com uma starting grant, a primeira a ser atribuída a um membro de Ciências, volta a “encantar” o Conselho Europeu de Investigação.

Ciências organiza a primeira reunião do projeto europeu, na qual participam mais de 50 especialistas portugueses, espanhóis e franceses, com o objetivo de debater formas de recuperação da enguia-europeia.

José Avelino Pais Lima de Faria,o proeminente cientista de 92 anos, antigo aluno de Ciências - licenciou-se em Ciências Físico-Químicas em 1950 - volta colaborar com a Faculdade, com um artigo sobre a atividade científica, selecionando para o efeito um conjunto de eminentes personalidades. Dois dias após a publicação deste artigo, J. Lima-de-Faria faleceu. A Faculdade lamenta o triste acontecimento e apresenta as condolências aos familiares, amigos e colegas.

No âmbito da efeméride ocorreu uma sessão do Ignite IAstro na Assembleia da República. O Dia Nacional dos Cientistas é celebrado desde 2016.

A nova direção de Ciências para os próximos quatro anos tomou posse a 15 de maio de 2018. Luís Carriço é o novo diretor e a sua equipa conta com cinco subdiretores: Margarida Santos Reis, Fernanda Oliveira, Jorge Maia Alves, Hugo Miranda e Pedro Almeida.

A final nacional da 14.ª edição das Olimpíadas de Química Júnior ocorreu a 12 de maio no Departamento de Química e Bioquímica de Ciências. Os melhores classificados podem vir a integrar a equipa portuguesa que participará na European Science Olympiad, em 2019.

O Pint of Science traz para bares portugueses e internacionais assuntos científicos de forma descomplicada.

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de maio é com Beatriz Lampreia, assistente técnica do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica.

Investigadores de Ciências identificaram um novo ciclo global de marés que ocorre ao longo de grandes escalas de tempo geológico.

Sara Silva, investigadora do Departamento de Informática, do BioISI – Instituto de Biosistemas e Ciências Integrativas e investigadora convidada da Universidade de Coimbra, ganhou o EvoStar Award 2018, um galardão que reconhece a qualidade e o impacto mundial do trabalho desenvolvido ao longo da sua carreira na área da computação evolucionária.

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com o engenheiro químico Pedro Castro e que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia deste site.

"É necessário um equilíbrio entre aquilo que eu e o outro precisamos", explica a psicóloga Andreia Santos, na sua rubrica habitual.

A 8.ª conferência Communicating Astronomy with the Public, ocorrida em março, no Japão, juntou mais de 450 comunicadores de ciência, de 53 países. João Retrê, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço foi um deles.

“O que é o Planeta Terra?” foi a questão que marcou o início dos workshops “Relógio Solar” e “Robot/Pintor” que decorreram no passado dia 9 de abril na Faculdade de Ciências e que contaram com a participação de 15 alunos do Colégio da Beloura em Sintra com idades entre os 4 e os 5 anos.

O prémio é concedido pelos editores do Journal of Coordination Chemistry a um jovem químico, autor do melhor artigo do ano. Pela primeira vez é atribuído a um português, no âmbito de um trabalho realizado por investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, nomeadamente no Centro de Química e Bioquímica e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas .

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de abril é com Célia Lee, que trabalha no suporte à investigação e à prestação de serviços no Instituto Dom Luiz.

Sara Freitas, doutoranda de Sistemas Sustentáveis de Energia, colabora no Festival Solar Lisboa, que acontece em maio e inclui muitas atividades gratuitas, tais como passeios num catamarã solar, semelhantes aos que ocorreram em abril no Parque das Nações e que contaram com a presença do grupo Energy Transition do Instituto Dom Luiz.

Erica Sá, bióloga, bolseira e membro da equipa do MARE, faleceu dia 11 de abril, aos 36 anos. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

"Wittgenstein coloca (em 1934) a pergunta “Pode uma máquina pensar?”, 16 anos antes de Alan Turing (no artigo “Computing Machinery and Intelligence” da revista Mind, novembro, 1950). E, essa especulação feita no campo da Filosofia tem um significado interessante nos dias de hoje, aparecendo como uma previsão significativa (Oliveira, 2017)", escreve Helder Coelho em mais um ensaio.

A missão Gaia dedica-se a observar estrelas. A sua finalidade é mapear a Via Láctea em 3D. O primeiro lançamento de dados ocorreu em 2016. O próximo acontece a 25 de abril e corresponde à primeira entrega com distâncias, velocidades e vários outros parâmetros astrofísicos para a maioria das estrelas.

Ciências colabora com o módulo Bio Hacking na iniciativa Young Creators 2018. Esta é a segunda vez que a Faculdade integra o projeto.

O Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa realizou o seu primeiro workshop no dia 17 de março.

Sabendo que no nosso dia-a-dia, por motivos laborais ou outros, ficamos sentados muito tempo, que medidas deveremos tomar para minimizar os seus efeitos?

Páginas