Colégio São João de Brito em Ciências

Como é o dia-a-dia do cientista?

Durante dois dias, Ciências recebeu nos laboratórios dos Departamentos de Química e Bioquímica e de Biologia Vegetal, e no Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica (IBEB) de Ciências, 12 cientistas diferentes dos que diariamente os frequentam. À primeira vista, vestidos a rigor, com a bata branca e a curiosidade e entusiasmo na descoberta, já se faziam notar cientistas. No entanto, os estudantes frequentam o 12.º ano do Colégio São João de Brito.

A visita à Faculdade enquadra-se no Programa de Orientação Escolar e Vocacional, daquele colégio. A iniciativa estende-se aos alunos do 8.º ao 12.º ano e pretende que os alunos “contactem com uma profissão que desejam seguir. O objetivo é também o de aproximar a escola do mundo do trabalho e, quando possível, que os alunos sejam “sombra” de alguém. Que possam observar, fazer perguntas, tirar dúvidas”, explicou a psicóloga Fátima Perloiro.

 

alunos no laboratório
À primeira vista, vestidos a rigor, com a bata branca e a curiosidade e entusiasmo na descoberta, os alunos do Colégio São João de Brito já se faziam notar cientistas
Fonte Fotografia de GCIC

As atividades desenvolvidas em Ciências foram selecionadas de acordo com os interesses manifestados pelos alunos. Desta forma, “tomaram contacto com atividades experimentais em curso em diferentes laboratórios de investigação, nomeadamente técnicas de Biologia Molecular (mini-preparações de DNA plasmídico, géis de análise de DNA e de proteínas, técnicas de transformação de células bacterianas e de mamífero) e de Biologia Celular (cultura de células humanas, microscopia de fluorescência e automatizada), nos laboratórios do BioFIG, e algumas técnicas de neurociências nos laboratórios do IBEB (análise de imagens para diferentes tipos de diagnóstico) ”, informaram os professores do departamento a acompanhar os alunos, Margarida Amaral e Carlos Farinha. Para os professores, esta iniciativa revela-se interessante porque “é uma maneira de mostrar aos potenciais novos alunos o que fazemos e também porque é importante para a Universidade reforçar os seus laços com a sociedade”.

Alunos no laboratório
 Para os professores Margarida Amaral e Carlos Farinha, esta iniciativa revela-se interessante porque “é uma maneira de mostrar aos potenciais novos alunos o que fazemos e também porque é importante para a Universidade reforçar os seus laços com a sociedade”
Fonte Fotografia de GCIC

Para a aluna Ana Margarida Antunes, ser cientista é bastante diferente da ideia que tinha antes de visitar a Faculdade: “em certos aspetos, não tinha ideia da realidade. Aqui fiquei a conhecer melhor toda esta envolvente. Investigação científica é a área que me interessa, vir aqui abriu muito mais o meu campo de possibilidades. Adorei fazer as atividades práticas, mexer nos aparelhos, pipetas, compostos, foi muito bom!”.

Afonso Cardal ficou surpreendido. Afinal, trabalhar num laboratório pode ser mais divertido do que imaginou: “não tinha muita noção de como era a vida num laboratório. Agora já sei o que se faz na prática. Nos laboratórios, esclareceram-me que há sítios em que até é possível ouvir música e, de vez em quando, cantar”.

Para Diogo Salgueiro a verdadeira surpresa foi descobrir que “existe trabalho em grupo, em conjunto. Julguei que o trabalho do cientista era mais solitário mas afinal há trabalho de equipa!”.

alunos em laboratório
"Adorei fazer as atividades práticas, mexer nos aparelhos, pipetas, compostos, foi muito bom!”, partilhou a aluna Ana Margarida Antunes
Fonte Fotografia de GCIC

Os alunos da Faculdade foram essenciais na partilha de ensinamentos. Durante o período de aulas, explicaram e exemplificaram as atividades em desenvolvimento. Depois das experiências, houve tempo ainda para uma conversa entre “colegas”.

“Todos eles querem perceber em que se baseia o curso, como é que daqui para a frente avançam, quais são as opções, as saídas profissionais, o que vão aprender. Acho que é uma ótima iniciativa! Eu própria tinha muitas das dúvidas que eles têm agora. Acho muito importante que esclareçam as suas dúvidas connosco, “abre-lhes os olhos”, veem com o que vão lidar daqui para a frente”, explicou a aluna do 3.º ano do curso de Bioquímica, Beatriz Santos.

Depois das experiências e da conversa com os alunos, o estudante do 12.º ano, Afonso Botelho, partilhou: “Estou muito mais esclarecido. Foi extremamente interessante e, sem dúvida, vai ter uma grande influência nas decisões a tomar para o meu futuro. Se houvesse a oportunidade de voltar a experimentar esta realidade aqui em Ciências, continuaria interessado”. A colega Helena Cunha, acrescentou: “é sempre importante esclarecer as nossas dúvidas com pessoas que já passaram pelo mesmo que nós. Estou no 12.º ano e não sei para onde quero ir, portanto acho que qualquer dúvida que possam esclarecer, nem que seja em relação ao ambiente da faculdade, às dificuldades que eles sentiram, é tudo importante para esclarecer o que quero fazer na minha vida”.

alunos e professor no laboratório
Depois das experiências, houve tempo ainda para uma conversa entre “colegas”
Fonte Fotogafia de GCIC

A iniciativa do Colégio São João de Brito teve início no ano de 2007. Em média, por ano, cerca de 100 alunos das áreas das Artes Visuais, Humanidades, Ciências e Tecnologias e Ciências Económicas são integrados em empresas e instituições para desenvolver um período de estágio. No total, 800 estudantes já experimentaram profissões que, por opção, quiseram conhecer de perto, entre elas as desenvolvidas em hospitais, faculdades, agências de publicidade, ateliers de arquitetura, ateliers de fotografia e de pintura, estações de televisão, editoras de livros, farmácias, empresas de construção civil, aeroporto, jardim zoológico, explorações agrícolas, clínicas veterinárias, empresas na área da aviação, tecnologia, combustíveis, telecomunicações, informática, exército, marinha, serviços de psicologia.

Luísa Lencanstre despediu-se de Ciências dizendo: “Eu gosto muito de Química, é uma hipótese voltar a Ciências como aluna!”

Para a Luísa e todos os que o quiserem voltar a Ciências, fica o até já, cientistas!

Alunos e professores no exterior do C8
A visita à FCUL enquadrou-se no Programa de Orientação Escolar e Vocacional, do Colégio São João de Brito
Fonte Fotografia cedida por Margarida Amaral

“Já conhecia o Programa de Orientação Escolar e Vocacional do Colégio S. João de Brito – a minha filha mais nova é aluna do 9.º ano do Colégio e tem beneficiado dessa orientação. Desconhecia, no entanto, que envolvia iniciativas como esta, em que os alunos são imersos num ambiente profissional. É uma excelente ideia e, como pai e como diretor de Ciências, só posso apoiá-la entusiasticamente, esperando que seja alargada a outras áreas científicas. É ainda interessante notar que a orientação vocacional tem grande tradição no Colégio São João de Brito. Quando eu por lá passei, há algumas décadas, fui aconselhado a “ir para ciências ou para Medicina”. Falharam estrondosamente na minha veia médica mas gosto de acreditar que acertaram na minha vocação de químico”.
Comentário do professor José Artur Martinho Simões, diretor de Ciências e antigo aluno do Colégio São João de Brito

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt

Apresentações públicas do Programa de Doutoramento em Biologia

Apesar do próximo ano letivo começar já dia 17 de setembro, a FCUL ainda está a receber candidaturas de alunos interessados nos seus cursos pós-graduados.

Centro de Dados da FCUL

Tal como anunciado em julho, a modernização do Centro de Dados da FCUL foi realizada durante os meses de verão e está prestes a terminar.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Fluxo de energia bancária

“O princípio de que aumentar o capital dos bancos favorece a estabilidade bancária, para além de estar errado, penaliza países como o nosso de forma ainda mais gravosa”, refere em entrevista Pedro Gonçalves Lind, um dos autores do regular article “The Dynamics of Financial Stability in Complex Networks”.

Os cidadãos estrangeiros abrangidos pelos programas “Erasmus Mundus” e “Ciência sem Fronteiras” podem ter autorização de residência em menos de 15 dias e direito à mobilidade no espaço da União Europeia.

Jardim

Através do sistema Concursos pode aceder a mais informações sobre o convite publicado no Jornal Oficial da União Europeia.

Vela

Aos familiares, amigos e colegas a FCUL apresenta as sinceras condolências.

Adultos e criança em atividade da Ciência Viva no Verão

Até 15 de setembro, a iniciativa Ciência Viva no Verão percorre o País organizando mais de 1700 atividades científicas gratuitas para toda a população. As inscrições permanecem abertas até 15 de setembro, de acordo com o calendário de atividades. Nesta altura, já são mais de 20 mil os inscritos.

Nos dias 9 e 10 de Agosto a plataforma Moodle da FCUL vai estar inacessivel devido a uma manutenção de rotina.

As nossas desculpas pelos possiveis incómodos causados.

Liliana Caldeira junto aos posters

A investigação sempre foi um objetivo, que ganhou força após o prémio para melhor poster ser-lhe atribuído numa importante conferência internacional. Até ao final do ano, Liliana Caldeira, aluna de doutoramento em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, deverá defender a tese.

Pontos de interrogação

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

Estudantes sentados, junto a uma mesa

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

Alunos da FCUL no pátio do C6

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Pormenor de obra artística

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Páginas