Crónica - "Desafio FN, escrita a seis mãos"

Participação da equipa portuguesa na IESO 2015

Participação da equipa portuguesa nas IESO 2015
JR

Ao longo da semana, a delegação portuguesa, juntamente com os restantes alunos e mentores, ficou alojada no Palace Hotel na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais. Desde a chegada que as instalações se verificaram impecáveis, prontas para receber um evento desta natureza. O staff do hotel garantiu o funcionamento exímio do mesmo, permitindo o nosso total empenho na tarefa a realizar. Sendo uma cidade conhecida pelas suas águas termais, o hotel em Poços de Caldas proporcionava ainda a ida a uma piscina sulfurosa tendo esta sido visitada pelos portugueses em diversas ocasiões. Os vários locais de convívio espalhados por todo o hotel, aliados à ampla rede Wi-Fi permitiram uma intensa comunicação entre todos os estudantes, otimizando ao máximo esta experiência já de si extraordinária.


Fonte: JR
 

Nos primeiros dias, tivemos a oportunidade de visitar dois locais que, subtilmente, revelam o passado e evolução da região. No primeiro, a praça dos Macacos, fomos introduzidos aos princípios básicos da geologia da região, dando especial atenção às águas termais. O segundo, um jardim japonês, com a sua grande biodiversidade, proporcionou-nos um contacto direto com os resquícios da Mata Atlântica. Foi num destes preciosos momentos que avistamos pela primeira vez os caricatos macacos, empoleirados nos ramos, dando sinais de uma vida dedicada ao turismo da região.

Os dias seguintes foram dedicados ao principal objetivo desta competição: as provas. A avaliação das olimpíadas consistiu numa prova escrita e em cinco provas práticas. Todas as provas foram muito desafiantes para os alunos, em particular o teste escrito. Este, para além de exigir um vasto conhecimento das várias geociências, apelava imenso às nossas capacidades de raciocínio. No que toca à parte prática, as provas estavam separadas por disciplina: Geologia, Astronomia, Hidrologia, Meteorologia e Geodinâmica. Tal como disse o Vasco, e todos concordamos:

"A realização destas provas práticas foi muito enriquecedora! Para além de serem desafiantes e interessantes, deram-me a oportunidade de realizar experiências que nunca tinha feito na vida, como medir a humidade relativa do ar com um psicómetro ou medir o caudal de um rio."


Fonte: JR
 

Para além destas provas, foram ainda realizados dois projetos em grupo, o "International Team Field Investigation (ITFI)" o"Earth Science Project (ESP)" Ambos foram realizados em equipas de oito estudantes, todos de nacionalidades diferentes. O ITFI tomava como ponto de partida as observações e os registos obtidos em campo pelas equipas, e posteriormente a sua avaliação e explicação das interações entre os sistemas da Terra que levaram à formação dos objetos de estudo (que poderiam ser as águas termais, solos ou formações rochosas, consoante o grupo). Seguidamente, foram dados aos estudantes 12 minutos para apresentar as suas conclusões ao júri. Já o ESP consistiu na elaboração de um poster centrado à volta do fenómeno El Niño e as suas consequências para o território brasileiro. Estes projetos não só contribuíram para desenvolver as nossas capacidades, como também tornaram possível a interação entre os vários membros das equipas e a partilha de conhecimentos entre estudantes.

Por fim, deu-se a cerimónia de entrega dos prémios em que obtivemos resultados excecionais, especialmente se tivermos em conta que esta foi a primeira participação portuguesa na IESO. Portugal contou com uma medalha de ouro, pelo Vasco, correspondente ao 4.º lugar a nível mundial, com uma medalha de bronze, pelo Zé Pedro, que também recebeu uma distinção pelo seu carisma e relacionamento com os demais. E, apesar de não ter ganho uma medalha, a Carolina obteve o terceiro lugar tanto no IFTI como no ESP, com as suas equipas.

No entanto, um dos melhores prémios desta competição foi a possibilidade de interagir com estudantes de todos os cantos do mundo. Unidos pela língua inglesa pudemos partilhar entre nós diversas experiências e culturas, e nos momentos de apresentações culturais feitas pelas equipas, tivemos oportunidade de dançar e cantar com eles, de celebrar e abraçar tudo o que nos torna diferentes. Os almoços e jantares proporcionaram inúmeros momentos de convívio, sempre com uma atmosfera acolhedora e descontraída. Nos poucos dias que lá estivemos, criámos laços que certamente iremos manter por muitos anos.

Resta-nos agora dizer que esta foi uma das melhores experiências das nossas vidas e que esperemos que, para o ano, Portugal leve novamente uma equipa que possa aproveitar tanto esta oportunidade como nós o fizemos. Esperemos que as Geociências em Portugal possam ganhar o reconhecimento que indubitavelmente merecem.


Fonte: JR
 

+ Detalhes
Fotoreportagem em https://ieso2015.ifsuldeminas.edu.br/index.php/news

Carolina Esteves, José Pedro Carvalho e Vasco Esteves, alunos do ensino secundário e participantes do IESO
Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora do Departamento de Biologia Vegetal (DBV) de CIÊNCIAS e líder do grupo Fruit Functional Genomics & Biotechnology (FFGB), visitou a Escola Secundária de Carcavelos no dia 23 de maio, quinta-feira, para assistir à apresentação de um trabalho de alun

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Páginas