Entrevista com Tiago Guerreiro

“É uma honra suceder a pessoas como a Vicki Hanson”

Professor do DI Ciências ULisboa editor chefe da ACM TACCESS

Última Revisão —
Tiago Guerreiro

"Apesar de dedicar parte não negligenciável do meu tempo ao serviço à comunidade (organização de eventos, comités de programa, revisão de artigos) esta é a primeira vez que assumo a liderança do corpo editorial de uma revista", diz Tiago Guerreiro

Café Memória

Tiago Guerreiro
Imagem cedida por TG

Tiago Guerreiro tem dedicado a sua atividade de investigação à aplicação de tecnologia para resolver problemas nas áreas de saúde, bem-estar e acessibilidade, tendo publicado mais de 75 artigos científicos em conferências e revistas internacionais e recebido vários prémios pelas suas contribuições científicas. Atualmente preside ao comité Accessibility & Ageing na conferência CHI da ACM, a mais relevante internacionalmente na área de Interação Pessoa Máquina; e em 2020 será o presidente da conferência ASSETS da ACM, dedicada à acessibilidade. 

Tiago Guerreiro é especialista contratado pela Comissão Europeia para a Acessibilidade de Aplicações Móveis, no âmbito da Diretiva para a Acessibilidade Web; e lidera vários projetos e prestações de serviço nas áreas de acessibilidade, privacidade e saúde.

Tiago Guerreiro, professor do Departamento de Informática e líder da área de investigação Accessibility & Ageing no LaSIGE, foi nomeado em julho passado editor chefe da Association for Computing Machinery (ACM) Transactions on Accessible Computing (TACCESS), juntamente com Stephanie Ludi, professora da University of North Texas, nos EUA. Os novos editores chefes deste periódico trimestral iniciam funções este mês de agosto. O mandato é de três anos.

É a primeira vez que assume estas funções?

Tiago Guerreiro (TG) - É com grande orgulho que assumo estas funções. Apesar de dedicar parte não negligenciável do meu tempo ao serviço à comunidade (organização de eventos, comités de programa, revisão de artigos) esta é a primeira vez que assumo a liderança do corpo editorial de uma revista. Esta revista tem dimensão internacional, e muda de liderança a cada três/quatro anos (podendo ser renovada por mais um período). Desde a sua criação, em 2008, teve apenas duas lideranças, sendo eu e Stephanie Ludi o terceiro par de editores. É uma honra suceder a pessoas como a Vicki Hanson, uma das fundadoras da revista, atual CEO da ACM, a principal associação na área da Ciência da Computação. É algo que nunca pensei que viesse a fazer, mas cujo convite não quis recusar.

Que expetativas tem?

TG - Na área da Ciência da Computação, algumas conferências são mais valorizadas que as revistas. Os processos de revisão destas conferências de topo são também mais exaustivos (incluindo em todo o processo revisões profundas por quatro/seis revisores, e muitas vezes, uma reunião presencial com discussão de todos os artigos), e a seleção de artigos mais competitiva. No entanto, o processo não é mais lento do que o que acontece com uma revista. Um dos meus principais objetivos é aumentar a relevância da ACM TACCESS, tornando-a mais competitiva, mas também mais célere. A revista tem vindo a aumentar a sua visibilidade na comunidade de computação acessível e tecnologias acessíveis. O meu objetivo é também aumentar o alcance da revista e aumentar o seu impacto, continuando o bom trabalho dos editores anteriores.  

Tiago Guerreiro numa das conferências da ACM
Em 2020 Tiago Guerreiro será o presidente da conferência ASSETS da ACM, dedicada à acessibilidade
Fonte André Rodrigues

Tiago Guerreiro com Filipe Ramos
Fonte André Rodrigues

Filipe Ramos concluiu a licenciatura em Biologia em Ciências ULisboa e foi nesta faculdade que aprendeu Braille, com a ajuda de Tiago Guerreiro. "A certa altura, o Filipe soube que eu desenvolvia tecnologias para uso de Braille por pessoas cegas, e veio-me perguntar se eu o podia ensinar. Pedi emprestada uma máquina, várias revistas em Braille, e alguns conselhos ao psicólogo da Fundação Sain, e durante alguns meses ajudei o Filipe a aprender a ler e escrever em Braille", conta o docente, cuja história foi noticiada numa das edições de 2016 da Revista Louis Braille.

Como é o seu dia-a-dia aqui na Faculdade e de que forma espera conciliar com estas novas funções?

TG - O meu dia-a-dia é um feliz e agradável caos. Divide-se entre o meu tempo de investigação e escrita, que tento realizar nas horas da manhã, e um conjunto de muitas outras atividades, letivas, de gestão, orientação e serviço à comunidade (científica e público geral) que procuro distribuir pelo tempo restante. Este cargo irá ser mais uma posição de serviço que assumirei, e que dada a elevada carga que acarreta, me levará a recusar temporariamente outras atividades de serviço à comunidade científica.

Scripta Manent. O que se escreve, fica, permanece.
No site da Faculdade, encontra alguns recortes de imprensa sobre as atividades de Tiago Guerreiro, destaque para o clipping relacionado com o artigo "Vulnerability & Blame: Making Sense of Unauthorized Access to Smartphones", cuja exposição mediática teve o seu ponto alto no Daily Show, com Trevor Noah.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de março é com Rui Batista, especialista em Informática da Área de Sistemas de Informação e Desenvolvimento da Direção de Serviços Informáticos de Ciências.

Proteger a biodiversidade. Engane-se quem pensa que só os biólogos participam nesta árdua tarefa. 

Um estudo publicado na revista “Quaternary Science Reviews”, fruto de cinco anos de trabalho de investigadores portugueses e espanhóis, permitiu reconstruir a evolução da vegetação, paisagem e clima da ilha de São Miguel nos últimos 700 anos, através da análise dos sedimentos da Lagoa Azul.

A American Physical Society (APS) já anunciou a lista de homenageados pelo "Outstanding Referee Program" em 2017 e José Pedro Mimoso, professor do Departamento de Física e investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, é um deles.

As populações de várias espécies de anfíbios na Serra da Estrela estão a diminuir drasticamente, devido a uma infeção por uma nova estirpe de vírus, também já detetado noutras partes de Espanha e da Europa, segundo comunicado de imprensa emitido recentemente pelo cE3c – Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais.

Durante o Green Day ocorrido esta segunda-feira no campus de Ciências foi apresentado o Ecokart Twin, o primeiro kart elétrico português de dois lugares.

“Pequenas ações fazem a diferença, não tenham medo de sair da zona de conforto”. João Paulo Silva, um dos membros do projeto Movetech Telemetry, “apaixonado pela natureza”, dedicado ao estudo da ecologia das aves dos meios agrícolas, nomeadamente em projetos de seguimento remoto de vida selvagem como o Lince ou a Águia Imperial, deixa este conselho aos jovens que se interessam por esta área da Biologia. Saiba mais sobre este cientista, antigo aluno de Ciências e coordenador da componente científica e de desenvolvimento de software do Movetech Telemetry.

João Paulo Silva, doutorado em Ecologia por Ciências, investigador do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos e do cE3c, é um dos membros da equipa do Movetech Telemetry, no âmbito do qual estão a ser desenvolvidos equipamentos ultraleves e de grande autonomia para monitorização eficaz da vida selvagem.

O mercado do processamento da língua natural (PLN), segmentado em codificação automatizada, análise de textos, reconhecimento de carateres óticos, resposta interativa em voz, reconhecimento de padrões e imagens, e analítica da voz, tenderá a aumentar muito nos próximos dez anos.

O “XV Encontro de Jovens Investigadores em Paleontologia (EJIP)” realiza-se de 19 a 22 de abril de 2017, na cidade de Pombal, um concelho cuja riqueza paleontológica é salientada pela comissão organizadora desta 15.ª edição. Carlos Marques da Silva e Mário Cachão, professores do Departamento de Geologia e investigadores do Instituto Dom Luiz, são oradores convidados do encontro, cujas inscrições decorrem até ao final de março.

“Este programa dá-nos acesso a artigos, livros e outros materiais propostos pelos nossos tutores que nos dão uma grande ajuda a compreender melhor o gigante mundo que é a Matemática”, diz Rodrigo Duarte, estudante de Ciências, galardoado com uma bolsa Novos Talentos em Matemática 2016/2017.

Anny Caroline Muniz, aluna do mestrado em Bioestatística de Ciências, participou no estudo “Perfil Tabágico dos Estudantes dos 2.º e 3.º ciclos das Escolas do ACES Arco Ribeirinho”, dos concelhos de Alcochete, Barreiro, Moita e Montijo, desenvolvendo igualmente um modelo matemático para a previsão do adolescente/tipo com maior probabilidade de começar a fumar precocemente.

Qual o principal fator que provocou o crescimento das regiões exteriores das galáxias elípticas na época mais recente do Universo? Esta pergunta motivou a investigação liderada por Fernando Buitrago, investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e professor convidado do Departamento de Física de Ciências, dando origem ao mais detalhado estudo publicado online em janeiro na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Jardim

O inquérito desenvolvido pelo cE3c - no âmbito do projeto europeu “Green Surge - Green Infrastructure and Urban Biodiversity for Sustainable Urban Development and the Green Economy” -, pode ser respondido até 15 de abril de 2017.

O Lisbon Green Hackathon 2017 acontece nos dias 11 e 12 de março. As inscrições terminam a 1 de março. No âmbito do evento estão previstas outras atividades, nomeadamente um ciclo de workshops, sessões de networking, debates e apresentações de startups.

O Tec Labs abriu portas ao ecossistema de inovação e empreendedorismo de Lisboa. O dia foi marcado pela apresentação de novidades para 2017, pelo networking entre os convidados e pela partilha de eventuais projetos e parcerias futuras.

O “Dr. Celestino” era não só um petrólogo excecional e um geólogo de campo incansável, como, e acima de tudo, uma pessoa encantadora pela sua delicadeza de trato. Os colegas do Departamento de Geologia e os ex-colegas do IICT sentirão certamente a falta da sua presença assídua e das interessantes e interessadas conversas sobre a Geologia de Cabo Verde.

Em fevereiro o Tec Labs – Centro de Inovação de Ciências abre as portas aos parceiros do ecossistema empreendedor nacional.

Seguramente já terá ouvido falar em dados geográficos. Pelo nome, deduz-se que estejam relacionados com mapas e lugares. No entanto, estes dados vão muito para além das coordenadas geográficas, representando, entre outros, redes de transporte, águas subterrâneas, populações, temperatura e recursos energéticos.

O filme “O Primeiro Encontro” (“Arrival”) de Dennis Villeneuve (2016) aborda a hipótese de Sapir-Whorf, de 1939, que diz que “a linguagem pode influenciar os nossos pensamentos”. Hoje em dia, a validade desta ideia está assegurada, graças às neurociências, e é possível afirmar que aprender uma língua permite estabelecer imensas ligações no cérebro, alterando a sua estrutura, e influenciando o modo de olhar para o mundo, e ainda moldando a personalidade.

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de fevereiro é com Ricardo Pereira, assistente técnico do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia de Ciências.

O cE3c acaba de lançar o programa "Vamos Jogar aos Insetos em Ordem nas Escolas?", no âmbito do qual vai oferecer 200 exemplares do jogo "Insetos em Ordem" às primeiras 50 escolas públicas, que aderirem à iniciativa.

No total, desde há 57 anos, a Fundação Calouste Gulbenkian atribuiu 83 mil bolsas de estudo em diferentes áreas. Os estudantes de Ciências fazem parte destas contas.

O financiamento atribuído ao professor do Departamento de Informática e investigador do Laboratório de Sistemas Informáticos de Grande Escala (LaSIGE) de Ciências, relaciona-se com a sua participação no projeto Hyperledger da Linux Foundation, em que a IBM, a Intel e dezenas de outras empresas colaboram para construir tecnologias de blockchain para negócios.

Partilhar o fascínio da investigação em Astronomia com crianças dos 7 aos 12 anos é um dos objetivos da iniciativa IAstro Júnior, quatro sessões gratuitas, em Lisboa e no Porto, organizadas pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e pela revista Visão Júnior.

Páginas