Cooperação entre Portugal e Angola

Primeiros mestres em Gestão e Governança Ambiental

Última Revisão —

Os primeiros dez estudantes apresentaram as teses em maio. As próximas defesas deverão ocorrer em outubro

UAN

Primeiros mestres em Gestão e Governança Ambiental

Abias Moma Hungo
“Proposta para um Sistema de Indicadores de Eficácia para a Gestão de Áreas de Conservação Caso de Estudo do Parque Nacional de Cangandala”
Filipe Mpembele Kodo
“Base para um Plano de Ordenamento do Parque Nacional da Cangandala”
Albertina Nzuzi
“A Valorização Económica de Bens e Serviços de Ecossistemas do Parque Nacional do Maiombe”
Domingos M. António Francisco
“Estudo das Comunidades Vegetais do Parque Nacional de Cangandala”
Edith António G. Neto
“Estudo das Comunidades Vegetais do Corredor do Cuanza”
Lutuango Joaquim Júnior
“Elaboração de um Programa de Controlo da Qualidade da Água Consumo Humano para a Cidade de Caxito, Província do Bengo”
Joaquim Ituamba
“Programa de Controlo de Qualidade da Água Consumida em Luanda”
Fulgêncio M. G.P. Manuel
“Levantamento das Unidades Recicladoras ou com potencial de Reciclagem de Resíduos Existente em Angola”
Tomásia Saleth Adão
“Contribuição para o Estudo Geobotânico da Parte Norte do Parque Nacional da Quiçama”
Cecília Fernanda Arraz da Silva Bernardo
“Contribuição à Planificação da Adaptação às Alterações Climáticas o Sector da Agricultura em Angola”

O primeiro mestrado em Gestão e Governança Ambiental da Universidade Agostinho Neto foi frequentado por 24 alunos. Os primeiros dez estudantes apresentaram as teses em maio, numa cerimónia que contou com a presença de Maria de Fátima Jardim, ministra de Ambiente de Angola. As próximas defesas deverão ocorrer em outubro.

O curso coordenado por Esperança da Costa, professora da Faculdade de Ciências da Universidade de Agostinho Neto (FCUAN) e por José Guerreiro, professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, funcionou nas instalações da FCUAN, em Luanda e contou com a participação de 21 docentes. Além das aulas, os discentes participaram em visitas de estudo, seminários e frequentaram estágios de 15 a 30 dias em Portugal.

O mestrado em Gestão e Governança Ambiental possibilita a formação de especialistas nas áreas de conservação da natureza; conservação e gestão de parques naturais; auditorias e avaliação de impactes ambientais e saneamento e gestão de resíduos.

Os estudantes deste curso têm desenvolvido as suas dissertações procurando apresentar solução para as problemáticas ambientais da realidade angolana.

O curso resulta do protocolo de cooperação celebrado entre as referidas instituições de ensino superior, durante o Centenário de Ciências, ocorrido a 19 de abril de 2011.

No âmbito deste acordo foram desenvolvidos os mestrados em Gestão e Governança Ambiental e Microbiologia Aplicada, com o apoio financeiro de outras entidades, nomeadamente os Ministérios de Ambiente de Angola e Portugal, a BP Angola, a Fundação Calouste Gulbenkian e o Instituto Camões.

Esperança da Costa e José Guerreiro esperam formar a primeira geração de especialistas capazes de enfrentar o duplo desafio das alterações climáticas e do desenvolvimento sustentável. O desenvolvimento de linhas de investigação nas áreas de conservação da biodiversidade, recuperação de ecossistemas degradados e gestão de resíduos é uma das prioridades desta parceria, assim como a interação entre a universidade e o tecido empresarial por forma a contribuir para a preservação do ambiente ao nível local, regional e nacional.

Docentes Ciências ULisboa

José Guerreiro
Jorge Palmeirim
Cristina Maria Sousa Catita
João Catalão
José Pedro Granadeiro
Lino Costa
Maria Filomena Camões
Dulce Pássaro
Alexandre Milheiras Costa
Filipe Duarte Santos
Gil Penha Lopes
Rui Taborda

Docentes UAN

Raul Araújo
Esperança da Costa
Carmen Santos
Liz Matos
Joaquim Sucure
João Serôdio
Arsénio Machado
Maria de Lurdes
Manuel Quintino


Filipe Kodo

Filipe Kodo foi um dos dez alunos a concluir este ano o mestrado em Gestão e Governança Ambiental. Começou o curso em abril de 2014. O que mais gostou foi a forma como o curso está estruturado, destacando a transversalidade do plano curricular.

“Inscrevi me no curso porque apesar de trabalhar já há alguns anos como técnico de biodiversidade, precisava de um conhecimento mais dirigido, mais específico, mais especializado e mais integrador, que me facilitasse o entendimento principalmente nos processos de avaliação de impacte ambiental”, refere Filipe Kodo, cujos planos passam por dedicar-se à área de investigação da governança das áreas protegidas.


Cecília Silva Bernardo com Gil Penha Lopes
Fonte CS

 

Cecília Silva Bernardo, licenciada em Relações Internacionais e finalista deste mestrado, “gostou da troca de experiência entre colegas e professores e do facto de poderem contar com a colaboração da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa”. Inscreveu-se no curso pois queria aprofundar os conhecimentos na área da gestão e governação ambiental. Agora pretende continuar a trabalhar e ingressar num doutoramento ligado ao ambiente e às alterações climáticas.

De acordo com José Guerreiro, em breve serão os alunos do mestrado em Microbiologia Aplicada a defender as suas teses. Também essas dissertações procuram responder a necessidades concretas no setor da saúde em Angola.

Disciplinas

Introdução à Política e Governança do Ambiente
Direito do Ambiente
Ecologia e Biodiversidade de Angola 
Sistemas de Informação Geográfica em Ambiente
Planeamento, Ordenamento e Gestão Territorial
Conservação da Natureza e Biodiversidade
Avaliação de Impacto Ambiental e Licenciamento
Controle Integrado da Poluição e Riscos Ambientais
Auditorias e Sistemas de Gestão Ambiental
Abastecimento, Saneamento e Tratamento de Resíduos
Alterações Climáticas, Energia e Ambiente
Gestão Ambiental do Mar e da Zona Costeira
Políticas e Convenções Internacionais
Economia do Ambiente
Projeto/Seminário

“Angola é um país com muitos desafios na área da gestão e governança ambiental. Luanda, a capital de Angola, com mais de seis milhões de habitantes, só dispõe de um aterro sanitário; o atual regulamento de caça em vigor data de 1957, ainda não temos uma legislação específica para governança das áreas protegidas; mais da metade dos parques nacionais e reservas naturais foram invadidas pelas populações. O executivo angolano elegeu o fomento do ecoturismo nas áreas protegidas como um dos sectores para diversificação da economia nacional, face a queda do preço do petróleo no mercado internacional.”
Filipe Kodo


Universidade Agostinho Neto
Fonte UAN

 

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Fotografia de participantes na Training School

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

CIÊNCIAS esteve presente nesta edição, com a participação dos docentes do Departamento de Física: Alexandre Cabral, no painel de abertura “À conversa sobre carreiras espaciais” e

Semana Internacional da Compostagem

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico.

A VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - completou 30 anos em janeiro de 2024. Para comemorar, realizou no dia 30 de abril de 2024, a Festa da Primavera, um espetáculo de música e divertimento dedicado à comunidade de CIÊNCIAS e ao público em geral.

Celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974 da Academia das Ciências de Lisboa

A 9 de maio realiza-se a segunda de duas jornadas de debate académico e científico organizadas pela Academia das Ciências de Lisboa, que tem por objetivo ‘analisar e discutir a evolução do panorama científico português de forma prospetiv

Lançamento do projeto Barrocal-Cave marca um novo capítulo na Conservação da Biodiversidade em Portugal

O prestigiado Palácio Gama Lobo foi o cenário escolhido para o lançamento do projeto Barrocal-Cave, financiado pelo Prémio Fundação Belmiro de Azevedo 2023.

No passado dia 10 de abril, tivemos a honra de receber um grupo de estudantes e dois professores da Universidade de Leiden, na Holanda. Com um total de 40 estudantes, todos da área das bio farmacêuticas, a visita prometia ser entusiástica.

Miguel Pinto

No dia 29 de abril, Miguel Pinto visitou a Escola Básica Professora Aida Vieira, no Bairro Padre Cruz em Lisboa, para realizar oficinas de divulgação científica e atividades didáticas.

Fotografia de alguns dos oradores

O que é a sustentabilidade? Como podemos agir a nível local, procurando um impacto global? Estas e muitas outras questões marcaram a segunda edição da Semana da Sustentabilidade CIÊNCIAS, entre 15 e 19 de abril de 2024.

Grande Auditório durante a celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS

Mais de 500 pessoas assistiram no Grande Auditório à celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS, na passada terça-feira, 23 de abril, numa cerimónia marcada por distinções, homenagens e um balanço dos últimos meses, com os olhos postos no futuro. 

Buracos negros Gaia

Um grupo de cientistas descobriu um grande buraco negro, com uma massa quase 33 vezes superior à massa do Sol, escondido na constelação de Aquila, a menos de 2000 anos-luz da Terra, ao analisar a grande quantidade de dados da missão Gaia da ESA.

Alunos com mãoes no ar num sala de aula

É possível brincar com a Matemática e prova disso foram as várias atividades que se realizaram na Faculdade nos dias 13 e 14 de março de 2024. Março foi um mês dedicado a esta ciência, motor da sociedade. Leia a opinião de quem participou nestas atividades e ainda nas Jornadas de Matemática.

Páginas