Ciências da Terra e do Ambiente

Jorge Relvas primeiro português a ser distinguido com a SGA-KGHM Krol Medal

Jorge Relvas

Jorge Relvas foi o primeiro português a presidir à SGA

SGA

Jorge Relvas trabalha na Ciências ULisboa desde 1987 e desde 2010 preside, em representação da Faculdade, à Associação Centro Ciência Viva do Lousal, um dinâmico centro de ciência interativo que se integra no programa de reabilitação de uma antiga aldeia mineira da Faixa Piritosa Ibérica, no concelho de Grândola e que no passado dia 30 de junho celebrou o 11.º aniversário. É membro do painel editorial do Boletin Geologico y Minero, de Espanha; membro regular e ex-coordenador de painéis de avaliação de candidaturas a bolsas de doutoramento e pós-doutoramento da FCT e do IDL nas áreas das Ciências da Terra e de Engenharia do Ambiente; e membro da Comissão Nacional das Olimpíadas da Geologia, que fundou e coordenou entre 2014 e 2020. Participou em 15 excursões de campo a províncias mineiras internacionais e em cinco missões oceanográficas; foi o chefe de missão em vários mergulhos em submersíveis tripulados e não tripulados na Crista Média atlântica; e é autor de dezenas de artigos científicos em revistas creditadas e de centenas de comunicações científicas em congressos internacionais, muitas delas como orador convidado. Em 2000 foi nomeado para o Lindgren Award, pela Society of Economic Geologists; e em 2002 foi distinguido com o Best Paper Award da revista Mineralium Deposita.

Jorge Relvas, professor do Departamento de Geologia da Ciências ULisboa e investigador do Instituto Dom Luiz (IDL), é o primeiro português a ser distinguido com a SGA-KGHM Krol Silver Medal, um galardão criado pela Society for Geology Applied to Mineral Deposits (SGA), atribuído bienalmente com o objetivo de reconhecer personalidades que se destacaram por serviços excecionais prestados a esta importante sociedade científica.

De acordo com comunicado de imprensa emitido pela Faculdade esta quinta-feira, a medalha será entregue durante o “16.º Encontro Bienal da SGA”, em Rotorua, na Nova Zelândia, em março de 2022.

“Quando, há dias, o atual presidente da SGA, David Huston, me comunicou que fui distinguido com a SGA-KGHM Krol Silver Medal, deixou-me sem palavras. É uma grande honra receber este prémio. Servir a SGA representou uma das melhores componentes da minha vida profissional e pessoal.”
Jorge Relvas

Jorge Relvas integrou o Council da SGA em 2006, a convite do seu presidente da altura, David Leach e, desde então, assumiu diferentes responsabilidades no seu seio. Em 2014-2015 foi eleito vice-presidente e, por inerência, chairman do SGA Educational Fund Committee. No biénio seguinte, em 2016-2017, foi eleito presidente e, finalmente, em 2018-2019, terminou a sua participação no Executive Committee, na qualidade de past-president e de promotional manager. Jorge Relvas foi o primeiro português a presidir à SGA. “Tenho a grata consciência de que fiz tudo o que estava ao meu alcance para merecer a honra e a responsabilidade que representou para mim o cargo para que me elegeram colegas de todo o mundo que eu tanto respeito e admiro. Tenho também consciência da importância do desafio, já que fui o primeiro português a presidir à SGA, e da dimensão da responsabilidade associada, pois sempre senti que transportava comigo o nome da Ciências ULisboa e do IDL”, conclui Jorge Relvas.

O Comité Executivo Provisório da SGA reuniu pela primeira vez em 23 de abril de 1965, em Heidelberg, na Suíça, para lançar a Mineralium Deposita, que viria a tornar-se a revista científica com maior índice de impacto nesta área do conhecimento, publicada pela Springer Nature e fundar a SGA, uma sociedade científica que promove as disciplinas das Ciências da Terra e do Ambiente relacionadas com os depósitos minerais e a metalogenia.

Em novembro de 2016, em Bruxelas, Jorge Relvas, entre outros, negociaram e assinaram um novo contrato de publicação da Mineralium Deposita por dez anos, entre a SGA e a Springer Nature. Um ano depois, concluíam em Genebra o processo de revisão dos estatutos da SGA, que durou cerca de dois anos.

Atualmente, o Council da SGA é constituído por 31 membros, de 18 nacionalidades. A SGA integra mais de 1400 membros, oriundos de mais de 70 países, distribuídos por todos os continentes.Os seus associados são, sobretudo, investigadores, académicos, profissionais provenientes da indústria mineira e prospeção mineral e de instituições governamentais e privadas, e estudantes graduados interessados nestas matérias. Uma das iniciativas mais relevantes da SGA é o SGA Educational Fund que visa apoiar estudantes graduados e profissionais de regiões economicamente desfavorecidas.

“Os anos em que exerci o cargo de presidente da SGA foram um período vibrante para esta sociedade científica e um momento desafiador para mim que guiei seu caminho. Durante esse período, a SGA continuou a organizar short courses de metalogenia de grande sucesso na América Latina e África, e patrocinou atividades estudantis, encontros regionais e workshops em todos os continentes, com organizações parceiras como a SEG, IAGOD, EAG, IUGS e UNESCO”, conta Jorge Relvas, acrescentando que “a visibilidade da SGA teve um significativo crescendo em todo o mundo, tornando-se uma organização ainda mais forte e financeiramente mais saudável, reconhecida pelo seu papel pioneiro no apoio a atividades educacionais para estudantes graduados e com um rápido e global crescimento dos seus membros”.

Sabia que a medalha é cunhada a partir de três onças de prata pura disponibilizada pela empresa mineira polaca KGHM?

A medalha tem o nome de Gerardus L. Krol (1912-1984), um geocientista que desempenhou um papel fundamental na fundação e desenvolvimento da SGA e foi entregue pela primeira vez a Francis Saupé em 2015, durante o 50º aniversário da SGA. Maurice Pagel e David Leach foram distinguidos com as medalhas em 2017 e 2019, respetivamente. Esta medalha tem forma ligeiramente oval e a sua face mostra um retrato de Gerardus L. Krol, enquanto no verso se representam os logotipos da SGA e da KGHM.

Os encontros bienais da SGA reúnem normalmente centenas de cientistas do mundo inteiro. “O 14th SGA Biennial Meeting que teve lugar em agosto de 2017, em Quebec City, o primeiro realizado pela SGA na América do Norte, foi um enorme sucesso quer em qualidade, quer em número de participantes. Naturalmente, nada disto teria sido possível sem a ajuda e excecional colaboração de Jan Pasava, secretário-executivo da SGA; Karen Kelley e Anna Vymazalová, SGA VP e SGA VP para assuntos estudantis, respetivamente; Hartwig Frimmel, tesoureiro da SGA, Bernd Lehmann e Georges Beaudoin, editores da Mineralium Deposita e tantos outros membros do Council durante o meu mandato como presidente da Sociedade”, menciona Jorge Relvas.

Nos últimos anos, este congresso teve lugar em cidades como Atenas, Pequim, Dublin, Antofagasta, Townsville, Uppsala, Nancy, Quebec City e Glasgow. O próximo acontecerá em março de 2022 e Jorge Relvas receberá a SGA-KGHM Krol Medal.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
apresentação do livro

Foi concluído recentemente o projeto “Aqua – O uso eficiente da água nos jardins da idade moderna”, um trabalho interdisciplinar que cruza as áreas da História da Ciência, a Engenharia Hidráulica e a Arquitetura Paisagista.

uma rapariga e um rapaz

Todos os anos a Faculdade atribui diplomas e prémios de mérito académico aos seus estudantes, com o apoio de várias entidades e empresas, que valorizam a missão da Faculdade e que passa por investigar, ensinar e estimular a transferência do conhecimento e da inovação e a abertura à sociedade civil.

Exoplaneta e núvens

A Agência Espacial Europeia validou o desenho dos instrumentos científicos da missão Ariel, que conta com a participação do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço. A missão vai observar a composição química de mil planetas em órbita de outras estrelas, e transformar a compreensão sobre como se formam e evoluem os sistemas planetários.

foto de grupo

No passado dia 26 de julho o Tec Labs - Centro de Inovação recebeu a visita de uma comitiva de representantes da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, Brasil, com o objetivo de conhecer em profundidade o ecossistema de empreendedorismo e inovação nacional e os seus principais stakeholders.

árvores no campus da Faculdade

Ciências ULisboa vai implementar no ano letivo de 2023/2024 o projeto “Ciências em Harmonia”. Comprometida com o bem-estar da sua comunidade estudantil e a promoção de competências individuais e sociais dos seus estudantes, a Faculdade vai procurar dar resposta a uma preocupação: a do bem-estar no ensino superior, envolvendo toda a comunidade académica na celebração da diversidade e promoção de inclusão. As atividades têm início já em setembro e vão prolongar-se durante todo o ano letivo.

logotipo do CWTS

ranking de Leiden, que avalia a produção científica de instituições de ensino superior a nível mundial, posicionou a ULisboa na liderança da Península Ibérica, colocando-a na 28.ª posição na Europa e no 131.º lugar a nível mundial.

enguia

No dia 26 julho, pelas 16h00, decorrerá na Ciências ULisboa a sessão de encerramento do projeto “Livro Vermelho e Sistema Nacional de Informação dos Peixes Dulciaquícolas e Diádromos de Portugal Continental”. O novo Livro Vermelho revela que os peixes de água doce e migradores diádromos se encontram numa situação preocupante.

3 raparigas a apontarem para um ecrã num laboratório

Acontece este ano mais uma edição do “Ser Cientista”. A 8.ª edição do programa, que decorre entre os próximos dias 24 e 28 de julho, visa proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica, pela integração no dia-a-dia dos cientistas de diferentes áreas de Ciências.

António Costa, Elvira Fortunato e Salomé Pais

Salomé Pais foi galardoada com a Medalha de Mérito Científico 2023, durante o Encontro com a Ciência e a Tecnologia em Portugal, decorrido no início de julho em Aveiro. Para a professora catedrática aposentada do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa esta distinção “simboliza o reconhecimento de uma vida dedicada à ciência”.

imagem de divulgação da exposição Mirabilia

É hoje inaugurada a exposição Mirabilia “Coisas Admiráveis”, que decorre no âmbito das comemorações dos 10 anos da ULisboa e do Dia da Universidade de Lisboa. A exposição integra objetos “admiráveis” das 18 escolas da ULisboa, entre eles um telescópio utilizado por um equipa da Ciências ULisboa na campanha internacional de observação “Venus Twilight Experiment”.

costa maritima

Carlos Antunes, foi nomeado vogal de reconhecido mérito da Comissão de Domínio Público Marítimo, um órgão consultivo da Autoridade Marítima Nacional que estuda e emite pareceres sobre os assuntos relativos à utilização, manutenção e defesa do domínio público marítimo.

Šima Krtalić

Šima Krtalić, aluna de doutoramento da Ciências ULisboa, afiliada ao projeto Medea-Chart, ganhou recentemente a décima edição do prémio "Imago Mundi" 2023 da referida revista académica, destinado a homenagear o melhor artigo em História da Cartografia.

Várias pessoas num sala

Ciências ULisboa participou na 3.ª edição do roadshow EA-IDEIA - Estrutura de Acompanhamento da Investigação, Desenvolvimento, Experimentação e Inovação da Armada, organizado pela Marinha Portuguesa.

Pedro Machado

Pedro Machado, investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e professor da Ciências ULisboa, foi homenageado pelo Grupo de Trabalho para a Nomenclatura de Pequenos Corpos (WGSBN) da União Astronómica Internacional (IAU), com a atribuição do seu nome a um asteroide, que tem quase três quilómetros de diâmetro e demora quatro anos e meio a dar uma volta ao Sol.

ave a voar em cima do mar

Um novo estudo internacional sobre a análise do risco de exposição ao plástico por aves marinhas identifica o Mediterrâneo como a região de maior risco a nível global. O artigo foi publicado na revista científica Nature Communications e conta com 18 cientistas portugueses, entre eles quatro investigadores da Ciências ULisboa.

foto dos tres finalistas

Filipa Rocha, estudante de doutoramento na Ciências ULisboa, alcançou o 2.º lugar do Prémio Jovens Inventores 2023, atribuído pelo Instituto Europeu de Patentes. O prémio corresponde a um valor pecuniário de dez mil euros. A cerimónia de entrega de prémios decorreu esta manhã, em Valência, Espanha.

fotografia de grupo

Foi assinado um protocolo de cooperação entre Ciências ULisboa, a FCiências.ID, o cE3c e a empresa dinamarquesa Copenhagen Infrastructure Partners, que visa a investigação e mitigação dos impactos da exploração eólica offshore ao largo da Figueira da Foz.

Logotipo da ACL

Cristina Branquinho e Isabel Trigo foram eleitas em 2023 respetivamente sócias correspondentes nacionais da Classe de Ciências -  Ciências Biológicas e Ciências da Terra e do Espaço – da Academia das Ciências de Lisboa (ACL).

O projeto EDUCOAST, promovido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, desenvolve programas educacionais para diversos níveis de ensino e para profissionais, na área das geociências costeiras e marinhas, tendo como base o trabalho de campo e as práticas experimentais.

Conceção artística do telescópio espacial Euclid no espaço

A missão espacial Euclid da Agência Espacial Europeia (ESA) irá penetrar nos últimos 10 mil milhões de anos de história do Universo para tentar compreender pela primeira vez o que está a acelerar a expansão do Universo. O lançamento do telescópio espacial Euclid está previsto para 1 de julho. O telescópio vai observar durante seis anos mais de um terço do céu. A participação portuguesa na missão Euclid é coordenada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

João Pedro e Vera no laboratório

Ciências ULisboa integrou recentemente o projeto “Autonomia 21”, um projeto da Associação Pais 21 cujo objetivo é integrar jovens com Trissomia 21 no mercado de trabalho. O dinamizador desta ideia na Faculdade foi Federico Herrera, professor do DQB e investigador do BioISI. No âmbito deste projeto, Ciências ULisboa recebeu dois jovens que estão neste momento a estagiar num dos laboratórios da Faculdade.

José Pedro Granadeiro e Rui Rebelo

A expedição Selvagens 50 organizada pelo Instituto das Florestas e Conservação da Natureza da Madeira reuniu cerca de 40 especialistas de diversas instituições, entre os quais se incluem os professores do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa, José Pedro Granadeiro (aves marinhas) e Rui Rebelo (répteis terrestres).

Conceção artística de um exoplaneta semelhante a Vénus, em órbita da sua estrela

Uma equipa de investigadores escolheu um planeta a 106 anos-luz, com 1,37 vezes o diâmetro da Terra, descoberto em 2022, para apresentar a primeira simulação a três dimensões do clima de um planeta de tipo rochoso com as características que atualmente conhecemos em Vénus.

Grupo de alunos e professores

A 9.ª edição da final nacional das Olimpíadas Portuguesas da Geologia decorreu nos dias 3 e 4 de junho, no Centro Ciência Viva de Estremoz / Pólo de Estremoz da Universidade de Évora, com a participação de 25 estudantes vindos de diversas regiões do País, incluindo uma delegação dos Açores (São Roque do Pico).

Rádão

O professor do DQB Ciências ULisboa e investigador do BioISI Ciências ULisboa é o primeiro autor de um novo artigo publicado no jornal Physical Chemistry – Chemical Physics da Royal Society of Chemistry, onde foram estudados diferentes compostos de rádon e xénon - dois gases nobres – e onde as suas propriedades energéticas e de ligação química foram analisadas.

Páginas