Ciências da Terra e do Ambiente

Jorge Relvas primeiro português a ser distinguido com a SGA-KGHM Krol Medal

Jorge Relvas

Jorge Relvas foi o primeiro português a presidir à SGA

SGA

Jorge Relvas trabalha na Ciências ULisboa desde 1987 e desde 2010 preside, em representação da Faculdade, à Associação Centro Ciência Viva do Lousal, um dinâmico centro de ciência interativo que se integra no programa de reabilitação de uma antiga aldeia mineira da Faixa Piritosa Ibérica, no concelho de Grândola e que no passado dia 30 de junho celebrou o 11.º aniversário. É membro do painel editorial do Boletin Geologico y Minero, de Espanha; membro regular e ex-coordenador de painéis de avaliação de candidaturas a bolsas de doutoramento e pós-doutoramento da FCT e do IDL nas áreas das Ciências da Terra e de Engenharia do Ambiente; e membro da Comissão Nacional das Olimpíadas da Geologia, que fundou e coordenou entre 2014 e 2020. Participou em 15 excursões de campo a províncias mineiras internacionais e em cinco missões oceanográficas; foi o chefe de missão em vários mergulhos em submersíveis tripulados e não tripulados na Crista Média atlântica; e é autor de dezenas de artigos científicos em revistas creditadas e de centenas de comunicações científicas em congressos internacionais, muitas delas como orador convidado. Em 2000 foi nomeado para o Lindgren Award, pela Society of Economic Geologists; e em 2002 foi distinguido com o Best Paper Award da revista Mineralium Deposita.

Jorge Relvas, professor do Departamento de Geologia da Ciências ULisboa e investigador do Instituto Dom Luiz (IDL), é o primeiro português a ser distinguido com a SGA-KGHM Krol Silver Medal, um galardão criado pela Society for Geology Applied to Mineral Deposits (SGA), atribuído bienalmente com o objetivo de reconhecer personalidades que se destacaram por serviços excecionais prestados a esta importante sociedade científica.

De acordo com comunicado de imprensa emitido pela Faculdade esta quinta-feira, a medalha será entregue durante o “16.º Encontro Bienal da SGA”, em Rotorua, na Nova Zelândia, em março de 2022.

“Quando, há dias, o atual presidente da SGA, David Huston, me comunicou que fui distinguido com a SGA-KGHM Krol Silver Medal, deixou-me sem palavras. É uma grande honra receber este prémio. Servir a SGA representou uma das melhores componentes da minha vida profissional e pessoal.”
Jorge Relvas

Jorge Relvas integrou o Council da SGA em 2006, a convite do seu presidente da altura, David Leach e, desde então, assumiu diferentes responsabilidades no seu seio. Em 2014-2015 foi eleito vice-presidente e, por inerência, chairman do SGA Educational Fund Committee. No biénio seguinte, em 2016-2017, foi eleito presidente e, finalmente, em 2018-2019, terminou a sua participação no Executive Committee, na qualidade de past-president e de promotional manager. Jorge Relvas foi o primeiro português a presidir à SGA. “Tenho a grata consciência de que fiz tudo o que estava ao meu alcance para merecer a honra e a responsabilidade que representou para mim o cargo para que me elegeram colegas de todo o mundo que eu tanto respeito e admiro. Tenho também consciência da importância do desafio, já que fui o primeiro português a presidir à SGA, e da dimensão da responsabilidade associada, pois sempre senti que transportava comigo o nome da Ciências ULisboa e do IDL”, conclui Jorge Relvas.

O Comité Executivo Provisório da SGA reuniu pela primeira vez em 23 de abril de 1965, em Heidelberg, na Suíça, para lançar a Mineralium Deposita, que viria a tornar-se a revista científica com maior índice de impacto nesta área do conhecimento, publicada pela Springer Nature e fundar a SGA, uma sociedade científica que promove as disciplinas das Ciências da Terra e do Ambiente relacionadas com os depósitos minerais e a metalogenia.

Em novembro de 2016, em Bruxelas, Jorge Relvas, entre outros, negociaram e assinaram um novo contrato de publicação da Mineralium Deposita por dez anos, entre a SGA e a Springer Nature. Um ano depois, concluíam em Genebra o processo de revisão dos estatutos da SGA, que durou cerca de dois anos.

Atualmente, o Council da SGA é constituído por 31 membros, de 18 nacionalidades. A SGA integra mais de 1400 membros, oriundos de mais de 70 países, distribuídos por todos os continentes.Os seus associados são, sobretudo, investigadores, académicos, profissionais provenientes da indústria mineira e prospeção mineral e de instituições governamentais e privadas, e estudantes graduados interessados nestas matérias. Uma das iniciativas mais relevantes da SGA é o SGA Educational Fund que visa apoiar estudantes graduados e profissionais de regiões economicamente desfavorecidas.

“Os anos em que exerci o cargo de presidente da SGA foram um período vibrante para esta sociedade científica e um momento desafiador para mim que guiei seu caminho. Durante esse período, a SGA continuou a organizar short courses de metalogenia de grande sucesso na América Latina e África, e patrocinou atividades estudantis, encontros regionais e workshops em todos os continentes, com organizações parceiras como a SEG, IAGOD, EAG, IUGS e UNESCO”, conta Jorge Relvas, acrescentando que “a visibilidade da SGA teve um significativo crescendo em todo o mundo, tornando-se uma organização ainda mais forte e financeiramente mais saudável, reconhecida pelo seu papel pioneiro no apoio a atividades educacionais para estudantes graduados e com um rápido e global crescimento dos seus membros”.

Sabia que a medalha é cunhada a partir de três onças de prata pura disponibilizada pela empresa mineira polaca KGHM?

A medalha tem o nome de Gerardus L. Krol (1912-1984), um geocientista que desempenhou um papel fundamental na fundação e desenvolvimento da SGA e foi entregue pela primeira vez a Francis Saupé em 2015, durante o 50º aniversário da SGA. Maurice Pagel e David Leach foram distinguidos com as medalhas em 2017 e 2019, respetivamente. Esta medalha tem forma ligeiramente oval e a sua face mostra um retrato de Gerardus L. Krol, enquanto no verso se representam os logotipos da SGA e da KGHM.

Os encontros bienais da SGA reúnem normalmente centenas de cientistas do mundo inteiro. “O 14th SGA Biennial Meeting que teve lugar em agosto de 2017, em Quebec City, o primeiro realizado pela SGA na América do Norte, foi um enorme sucesso quer em qualidade, quer em número de participantes. Naturalmente, nada disto teria sido possível sem a ajuda e excecional colaboração de Jan Pasava, secretário-executivo da SGA; Karen Kelley e Anna Vymazalová, SGA VP e SGA VP para assuntos estudantis, respetivamente; Hartwig Frimmel, tesoureiro da SGA, Bernd Lehmann e Georges Beaudoin, editores da Mineralium Deposita e tantos outros membros do Council durante o meu mandato como presidente da Sociedade”, menciona Jorge Relvas.

Nos últimos anos, este congresso teve lugar em cidades como Atenas, Pequim, Dublin, Antofagasta, Townsville, Uppsala, Nancy, Quebec City e Glasgow. O próximo acontecerá em março de 2022 e Jorge Relvas receberá a SGA-KGHM Krol Medal.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Estátua de Alfred Nobel com flores por detrás

Os seis Prémios Nobel 2022 são anunciados entre 3 e 10 de outubro. A poucos dias de conhecer as personalidades que serão distinguidas este ano, recordamos os laureados em 2021, com a ajuda de professores e cientistas da Faculdade.

 

rapariga com vento no cabelo a ouvir música

"Que poder é este da música? Ela tem mesmo uma ligação com as emoções? Apesar de existirem posições contraditórias, a literatura aponta que a música é capaz de induzir emoções", escreve Marta Esteves, psicóloga no GAPsi Ciências ULisboa.

Sara Magalhães no estúdio da FCCN

Sara Magalhães é professora do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa desde 2016 e investigadora do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c). “Os ácaros são assim tão feios, porcos e maus?” é o tema apresentado pela professora, que inaugura o projeto “Porquês com Ciência”.

mar

Nos dias 26 e 27 de setembro decorre na Ciências ULisboa o “Fórum Oceano: Atlântico, um bem comum, visões partilhadas franco-portuguesas”, uma iniciativa organizada pela Faculdade e pelo MARE, no âmbito da Temporada Portugal-França 2022.

“Saúde, Dança e Ciência na qualidade de vida sustentável”

No próximo dia 23 de setembro irá decorrer na Ciências ULisboa um workshop que pretende sensibilizar jovens e adultos para a importância do movimento na saúde e na qualidade de vida sustentável.

livros

Ana Simões, presidente do Departamento de História e Filosofia das Ciências e investigadora no CIUHCT, terminou o seu mandato como vice-presidente da European Society for the History of Science no dia 10 de setembro, concluindo seis anos de envolvimento na direção.

imagem abstrata representativa de termodinamica

"Quando ensinamos temos que ter a preocupação de que os alunos compreendem as matérias da melhor forma possível, e essa é a minha forma de ensinar, que procurei refletir neste livro”, diz Patrícia Faísca, professora do DF Ciências ULisboa e autora do novo livro sobre Termodinâmica, publicado na editora CRC Press.

logotipo da iniciativa

“Porquês com Ciência” é o novo projeto de divulgação científica da Direção de Comunicação e Imagem da Faculdade e arranca no início deste ano letivo. Cinco vídeos serão lançados no YouTube até ao final de 2022 e têm como personagens principais João Telhada, Ibéria Medeiros, Marta Panão, Maria Manuel Torres e Sara Magalhães. As temáticas em foco estão relacionadas com as Bolsas de Palestras.

grupo de investigadores

O projeto LIFE PREDATOR, aprovado no âmbito do Programa LIFE, vai arrancar no próximo mês de outubro. Da equipa de trabalho europeia fazem parte sete professores e investigadores de três unidades de investigação da Faculdade, que vão colaborar no estudo e combate da espécie invasora peixe-gato europeu.

Alunos e professores

Portugal conquistou quatro medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze na 15.ª edição das Olimpíadas Internacionais de Ciências da Terra (IESO 2022). Esta foi a melhor participação de sempre de Portugal nestas provas internacionais.

Jovens na praia

Crónica sobre o Roteiro Entremarés da autoria do professor Carlos Duarte. Esta é a segunda aplicação que resulta da colaboração entre o Departamento de Informática da Ciências ULisboa e o Instituto de Educação da ULisboa, depois da publicação em 2017 da aplicação Roteiro dos Descobrimentos.

ilustração SARS-CoV-2

As pessoas vacinadas que foram infetadas pelas primeiras subvariantes Omicron têm uma proteção quatro vezes superior do que à das pessoas vacinadas que não foram infetadas. Estes resultados constam de um estudo liderado por Luís Graça e Manuel Carmo Gomes, publicado na prestigiada revista científica New England Journal of Medicine.

núvens cósmicas

O XXXII Encontro Nacional de Astronomia e Astrofísica terá lugar nos próximos dias 5 e 6 de setembro, na Ciências ULisboa. O evento é organizado pelo Centro de Astrofísica e Gravitação, em parceria com a Sociedade Portuguesa de Astronomia e a Ciências ULisboa.

Campo com árvores de fruto e hortícolas

O projeto GrowLIFE - coordenado pela Ciências ULisboa, FCiências.ID - Associação para a Investigação e Desenvolvimento de Ciências e Turismo de Portugal é financiado pelo Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) no valor de €1.452.673,00 - e arranca em junho de 2023, tem uma duração de cinco anos. O resultado da candidatura coordenada pela Caravana AgroEcológica foi conhecido em abril deste ano e o contrato foi assinado em agosto.

Cientista no laboratório

Em 2022, 134 investigadores doutorados ligados a unidades de investigação da Faculdade submeteram candidaturas à 5.ª edição do Concurso de Estímulo ao Emprego Científico – Individual, tendo sido atribuídos 23 contratos de trabalho. Em quatro edições deste concurso, 714 investigadores doutorados com ligações a unidades de investigação da Faculdade apresentaram candidaturas, tendo sido atribuídos 71 contratos de trabalho.

Paleontólogos em escavação

Uma equipa de paleontólogos portugueses e espanhóis conduziu, entre 1 e 10 de agosto de 2022, uma campanha de escavação na jazida paleontológica de Monte Agudo que resultou na extração de parte do esqueleto fossilizado de um dinossáurio saurópode de grande porte.

oceano, areia, palmeiras e barcos

"A revista npj Ocean Sustainability está particularmente interessada em investigação que incida sobre as interligações existentes entre ciência, política e prática, bem como abordagens sistemáticas, soluções transformativas, e inovação para suportar a sustentabilidade do oceano a múltiplos níveis!", escreve Catarina Frazão Santos, editora-chefe, convidada em setembro de 2021 para fundar a revista.

Participantes do simpósio no grande auditório da Faculdade

O primeiro Simpósio Internacional de Catálise Homogénea aconteceu nos EUA há 44 anos. A vigésima segunda edição ocorreu este ano em Portugal, na Ciências ULisboa. A próxima edição está marcada para 2024, em Itália. Este importante acontecimento tem contribuído para o desenvolvimento da Catálise Homogénea.

graficos, lupa e oculos numa mesa

Maria Zacarias, investigadora do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa, escreve uma crónica sobre a última edição do “Sê Investigador por Três Semanas”, na qual dá a conhecer a opinião de quem participou na iniciativa que durante três semanas, possibilitou que alunos de licenciatura e de mestrado pudessem trabalhar de perto com investigadores e observar a transversalidade da Estatística.

coelho-bravo

A equipa do projeto do Livro Vermelho dos Mamíferos, que está a trabalhar na revisão do estatuto de ameaça e estado de conservação destas espécies em Portugal, realizou uma “compilação inédita” de dados de ocorrências georreferenciados de mamíferos em Portugal Continental e nos Açores e Madeira.

pessoas sentadas a escrever ao computador e em post its

Decorreu de 11 a 15 de julho na Ciências ULisboa a WideHealth Summer School sob o tema “Human Factors in Pervasive Health”. O evento foi organizado pelo LASIGE, tendo acolhido participantes de toda a Europa.

rapariga no laboratorio

Já são conhecidos os resultados do Concurso de Projetos de I&D em Todos os Domínios Científicos de 2022, da FCT. Do total de projetos aprovados para financiamento, 33 contam com a participação da Ciências ULisboa.

grupo de alunos do programa

"Na Ciências ULisboa temo-nos esforçado ao longo dos anos para desenvolver um programa que trará uma semana inesquecível a estes jovens", escreve Ana Sofia Santos, monitora central do Verão na ULisboa, no artigo de opinião sobre o programa.

rapariga a rir

"A ideia de que o sentido de humor pode facilitar o ajustamento, a gestão e a regulação emocional parece ter bastante fundamento. Mas, como, onde e como entram os limites do humor nesta questão?", escreve Samuel Silva, psicólogo no GAPsi Ciências ULisboa.

Instalações do Quake

Os cientistas Susana Custódio e Luís Matias escrevem sobre o Centro do Terramoto de Lisboa, que nasceu de uma vontade de contar a fascinante história do sismo de 1755. A Faculdade e o IDL Ciências ULisboa são parceiros do Quake. 

Páginas