“Rota das Vocações de Futuro"

Alunos EPIS experimentam profissões na FCUL

No passado dia 3 de julho, pela 2.ª vez, a FCUL abriu as portas dos seus laboratórios e departamentos a alunos apoiados pela Associação de Empresários pela Inclusão Social (EPIS), em mais uma “Rota das Vocações de Futuro”.

O programa de combate ao insucesso e abandono escolar nasceu de forma curiosa, tal como explicou a professora Deodália Dias, coordenadora do projeto na FCUL: “De manhã estava a ouvir a SIC Notícias para ver se ia chover ou não e eis que ouço um miúdo, durante uma entrevista, a dizer que queria ser biólogo marinho. Depois de dar um pouco mais de atenção à notícia percebi que havia uma associação que se preocupava em desenhar percursos escolares. Pareceu-me interessante, telefonei para a SIC para convidar o rapaz a vir até à nossa Faculdade e acabou por vir não só um, mas uma turma inteira!”.

Assim se iniciou esta descoberta pelo mundo das profissões que o diretor-geral da EPIS, Diogo Simões Pereira, destaca como sendo “um estímulo para descobrir as motivações dos jovens, aquilo que mais gostam e menos gostam, e uma ajuda para que possam encarrilar por uma vocação. Sobretudo quando estão no 9.º ano, altura em que têm de fazer a primeira escolha”.

Dos 2000 alunos ajudados pela EPIS ao longo do ano, 50 destacaram-se pela recuperação das suas notas académicas e foram premiados com uma passagem por diversas empresas e instituições durante a primeira semana de julho, sendo a FCUL uma das primeiras paragens.

Para receber os 50 alunos da associação EPIS vindos de norte a sul do País, nesta aventura pelo mundo das profissões, estiveram presentes, numa sessão de boas-vindas, os dirigentes da Universidade de Lisboa e da Faculdade de Ciências. Ambos quiseram transmitir uma mensagem de incentivo e apoio aos jovens que começaram a dar os primeiros passos na construção de um futuro sustentável.

Professora da FCUL orienta alunos durante uma experiênciaFonte: FCUL
Legenda: Na Química os alunos experimentaram os "Jardins de Sílica" e o "Pega monstros"

António Sampaio da Nóvoa, reitor da UL, referiu que “apesar das muitas dificuldades que existem não há nada que substitua o conhecimento. Uma boa formação, um bom conhecimento, uma boa preparação dão-nos uma capacidade de conseguir agarrar oportunidades, construir carreiras, de conseguir abrir e ver coisas que os outros não veem”. Por sua vez, o diretor da FCUL, J. M. Pinto Paixão, realçou a importância que a Faculdade tem dado a este tipo de atividades: “Faz parte da tradição da FCUL ter uma grande ligação às escolas, achamos fundamental despertar o gosto pela ciência, mas também consideramos importante conhecer a realidade dos alunos que podem vir a ser os nossos estudantes no futuro. Queremos olhar e perceber quem é a população jovem, como está preparada”.

Depois das mensagens serem transmitidas, a aventura começou de forma divertida com a apresentação do “Circo Matemático”. Uma atividade lúdica e, ao mesmo tempo, educativa que faz desta disciplina o ponto de interação entre monitores e alunos.

De diferentes idades e vindos de vários pontos do País, em comum estes alunos tinham a vontade de aprender e contrariar o passado de insucesso escolar pelo qual passaram, como é o exemplo de Paula, uma jovem de 13 anos a frequentar o 8.º ano: “Portava-me muito mal, o 1.º e 2.º período não correram nada bem. Depois, com a ajuda dos psicólogos, professores, pais e EPIS, fui-me portanto melhor, bem melhor! Consegui superar notas que nunca tinha conseguido, de sete negativas no 1.º período passei para quatro e acabei o 3.º período com duas. Agora é preciso continuar a lutar para alcançar objetivos!”.

E foi com esta mesma força de vontade que todos os alunos seguiram para os departamentos, e respetivos laboratórios de Matemática, Biologia, Química e Bioquímica. Em cada área, foram muitas as atividades que puderam experimentar.
Aluna mexe em material do laboratório de Química
Fonte: FCUL
Legenda: "Foi uma grande oportunidade para aprender coisas novas e esclarecer dúvidas quanto ao futuro", comentou um dos participantes

A 1.ª paragem fez-se no Departamento de Matemática. Aqui, os alunos realizaram jogos inseridos na atividade “Descobre a Matemática que anda por aí” e desvendaram os antepassados da disciplina através da exposição “O Cálculo de Ontem e de Hoje”.

Sofia, estudante de Biologia e uma das monitoras a apoiar as atividades, mostrou-se bastante satisfeita com a sua contribuição no projeto., “É sempre bom ter alguém mais novo para mostrar que isto, afinal, é divertido. Pensar que eles vêm para cá, através do nosso contributo, é ótimo!”, concluiu.

Para um dos alunos EPIS que até não gostava muito de Matemática esta foi “uma grande oportunidade para aprender coisas novas e esclarecer dúvidas quanto ao futuro”. Na Biologia, outros colegas puderam conhecer diferentes insetos e até répteis, que antes só haviam sido vistos na realidade distante da televisão ou da Internet. “Aprendi que há muitos insetos e que se podem conservar!”, referiu a esse propósito outro estudante vindo do Porto.

Após estas ações, seguiram-se outras, como aquela em que os alunos puderam apanhar borboletas no relvado da Cidade Universitária; ou o momento em que ouviram as músicas tocadas pela banda “Cherry Jam”.

“Pega Monstros”, "Jardins de Sílica", “Faz chuva ou faz sol”, “Azul fugitivo” foram as experiências finais, realizadas no laboratório de Química. Atenta à forma minuciosa com que os monitores trabalhavam as substâncias do laboratório, Diana, de 13 anos, comentou: “Um dia até posso explicar aos meus colegas como se fazem todas estas coisas novas!”.

Raquel Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
Ana Subtil Simões

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências ULisboa? O Dictum et factum de novembro é com Ana Subtil Simões, técnica superior da Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa.

Campus Ciências ULisboa

Ciências ULisboa organiza no seu campus a competição internacional destinada a treinar equipas multidisciplinares de estudantes universitários para a inovação e o empreendedorismo na área da saúde. A equipa vencedora irá participar no EIT Health Winners Event, em Londres, nos próximos dias 11 e 12 de dezembro.

Diego Rubiera-Garcia

Aos 14 anos o investigador do polo de Ciências ULisboa do IA deslumbrou-se com um livro “A criação do Universo” e a teoria do big-bang. O que mais gosta de fazer é simples: pequenos cálculos sobre ideias que lhe vêm à mente!

líquenes

O 1.º Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias foi atribuído a Paula Matos. A investigadora do cE3c do polo de Ciências ULisboa irá apresentar a tese em Biologia e Ecologia das Alterações Globais no 17.º Encontro Nacional de Ecologia.

João Alexandre Medina Corte-Real, professor jubilado da Universidade de Évora, docente em Ciências ULisboa durante mais de 30 anos, faleceu a 31 de outubro. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos familiares, amigos e colegas.

Burnout

Saiba mais sobre a síndrome de burnout, na rubrica habitual da psicóloga do GAPsi, Andreia Santos.

Pormenor de simulação de matéria a orbitar perto de um buraco negro

Há um buraco negro supermassivo, escondido, no centro da Via Láctea anunciou o ESO. O GRAVITY, que tornou possível esta observação, foi desenvolvido por um consórcio internacional, do qual fazem parte investigadores de Ciências ULisboa e da FEUP, integrados no CENTRA.

CCDesert

Ciências ULisboa, através do cE3c e do IDL, é um dos 37 membros fundadores do Centro de Competências na Luta contra a Desertificação criado pelo Governo este verão.

HortaFCUL

Contributo da HortaFCUL para a sustentabilidade do campus em 2017/2018.

Grande auditório de Ciências ULisboa

Novo ano escolar… Vida nova para muitos caloiros… Recorde a sessão de boas-vindas aos novos alunos de 2018/2019 e conheça as histórias de alguns deles.

Ciências da Sustentabilidade

O novo doutoramento da ULisboa foi concebido no âmbito do Colégio Food, Farming and Forestry e junta 42 professores de 17 faculdades e institutos da ULisboa. A primeira edição conta com 14 alunos.

navio James Clark Ross

Vanda Brotas, professora do DBV Ciências ULisboa e investigadora do MARE ULisboa, é a coordenadora do projeto Portwims, no âmbito do qual investigadores do MARE ULisboa participam em cruzeiros oceanográficos.

Anfiteatro da fCiências.ID

A ação COST CA 16118 ou Neuro-MIG visa o estabelecimento de uma rede de médicos e cientistas para o estudo das malformações do desenvolvimento cortical humano. Em setembro passado a comissão de gestão e os grupos de trabalho desta rede estiveram reunidos em Ciências ULisboa.

<i>Deep Learning</i>

A rubrica No Campus com Helder Coelho está de volta: “O que o homem tem necessidade, quando enfrenta o complexo, é de ‘agentes’ com um pouco de mais inteligência (estendida, aumentada) e de ajuda (cooperação, colaboração)”.

Paulo Motrena

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de outubro é com Paulo Motrena, técnico superior do Gabinete de Organização Pedagógica da Direção Académica de Ciências ULisboa.

Sala de aulas com crianças

Cerca de 90 alunos do Colégio S. João de Brito visitaram o DQB e DG Ciências ULisboa. O projeto educativo desta escola contempla a dinamização de atividades relacionadas com as ciências experimentais, destinadas a enriquecer as aulas de Estudo do Meio.

Campus de Ciências ULisboa

José Francisco Rodrigues, professor do DM e investigador do CMAFcIO de Ciências ULisboa, escreve sobre a interação profícua entre a Matemática e a Biologia, no Ano da Biologia Matemática, que celebra o extraordinário progresso das aplicações matemáticas na Biologia.

“Reportagem Especial - Adaptação às Alterações Climáticas em Portugal”

"Reportagem Especial - Adaptação às Alterações Climáticas em Portugal" está nomeada para o prémio internacional Best Climate Solutions 2018. É o único projeto ibérico a concurso.

Sara Magalhães

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com Sara Magalhães, professora do Departamento de Biologia Animal, investigadora do cE3c, e que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia do site da Faculdade.

“Tomar consciência do tipo de relação que se tem connosco pode ser muito importante, na medida em que nos ajuda a perceber de que forma andamos ou não a cuidar de nós próprios”, escreve Andreia Santos, psicóloga do Gapsi, na sua rubrica habitual.

Átrio do C3

Este ano registaram-se mais de 6000 candidaturas aos cursos de Ciências ULisboa no âmbito do Concurso Nacional de Acesso. Em ambas as fases as vagas foram totalmente preenchidas. Durante a 1.ª fase de inscrições, matricularam-se 833 estudantes. A 2.ª fase de matrículas termina a 1 de outubro.

 Noite Europeia dos Investigadores

A Noite Europeia dos Investigadores foi lançada em 2005. “Ciência na cidade” é o tema desta edição que se realiza a 28 de setembro e conta com 22 iniciativas com o carimbo de Ciências ULisboa.

Ana Simões

É a primeira vez que uma cientista portuguesa preside à European Society for the History of Science. Ana Simões, professora do DHFC e cocoordenadora do CIUHCT, tomou posse como presidente desta sociedade científica, a 16 de setembro, durante o “8th ESHS Meeting”, ocorrido em Londres. O mandato de dois anos termina em 2020.

Golfinhos

Uma equipa multidisciplinar, que inclui membros do CEAUL, vai monitorizar comunidades de baleias e golfinhos ao longo da costa portuguesa. O objetivo é criar um atlas dos cetáceos em Portugal e protegê-los.

Sequência de vértebras caudais do exemplar de dinossáurio terópode

Elisabete Malafaia, doutorada em Ciências ULisboa, deixa alguns conselhos a quem quer seguir uma carreira em Paleontologia.A primeira autora do artigo do Journal of Paleontology é investigadora do IDL e da UNED e na prestigiada revista internacional apresenta os resultados do estudo feito ao conjunto de fósseis do dinossáurio carnívoro, descoberto em Torres Vedras e que indica a presença de carcarodontossáurios no Jurássico Superior de Portugal há 145 milhões de anos.

Páginas