Entrevista com... Jorge Buescu

"O mundo moderno exige cada vez mais Matemática, não menos!", diz Jorge Buescu

unsplash - Antoine Dautry
Jorge Buescu
Jorge Buescu
Imagem cedida por JB

O novo livro de Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática de Ciências ULisboa é apresentado ao público esta quarta-feira, 5 de dezembro, no anfiteatro do Caleidoscópio da ULisboa, sito no Jardim do Campo Grande, em Lisboa. A obra "Curvas Ideais, Relações Desconhecidas e outras histórias de Matemática", editada pela Gradiva é apresentada nesta sessão por Henrique Leitão, investigador de Ciências ULisboa e por Filipe Oliveira, presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática.

Leia a entrevista com o matemático e escritor que através da Matemática "rasga horizontes e abre novos mundos a mentes sequiosas".

Há quantos anos dá aulas em Ciências ULisboa?

Jorge Buescu (JB) - Há 12 anos: vim para a Faculdade em 2007. Depois de ter saído, 20 anos antes, como licenciado, onde fiz o curso de Física.

O que mais aprecia nas aulas e nos alunos?

JB - O que mais me apaixona é a sensação de rasgar horizontes e abrir novos mundos a mentes sequiosas. De mostrar que a Matemática trata, não de fazer contas, mas de ideias elegantíssimas e de uma beleza extraordinária. 

Como é o seu dia-a-dia?

JB - O dia-a-dia de um professor e investigador: ler, estudar, aprender, ensinar, escrever. Não necessariamente por esta ordem.

Os seus alunos costumam comentar os seus livros?

JB - Enquanto são meus alunos, nem tanto... Julgo que o facto de existir a relação professor/aluno inibe um pouco essa interação. No entanto, com alguns dos alunos mais interessados mantém-se uma relação depois de concluídas as disciplinas. E continuamos pela vida fora a falar de Matemática. De facto, três antigos alunos (um dos quais da Faculdade, o João Ferreira, hoje a fazer doutoramento em França) apoiaram-me na revisão do livro. Um deles até encontrou erros de cálculo!

E qual tem sido a reação dos seus colegas?

JB - A reação é de apoio e simpatia. Acho que todos gostamos quando alguém explica por que é que aquilo que fazemos é interessante!

A Matemática é a principal fonte de inspiração. O que representa para si escrever?

JB - É mais uma forma, particularmente nobre, de comunicar. Chegar à publicação em forma de livro tem um atrativo muito interessante: se ao falar com alunos estou a pregar para convertidos, nos meus livros toco também pessoas que dificilmente teriam acesso, ou talvez mesmo interesse, à beleza da Matemática... Traz experiências muito curiosas. A última foi há poucas semanas: uma aluna do secundário mostrou-me o exame de Português de 12.º ano de 2015, em que um dos textos a trabalhar era do meu primeiro livro.

Dedica a sua vida à Matemática. Como encara o futuro desta disciplina?

JB - A Matemática vai ser cada vez mais importante, e de uma forma cada vez mais acelerada. Vê-se, até de pessoas com responsabilidades políticas ou intelectuais, afirmar que a importância da Matemática vai diminuir porque há calculadoras ou computadores. Isso é apenas uma manifestação de ignorância de quem fala. A conceção de algoritmos e de métodos matemáticos para lidar com os novos desafios, por exemplo, da Ciência dos Dados ou da aprendizagem automática (machine learning), é um enorme motor para desenvolvimento da nova Matemática. Quando se fala em "algoritmos", a propósito do Facebook ou dos carros sem condutor, está-se a falar de Matemática. O mundo moderno exige cada vez mais Matemática, não menos!

Por fim, já está a pensar no próximo livro?

JB - Neste momento, de licença sabática, estou totalmente concentrado em problemas de investigação, em Matemática dura. Mas os temas de Matemática estão sempre à nossa volta, basta saber olhar. Material para novos livros nunca há de faltar!


Capa do novo livro de Jorge Buescu,editado pela Gradiva

 

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em Junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Apresentações dos Projectos de Física dia 19 de Julho, às 10h, na sala 8.2.17:

O que faz o profissional que passa os seus dias no laboratório? E quem se dedica a resolver equações ou a estudar animais e plantas? Cinquenta alunos da associação EPIS descobriram as respostas a estas e a outras questões.

O projeto de reestruturação do Centro de Dados da FCUL, iniciado em junho, deverá estar concluído no próximo mês de setembro.

A Faculdade de Ciências abre as portas dos seus laboratórios a 50 jovens, vindos de diferentes pontos do País, para mais uma edição da “Rota das Vocações de Futuro” da EPIS.

Apesar de ser uma das áreas mais recentes da FCUL, atualmente é uma vertente da ciência portuguesa em franca expansão.

“Um trabalho que reflita sobre o passado de uma instituição, ou o passado da ciência em Lisboa ou em Portugal, é sempre algo de muito importante para repensarmos o nosso trajeto”. A afirmação feita pela historiadora das ciências, Ana Simões, a propósito de um dos muitos projetos em curso é reveladora da importância, que a preservação do património científico tem na sua vida.

Kostas Gavroglu e Ana Simões assinam o primeiro livro “Neither Physics nor Chemistry: A History of Quantum Chemistry” sobre a emergência da disciplina Química Quântica, o pretexto ideal para conversar com a autora portuguesa.

Páginas