Futurália

O futuro desenha-se aqui!

Todos os anos, a Futurália atrai milhares de alunos, professores e famílias. Este ano, não foi exceção. Durante quatro dias, grande parte do mundo universitário concentrou-se num único sítio

A troca de informações foi, uma vez mais, o elemento chave desta feira de oportunidades que troca as dúvidas e as curiosidades dos estudantes, professores e encarregados de educação pelos esclarecimentos e informações dos docentes, alunos e funcionários representantes das diferentes instituições universitárias ali presentes.

A FCUL marcou a sua 16.ª presença neste evento, integrada no stand da Universidade de Lisboa, lado a lado com as restantes unidades orgânicas.

Stand da FCUL na Futurália
A média de candidatura é uma das principais perguntas dos candidatos
Fonte GCIC-FCUL

Experiências ao vivo, distribuição de brochuras e brindes e muita animação foram algumas das propostas da Faculdade nesta edição da Futurália. Este ano, com uma novidade agraciada por todos os que passaram pela banca da FCUL, o "Geodino", um simpático e divertido dinossauro geólogo.

Todos os departamentos da FCUL estiveram representados, incluindo a área das Ciências da Saúde e o Observatório Astronómico de Lisboa, a cargo da Reitoria da UL.

Eduardo Fernandes, aluno do 3.º ano do curso de Geologia, colaborou pela 2.ª vez na Futurália e não hesitou na resposta quando questionado sobre a importância do contacto direto que aqui se desenvolve com o público-alvo: “No caso da nossa área, pensa-se que não há saídas e não é verdade… Estamos a tentar melhorar a opinião sobre o curso, estimular o interesse pela Geologia, explicando a quem nos visita que há muita componente prática e que é uma licenciatura completa de quatro anos com saídas profissionais”.

A compor o cenário estiveram montados cerca de 400 expositores. No total, contabilizaram-se 54337 visitantes, dos quais 20063 alunos e 1935 professores provenientes de visitas programadas com a organização. Todos os distritos estiveram representados no evento sendo que as áreas Grande Lisboa e Setúbal tiveram maior expressão, com 46% e 21%, respetivamente. Os números não deixam dúvidas, este ano houve um acréscimo de visitantes em comparação com o ano anterior já que em 2012 a Futurália contou com cerca de 53000 visitantes.

Stand da FCUL na Futurália
O "Geodino", um simpático e divertido dinossauro geólogo, também esteve presente na Futurália
Fonte GCIC- FCUL

Pedro Pereira, André Pinto e Tiago Ferreira, fizeram parte das estatísticas de 2013. Alunos do 12.º ano da Escola Salesiana de Manique, trocaram a informação virtual pela presencial e saíram a ganhar: “Na Internet não sabemos por onde começar e aqui está tudo à mão. Há muito mais informação, é bastante mais fácil do que estar no computador à procura de qualquer coisa que nunca temos a certeza se está ou não correta. No stand da FCUL descobrimos áreas que não sabíamos sequer que existiam e que agora vamos querer pesquisar, já valeu a pena ter vindo. Vamos ter mais informação e hipóteses para ponderar!”.

Empenhados em traçar um rumo frutuoso para os mais novos, foram vários os pais, professores e psicólogos que ficaram esclarecidos depois de conversar com os profissionais da FCUL.

Ermelinda Martins, mãe de Mariana a frequentar o 10.º ano, passou um sábado diferente, por certo proveitoso no que toca à recolha de informações determinantes para o futuro da educanda: “Até agora já conseguimos obter esclarecimentos para a Mariana e também para uma sobrinha que está no 12.º ano através da via profissional. De facto, há imensas opções e é, sem dúvida, uma boa montra já que se conseguem ver coisas que não estávamos à espera ou que não nos apercebíamos e que realmente existem. Saímos daqui pelo menos com um leque de alternativas diferente, saber como chegar até elas e verificar se essa possibilidade é realmente válida ou não”.

A provar que não há idade definida para delinear caminhos, a FCUL recebeu a visita de Mariana Passarinho de 13 anos, a frequentar o 8.º ano no Colégio Lara Vicunha em Vendas Novas: “Vim porque ainda não sei bem o que quero ser, ainda não tenho nenhuma profissão escolhida em específico. Como sou muito indecisa, optei por vir já este ano! Gosto muito de Ciências, aliás, já sei que no 10.º ano vou para esta vertente, mesmo gostando muito de letras”.
 



Empenhados em traçar um rumo frutuoso para os mais novos, foram vários os pais, professores e psicólogos que ficaram esclarecidos depois de conversar com os profissionais da FCUL
Fonte GCIC- FCUL

“A primeira pergunta é sempre qual é a média de candidatura, depois quais são as diferenças entre a Física e a Engenharia Física, no nosso caso em concreto. A grande oportunidade é contactar com todas as possibilidades de candidatura que existem. Damos todas as informações sobre saídas profissionais e as mais-valias dos cursos. Na Física temos folhetos informativos e temos sempre experiências dedicadas às áreas de investigação”, explicou a professora do Departamento de Física, a colaborar na Futurália há cinco anos, Guiomar Evans.

A oferta informativa destinou-se não só ao público do ensino básico e secundário como também às gerações avançadas que puderam também assistir a workshops, conferências, palestras e seminários com o objetivo de maximizar as competências e estimular o empreendedorismo. Neste campo, o TecLabs - Centro de Inovação da FCUL, teve também um papel preponderante através da promoção de um fórum TecLabs que visou inspirar futuros empreendedores.

A informação foi além do plano nacional, existindo entidades estrangeiras a promover o ensino e as oportunidades além-fronteiras, como foi o caso da agência de emprego alemã presente no evento para receber candidaturas para o programa “Job of my life”, que prevê a atribuição de bolsas até 800€, por mês, para os candidatos dos 18 aos 35 anos que queiram estudar na Alemanha.

Em tempos conturbados, pensar hoje no amanhã fez todo o sentido para milhares de alunos e responsáveis educativos nesta que foi a 6.ª edição da maior feira de educação e formação que se realiza em Portugal.

+ Futurália 2013

“Vim procurar cursos, informar-me sobre as médias, ver quais as faculdades que oferecem as melhores oportunidades. A banca da FCUL está organizada, consegui ver logo os cursos que existem. Pretendo seguir Engenharia e Energia do Ambiente ou Química e Bioquímica. Até agora, está tudo em aberto quanto ao futuro!” Maria Silva, aluna da Escola Secundária do Restelo

“Viemos para ter uma ideia geral dos cursos e conseguirmos assim eliminar algumas hipóteses. Como ainda estamos indecisas, viemos conhecer as Faculdades e as opções. Na FCUL ficámos a saber que vai existir o Dia Aberto para visitar a Faculdade o que nos vai dar imenso jeito para ficarmos a conhecer tanto a instituição como o ambiente que ali se vive.” Inês Lopes e Margarida Cortez, alunas da Escola Salesianos do Estoril

“A Futurália é um ótimo local para obter informações de várias entidades. Para os alunos é uma mais-valia na tomada de decisão. É também um importante local de recolha de informação para psicólogos para que possam trabalhar na orientação dos alunos e respetiva sensibilização dos pais.” Miguel Silva, psicólogo

“Estamos a mostrar o que é o nosso curso, já que não é muito conhecido pelos alunos e eles chegam até nós apenas com uma ideia, às vezes de que é o curso em que os alunos que não entram para Medicina vão. Portanto, através dos nossos panfletos e da nossa presença estamos a tentar esclarecer todas as dúvidas das pessoas.” João Jesus, aluno do 2.º ano do curso de Ciências da Saúde da UL

“Normalmente querem saber a média de entrada, saídas profissionais, temas abordados ao longo da licenciatura e se nós, alunos que estamos a fazer o curso, estamos a gostar. Este ano na Futurália temos uma corrida de carros da lego, temos também uma espécie de helicóptero com quatro hélices controlado por hi-fi e um sistema de jogos controlado por gestos. O objetivo é atrair as pessoas e está mesmo a acontecer porque as atividades que aqui temos não se costumam ver noutros sítios.” Carlos Mão de Ferro, aluno do 2.º ano do mestrado de Informática

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
pessoas a escavar na terra

Pegadas de dinossauros com 195 milhões de anos foram descobertas em Alvaiázere, no distrito de Leiria, sendo as mais antigas da Península Ibérica, segundo estudo publicado na revista científica Historical Biology. Carlos Neto de Carvalho, investigador do Instituto Dom Luiz, é um dos autores do trabalho.

Anfiteatro com pessoas

A 4.ª edição do acontecimento organizado pela Associação Portuguesa de Estudantes de Física (Physis), em colaboração com IA Ciências ULisboa e o Núcleo de Física e de Engenharia Física (NFEF) da Ciências ULisboa começou esta sexta-feira, dia 13 de outubro, no campus da Faculdade e termina este domingo, dia 15. Um dos pontos altos do programa é o debate “Há futuro na exploração espacial?”.

anffiteatro com cientistas

A Ciências ULisboa conta com 26 investigadores colocados nos rankings “World’s Top 2% Scientists”, de acordo com o mais recente estudo publicado pela Elsevier, comprovando a relevância da sua produção científica.

Laureados com o Nobel da Química

O Nobel da Química de 2023 foi atribuído conjuntamente a Moungi G. Bawendi, Louis E. Brus e Alexei I. Ekimov, pelo trabalho que levou à descoberta e ao desenvolvimento de pontos quânticos, nanopartículas tão minúsculas que o seu tamanho determina as suas propriedades, segundo comunicado oficial da Real Academia das Ciências da Suécia.

rato

O estudo “Resistência a rodenticidas anticoagulantes desafia esforços do controlo de pragas em Portugal” - realizado por uma equipa de investigadores do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar – visa recolher informações que tornem a gestão do ratinho doméstico mais eficiente, minimizando os seus impactos.

Katalin Karikó e Drew Weissman

A 2 de outubro de 2023 o Prémio Nobel da Fisiologia e Medicina foi atribuido a Katalin Karikó e Drew Weissman por descobertas biotecnológicas subjacentes à formulação das vacinas de mRNA (RNA mensageiro) para COVID-19. Em todo o mundo, mais de três mil milhões de pessoas receberam pelo menos duas doses destas vacinas (vacinas Comirnaty da Pfizer e Spikevax da Moderna). Em Portugal, cerca de sete milhões de pessoas receberam pelo menos três doses.

Pierre Agostini, Ferenc Krausz e Anne L'Huillier

O Nobel da Física de 2023 foi atribuído a três físicos europeus - Pierre Agostini, Ferenc Krausz e Anne L'Huillier -, a trabalhar nos EUA, Suécia e Alemanha. Reconhece os trabalhos pioneiros relativos à produção de luz decorrentes da interacção entre electrões e atómos foto-ionizados por laser, através da geração de um número elevado de harmónicas de ordem elevada que, em conjunto, e em condições de fase relativas adequadas (phase matching) podem dar origem a trens de impulsos luminosos com durações de ato-segundo (1 as = 10-18 s).

Centro de Congressos de Lisboa com vários participantes do EUPVSEC 2023

A 40th European Photovoltaic Solar Energy Conference and Exhibition - EUPVSEC 2023 realizou-se de 18 a 22 de setembro de 2023, no Centro de Congressos de Lisboa. João Serra, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da Ciências ULisboa, foi novamente convidado a ser o chairman da maior e mais importante conferência europeia dedicada à energia fotovoltaica.

obra de Wassily Kandinsky

"Descobertas recentes na neurociência cognitiva - por António Damásio, Vittorio Gallese e Frans de Waal, entre outros - posicionam a empatia como um facto neurobiológico", escreve Graça P. Corrêa, investigadora do Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa.

pessoas numa escavação numa jazida de fósseis

Novo estudo publicado na revista Zoological Journal of the Linnean Society descreve um novo dinossáurio saurópode que viveu na Península Ibérica há 122 milhões de anos. Esta nova espécie de dinossáurio, apelidada de Garumbatitan morellensis, foi descrita a partir de restos descobertos em Morella (Castelló, Espanha) por uma equipa de paleontólogos portugueses e espanhóis e permitiu ampliar a diversidade de dinossáurios conhecida num dos melhores registos fósseis do Cretácico Inferior da Europa.

sensor de radiação no topo de um veículo

Um novo estudo desenvolvido por investigadores da Ciências ULisboa e do Instituto Dom Luiz com a colaboração de parceiros em França (Mines Paris - PSL) e Luxemburgo (LIST), publicado na revista Progress in Photovoltaics: Research and Applications, explora o potencial em ambiente urbano de veículos solares em 100 cidades em cinco continentes.

auditório lotado

18 de setembro foi o primeiro dia de aulas para mais de 800 novos alunos matriculados nas licenciaturas da Ciências ULisboa na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso. A sessão de boas-vindas aos novos alunos decorreu às 11h30, no auditório 3.2.14.

Luís Fernando Marques Mendes foi um biólogo inteiramente dedicado à Entomologia, desde que se licenciou em 1971 pela Ciências ULisboa. Faleceu na passada quinta-feira, 14 de setembro, após prolongada doença. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos seus familiares, amigos e colegas.

Laje rochosa - primeiras evidências de vertebrados do fundo do mar

A descoberta de fósseis extremamente raros, que representam as primeiras evidências de peixes de águas profundas, atrasa a invasão da planície abissal em 80 milhões de anos. Estas descobertas foram publicadas este mês num novo estudo na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

Grupo de pessoas

A 13ª Conferência Internacional SedNet - Continuum Sedimentar: aplicando uma abordagem de gestão integrada realizou-se na Ciências ULisboa, entre 5 a 9 de setembro. O programa intensivo de cinco dias começou com workshops sobre a gestão dos sedimentos a diferentes níveis, incluiu apresentações e uma visita de campo ao Porto de Lisboa e às dunas e praias de Cascais.

O Departamento de Matemática da Ciências ULisboa e o Museu Nacional de História da Ciência juntam-se numa homenagem que marca o centenário do nascimento do professor João Santos Guerreiro, a realizar no próximo dia 23 de setembro, entre as 14h00 e as 18h00, no Anfiteatro Manuel Valadares, no MUHNAC.

peixes

Os organismos estão a tornar-se mais pequenos através de uma combinação de substituição de espécies e mudanças dentro das espécies: trata-se da conclusão de um novo estudo publicado na revista Science, que analisou dados de todo o mundo dos últimos 60 anos e de diversas espécies de animais e plantas.

Filipe Rosas

​Filipe Rosas é o novo coordenador do Instituto Dom Luiz (IDL).

Susana Custódio com alunos

Portugal obteve uma medalha de prata e três medalhas de bronze na 16.ª edição da International Earth Science Olympiad (IESO 2023), que assinala a 8.ª participação portuguesa. A SGP e a CNOG agradecem à Faculdade o apoio científico prestado no âmbito do programa de preparação da equipa portuguesa para a 16.ª edição da IESO.

3 homens sentados

MARGINS surgiu com o objetivo de estudar as interações socioecológicas entre comunidades humanas e ambiente na zona costeira da Guiné-Bissau e compreender a inter-relação de arrozais e mangais como parte de uma unidade afetada pelas mudanças climáticas. No projeto estão envolvidos docentes, investigadores do IDL e cE3c e estudantes da Faculdade.

Auditório com pessoas

Este ano, na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior concorreram aos 16 cursos da Faculdade 5086 candidatos, tendo sido colocados 872 novos alunos em Ciências ULisboa, 527 em 1.ª opção. Até 5 de setembro decorre a apresentação da candidatura à 2.ª fase. A sessão de boas-vindas aos novos alunos de 2023/2024 acontece no dia 18 de setembro.

abelha mumificada

Um novo estudo publicado na revista internacional Papers in Paleontology dá conta da descoberta de centenas de abelhas mumificadas no interior dos seus casulos, num novo sítio paleontológico descoberto no litoral de Odemira.

mural

Há um novo mural no campus da Faculdade, para apreciar junto à FCULresta, que celebra os dois anos corridos desde a primeira semente lançada. "Só em Portugal, inspirados também pela FCULresta, foram criados ou melhorados um total de 6 espaços verdes resilientes" escrevem os responsáveis pelo projeto, neste artigo de opinião sobre a minifloresta. 

ratinho ruivo

O ratinho-ruivo (Mus spretus) aprende a identificar que novos alimentos é seguro incluir na sua alimentação através do cheiro presente no hálito de outros ratinhos da sua espécie, segundo o artigo “Interaction time with conspecifics induces food preference or aversion in the wild Algerian mouse”, da autoria das cientistas Rita S. Andrade, Ana M. Cerveira, Maria da Luz Mathias e Susana A. M. Varela, publicado em agosto na revista Behavioural Processes.

vista de uma ilha para outra (Açores)

O Prémio Frederico Machado 2022-2023, o primeiro de índole científica a ser atribuído nos Açores, foi ganho pelas equipas lideradas por Mariana Andrade, aluna da Ciências ULisboa e investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), na área das Geociências, e por Pedro Afonso, investigador do Instituto de Investigação em Ciências do Mar da Universidade dos Açores (OKEANOS), na área das Ciências do Mar.

Páginas