Programa CMU Portugal investe cerca de 390 mil euros em seis projetos na área das TIC

Tiago Guerreiro e Jodi Forlizzi lideram “Agência de Adultos Idosos em Interação Humano-Robot

Digital Cyber Circuit Head 3d

“Foi com agrado que recebemos esta notícia, que permitirá continuarmos a investigação na intersecção entre a acessibilidade e interação humano-robô", diz Tiago Guerreiro

Storyblocks

Concurso para Projetos Exploratórios no âmbito do Programa CMU Portugal – 2021 - projetos aprovados

Ciência de dados confiável para melhorar a eficiência nas instituições de cuidados de saúde: o caso da referência médica
Instituição principal em Portugal: NOVA.ID.FCT

PROMETHEUS - Plataforma de PocketQube concebida para acesso da Investigação e do Ensino ao Espaço
Instituição principal em Portugal: Universidade do Minho

Agência de Adultos Idosos em Interação Humano-Robot
Instituição principal em Portugal: FCiências.ID

Desanonimização Supervisionada de Tráfego na Dark Web para Investigação de Cibercrime
Instituição principal em Portugal: INESC-ID/INESC/IST/ULisboa

IA-Humano co-design de exoskins robóticas personalizáveis e conformáveis, para exercício físico, próteses e reabilitação
Instituição principal em Portugal: ISR Lisboa

DIVINA: Deteção de Vulnerabilidades de Injeção em Aplicações Node.js
Instituição principal em Portugal: INESC-ID/INESC/IST/ULisboa

Um dos seis novos projetos financiados pelo Programa Carnegie Mellon University (CMU) Portugal no âmbito do concurso da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) para projetos exploratórios 2021, na área das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) intitula-se “Agência de Adultos Idosos em Interação Humano-Robot” e tem como investigadores principais Tiago Guerreiro, professor do Departamento de Informática da Ciências ULisboa e coordenador do grupo Accessibility and Ageing no Lasige e Jodi Forlizzi, professora na CMU.

O novo conjunto de projetos anunciado em dezembro passado vai envolver investigadores de dez instituições portuguesas em colaboração com cinco departamentos daquela universidade norte-americana e devem principiar nos próximos meses. Segundo comunicado de imprensa emitido pelo Programa CMU Portugal, as equipas de investigação das Universidades de Coimbra, de Lisboa, do Minho e do Porto recebem para o efeito cerca de 390 mil euros para explorar áreas tão diversas como ciência de dados aplicada aos cuidados de saúde, a criação de satélites, a interação homem-máquina, a supervisão de tráfego para investigação de cibercrime, etc..

“Foi com agrado que recebemos esta notícia, que permitirá continuarmos a investigação na intersecção entre a acessibilidade e interação humano-robô, co desenhando e avaliando cenários responsáveis em que os robôs servem as necessidades da sociedade”, diz Tiago Guerreiro. Este projeto, em particular, foca-se no estudo da transferência de agência para pessoas idosas na interação humano-robô. Como podemos mudar a agência dos robôs para as pessoas e ajudá-las a fazer coisas que valorizam é a pergunta feita por Tiago Guerreiro. O cientista responde que para cumprir os objetivos propostos pelo projeto, foi reunida uma equipa multidisciplinar - ciência da computação, interação pessoa-máquina, psicologia cognitiva, robótica, design industrial - do Lasige Ciências ULisboa e que junta além da sua pessoa, ainda Hugo Simão, Ana Pires, João GuerreiroAndré Rodrigues; e ainda a equipa de Alexandre Bernardino, professor do Instituto Superior Técnico (IST) e investigador no Institute for Systems and Robotics (ISR) de Lisboa, assim como Jodi Forlizzi.

A missão do Programa CMU Portugal é colocar o país na vanguarda da inovação em áreas focadas de TIC, através da investigação de ponta, da excelência na formação pós-graduada e de uma ligação muito próxima com a indústria portuguesa. O Programa é financiado pela FCT e resulta de uma colaboração entre o governo português e a universidade norte-americana, iniciada em outubro de 2006 e já renovada até 2030. Esta parceria internacional envolve, para além da CMU, 15 universidades portuguesas, e mais de 150 empresas parceiras. O Programa apoiou até hoje 77 projetos colaborativos de investigação, sendo que 12 foram lançados em 2020. Estes projetos já impulsionaram a criação de 12 startups, que atraíram mais de 200 milhões de dólares de investimento de capital de risco, na sua maioria internacional e criaram mais de mil postos de trabalho.

Para Nuno Nunes, codiretor do Programa CMU Portugal, “é importante fomentar ideias que estão apenas a começar porque a maior parte delas irá certamente dar origem a promissores projetos de investigação”. Ainda que se trate de projetos de curta duração, a codiretora nacional do Programa CMU Portugal, Inês Lynce, refere a este propósito que “o seu impacto vai muito para além destes 12 meses de projeto. Essas iniciativas são um grande passo para estabelecer as bases para futuras colaborações e uma grande oportunidade de investir em novas oportunidades de investigação com foco na resolução de problemas do mundo real”.  

Desde 2017, o Programa lançou três concursos para projetos exploratórios, com um total de 21 projetos financiados. Segundo a FCT o concurso de 2021 elegeu 33 candidaturas.

ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas