Prémio Fluviário de Mora 2016 atribuído a doutorado por Ciências

A entrega do prémio aconteceu no passado dia 24 de março, durante a cerimónia comemorativa do 10.º aniversário do Fluviário de Mora, em Évora

cE3c

Comentário de Rui Rebelo

"Este prémio é uma recompensa merecida por um trabalho que à partida tinha alguns fatores de risco e que envolveu esforço e dedicação ao longo de dois dos anos do doutoramento do Bruno Carreira. Devo também mencionar que o trabalho só foi possível graças à existência de duas infraestruturas da FCUL, essenciais para o desenvolvimento de trabalho experimental de excelência na área da Ecologia aquática: o Biotério e a Estação de Campo - a Herdade da Ribeira Abaixo.

Vários outros investigadores contribuíram para este sucesso, mas a responsabilidade final e muito do trabalho fora de horas coube ao Bruno, que está por isso de parabéns.

Este trabalho abriu a porta a novas perguntas numa área de interface entre Ecologia e alterações climáticas e estou certo que o Bruno estará interessado em prosseguir investigação nestes temas, assim haja oportunidades de financiamento para recém-doutorados".

Bruno Carreira, doutorado em Biologia por Ciências e atualmente investigador de pós-doutoramento no cE3c - Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais, é o vencedor da edição de 2016 do Prémio Fluviário de Mora - Jovem Cientista do Ano.

A entrega do prémio aconteceu no passado dia 24 de março, durante a cerimónia comemorativa do 10.º aniversário do Fluviário de Mora, em Évora.

O prémio, instituído em 2010 pelo Fluviário de Mora, distingue anualmente um aluno de licenciatura, mestrado ou doutoramento que tenha publicado, como primeiro autor e no ano do concurso, um artigo sobre conservação e biodiversidade de recursos aquáticos continentais (estuários e rios).

Bruno Carreira foi distinguido pelo artigo científico “Warm vegetarians? Heat waves and diet shifts in tadpoles”, publicado na revista científica “Ecology”, no âmbito do seu doutoramento em Biologia, especializando-se em Ecologia, sob orientação de Rui Rebelo, professor do Departamento de Biologia Animal de Ciências e Anssi Laurila, professor da Universidade de Uppsala, na Suécia.

Bruno Carreira concluiu o doutoramento com distinção e louvor em finais de 2016. Atualmente é investigador de pós-doutoramento no cE3c, preparando-se agora para concluir e publicar outros artigos produzidos durante o referido curso.

“Embora os efeitos da temperatura nos animais sejam estudados há décadas, a descoberta da influência da temperatura na dieta dos animais ectotérmicos – de sangue frio – é muito recente”, diz Bruno Carreira. Entre 2015 e 2016 várias equipas de investigadores sediados na China, Alemanha e República Checa descobriram que os animais ectotérmicos aumentam a herbivoria a temperaturas mais elevadas. “O nosso trabalho, em colaboração com a Suécia, mostra pela primeira vez que este padrão ocorre também em animais vertebrados e, em conjunto com os restantes artigos da minha tese de doutoramento, mostra que este é possivelmente um padrão ecológico generalizável a todas as espécies ectotérmicas que existem no planeta”, explica.

No artigo que valeu esta distinção a Bruno Carreira, os investigadores demonstraram que as ondas de calor tornam os girinos mais vegetarianos.

Feliz com esta distinção, Bruno Carreira refere ainda que o galardão reconhece a qualidade da investigação realizada durante o doutoramento e a projeção surpreendente do artigo publicado na “Ecology” - as conclusões deste estudo foram alvo de notícia um pouco por todo o mundo. “É muito gratificante ver o meu trabalho divulgado e premiado a estes níveis e, de certa forma, faz-me esquecer a sua má aceitação inicial, muito ligada ao facto de ser apenas um estudante de doutoramento e por estar a abordar um tema controverso com conclusões inesperadas”, conclui o investigador.


Bruno Carreira concluiu o doutoramento em Biologia com distinção e louvor em finais de 2016. Atualmente é investigador de pós-doutoramento no cE3c
Fonte cE3c

 

Marta Daniela Santos, cE3c, com ACI Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Páginas