Obituário - Em homenagem

Claudina Rodrigues Pousada (1941-2021)

Cristina Santos, Margarida Amaral, Claudina Rodrigues-Pousada, Alexandre Quintanilha, Ana Ponces, Pedro Moradas-Ferreira, Ruy Pinto

Cristina Santos, Margarida Amaral, Claudina Rodrigues-Pousada, Alexandre Quintanilha, Ana Ponces, Pedro Moradas-Ferreira, Ruy Pinto

Imagem cedida por MDA

Curta biografia

Claudina Rodrigues-Pousada nasceu em Tadim, uma pequena aldeia perto de Braga, em 1941. Licenciou-se em Farmácia pela Universidade do Porto em 1968, e em 1973, já mãe de três filhos, partiu para Paris para fazer ‘ciência à séria’ em Biologia Molecular (área então praticamente inexistente em Portugal) sobre o tema da maturação de RNAs mensageiros e ribossomais, sob orientação de Donal Hayes, na Université Paris VII, onde obteve o seu doutoramento em Bioquímica em 1979 com uma “menção muito honrosa”. Foi aí que conheceu o então chefe do Departamento de Biologia Molecular, François Gros (posteriormente conselheiro para a Ciência de François Mitterrand), que ficou para sempre como seu grande amigo e mentor de vida.

De regresso a Portugal, ingressou no IGC-Instituto Gulbenkian de Ciência como investigadora, dedicando-se ao estudo do citoesqueleto, em particular da biossíntese dos microtúbulos. Para tal, utilizou o organismo modelo Tetrahymena pyriformis, porque este protozoário ciliado possui vários tipos de microtúbulos no seu córtex e cílios. Deste trabalho fizeram-se das primeiras clonagens e sequenciação de genes em Portugal. Em pouco tempo tornou-se chefe do Laboratório de Genética Molecular do IGC. Em paralelo, foi professora catedrática do Instituto Abel Salazar (Porto), durante quase 20 anos. Entre 1986 e 1993 iniciou também aulas de Biologia Molecular no Departamento de Química e Bioquímica, como professora convidada, pela mão do professor Ruy Pinto. Em 2002 transitou do IGC para o ITQB, onde ingressou como professora catedrática. Em 2017, a sua história foi contada na autobiografia “Quarenta Anos de Investigação - na Voragem do Tempo”. O livro, lançado com a presença do atual ministro Manuel Heitor, relembra o seu percurso, desde a juventude em Tadim, ao doutoramento em Paris e a uma carreira de sucesso e muito trabalho como cientista, professora, defensora da ciência na sociedade e mulher de família.

Claudina Rodrigues-Pousada recebeu diversos prémios e distinções ao longo de sua carreira, entre os quais o prémio de membro honorário vitalício da Cell Stress Society International e o FEBS Diplôme d´Honneur, que recebeu em Praga em 2009, com a presença do então ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano gago (seu amigo) e presidente da FCT, João Sentieiro. Em Portugal, recebeu o Prémio de Excelência (2001), e o Prémio de Mérito Científico (2001), atribuídos pelos ministros da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Graça Carvalho e Manuel Heitor, respetivamente. Foi uma das cientistas da primeira edição da exposição e do livro “Mulheres na Ciência”, organizada pela Ciência Viva, e membro de várias sociedades científicas internacionais, incluindo da EMBO (1994) e da AAAS (2011).

Fonte: MDA

É com grande tristeza que informamos o falecimento duma grande mulher cientista, a professora Claudina Rodrigues-Pousada, uma grande mentora de vida na Ciência pelo seu empenho, persistência, foco e determinação.

Foi professora convidada da Ciências ULisboa entre 1984 e 1992, onde deu grande impulso à então ‘jovem’ licenciatura em Bioquímica (da qual o seu filho mais velho, Renato, integrou os primeiros alunos), lecionando a disciplina de Biologia Molecular pela primeira vez nesta Faculdade[1] e orientando os doutoramentos de duas então ‘jovens assistentes’ do DQB (a Luisa Cyrne e eu própria). Não vou dizer que ser orientada por ela era ‘um mar de rosas’, pois tinha um ‘feitio difícil’ e intempestivo. Mas impôs-nos sempre uma disciplina de rigor e exigência, em simultâneo com uma ‘ousadia científica’ que sempre nos levava mais longe. Numa época em que fazer ciência de nível internacional em Portugal era uma miragem, a Claudina sempre nos incutiu a visão de que ‘a ciência ou é internacional ou não é nada’. Trazia regularmente a Portugal os melhores especialistas da área, com os quais podíamos discutir o nosso trabalho (desde que não fossemos depois trabalhar para os laboratórios deles, é claro…!)

Foi incansável em seu empenho e dedicação à ciência e um grande exemplo para muitos de nós. Apoiou várias gerações de jovens cientistas não só em Portugal (supervisionou mais de 30 alunos de doutoramento) como internacionalmente, nomeadamente através da FEBS (Federação das Sociedades Europeias de Bioquímica), instituição que presidiu entre 2003/2004 e onde dirigiu recentemente o Grupo de trabalho dos Jovens Cientistas (YSF-Working Group on the Career of Young Scientists). Gostava também muito de falar de ciência para o público em geral e de motivar os jovens para a investigação científica.

Teve muitas distinções, mas entre as que mais prezava era ser membro eleito da EMBO-European Molecular Biology Organization (na qual também ingressei pela sua mão em 2014) e da AAAS-American Association for the Advancement of Science.

Agradecemos à professora Claudina Rodrigues-Pousada por todos os anos dedicados à ciência, pelo seu exemplo para muitas gerações de mulheres cientistas, pela sua incansável devoção ao desenvolvimento da Biologia Molecular em Portugal e, muito em particular, pela sua implementação na Ciências ULisboa.

Enviamos as nossas condolências à sua família, amigos e ex-alunos.


[1] Anteriormente só tinha sido lecionada a disciplina de Genética Molecular pelo professor Luís Archer

Margarida D Amaral, Departamento de Química e Bioquímica Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

 

Manuel Nunes Marques

Manuel Nunes Marques, antigo diretor do Observatório Astronómico de Lisboa e professor aposentado do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da FCUL, faleceu durante a madrugada de 18 de abril. A missa de corpo presente realiza-se esta quinta-feira, pelas 19h00, na Igreja Nossa Senhora Conceição dos Olivais Sul, em Lisboa. O funeral realiza-se a 19 de abril, pelas 15h00, na Igreja de Santo António das Areias, no concelho de Marvão. Aos familiares, amigos e colegas, a FCUL apresenta as sinceras condolências.

património + educação = identidade

A Geometria na Politécnica, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

 

Carlos Rafael Borges Mendes

O interesse pelas ciências e tecnologias surgiu ainda no liceu, tendo optado por prosseguir os estudos na área da Biologia, em parte por influência de duas professoras dessa disciplina.

Visitas guiadas à  Exposição Formas & Fórmulas

13 de abril 11h30-13h00

11 de maio 11h30-13h00

Diálogos com Formas & Fórmulas

11 de abril 18h

No próxima quinta-feira, 11 de Abril, a FCUL e em particular, o Departamento de Informática, vão ser "invadidos" pelos alunos do secundário. Para visitar o DI-FCUL já temos cerca de 200  alunos inscritos.

Maqueta do Campus Sustentável da UL

As expetativas da equipa da Universidade Verde só podiam ser elevadas: as verbas alcançadas no âmbito desta iniciativa serão usadas para implementar medidas de eficiência energética, já identificadas nas auditorias realizadas.

Trial para todos os membros da b-on

 

“No stand da FCUL descobrimos áreas que não sabíamos sequer que existiam e que agora vamos querer pesquisar, já valeu a pena ter vindo. Vamos ter mais informação e hipóteses para ponderar!”, declarou um grupo de alunos da Escola Salesiana de Manique a visitar a banca da FCUL na Futurália.

Rosto de Fernando Ramos

“A maioria das instituições de ensino superior em Portugal têm qualidade superior às do Brasil, contrariando de forma que não deixa dúvidas a 'recomendação' do Governo brasileiro”, escreve Fernando Ramos num artigo publicado no jornal "Público" no passado dia 26 de março.

O artigo intitulado "PAMPA in the wild: a real-life evaluation of a lightweight ad-hoc broadcasting family" da autoria de Christopher Winstanley, Ra

O Departamento de Informática marcou presença na última edição da Futurália. A Futurália, a Feira de Ofertas Educativas e Formativas para estudantes, realizou-se de 13 a 16 de Março, na Feira Internacional de Lisboa (FIL)

“Luís Mendes Victor dedicou uma carreira de mais de 40 anos à investigação nas diversas áreas da Geofísica. Professor Catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa desde 1991, ensinou Geofísica, Sismologia, Prospeção Geofísica, Hidrologia e Física dos Recursos Naturais”, refere o colega e amigo, Jorge Miguel Miranda.
 

Atualmente, a nova rubrica disponibiliza entrevistas realizadas a participantes e colaboradores da última edição do Dia Aberto e a dois investigadores que trabalham na área da surdez genética.

Rosto de Teresa Alpuim

Pode-se dizer, sem risco de exagero, que a Estatística é a mais social das ciências exatas.

Programa M23

Atualmente 47 alunos estudam na FCUL através do programa Maiores de 23 anos. A FCUL conversou com uma dessas alunas, Ana Jardim, de 35 anos, aluna do 2.º ano de Engenharia Informática.

FCUL esclareceu possíveis candidatos ao programa M23 no Open Day pelo Núcleo de Formação ao Longo da Vida

“Tenho interesse em prosseguir os estudos académicos por vários motivos, entre eles o pessoal, sei que posso dar muito mais não só para mim como também para a sociedade e também porque poderei melhorar a minha condição de trabalho”, afirma Elísio Gomes, de 31 anos e visitante do Dia Aberto a Maiores de 23 da UL.

Antenas do ALMA

O primeiro de uma série de vodcasts de divulgação científica do CAAUL dedicados aos maiores tópicos da atualidade em Astronomia apresenta o ALMA.

Rosto de Luísa Maria Abrantes

“A professora Luísa Maria Abrantes será sempre recordada pela sua enorme dedicação e empenho durante os 40 anos de serviço a esta casa”, refere o seu colega e amigo Jorge P. Correia.

A FCUL volta a marcar presença na Futurália, na FIL, no Parque das Nações, juntamente com outras unidades orgânicas da UL, entre 13 e 16 de março.

“Foi o professor Henrique Leitão que me alertou para o facto de a questão do real impacto de Pedro Nunes na náutica do seu tempo estar por resolver.

Bruno Almeida

“Foi o professor Henrique Leitão que me alertou para o facto de a questão do real impacto de Pedro Nunes na náutica do seu tempo estar por resolver. A tese e o prémio foram passos saborosos de um caminho longo mas que tem todo o potencial de ser gratificante e divertido”, reforça Bruno Almeida, vencedor do Prémio Cultura 2012 atribuído pela Sociedade de Geografia de Lisboa.

Páginas