Crónicas em Ciências

Quake: esperar o inesperado

Instalações do Quake

O Quake – Centro do Terramoto de Lisboa – nasceu de uma vontade de contar a fascinante história do sismo de 1755, dos seus mistérios científicos aos detalhes irresistíveis da história e ao incrível sucesso que foi a reconstrução de Lisboa

Quake
Susana Custódio
Susana Custódio
Imagem cedida por SC

Luis Matias
Luís Matias
Imagem cedida por LM

Todos sabemos que o grande sismo de Lisboa de 1755 afetou de forma dramática o nosso país. Destruiu a grandiosa cidade de Lisboa do século XVIII, então capital de um império ultramarino conquistado por séculos de navegações. E criou condições para uma reforma política que abriu caminho para as ideias do iluminismo em Portugal. Mas o sismo de 1755 não faz “só” parte da nossa herança histórica. Este sismo continua ainda hoje a ter um lugar central na Sismologia do século XXI. Além de nos recordar que estamos expostos a um risco sísmico que tem de ser mitigado, levanta questões científicas notáveis que permanecem abertas.

Ao nível do entendimento mais fundamental do sismo de 1755, bem como de outros sismos que ocorrem ao largo de Portugal continental (por exemplo, o sismo de 1969 de magnitude 7.9), continuamos sem conhecer as falhas tectónicas ativas mais profundas, a cerca de 40 km, na litosfera sub-crustal oceânica, e como é que elas se relacionam e interagem com as falhas crustais mais superficiais, para acomodar uma deformação tectónica que é lenta mas inexorável.

O Quake situa-se em Belém, junto ao Museu Nacional dos Coches e perto do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Visite o site e planeie a visita. A Faculdade e o Instituto Dom Luiz são parceiros deste projeto.

Ao nível da avaliação da perigosidade sísmica, o sismo de 1755 continua a ser um problema irresolúvel a nível europeu e mesmo global, pela dificuldade de entender um sismo de tal magnitude no nosso contexto geotectónico, tendo em conta as nossas taxas de sismicidade de fundo, a dimensão das falhas tectónicas mapeadas, e a distribuição das intensidades sísmicas observadas, dificultando assim a previsão da sismicidade futura. Ao nível da redução do risco, temos em mãos a complicada questão da preparação para os eventos extremos – eventos que causam elevados níveis de destruição, mas que são raros, o que tem o efeito perverso de diminuir a perceção de risco da população. Onde a terra tremeu, voltará a tremer, só não sabemos é quando. Pode ser amanhã. Estamos preparados?

O Quake – Centro do Terramoto de Lisboa – nasceu de uma vontade de contar a fascinante história do sismo de 1755, dos seus mistérios científicos aos detalhes irresistíveis da história e ao incrível sucesso que foi a reconstrução de Lisboa. Partindo da vontade individual de dois cidadãos que quiseram dar mais à cidade de Lisboa, e contando com uma equipa de centenas de pessoas de mais de dez nacionalidades e um investimento de dez milhões de euros, foi construído um edifício moderno com dez salas imersivas que ligam passado, presente e futuro.

Instalações do Quake e duas pessoas
O sismo de 1755 continua a ser um problema irresolúvel a nível europeu e mesmo global, pela dificuldade de entender um sismo de tal magnitude no nosso contexto geotectónico
Fonte Quake

Para nós foi uma experiência única, pelo contacto com uma equipa tão diversa e criativa e pela possibilidade de transmitirmos o que nos fascina sobre os sismos em geral e em particular sobre os sismos em Portugal. Ao longo de dois anos, trabalhámos de perto com a equipa do Quake no desenvolvimento e verificação de conteúdos, para que todos os que visitem o Quake se divirtam, envolvam, aprendam, e saiam mais preparados para conviver com os sismos do nosso território. Venha visitar. Espere o inesperado.

Susana Custódio e Luís Matias, cientistas do IDL e do DEGGE Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O percurso académico e profissional da cientista é marcado pela experiência profissional além-fronteiras.

Prémio ANACOM URSI Portugal 2013

O estudo “Técnica multimodal inovadora baseada em PEM-UWB para deteção de cancro da mama e respetiva classificação” é da autoria da cientista Raquel Conceição.

O trabalho da jovem cientista também passa pela criação de uma rede de investigadores europeia, que colabore no desenvolvimento de aplicações médicas na frequência de micro-ondas e agilize processos de ensaios clínicos e de comercialização de novos equipamentos médicos.

“Os ocupantes cumpriram as instruções, saíram do edifício de forma muito ordeira e a evacuação foi feita com rapidez”, declarou Júlia Alves, assessora para a Segurança do Trabalho na FCUL.

Marília Antunes

“[Tê-la na nossa equipa] é absolutamente enriquecedor e imprescindível para a boa continuação do nosso trabalho”, comenta Sandra Garcês, coordenadora do projeto "An Evidence-Based Approach to Optimize Therapeutic Decisions Involving Biological Drugs”, distinguido com o Prémio Pfizer de Investigação Clínica 2013, que contou com a participação da cientista da FCUL.

The European Commission has presented on December 11th  the first calls for projects under Horizon 2020, the European Union's €80 billion research and innovation programme.

Consulte as apresentações disponíveis.

 

Para além de Paulo Urbano o estudo contará com a participação de um bolseiro e a consultoria do investigador Joel Lehman, da University of Texas at Austin. O financiamento total excede os 22.000 euros.

Autores do artigo publicado no Journal of Catalysis

Carla D. Nunes, Cristina I. Fernandes, Marta S. Saraiva, Teresa G. Nunes e Pedro D. Vaz trabalham há dois anos num estudo que visa o desenvolvimento de catalisadores mais eficientes e facilmente separáveis para reciclagem.

A equipa do CAUUL, responsável por este projeto, tem como objetivo “construir um modelo do sistema climático de Vénus e colocar os resultados de vários anos de investigação à disposição da comunidade científica mundial”.

Cartaz

A investigação premiada tem como foco principal os doentes com Artrite Reumatoide.

FCUL recebe delegação russa

“Achei o encontro muito interessante. Na Rússia não há muito conhecimento sobre a educação em Portugal e hoje descobrimos muitos aspetos interessantes que podemos vir a aplicar na nossa estrutura de ensino”, comentou Predybaylo Bladislav, membro da delegação russa em visita à UL

Durante as férias de Natal, de 23 de Dezembro a 3 de Janeiro a biblioteca do C4 está aberta todos os dias úteis das 9:30h às 17:30h.

Um dos Prémios Pfizer de Investigação Básica 2013 foi atribuído ao projeto “Global ENaC Regulators and Potential Cystic Fibrosis Therapy Targets", que tem como investigadora principal Margarida D. Amaral, professora do Departamento de Química e Bioquímica e um dos membros do BioFIG - Centro de Biodiversidade, Genómica Integrativa e Funcional da FCUL.

Rui Santos, Andreia Dias, Ricardo Santos, Dora Inácio e Hugo Ferreira

O conceito do projeto bioM surgiu durante o 2.º semestre de 2012/2013 no âmbito da disciplina Inovação e Transferência de Tecnologias.

João Lin Yun

João Lin Yun distingue-se na área da Física e da Astronomia. No seu currículo, diversidade de atividades organizadas e desenvolvidas dentro do território nacional e fora dele são um marco evidente. Para além da forte aposta na carreira profissional, a vida do professor da FCUL é marcada também pela escrita.

João Lin Yun

“Quando escrevo, há alturas em que as ideias e o material fluem de forma tão espontânea que me surpreendo com o resultado! É como se as personagens tomassem as rédeas e dissessem: ‘quero dizer isto e fazer aquilo!’ E eu limito-me a obedecer-lhes…”, comenta o professor da FCUL, João Lin Yun.

As candidaturas à formação avançada decorrem até 13 de dezembro. Para esta 1.ª edição, que se inicia a 13 de janeiro de 2014, devem ser atribuídas seis bolsas mistas cujos trabalhos decorrem em Portugal e no estrangeiro, com o intuito de desenvolver projetos conjuntos entre países.

Paulo Veríssimo, professor catedrático do DI-FCUL, participou no passado dia 25 de novembro de 2013, no programa "Sociedade Civil", transmitido na RTP2.
 
António Branco

Um dos resultados chave da análise levada a efeito é o de que a língua portuguesa é um dos idiomas para o qual a preparação tecnológica para a era digital é "fragmentária".

Imagem abstrata da  "Philosophy of Science in the 21st Century - Challenges and Tasks"

Durante o evento será lançado o programa doutoral em Filosofia da Ciência, Tecnologia, Arte e Sociedade, recentemente aprovado pela FCT, com a mais elevada classificação: “Exceptionally strong with essentially no weaknesses”.

Rita Cascão

O sucesso do Biobanco-IMM é promovido pelo contínuo aumento de parcerias e colaborações não só com empresas de biotecnologia e unidades de saúde, mas também com institutos de investigação científica e investigadores académicos de ciências básicas, como os investigadores da FCUL.

SIMPLES AZULEJOS

Azulejos quadrados e Matemática

 

Bandeira de Marrocos

Atualmente a equipa prossegue com os trabalhos de correção de falhas e de afinação do CuCo de modo a dar apoio às sete faculdades marroquinas e a prepará-lo também para entrar em operação no DI-FCUL já no próximo ano letivo.

José Afonso

Chama-se galáxia IRAS 08572+3915 e é a mais luminosa do universo local. José Afonso é um dos membros da equipa de astrónomos internacionais, que anunciou recentemente a descoberta. O investigador da FCUL e dirigente do CAAUL é muito otimista quanto ao presente e futuro desta área científica.

Páginas