“Caixa Sismológica” vence concurso internacional “Ciência na Escola”

Stand do projeto “Caixa Sismológica” apresentado na mostra final do concurso

Cedida por IDL

O projeto “Caixa Sismológica”, do Agrupamento D. Maria II, com sede na Escola Básica e Secundária Gama Barros, no Cacém, venceu o concurso internacional “Ciência na Escola”, 1.º escalão – Educação Pré-escolar, promovido pela Fundação Ilídio Pinho. Neste escalão do concurso, participaram 48 projetos, dos quais só 12 chegaram à fase final, em Coimbra.

A ideia da “Caixa Sismológica” surgiu da experiência pedagógica com crianças em idade pré-escolar e da recorrente falta de recursos educativos para explicação dos sismos às crianças. O interesse e a motivação das crianças por atividades científicas e experimentais alimentaram a ideia, que levou à elaboração de um protótipo.

O projeto vencedor contou com o contributo do Instituto Dom Luiz, nomeadamente de Luis Matias, investigador do Instituto e professor do DEGGE de Ciências ULisboa e José Luis Duarte, assistente técnico do Instituto. Outras entidades cooperantes do projeto também foram o Centro Europeu dos Riscos Urbanos (CERU), a Science4you e o Serviço Municipal de Proteção Civil de Sintra.

Na elaboração dum dos conteúdos também foi fundamental a ajuda do Núcleo de Estudantes de Engenharia da Energia e do Ambiente de Ciências ULisboa- Oficina das Energias. O projeto educativo foi desenvolvido no ano letivo 2016/2017 e envolveu 153 crianças de sete salas de Educação Pré-Escolar, nomeadamente dos Jardins de Infância do Cacém n.º 1, da EB1/JI de Vale Mourão e da EB1 Ribeiro de Carvalho. A equipa incluiu sete educadoras de infância, o coordenador do projeto “Segurança na Escola e na Comunidade”, o orientador de projetos “Ciência na Escola” e o representante de projetos no Conselho Pedagógico do agrupamento escolar.


1.º prémio foi entregue a Diva Carvalho, educadora de infância e coordenadora do projeto “Caixa Sismológica”
Cedida por IDL

A atribuição dos prémios ocorreu em Coimbra. A cerimónia contou com a presença Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, Ilídio Pinho, presidente da Fundação, Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, Manuel Machado, presidente da Câmara Municipal de Coimbra e da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, assim como dos premiados - Diva Carvalho, educadora e coordenadora do projeto “Caixa Sismológica” e António Gouveia, diretor do agrupamento escolar.

“Foi um grande desafio que tornou possível desenvolver um recurso educativo inovador, que materializa a Terra e as placas tectónicas, reforça o conhecimento do mundo, aproxima as crianças da ciência e da tecnologia, explora o kit de emergência e promove os comportamentos desejados em situações de risco. As crianças colocaram toda a sua boa vontade e espírito criativo. Deram asas à imaginação e criaram os constituintes do kit de emergência, que serviram de base aos sete jogos da Caixa. A vertente inovadora deste protótipo e a matriz científica e experimental que o caracterizam são uma mais-valia para crianças e respetivos educadores.”
Promotores da "Caixa Mágica"

IDL com ACI Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas