Ciências em Movimento

Ciências em Movimento - Laboratório Biologia Animal
GCIC-FCUL

Durante cinco dias, alunos, investigadores, professores e AEFCL prepararam diferentes atividades para receber alunos e docentes vindos de escolas básicas, secundárias e até infantários.

A iniciativa 1.ª semana Ciências em Movimento, a cargo da Faculdade de Ciências e apoiada pelo programa Escolher Ciência, recebeu 440 participantes oriundos de sete escolas durante o período de 10 a 14 de fevereiro. No total, realizaram-se 25 atividades sobre diferentes campos da ciência e dez flash-talks apresentadas por 32 professores/investigadores.

Ilda Godinho, professora da Escola Secundária de Vila Viçosa, a acompanhar os seus alunos do 11.º ano, explicou a importância da vinda à FCUL: “Pensámos nisto no espaço de uma semana e assim que falámos neste assunto aos alunos, todos nos disseram que vinham. É uma turma de 27 alunos e vieram todos. São alunos que vivem fora lisboa, de locais distantes e, por isso, esta é uma oportunidade de contactarem com uma faculdade: ver o que é, o trabalho que aqui é desenvolvido, conhecer os laboratórios. Aprendem sempre! É outra perspetiva da ciência”.
 

Durante a semana, o átrio do C6 foi o ponto com maior concentração de atividades: houve jogos, apresentações, oficinas.


Fonte: GCIC-FCUL
Legenda: "Oficina de Carrinhos Solares" foi uma das atividades preparadas para os participantes da semana Ciências em Movimento

Duarte Santos, aluno do 5.º do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente e membro do grupo “Energia nas Escolas”, a dar apoio à atividade “Oficina de Carrinhos Solares”, reforçou a importância do acompanhamento dado aos estudantes: “A aprendizagem, quando é auxiliada com a prática, através de algo de que eles gostem e se divirtam, é aumentada exponencialmente. A aquisição de conhecimentos torna-se muito mais rápida e fácil, os alunos querem repetir a experiência e fazer outras atividades”.

O jovem aluno da FCUL comentou ainda que a atividade que naquela altura ensinara ao grupo de alunos de Geografia da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo incluiu a utilização de materiais reciclados, “o que permite sensibilizá-los para o assunto da reciclagem mostrando o que se pode fazer com materiais que à partida não têm utilidade”.

Para além do átrio do C6 e dos anfiteatros destinados à interação através de flash-talks, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer outros espaços da faculdade, nomeadamente através da atividade “Pedipaper da Química e Bioquímica”, que conduziu os participantes pelos laboratórios do DQB, anfiteatros do C3 e Passeio da Ciência no C6.


Fonte: AEFCL
Legenda: A atividade “Pedipaper da Química e Bioquímica”, levou os estudantes a explorar diferentes espaços da FCUL

Alguns laboratórios convidaram ainda os estudantes a vestir as batas e a utilizar os materiais disponíveis, foi o caso de dois dos laboratórios de Biologia Animal.
 

Na atividade “Os peixes também têm vida sexual” abordaram-se exemplos de oviparidade, viviparidade ou ovoviviparidade, hermafroditismo, monogamia e poligamia e da diversidade de comportamentos que neste grupo se podem encontrar.

“Olha, aqui estão os ovários! E o fígado está algures por aqui…”, foi um dos comentários ouvidos na sala, à medida que as descobertas aconteciam.


Fonte: GCIC-FCUL
Legenda: Na atividade “Os peixes também têm vida sexual” os estudantes vestiram as batas e utilizaram os materiais disponíveis para descobrir o interior de diferentes peixes

As motivações para estar presente nestas atividades foram distintas, entre os presentes, houve os que vieram para ouvir pela primeira vez explicações sobre estas temáticas, outros vieram complementar o conhecimento adquirido em aula, outros ainda esclarecer dúvidas para definir escolhas futuras.

Alexandra Monteiro, aluna do 12.º ano de Biologia da Escola Secundária Dona Filipa de Lencastre, deu conta da sua experiência enquanto cientista: “Não conhecia a Faculdade e estou a gostar. Nunca tinha aberto um peixe! Acho que é importante fazer parte deste tipo de iniciativas para que quem queira seguir [a área das ciências], tenha contacto com a realidade antes de fazer a sua escolha”.

As descobertas científicas envolveram e animaram pequenos e graúdos. As crianças do infantário do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) também tiveram a oportunidade de pôr o dedo no ar e ver esclarecidas as suas dúvidas e curiosidades sobre este “mundo dos crescidos”.


Fonte: GCIC-FCUL
Legenda: Durante a semana, também os mais pequenos descobriram, com entusiasmo, Ciências

Leonor, Gabriela e Francisco, souberam responder à questão – “Afinal, o que é um tornado?” -, com uma explicação pronta: “Um tornado é uma nuvem muito grande que anda à volta!”.

Entusiasmados, os visitantes do infantário referiram que para além da atividade do tornado, gostaram de utilizar os tubos de ensaio já que estes permitiram “pôr água da chuva e ver o líquido a ficar amarelo, pôr água do mar e tornar o líquido cor-de-rosa”. Foi também neste dia que encontraram a resposta para algo que não estavam à espera – “Porque é que o céu é azul?”.


Fonte: AEFCL
Legenda: No total, realizaram-se dez flash-talks apresentadas por 32 professores/investigadores

“Ordem e Caos”, “Matéria e Energia”, “Mar e Atmosfera”, “Riscos e Catástrofes” e “Tecnologia e Sustentabilidade” foram as temáticas abordadas em cada dia desta semana onde “diferentes áreas científicas ‘conversaram’ entre si e com os visitantes”. A vontade de voltar ficou registada! Brevemente, as portas voltam a abrir-se para transmitir conhecimento científico. A todos os que quiserem ter contacto direto com Biologia, Bioquímica, Informática, Engenharia da Energia e do Ambiente, Estatística e Investigação Operacional, Física, Geologia, Matemática Química, fica o convite para fazerem parte do Dia Aberto 2014, a acontecer dia 23 de abril.
 

+ Sobre a semana Ciências em Movimento

 

“Estamos fazer uma atividade nova, diferente da nossa área, que tem a ver com a radiação solar. Estamos a aprender a fazer um carro que se vai mover a energia solar, neste caso com uma lâmpada. Somo de Línguas e Humanidades mas acho que é importante abrir mentes, não termos conhecimento só de uma área”, Maria Bemposta, aluna da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo

 “Sou da área de Ciências e estou a gostar bastante! Vimos as ondas internas, profundas, micro algas e peixes. Acho que nos ajuda a tomar decisões”, Inês Jorge, aluna da Escola Secundária Eça de Queirós

“O nosso projeto este ano na escola é ‘Descobrir a Ciência’. Temos feito várias experiências com as crianças e elas estão bastante interessadas. Acho que tudo o que nos envolve é ciência, por isso é sempre bom virem a estes eventos, até para terem contacto com experiências e pessoas diversificadas. Eles estão mesmo entusiasmados!”, Carla Oliveira, educadora do infantário LNEC

"Acho que nos ajuda a saber se queremos vir para a FCUL e se estamos interessados nestas áreas”, Francisco Mouzinho, aluno da Escola Secundária Eça de Queirós

“Aqui aprendi que a placa tectónica quando sobe, faz uma onda gigante. Tivemos a fazer uma caça ao tesouro, a preparar um kit de emergência. Eu não gosto de ciências, eu adoro ciências!”, Carolina, aluna da Escola Básica Gama Barros

 “Gostei das ondas internas e longas. Vou sair mais esclarecido daqui. Ajuda-nos a perceber o que queremos”, João Correia, aluno da Escola Secundária Eça de Queirós

 “Voltar à Faculdade de Ciências, é ótimo. É uma experiência maravilhosa!”, Ricardo Diz, aluno da Escola Secundária Eça de Queirós

“Uma das razões que nos trouxe aqui prende-se com o desenvolvimento de eco laboratórios nas nossas escolas, onde queremos fazer a aproximação da escola secundária e escola básica às ciências. Esta experiência também tem por objetivo aprender e compreender como é que a Faculdade faz a ligação entre a ciência e a sociedade para podermos também replicá-la a nível do ensino básico e secundário”, Fernando Rolo, professor de Geografia da Escola Secundária Frei Gonçalo de Azevedo

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

Estudantes sentados, junto a uma mesa

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

Alunos da FCUL no pátio do C6

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Pormenor de obra artística

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em Junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

Cartaz do Seminário

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Apresentações dos Projectos de Física dia 19 de Julho, às 10h, na sala 8.2.17:

O que faz o profissional que passa os seus dias no laboratório? E quem se dedica a resolver equações ou a estudar animais e plantas? Cinquenta alunos da associação EPIS descobriram as respostas a estas e a outras questões.

Servidor da FCUL

O projeto de reestruturação do Centro de Dados da FCUL, iniciado em junho, deverá estar concluído no próximo mês de setembro.

Duas pessoas fazem uma experiência no laboratório

A Faculdade de Ciências abre as portas dos seus laboratórios a 50 jovens, vindos de diferentes pontos do País, para mais uma edição da “Rota das Vocações de Futuro” da EPIS.

Apesar de ser uma das áreas mais recentes da FCUL, atualmente é uma vertente da ciência portuguesa em franca expansão.

Páginas