Aprender com as “mãos na massa”

Projeto “Jovens Investigadores” proporciona contacto entre estudantes do ensino secundário e investigadores da Faculdade

posters afixados

Este ano, os alunos de 12.º ano produziram 15 posters referentes aos projetos de investigação desenvolvidos

Mónica Vilhena

Na Escola Básica e Secundária Alfredo da Silva (EBSAS), a componente prática das disciplinas de 12.º ano, Biologia e Química, consiste no desenvolvimento de um projeto de investigação. “Jovens investigadores” é o projeto da escola do Barreiro que permite aos alunos estabelecerem uma relação de proximidade com professores e investigadores do ensino superior, nomeadamente da Ciências ULisboa.

“Jovens investigadores” surgiu no ano letivo 2018/2019, a partir do interesse e curiosidade dos alunos de Biologia do 12.º ano em estabelecer relações com a universidade, os seus laboratórios e investigadores. Enquanto antigas alunas da Ciências ULisboa, as professoras da EBSAS responsáveis pelo projeto, Mónica Vilhena e Ana Sofia Neves, desafiaram os professores da Faculdade a colaborarem como professores orientadores.

As professoras da EBSAS responsáveis pelo projeto foram alunas na Ciências ULisboa: Mónica Vilhena, alumna do curso de Recursos Faunísticos e Ambiente e mestrado em Conservação da Diversidade Animal; e Ana Sofia Neves, alumna do curso de Ensino da Física e da Química – variante Química.

Tendo iniciado em 2018/2019, com 31 alunos, o projeto teve uma paragem em 2019/2020 e retomou em 2020/2021. A terceira edição aconteceu este ano letivo, e contou com a participação de 74 alunos. O número de alunos envolvidos tem vindo a aumentar, dado o crescente interesse por parte dos estudantes, e a expansão do projeto para a disciplina de Química.

Maria Teresa Rebelo, professora do Departamento de Biologia Animal (DBA) e Ana Cristina Figueiredo, professora do Departamento de Biologia Vegetal, ambas investigadoras do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) são as professoras da Faculdade envolvidas no projeto desde a primeira edição. Às investigadoras juntaram-se este ano mais seis colegas da Faculdade: Carlos Assis, do DBA, Ana Paula Paiva, Jorge Correia, Maria Estrela Jorge, Maria José Brito, e Susana Santos, do Departamento de Química e Bioquímica.

Para além da Ciências ULisboa, integram este projeto professores e investigadores da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro (ESTB) (Instituto Politécnico de Setúbal), do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), e mais recentemente, da Escola Superior Agrária (Instituto Politécnico de Coimbra).

“Jovens investigadores” é um projeto integrado no programa curricular dos alunos de Biologia e Química, no âmbito da avaliação dos domínios de autonomia curricular. Este parâmetro de avaliação pretende que os alunos desenvolvam as matérias das disciplinas de forma prática, integrando competências transversais e permitindo adaptar a componente prática da disciplina a projetos de investigação.

posters
Este ano foram 15 os projetos de investigação apresentados
Fonte Mónica Vilhena

Este ano foram 15 as temáticas trabalhadas pelos alunos, nas áreas da Biologia e da Química: macroinvertebrados bentónicos, diagnóstico da COVID-19, o efeito do tempo e do ambiente nas moedas antigas, plantas invasoras, aditivos alimentares, a versatilidade do ligando H2Salen, recursos piscícolas marinhos, azeite e ervas aromáticas, voláteis dos pinheiros na saúde, produção de bioetanol, reciclagem metálica, deposição electroless, amigos e inimigos da oliveira, polímeros condutores e estado sanitário de um povoamento de sobreiro. Os alunos dividiram-se em grupos de quatro a seis alunos e escolheram um dos temas.

O trabalho de investigação de cada grupo é orientado por um professor ou investigador, que acompanha todo o processo. O trabalho começa com a definição das temáticas, e segue as seguintes etapas: pesquisa bibliográfica, escrita da proposta de projeto, trabalho prático, recolha e tratamento de dados, elaboração de poster científico, exposição e apresentação final do trabalho.

O trabalho desenvolve-se de outubro a maio, e divide-se entre a Escola e a Faculdade, em trabalho de campo ou laboratório, dependendo da natureza do projeto, num total de cerca de 30 horas de trabalho. “Os alunos metem as mãos na massa, como numa aula prática aqui na Faculdade (…) eles fazem trabalhos de investigação mesmo a sério!”, conta Maria Teresa Rebelo. A professora afirma que os alunos aprendem muito sobre metodologias científicas, a tratar dados e fazer relatórios, aprendizagens incomuns no âmbito do percurso curricular.

grupo de alunos e o poster do trabalho
Professora Ana Cristina Figueiredo com grupo de alunos, durante a sessão de apresentação dos posters, nas instalações da ESTB, no passado dia 27 de maio
Fonte Mónica Vilhena

“Os alunos metem as mãos na massa, como numa aula prática aqui na Faculdade (…) eles fazem trabalhos de investigação mesmo a sério!” Maria Teresa Rebelo

Para além da apresentação final, também nos 1.º e 2.º períodos os alunos apresentam os resultados a todos os colegas envolvidos no projeto. Ana Sofia Neves, uma das professoras responsáveis pelo projeto, conta que o feedback dos professores tem sido muito positivo - docentes de outras disciplinas, como a Física, notam que os alunos envolvidos neste projeto têm mais à vontade na comunicação, quando apresentam projetos no âmbito das suas disciplinas, em comparação com aqueles que não participam no projeto.

As promotoras da iniciativa reconhecem as mais valias do projeto, não só para os alunos, mas também para os professores envolvidos, na medida em que lhes permite manterem-se informados e atualizados face ao estudo das diferentes temáticas.

Do trabalho realizado resultaram já diversos posters científicos, quatro deles já saíram das portas da escola: em setembro de 2021, dois posters sobre insetos participaram no XIX Congresso Ibérico de Entomologia; em abril de 2022, foram apresentados dois posters sobre a reciclagem metálica no XV Congresso Nacional de Cientistas em Ação, em Estremoz, um dos quais obteve uma Menção Honrosa. Um dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos recebeu ainda o prémio Desafios Invasoras.pt - Desafio 2: Fenologia, na edição de 2021/2022, que consistiu na monitorização do ciclo de vida de seis espécies invasoras durante seis meses, um trabalho que resultou na produção de um poster com os resultados da investigação.

grupo de alunos na FCUL
Grupo de alunos do projeto em visita aos laboratórios de Química da Faculdade
Fonte Mónica Vilhena

Marta Tavares, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Banner Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias

Já são conhecidos os vencedores da edição 2024 do Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias, organizado pela Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO).

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS)

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática (DM) de CIÊNCIAS, foi reeleito Vice-Presidente da European Mathematical Society (EMS).

Verão na ULisboa em CIÊNCIAS

Foi com um sorriso na cara e com vontade de um dia regressarem, que os estudantes do programa Verão na ULisboa deixaram o campus de CIÊNCIAS, após as cerimónias de entrega de diplomas que decorreram nos dias 5 e 12 de julho.

Assinatura do Protocolo com a REDCORP

No passado dia 9 de julho a Direção de CIÊNCIAS assinou um protocolo de cooperação com a REDCORP, empresa de empreendimentos mineiros responsável pelo Projeto Lagoa Salgada.

CIÊNCIAS assinA um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms nas instalações de CIÊNCIAS, tendo sido assinado pelo Diretor da faculdade, Luís Carriço, e pela co-fundadora da startup Rede Vertical Farms, Inês Barros.

CIÊNCIAS assinou um protocolo de colaboração com a Raiz Vertical Farms, com o objetivo de instalar uma horta vertical no campus da faculdade.

Equipa do CSD Lab do BioISI

Uma equipa de investigadores do Laboratório de Estrutura e Dinâmica Celular (CSD Lab) do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioIS

Diogo Rodrigues Fernandes

Diogo Rodrigues Fernandes, doutorando de CIÊNCIAS e investigador no Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (

Banner O Planeta Vivo

“Temos este mundo, ou nada. E temos um grande problema se não entendermos o planeta que queremos salvar.” Esta citação de Carl Sagan é o mote do documentário ‘O Planeta Vivo’, que estreou no passado dia 3 de julho na RTP.

Vista Aérea do Observatório do Paranal

O Observatório do Paranal, no deserto do Atacama no Chile, que faz parte do Observatório Europeu do Sul (ESO), vai receber em 2025 um telescópio made in Portugal para observar o Sol.

Nuno Gonçalves e Inês Leite posam com os prémios junto aos restantes investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA)

Nuno Gonçalves e Inês Leite, estudantes de CIÊNCIAS, foram premiados na SPIE Astronomical Telescopes + Instrumentation, a maior conferência internacional sobre instrumentação para a Astronomia.

Ranking de Leiden: Há três áreas de investigação de CIÊNCIAS em que a ULisboa é líder nacional

A Universidade de Lisboa (ULisboa) está em primeiro lugar a nível nacional em três áreas de produção científica de CIÊNCIAS no reputado CWTS Leiden Ranking: Ciências da Vida e da Terra, Matemáti

Banner Curso PRODIGI

A partir de 2025 a Universidade de Lisboa em parceria com o Instituto Politécnico de Lisboa, vai disponibilizar uma nova formação online em competências digitais.

 

Inês Fragata, Margarida Matos, Sara Magalhães e Cristina Máguas.

CIÊNCIAS inaugura hoje oficialmente a infraestrutura laboratorial de investigação - Unidade de Evolução Experimental.

Imagem alusiva ao Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT)

O Mestrado em Bioestatística de CIÊNCIAS foi acreditado pela Deep Tech Talent Initiative (DTTI), um programa do European Institute of Innovation and Technology (EIT).

Dois professores de CIÊNCIAS eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa

Pedro Miguel Duarte e Luís Eduardo Neves Gouveia, professores de CIÊNCIAS, foram eleitos sócios da Academia das Ciências de Lisboa.

O Centro de Congressos da Alfândega do Porto é o palco da edição de 2024 do Encontro Ciência.

Luís Carriço (Diretor de CIÊNCIAS) e Carlos Martins (Presidente da EPAL) junto a um dos novos bebedouros.

A Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa aderiu ao desafio da EPAL - Empresa Portuguesa das Águas Livres de consumir Água da Torneira nas suas áreas comuns, representando mais um compromisso com o Ambiente e com

 Rodrigo Freitas, Francisco Graça e Diogo Ávila no Pódio dos 3000 metros obstáculos no Campeonato Nacional Universitário de Pista ao Ar Livre

Rodrigo Freitas, estudante de CIÊNCIAS, sagrou-se bicampeão no Campeonato Nacional Universitário (CNU) de Atletismo Pista Ar Livre.

Desde ontem que CIÊNCIAS dispõe de um novo espaço: o Lounge C7!

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa seguram o prémio de primeiro lugar na segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

Carolina Margarido, Catarina Lima e Raquel Costa venceram a segunda fase do Future Innovators Program da Unicorn Factory Lisboa

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Vanessa Fonseca, Catarina Frazão Santos, Rita Cardoso, Cláudio Gomes, Ana Duarte Rodrigues e Paulo J. Costa posam com os prémios para uma foto numas escadas

A faculdade conseguiu obter o segundo lugar entre as Escolas da Universidade de Lisboa mais galardoadas.

Páginas