Estudo coordenado por Paulo N. Martinho é capa da Chemistry – A European Journal

Rumo à reciclagem de dióxido de carbono

Investigação realizada no CQB Ciências ULisboa, BioISI e CQE

Um grupo de investigadores da ULisboa está cada vez mais perto de conseguir criar um processo economicamente viável de reciclagem do dióxido de carbono responsável pelo efeito de estufa

O dióxido de carbono e o aumento da sua concentração na atmosfera, causado essencialmente pelo uso de combustíveis fósseis, originam o efeito de estufa e consequentes severas alterações climáticas, problemas que os cientistas são chamados a resolver

Unsplash - veeterzy

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.
Aceda ao clipping e ouça as entrevistas de Paulo N. Martinho e Sara Realista, à TSF e RFI.


Fotoreactor usado nas experiências de conversão de dióxido de carbono reportadas no artigo
Fonte Ciências ULisboa

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências e do Instituto Superior Técnico (IST) da ULisboa está cada vez mais perto de conseguir criar um processo economicamente viável de reciclagem do dióxido de carbono responsável pelo efeito de estufa.

Paulo N. Martinho, investigador do Centro de Química e Bioquímica (CQB), do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) e do Departamento de Química e Bioquímica (DQB) de Ciências ULisboa, coordenou este trabalho, que dada a relevância dos resultados obtidos foi capa recentemente de uma das edições da conceituada revista Chemistry – A European Journal.

O dióxido de carbono e o aumento da sua concentração na atmosfera, causado essencialmente pelo uso de combustíveis fósseis, originam o efeito de estufa e consequentes severas alterações climáticas, problemas que os cientistas são chamados a resolver. O artigo intitulado “CoII Cryptates Convert CO2 into CO and CH4 under Visible Light” é assinado por Sara Realista, Janaína C. Almeida, Sofia A. Milheiro, Nuno A. G. Bandeira, Luis G. Alves, Filipe Madeira, Maria José Calhorda e Paulo N. Martinho e decorre da investigação realizada no CQB, no BioISI e no CQE.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido recentemente pela Faculdade, o estudo - iniciado em 2014 no âmbito da tese de doutoramento em Química Inorgânica, mais especificamente na área de síntese e catálise, da antiga aluna de Ciências ULisboa, Sara Realista, distinguida em 2013 com o Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian, com o projeto "Smart polymer switches for green CO2 capture" [leia a entrevista publicada sobre o assunto] -, demonstra que as moléculas baseadas em cobalto, um dos metais mais abundantes na Terra, rodeado por espécies orgânicas, são capazes de converter dióxido de carbono em produtos com monóxido de carbono e metano.

No doutoramento, Sara Realista, atualmente investigadora do Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier e colaboradora do CQB Ciências Ulisboa, foi orientada pelos professores de Ciências ULisboa - Paulo N. Martinho e Maria José Calhorda – e por Ana Margarida Martins, docente do IST.

Questionado quanto ao feedback dos pares sobre os resultados apresentados na Chemistry – A European Journal, Paulo N. Martinho refere que “ainda é bastante prematuro para ter um impacto real”, de qualquer forma o facto de terem sido escolhidos para a capa da revista “revela a boa aceitação”, acrescentando também que o grupo tem outros resultados promissores, que complementam este primeiro estudo. Os próximo passos da equipa passam por continuar a estudar este e outros sistemas de modo a entender completamente o seu funcionamento e poder aplicar no desenvolvimento de materiais.

“Estes produtos podem ser usados de forma economicamente viável como alternativa a outros de origem fóssil.”
Paulo N. Martinho

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ)

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Foto de entrega de prémio aos vencedores

No âmbito do projeto Invasives e como atividade inserida na

Dia Nacional dos Cientistas - 16 de maio

O Dia Nacional dos Cientistas foi instituído em 2016 por Resolução da Assembleia da República com o objetivo de reconhecer e celebrar a contribuição vital dos cientistas para o progresso da sociedade.

CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Páginas