Estudo coordenado por Paulo N. Martinho é capa da Chemistry – A European Journal

Rumo à reciclagem de dióxido de carbono

Investigação realizada no CQB Ciências ULisboa, BioISI e CQE

O dióxido de carbono e o aumento da sua concentração na atmosfera, causado essencialmente pelo uso de combustíveis fósseis, originam o efeito de estufa e consequentes severas alterações climáticas, problemas que os cientistas são chamados a resolver

Unsplash - veeterzy

Scripta manent. O que se escreve, fica, permanece.
Aceda ao clipping e ouça as entrevistas de Paulo N. Martinho e Sara Realista, à TSF e RFI.


Fotoreactor usado nas experiências de conversão de dióxido de carbono reportadas no artigo
Fonte Ciências ULisboa

Um grupo de investigadores da Faculdade de Ciências e do Instituto Superior Técnico (IST) da ULisboa está cada vez mais perto de conseguir criar um processo economicamente viável de reciclagem do dióxido de carbono responsável pelo efeito de estufa.

Paulo N. Martinho, investigador do Centro de Química e Bioquímica (CQB), do Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (BioISI) e do Departamento de Química e Bioquímica (DQB) de Ciências ULisboa, coordenou este trabalho, que dada a relevância dos resultados obtidos foi capa recentemente de uma das edições da conceituada revista Chemistry – A European Journal.

O dióxido de carbono e o aumento da sua concentração na atmosfera, causado essencialmente pelo uso de combustíveis fósseis, originam o efeito de estufa e consequentes severas alterações climáticas, problemas que os cientistas são chamados a resolver. O artigo intitulado “CoII Cryptates Convert CO2 into CO and CH4 under Visible Light” é assinado por Sara Realista, Janaína C. Almeida, Sofia A. Milheiro, Nuno A. G. Bandeira, Luis G. Alves, Filipe Madeira, Maria José Calhorda e Paulo N. Martinho e decorre da investigação realizada no CQB, no BioISI e no CQE.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido recentemente pela Faculdade, o estudo - iniciado em 2014 no âmbito da tese de doutoramento em Química Inorgânica, mais especificamente na área de síntese e catálise, da antiga aluna de Ciências ULisboa, Sara Realista, distinguida em 2013 com o Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian, com o projeto "Smart polymer switches for green CO2 capture" [leia a entrevista publicada sobre o assunto] -, demonstra que as moléculas baseadas em cobalto, um dos metais mais abundantes na Terra, rodeado por espécies orgânicas, são capazes de converter dióxido de carbono em produtos com monóxido de carbono e metano.

No doutoramento, Sara Realista, atualmente investigadora do Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier e colaboradora do CQB Ciências Ulisboa, foi orientada pelos professores de Ciências ULisboa - Paulo N. Martinho e Maria José Calhorda – e por Ana Margarida Martins, docente do IST.

Questionado quanto ao feedback dos pares sobre os resultados apresentados na Chemistry – A European Journal, Paulo N. Martinho refere que “ainda é bastante prematuro para ter um impacto real”, de qualquer forma o facto de terem sido escolhidos para a capa da revista “revela a boa aceitação”, acrescentando também que o grupo tem outros resultados promissores, que complementam este primeiro estudo. Os próximo passos da equipa passam por continuar a estudar este e outros sistemas de modo a entender completamente o seu funcionamento e poder aplicar no desenvolvimento de materiais.

“Estes produtos podem ser usados de forma economicamente viável como alternativa a outros de origem fóssil.”
Paulo N. Martinho

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt