“O conhecimento científico ganha muito quando temos a capacidade para ouvir os não cientistas”

Em estúdio, durante a gravação do filme “A Onda da Nazaré”

Rui Pereira

O projeto de divulgação científica contou com a colaboração de alunos e professores da Escola Secundária de Gama Barros do Cacém
Fonte ACI Ciências

Incrível. Inesquecível. Extraordinário. Educacional. Inovador. Interessante. Instrutivo. Estes são alguns dos adjetivos usados pelos alunos da Escola Secundária de Gama Barros, no Cacém, para descrever a experiência que tiveram com “A Onda da Nazaré: um estímulo para a aprendizagem”.

No vídeo de cinco minutos os estudantes explicaram de forma simples e com recurso a curtas animações científicas os processos associados à existência da maior onda surfada em todo o mundo.

Para os jovens foi uma experiência única. Nunca tinham feito nada assim e foi especialmente cativante pois foram os próprios a explicar a formação da onda. Todos consideram o projeto “brutal” e a família e os amigos enchem-se de orgulho. “Conseguimos ser levados a sério apesar de sermos tão novos”, dizem.


Fonte ACI Ciências

Ao aprenderem uns com os outros, reforçaram o espírito de equipa. Conheceram a Nazaré e viram de perto a onda. Mais tarde quiseram assistir à prova de doutoramento de Mafalda Carapuço, quiseram apoiar. Para eles, a cientista é uma verdadeira inspiração.


Fonte ACI Ciências

Ainda hoje o vídeo “A Onda da Nazaré: um estímulo para a aprendizagem” é tema de conversa. O desafio deste projeto surgiu de forma espontânea. O doutoramento em Geologia de Mafalda Carapuço teve como tema as praias, a sua grande paixão e não se pode falar de praias sem falar de ondas. A primeira apresentação sobre o tema aconteceu num Dia Aberto na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Mafalda Carapuço contou a história da onda da Nazaré de forma muito simples. A partir daí começaram a ter vários pedidos para falar sobre a onda da Nazaré em diferentes contextos. O professor Rui Taborda, um dos orientadores de Mafalda Carapuço, sugeriu que fizessem um filme. Mafalda Carapuço já tinha estado na Escola Secundária de Gama Barros, a convite do professor Adérito Cunha. Como os alunos mostraram imenso interesse pela onda da Nazaré, a escolha foi simples e assim nasceu o filme financiado pelos EEA Grants.

Atualmente Mafalda Carapuço trabalha no IPMA e continua a falar sobre a onda da Nazaré. Em maio passado esteve na Biblioteca São Francisco Xavier, com uma turma do 2.º ano da Escola Moinhos do Restelo. Este mês participou no colóquio "Nazaré e o Mar", ocorrido na Biblioteca Municipal da Nazaré.

Sandra Lobo, uma das professoras daquela escola, por sinal formada em Ciências, refere que entre os jovens e a cientista criou-se uma relação de encantamento. “Nós aprendemos muito com a Mafalda… A Mafalda marcou-nos… Criaram-se laços e os alunos sentiram-se parte do processo. Houve partilha e este projeto foi um contributo fantástico para a auto estima destes jovens”, conta referindo ainda que o ponto alto foram as filmagens. “Foi um sonho tornado realidade. Uniu alunos, professores e investigadores”, conclui.

Quem também concorda com Sandra Lobo é a colega Lúcia Jorge, outra professora daquela escola e igualmente antiga estudante desta faculdade, referindo que os estudantes que participaram no filme treinaram em casa. No final alguns pais agradeceram.

Mafalda Carapuço sente-se rica com a experiência. “O conhecimento científico ganha muito quando temos a capacidade para ouvir os não cientistas”, diz. Segundo a investigadora os alunos foram uma parte ativa, comentaram o guião e além disso participaram na divulgação de resultados, em encontros científicos, como foi o caso de escola de verão ocorrida na Faculdade, na qual falaram do projeto em inglês e responderam a questões.

"Seja em ciência ou naquilo que quiserem, a dedicação deles superou as expetativas (...) foram eles que deram o mote para que tudo acontecesse.”
Mafalda Carapuço

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
CIÊNCIAS e OKEANOS em parceria para monitorizar biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos

Projeto internacional SEAGHOSTS visa a monitorização e conservação das populações de painhos, as aves marinhas mais pequenas do planeta.

Reitoria da ULisboa

O CWUR 2024 avaliou de entre 20.966 instituições de ensino superior e atribuiu à ULisboa o 211.º lugar (top 1.1%) e a 80.ª posição no panorama europeu.

Fotografia de participantes na Training School

CLEANFOREST na vanguarda da compreensão dos efeitos dos extremos climáticos e poluição nas florestas Europeias

Participantes no Dia Aberto

O campus ganhou vida, cor e energia proveniente do entusiasmo dos cerca de 2000 alunos de 170 escolas de norte a sul do País.

CIÊNCIAS esteve presente nesta edição, com a participação dos docentes do Departamento de Física: Alexandre Cabral, no painel de abertura “À conversa sobre carreiras espaciais” e

Semana Internacional da Compostagem

Uma das transformações necessárias às entidades que querem progredir pelo caminho da sustentabilidade é fecharem os seus ciclos de materiais, nomeadamente o orgânico.

A VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa - completou 30 anos em janeiro de 2024. Para comemorar, realizou no dia 30 de abril de 2024, a Festa da Primavera, um espetáculo de música e divertimento dedicado à comunidade de CIÊNCIAS e ao público em geral.

Celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974 da Academia das Ciências de Lisboa

A 9 de maio realiza-se a segunda de duas jornadas de debate académico e científico organizadas pela Academia das Ciências de Lisboa, que tem por objetivo ‘analisar e discutir a evolução do panorama científico português de forma prospetiv

Lançamento do projeto Barrocal-Cave marca um novo capítulo na Conservação da Biodiversidade em Portugal

O prestigiado Palácio Gama Lobo foi o cenário escolhido para o lançamento do projeto Barrocal-Cave, financiado pelo Prémio Fundação Belmiro de Azevedo 2023.

No passado dia 10 de abril, tivemos a honra de receber um grupo de estudantes e dois professores da Universidade de Leiden, na Holanda. Com um total de 40 estudantes, todos da área das bio farmacêuticas, a visita prometia ser entusiástica.

Miguel Pinto

No dia 29 de abril, Miguel Pinto visitou a Escola Básica Professora Aida Vieira, no Bairro Padre Cruz em Lisboa, para realizar oficinas de divulgação científica e atividades didáticas.

Fotografia de alguns dos oradores

O que é a sustentabilidade? Como podemos agir a nível local, procurando um impacto global? Estas e muitas outras questões marcaram a segunda edição da Semana da Sustentabilidade CIÊNCIAS, entre 15 e 19 de abril de 2024.

Grande Auditório durante a celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS

Mais de 500 pessoas assistiram no Grande Auditório à celebração do 113.º aniversário de CIÊNCIAS, na passada terça-feira, 23 de abril, numa cerimónia marcada por distinções, homenagens e um balanço dos últimos meses, com os olhos postos no futuro. 

Buracos negros Gaia

Um grupo de cientistas descobriu um grande buraco negro, com uma massa quase 33 vezes superior à massa do Sol, escondido na constelação de Aquila, a menos de 2000 anos-luz da Terra, ao analisar a grande quantidade de dados da missão Gaia da ESA.

Alunos com mãoes no ar num sala de aula

É possível brincar com a Matemática e prova disso foram as várias atividades que se realizaram na Faculdade nos dias 13 e 14 de março de 2024. Março foi um mês dedicado a esta ciência, motor da sociedade. Leia a opinião de quem participou nestas atividades e ainda nas Jornadas de Matemática.

robot e criança

Ecossistema de grandes modelos de linguagem de IA Generativa para a língua portuguesa foi expandido com novas versões dos modelos Albertina e Gervásio.

Participantes da 1.ª edição do JAB

A 1ª edição do JAB, um evento inovador destinado a jovens empreendedores, organizado pela JUST - Júnior Iniciativa de Ciências ocorreu nos dias 22 e 23 de março passado e teve como foco a Educação de Qualidade, quarto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável.

Pessoas

Uma comitiva da Shanghai Ocean University (SHOU), cuja origem remonta à Escola de Pesca da Província de Jiangsu, fundada em 1912, visitou Ciências ULisboa no passado dia 25 de março. Wang Hongzhou, presidente do Conselho da universidade chinesa, elogiou o avanço da investigação realizada na Ciências ULisboa, destacando as boas práticas de gestão, interdisciplinaridade e foco na missão. Durante a ocasião, Luís Carriço, diretor da Ciências ULisboa, reconheceu a importância das relações bilaterais com a China.

Alunos dinarmarqueses junto à tabela periódica

Um grupo de 25 estudantes do ensino secundário do Egedal Gymnasium & HF, da Dinamarca, visitou a Ciências ULisboa no passado dia 21 de março.

Sala com pessoas

A “Sessão de demonstração do serviço CONNECT – Caso de uso #1, Estuário do Tejo” ocorreu no passado dia 13 de março.

Várias pessoas no stand da Fcauldade Futurália

Como já vem sendo tradição, a Ciências ULisboa esteve presente na 15.ª edição da Futurália, a maior feira de educação, formação e empregabilidade do país, que se realizou entre 20 e 23 de março, na FIL - Feira Internacional de Lisboa e que juntou muitos visitantes, especialmente candidatos ao ensino superior. A Direção da Ciências ULisboa agradece aos mais de 200 estudantes voluntários e aos cerca de 70 professores, investigadores, entre outros profissionais que se vestiram de azul para esclarecerem as dúvidas dos candidatos ao ensino superior, lançando ainda o convite para visitarem a Faculdade no próximo Dia Aberto, que se realiza no próximo dia 8 de maio e cujas inscrições podem ser feitas aqui. Até lá!

Imagem do Miguel Pires durante a competição ocorrida em videoconferência

Miguel Pires, estudante da licenciatura de Engenharia Geoespacial da Ciências ULisboa, venceu a edição portuguesa do Esri Young Scholars Award e que lhe dá a oportunidade de apresentar o seu projeto Dashboard CicLisboa no maior evento de Sistemas de Informação Geográfica a nível mundial - o Esri User Conference e a Education Summit -, ambos a decorrer no próximo mês de julho, em San Diego, na Califórnia (EUA).

Pessoa numa praia com neve

A missão da Ciências ULisboa é criar, transmitir e difundir conhecimento científico e tecnológico, promovendo uma cultura de aprendizagem permanente, valorizando o pensamento crítico e a autonomia intelectual. Nesta “casa“ todos os dias alunos, professores, investigadores, entre outros profissionais encontram motivos para cuidar do nosso planeta. Bem hajam!

Páginas