Equipa portuguesa avança rumo à implementação do espectrógrafo MOONS

Modelo do espectrógrafo MOONS no VLT

Modelo do espectrógrafo MOONS no VLT

MOONS

Portugal colidera o projeto do Espectrógrafo Multiobjetos no Ótico e Infravermelho próximo, ou MOONS, assim como alguns dos seus grupos de trabalho, contribuindo para o desenvolvimento, construção e integração deste instrumento de nova geração no Very Large Telescope (VLT), do Observatório Europeu do Sul (ESO).

Um dos componentes principais do MOONS é o corretor de campo e foi desenhado por uma equipa do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, tendo passado recentemente a fase de “Aceitação Preliminar na Europa”.

Alexandre Cabral e Pedro Santos inspecionam a estrutura do “front-end” rotativo antes de a colocarem na posição final horizontal.
Alexandre Cabral e Pedro Santos inspecionam a estrutura do front-end rotativo antes de a colocarem na posição final horizontal
Fonte IA

“O corretor de campo funciona como uns ‘óculos’ no telescópio. Apesar de a qualidade do VLT ser excelente, quando usamos um campo de visão muito grande, a qualidade da imagem não é a ideal, e tem de ser corrigida com lentes para tal, o IA desenhou um sistema de duas lentes de 900 milímetros [a produção das lentes ficou a cargo da empresa italiana Officina Stellare], o que representou um desafio tecnológico, por estar próximo do diâmetro limite para a sua fabricação.”
Alexandre Cabral, investigador do IA e da Ciências ULisboa, responsável pelo desenvolvimento e implementação da componente portuguesa do MOONS

O IA também é responsável pelo front-end rotativo, uma estrutura de interface com o telescópio que albergará diversos componentes e subsistemas essenciais ao funcionamento do espectrógrafo. Após produção dos componentes pela empresa portuguesa Cunhol, esta estrutura de mais de duas toneladas encontra-se na fase final de montagem e testagem nas instalações da Ciências ULisboa.

O grupo de investigação em Instrumentação e Sistemas do IA, responsável pela componente técnica do MOONS, é já “veterano” na contribuição de instrumentos para missões espaciais e telescópios terrestres, tanto ao nível de hardware como de software, nas áreas da ótica, mecânica, eletrónica de controlo e programação de baixo nível.

 “O IA está também fortemente envolvido nos objetivos científicos do projeto ao coliderar dois grupos de trabalho: o de Galáxias Ativas e o de Catálogos Iniciais, que irá definir os objetos a observar.
José Afonso, coordenador do IA, investigador da Ciências ULisboa, e coinvestigador principal do MOONS

O MOONS ao conseguir observar múltiplos objetos em simultâneo, nas bandas do ótico e do infravermelho próximo, vai permitir aos astrónomos estudar, com uma precisão sem precedentes, a evolução e formação de galáxias ao longo de quase toda a história do Universo.

“A participação portuguesa em posição de coliderança em diversos grupos de trabalho no MOONS serve vários propósitos”, refere Marta Gonçalves, responsável por relações industriais na Agência Espacial Portuguesa, Portugal Space. “A nível de instrumentação, Portugal tem a oportunidade de demonstrar novamente a competitividade a nível mundial e na componente científica esta participação é uma ferramenta que permite dar continuidade à investigação que já é desenvolvida a nível nacional, garantindo que prosseguimos um caminho de conhecimento baseado na experiência”, conclui.

Grupo de Comunicação de Ciência do IA com ACI Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Pormenor de obra de arte

Para os fundadores do AppEEL, este laboratório pode ser considerado o primeiro centro no mundo a reunir investigadores que estudam a evolução sociocultural a partir das teorias que formam parte da Síntese Expandida.

 

O Departamento de Matemática recebeu ontem, dia  4 de Fevereiro, cerca de 70 alunos (9º ano) do  Agrupamento de Escolas D. Miguel de Almeida - Abrantes.

Entre os empregos mais bem pagos contam-se os que estão ligados às engenharias.

Capa

Esta coleção de Livros Brancos foi organizada pela META-NET, uma rede de excelência parcialmente financiada pela Comissão Europeia, que levou a cabo uma análise dos recursos e tecnologias da linguagem atualmente disponíveis. A análise abordou as 23 línguas oficiais europeias assim como outras línguas importantes na Europa a nível nacional e regional. 

O Prémio João Branco é uma iniciativa conjunta da Universidade de Aveiro e da família do designer Jo

Dia 4 Fevereiro 2013 – 14:00h às 19:30h (Sala 2.2.15)

Primeiro plenário do IPBES

Grupo liderado por Henrique Miguel Pereira, investigador do Centro de Biologia Ambiental da FCUL, submete à apreciação da comunidade científica o desenvolvimento de um sistema de monitorização da biodiversidade baseado num conjunto de variáveis essenciais.

Rosto de Maria Antónia Amaral Turkman

“Ao longo dos últimos dois séculos a Estatística foi indispensável em confirmar muitas das maiores descobertas científicas e inovações da humanidade, tais como a partícula bosão de Higgs e a Revolução Verde na agricultura”, declaram Daniel Paulino, presidente da Sociedade Portuguesa de Estatística e Maria Antónia Amaral Turkman, coordenadora do CEAUL.

Dois artigos -- contando com docentes e investigadores do GeoFCUL no seu elenco de autores -- assinalados no “TOP 25 Hottest Papers” de Abril-Junho de 2011 da revista Journal of South American Earth Studies (Sciencedirect / Elsevier).

Rosto de Henrique Leitão

Henrique Leitão foi eleito membro efetivo da Académie International d'Histoire des Sciences, pela relevância da sua carreira e produção intelectual. Para o historiador das ciências foi uma “honra enorme” receber a distinção, “a maior ambição de qualquer estudioso ou cientista”.

Proposal for a REGULATION OF THE EUROPEAN PARLIAMENT AND OF THE COUNCIL.

Laying down the rules for the participation and dissemination in 'Horizon 2020 – the Framework Programme for Research and Innovation (2014-2020).

EUA represents over 850 universities and university associations across 47 European countries. Its highly diverse membership covers the full spectrum of universities participating in European research programmes.

Vai realizar-se de 18 a 20 de Março de 2013, em honra do Professor Ross Leadbetter, o "Symposium on Recent Advances in Extreme Value Theory ".

Face de Maria Amélia Martins-Loução

O Flora-On sistematiza informação fotográfica, geográfica, morfológica e ecológica de todas as espécies de plantas vasculares autóctones ou naturalizadas listadas para a flora de Portugal. Atualmente, através deste portal acede a 164 famílias, 836 géneros e 2991 espécies.

Cortejo académico na Aula Magna

A cerimónia de abertura do ano letivo de 2012/2013 marca uma nova etapa do ensino superior público.
Exegi monumentum aere perennius - Ergui um monumento mais duradouro que o bronze.
Da nova Universidade de Lisboa vê-se o mundo...

Crianças dos 5 aos 9 anos descobrem as Ciências na FCUL

A FCUL abriu as portas do conhecimento aos alunos do Colégio Infantes de Portugal, de Palmela. Durante uma manhã, os laboratórios de Biologia e de Química e Bioquímica foram explorados por cerca de 20 crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 9 anos.

Encontra-se aberto concurso externo para o Banco de Portugal - Departamento de Supervisão Prudencial, com vista ao preenchimento de vagas de Técnico Superior para a área de supervisão

“A inovação é tipo ‘ovo de Colombo’, depois de se saber, parece fácil. Só que ‘saber’ significa um longo caminho de amadurecimento do conhecimento”, declara Maria Filomena Camões, docente do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, a propósito da atribuição da Bolsa Europeia de Excelência de Investigação.

Páginas