M23

“Afirmar talentos e impulsionar o sucesso”

GCIC-FCUL

De acordo com o lema “proporcionar novas oportunidades de formação ao longo da vida que afirmam talentos e impulsionam o sucesso”, a UL tem à disposição de todos os que com mais de 23 anos queiram “vivenciar experiências de aprendizagem únicas”, o processo de acesso M23.      

Sob coordenação do Núcleo de Formação ao Longo da Vida (NFLV-UL), as portas da Reitoria da UL abriram-se em fevereiro passado para receber todos os interessados em obter esclarecimentos sobre quaisquer temáticas relacionadas com este programa, celebrando-se assim, o segundo Dia Aberto aos M23. Ao todo, o evento contou com 193 participantes.

António Sampaio da Nóvoa, reitor da UL, deu as boas-vindas a todos aqueles que querem continuar a aprender, reforçando a importância da aprendizagem ao longo da vida: "Precisamos de uma outra maneira de estar na escola, de uma outra maneira de estar na universidade".

Já o término da atividade foi assinalado por uma novidade em relação ao ano anterior, a realização de um workshop. “Percebemos que era importante dar a hipótese aos candidatos de trabalharem a candidatura e, nesse sentido, promovemos um workshop explorando mais a parte prática [elaboração do currículo, redação de uma carta de motivação]. Estamos numa lógica de reconhecimento das aprendizagens experienciais e promover um acesso com base nesse conhecimento é fundamental e decisivo”, explicou Joana Soares, coordenadora do NFLV-UL.

No átrio da reitoria, ao lado das bancas informativas das diferentes faculdades que compõe a UL, bem como do NFLV-UL, Instituto de Orientação Profissional, Serviços de Ação Social e outros institutos da Universidade, a FCUL marcou presença com o seu stand habitual de visitas às escolas prestando as informações respetivas sobre a sua oferta formativa.

Elísio Gomes, de 31 anos, decidiu passar pela banca da Faculdade dando conta dos seus planos futuros: “Pretendo candidatar-me a Física. Deixei de estudar há já alguns anos… Tenho interesse em prosseguir os estudos académicos por vários motivos, entre eles o pessoal, sei que posso dar muito mais não só para mim como também para a sociedade e também porque poderei melhorar a minha condição de trabalho. Sempre tive interesse na área das Ciências, nunca tive oportunidade de seguir e, agora, decidi retomar”.

Já Carlos Lopes, antigo camionista, agora desempregado, percorreu o mundo confrontando as diversas realidades que compõe cada cultura. Aos 51 anos, decidiu apostar naquilo que para si move qualquer cidadão, o conhecimento. “Acho que a verdadeira luz é mesmo o conhecimento. Quando convivemos com algo que conseguimos perceber, desenvolver teorias, então passamos a conhecer-nos melhor e isso pacifica-nos, faz-nos ficar mais satisfeitos”, reforçou aquele visitante.

Fonte: GCIC-FCUL
Legenda:Elísio Gomes, de 31 anos, foi um dos possíveis futuros alunos M23 da FCUL a procurar informação na banca, pretende seguir a área da Física

Para continuar a satisfazer as necessidades de tantos outros interessados com mais de 23 anos, este programa, existente desde o ano letivo de 2006 /2007 e que já concedeu a oportunidade académica na UL a cerca de 1500 estudantes, aposta na ligação direta entre técnicos e público adulto e/ou candidatos concedendo-lhes um acompanhamento desde o início do processo. Prova disso, são as oficinas de apoio, entre elas a oficina M23, oficina de matemática e oficina de escrita.

De acordo com o histórico de candidaturas ao ingresso via M23, na FCUL, destacam-se os dois últimos anos letivos como sendo os de maior adesão. Das 905 candidaturas totais em 2010/2011, 114 dirigiram-se à FCUL, e em 2011/2012, das 714, 113 candidatos optaram por Ciências. Nesta contabilização destaca-se o curso de Engenharia Informática como sendo o mais requisitado, 63 candidaturas em 2010/2011 e 61 em 2011/2012.

O processo de aprovação do candidato passa por duas fases, a primeira destina-se à avaliação de conhecimentos e competências através de uma prova teórica e/ou prática, com um peso de 40%, a segunda fase, remete para uma entrevista cujo objetivo é a apreciação do currículo escolar e profissional do candidato bem como das suas motivações, tendo o peso de 60%.

Na FCUL, Maria Helena Mendonça, professora do Departamento de Química e Bioquímica, é uma das intervenientes no processo que, desde o início, orienta os alunos M23 nas mais diversas questões.

“Os primeiros alunos que entrevistámos para os Maiores de 23, em 2006/2007, eram pessoas com um enriquecimento muito grande do seu currículo que vinham só para os cursos que gostavam, queriam ‘fazer aquilo que não fizeram antes’. Hoje em dia, acho que já está a ser muito aproveitado por pessoas mais novas, que, por exemplo, não tiveram possibilidade de entrar pelo meio tradicional. (…) É também importante chamar à atenção de que os trabalhadores estudantes têm da nossa parte um pouco mais de apoio porque eles não têm a semana toda para vir fazer os trabalhos, principalmente nestas áreas que eles gostam e isso é importante”.

Fonte: UL
Legenda: Este ano, o término da atividade foi assinalado pela a realização de um workshop

Ana Jardim, aluna de 38 anos a frequentar o curso de Engenharia Informática, ingressou na FCUL através do M23 em 2011. Tendo uma ocupação profissional, o seu percurso académico é desenvolvido em regime pós-laboral. Se pudesse classificar a Faculdade escolheria os adjetivos “conceituada e ótima”, quanto ao curso define-o como sendo, “exigente, intenso e muito interessante”.

“A grande mais-valia é dar uma oportunidade às pessoas que por qualquer razão não conseguiram dar continuidade à sua formação logo após o secundário e que agora o pretendem fazer. A meu ver, a motivação é maior e a experiência profissional e maturidade compensam a falta de ritmo de estudo em relação aos alunos que vêm diretamente do secundário”, declara a aluna M23.

Este ano, o período de candidaturas estende-se até dia 28 de março. Depois das diversas etapas que marcam o processo, os resultados serão conhecidos a 12 de julho.

A todos os candidatos, a FCUL deseja boa sorte e um ótimo recomeço académico!

Reportagem Dia Aberto M23

Este projeto multimédia pode ser visualizado através do canal YouTube da UL, inclui testemunhos de participantes, organizadores e colaboradores.
 

 

Espólio info-Ciências digital
FCUL já admitiu 254 estudantes no âmbito dos concursos e regimes especiais
Maiores de 23
Maiores de 23
Maiores de 23
752 candidaturas no âmbito dos “Maiores de 23”
“Maiores de 23”

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt

Ciências é uma das cinco instituições da ULisboa que integra o projeto ALHTOUR. O principal resultado deste projeto é a criação do HEALx-LAB, um living lab para potenciar a inovação e a colaboração entre a academia, a indústria, a administração pública e a sociedade civil na área do turismo de saúde na região de Lisboa.

António Branco, professor do DI Ciências ULisboa, é o novo presidente da ELRA-European Language Resources Association, a principal associação científica europeia para o processamento da linguagem natural e uma das mais importantes associações a nível mundial nesta subárea da Inteligência Artificial.

"Revendo as discussões nos últimos anos sobre a Inteligência Artificial (IA), a ideia da superinteligência (super-homem) e da frieza dos comportamentos dos agentes artificiais, quando comparados com os seres humanos, concluímos que o medo à IA só será ultrapassado com uma nova postura da IA, virada para a enfâse nos benefícios", escreve Helder Coelho, professor do DI Ciências ULisboa.

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências ULisboa? O Dictum et factum de dezembro é com Raúl Ferreira, assistente operacional da Oficina Gráfica da Área de Serviços Técnicos de Ciências ULisboa.

“Às vezes é mesmo preciso 'sair da cabeça e dar ouvidos ao corpo'. Dar atenção aos sinais físicos e às sensações”, escreve na rubrica habitual a psicóloga do GAPsi, Andreia Santos.

Leia a entrevista com Soraia Pereira, vencedora do Prémio SPE2018 e que descobriu o interesse pela Estatística no último ano da licenciatura em Matemática.

O novo livro de Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática de Ciências ULisboa é apresentado ao público em dezembro. Leia a entrevista com o matemático e escritor que através da Matemática "rasga horizontes e abre novos mundos a mentes sequiosas".

"Até agora, os cientistas cidadãos das comunidades GROW implementaram/instalaram 2.000 sensores com o intuito de avaliar a humidade, temperatura e radiação solar do solo nos diferentes GROW Places. No próximo ano deverão ser implementados cerca de 10.000 sensores. Este é considerado o maior levantamento de dados de diversas propriedades do solo na Europa, realizado por cidadãos", escreve em artigo de opinião Gil Penha-Lopes, investigador do DBV Ciências ULisboa e cE3c.

O projeto “NitroPortugal -Strengthening Portuguese research and innovation capacities in the field of excess reactive nitroge” promove livro infantil “A história do azoto, bom em pequenino e mau em grande”.

A British Ecological Society anunciou esta sexta-feira, dia 30 de novembro, os vencedores do concurso anual de fotografia Capturing Ecology. Entre as várias fotografias premiadas encontram-se as de Adrià López Baucells, estudante do programa doutoral Biodiversidade, Genética e Evolução e investigador do polo de Ciências ULisboa do Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais.

Cientistas portugueses estiveram envolvidos na primeira medição espacial do redemoinho de massa que orbita um buraco negro de centenas de milhões de massas solares.

Soraia Pereira, investigadora do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa e antiga aluna de Ciências ULisboa, vence Prémio Sociedade Portuguesa de Estatística 2018.

Uma equipa liderada por Ciências ULisboa descobriu antibióticos derivados de açúcares, que matam células de espécies de Bacillus spp, incluindo Bacillus anthracis, um micróbio causador da doença antrax, que ataca animais e seres humanos e é um agente de bioterrorismo.

No Dia Nacional do Mar trazemos à memória os 20 anos da EXPO’98 e da Ponte Vasco da Gama e a reabilitação daquela área, na qual participaram vários professores de Ciências ULisboa e investigadores do extinto Instituto de Oceanografia, atual MARE.

Estudo coordenado por Ana Duarte Rodrigues, investigadora do DHFC e do CIUHCT, demonstra que plantas autóctones do Algarve são mais sustentáveis do que as espécies exóticas introduzidas na paisagem e que esgotam os recursos hídricos da região.

“A Federação Europeia de Ecologia (FEE) tem objetivos muito claros – um deles é o de alargar o conhecimento ecológico à Europa”, diz Cristina Máguas, primeira portuguesa a ser eleita presidente da rede europeia de ecólogos. A tomada de posse ocorre em janeiro de 2019.

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências ULisboa? O Dictum et factum de novembro é com Ana Subtil Simões, técnica superior da Área de Comunicação e Imagem de Ciências ULisboa.

Ciências ULisboa organiza no seu campus a competição internacional destinada a treinar equipas multidisciplinares de estudantes universitários para a inovação e o empreendedorismo na área da saúde. A equipa vencedora irá participar no EIT Health Winners Event, em Londres, nos próximos dias 11 e 12 de dezembro.

Aos 14 anos o investigador do polo de Ciências ULisboa do IA deslumbrou-se com um livro “A criação do Universo” e a teoria do big-bang. O que mais gosta de fazer é simples: pequenos cálculos sobre ideias que lhe vêm à mente!

O 1.º Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias foi atribuído a Paula Matos. A investigadora do cE3c do polo de Ciências ULisboa irá apresentar a tese em Biologia e Ecologia das Alterações Globais no 17.º Encontro Nacional de Ecologia.

João Alexandre Medina Corte-Real, professor jubilado da Universidade de Évora, docente em Ciências ULisboa durante mais de 30 anos, faleceu a 31 de outubro. A Faculdade lamenta o triste acontecimento, apresentando as condolências aos familiares, amigos e colegas.

Saiba mais sobre a síndrome de burnout, na rubrica habitual da psicóloga do GAPsi, Andreia Santos.

Há um buraco negro supermassivo, escondido, no centro da Via Láctea anunciou o ESO. O GRAVITY, que tornou possível esta observação, foi desenvolvido por um consórcio internacional, do qual fazem parte investigadores de Ciências ULisboa e da FEUP, integrados no CENTRA.

Ciências ULisboa, através do cE3c e do IDL, é um dos 37 membros fundadores do Centro de Competências na Luta contra a Desertificação criado pelo Governo este verão.

Contributo da HortaFCUL para a sustentabilidade do campus em 2017/2018.

Páginas