Fibrose quística

Identificação de novos alvos moleculares é essencial para definir estratégias terapêuticas

Entrevista com Carlos Farinha

"Os próximos passos [passam pela] caracterização mais detalhada do mecanismo agora identificado", diz Carlos Farinha, um dos autores do artigo publicado recentemente no Journal of Cell Science

GBNT

O artigo “EPAC1 activation by cAMP stabilizes CFTR at the membrane by promoting its interaction with NHERF1” publicado este mês no Journal of Cell Science resulta de um trabalho desenvolvido por Carlos Farinha e Margarida Amaral, investigadores do BioISI – Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas e professores do Departamento de Química e Bioquímica de Ciências ULisboa; em colaboração com o grupo de Manuela Zaccolo, professora da Universidade de Oxford e no qual está inserido o jovem estudante de doutoramento, Miguel Lobo, licenciado e mestre em Bioquímica por Ciências ULisboa e que começou este trabalho durante o mestrado na faculdade portuguesa.

Os autores deste estudo caracterizaram um novo mecanismo de regulação da proteína CFTR, que quando ausente ou com mau funcionamento é responsável pela fibrose quística, uma doença genética letal que se manifesta sobretudo ao nível dos pulmões, mas também do intestino.

De acordo com o comunicado de imprensa emitido pela faculdade esta segunda-feira, para os investigadores a identificação de novos alvos moleculares é essencial para definir estratégias terapêuticas cada vez mais robustas nos doentes com fibrose quística.

+ Ciências
Entrevista com Carlos Farinha
 


Carlos Farinha
Imagem cedida por CF

Esta equipa do BioISI inclui quantas pessoas?

Carlos Farinha (CF) - A equipa que trabalha comigo é constituída por [cerca de] cinco pessoas e integra-se no grupo Functional Genomics & Proteostasis (cerca de 20 elementos), coordenado pela professora Margarida Amaral.

Quais são as suas funções, tarefas?

CF - Estudam diferentes aspetos da bioquímica e biologia celular/molecular da fibrose quística havendo no grupo alargado elementos que se dedicam também a abordagens de medicina personalizada.

Como é que surgiu a colaboração com a Universidade de Oxford?

CF - Surgiu num congresso de ciência básica da fibrose quística por interesses comuns na via de sinalização agora estudada. Tal levou a um estágio de três meses em Oxford do então aluno de mestrado Miguel Lobo. Neste momento, a professora Manuela Zaccolo é coorientadora de um outro aluno (agora de doutoramento), que está a continuar/desenvolver o trabalho agora publicado.

Qual tem sido a reação dos pares relativamente a estes avanços?

CF - Tem sido em geral boa, dada a necessidade ainda sentida de identificar novos mecanismos, no caso de estabilização da proteína na membrana, que possa servir de base a novas estratégias terapêuticas.

Quais são os próximos passos desta equipa?

CF - Os próximos passos [passam pela] caracterização mais detalhada do mecanismo agora identificado, sobretudo ao nível da identificação de outras proteínas que possam estar envolvidas no processo, de modo a refinar a identificação de possíveis alvos terapêuticos.

Esta nova estratégia terapêutica já foi aprovada para uso em doentes?

CF - Desde a identificação de um mecanismo molecular até à aprovação para uso em doentes vai normalmente um longo caminho. No entanto, a modulação da via de sinalização agora identificada como relevante no contexto da fibrose quística é também promissora para outras patologias (nomeadamente do foro cardíaco) pelo que existe investigação em curso, tentando que possa chegar o mais depressa possível à clínica.

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Cinquenta e cinco jovens experimentam a realidade da investigação científica na Faculdade de Ciências da ULisboa. O desafio começa esta segunda-feira, dia 21 de julho e prolonga-se até quinta-feira, dia 24.

Biologia 2014/2015

Para Ana Rita Ruivo, do 12.º ano da Escola Secundária Quinta do Marquês, passar alguns dias do seu verão em Ciências foi importante porque a ajudou a “clarificar que [assuntos] correspondem aos [diferentes] cursos” e também porque lhe permitiu “[ter contacto com] experiências que nunca tinha feito”.

António Branco, professor do Departamento de Informática de Ciências, é o coordenador do QTLeap, um projeto europeu de investigação para a tradução automática.

“É a primeira vez que tenho contacto com este ambiente. Gosto de programação e o curso que quero seguir é Engenharia Informática. Aqui, vou ganhar alguns conhecimentos”, referiu o aluno do 11.º ano da Escola Secundária da Amadora, Miguel Almeida, um dos participantes do FCUL Rally Pro.

Coleção de culturas

Este é um exemplo de como as coleções biológicas, enquanto infraestruturas científicas, podem ser instrumentais para o avanço da ciência e no potenciar e estreitar de parcerias transversais.

 A Exigo Consultores, empresa de consultoria em actividade desde 2001, focada na consultoria para o sector de saúde, principalmente a consultoria em economia da saúde, epidemiologia, análise matemática e estatística, procura

Parabéns ao aluno Pedro Lencastre, da edição de 2012/2013 do mestrado em Matemática Financeira da Faculdade de Ciências da ULisboa e do ISCTE-IUL, que ganhou uma bolsa da Global Association of Risk Professionals (GARP) para a elaboração da sua tese de mestrado na área de riscos financeiros.

alumna de Ciências e investigadora da ULisboa, galardoada este ano com o Portuguese Young Chemists Award, procura descobrir um fármaco que venha a ser útil à sociedade.

No âmbito de uma parceria estabelecida entre a Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto (FCUAN) e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), teve início em abril de 2014 o Mestrado em Microbiologia Aplicada da FCUAN

No âmbito de uma parceria estabelecida entre a Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto (FCUAN) e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), teve início em abril de 2014 o Mestrado em Microbiologia Aplicada da FCUAN

A segunda edição do FCUL Rally Pro realizou-se na tarde de 2 de julho.

De 7 de julho a 5 de setembro de 2014 as bibliotecas do C4 e do C8 têm alteração no horário de funcionamento.

Pedro Garret, Investigador de Ciências

A informação com possíveis cenários climáticos até ao final do século já está disponível para consulta de autarquias, responsáveis por licenciamentos de obras, proprietários que queiram construir e autoridades de proteção civil.

Alunos no campus de Ciências

“Quem não gostaria de gerir uma empresa sem o verdadeiro risco mas, ainda assim, de uma forma bastante realista?”, questiona João Guilherme Rodrigues, aluno de Ciências e um dos 21 concorrentes da Faculdade ao Global Management Challenge (GMC).

Qual é a maior alegria de um professor? Para a maioria é com certeza o bem-estar e o sucesso dos seus alunos.

Escolha de Ramo em Geologia / 2014

Listas definitivas divulgadas em 23 de Julho de 2014.

Helder Coelho, professor do Departamento de Informática da FCUL e um dos investigadores fundadores da Inteligência Artificial

“Tenho pensado em fazer um curso, uma formação extra virada para a área da Energia, não só para ajudar os meus alunos mas também por mim, por satisfação, para aprender”, conta Carlos Paulino, professor do ensino secundário.

Anfiteatro da Escola de Ciências

Universidade do Minho

Departamento de Biologia

23 a 26 de Junho

 

 

A Thomson Reuters alerta para a interrupção de serviços.

 “O mar tomou-se de repente muito novo e muito antigo”

O MARE organizou uma viagem a bordo de um Galeão para dar a conhecer a fauna local do Parque Marinho do Parque Natural da Arrábida. No total, 100 pessoas participaram nas iniciativas de comemoração do Dia Mundial do Ambiente organizadas por este centro.

Gostava de fazer um estágio aplicando os conhecimentos de Estatística Aplicada à área de Recursos Humanos? A Ernst & Young lança proposta.

Páginas