Crónicas em Ciências

Um mar de tranquilidade

Pormenor do mapa de Grimaldi-Riccioli

Imagem cedida por LT

Luís Tirapicos
Fonte ACI Ciências ULisboa

Quando há 50 anos, em julho de 1969, astronautas norte-americanos (missão Apollo 11) pousaram pela primeira vez na Lua as suas impressões registaram uma imensa desolação. O ambiente, sem vida ou atmosfera, que aí foram encontrar quadrava bem com o nome atribuído à grande planície crivada de crateras onde haviam chegado: o Mar da Tranquilidade.

De facto, embora tranquilo não se trata de um mar. Como é que a região ganhou esse nome? Na verdade, a resposta encontra-se na longa história da Selenografia, a arte/ciência que se ocupou da cartografia da Lua. Desde que Galileu Galilei (1564-1642) realizou as primeiras observações detalhadas da Lua com o telescópio que foram notadas semelhanças com aspetos da geografia terrestre. Desse modo, vários autores, por analogia com a Terra, e pensando tratarem-se de mares começaram a designar as grandes manchas escuras e planas como tal. No século XVII, com a melhoria da qualidade dos telescópios, seriam publicados mapas que incluíam sistemas de nomenclatura dos principais acidentes topográficos da Lua.

Destacaram-se em meados do século as propostas de Johannes Hevelius (1611-1687) e Giovanni Battista Riccioli (1598-1671). Este último, um jesuíta Italiano, publicou em 1651 no seu livro Almagestum novum um mapa, realizado em colaboração com o companheiro Francesco Maria Grimaldi (1618-1663), onde apresentava uma nova nomenclatura para a face visível da Lua. A proposta, depois de avanços e recuos, veio a constituir a base da nomenclatura que ainda hoje usamos. Por isso para encontrar a origem do nome basta olhar com atenção para o mapa de Grimaldi-Riccioli: em pouco tempo localizamos a legenda Mare Tranquilitatis.

Nota da redação
Luís Tirapicos é um dos organizadores da exposição "Cartografia Histórica da Lua - Nos 50 anos da Apollo 11", patente na Galeria Ciências até 31 de outubro.

Luís Tirapicos, investigador do Departamento de História e Filosofia das Ciências e Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

Sessões dias 24 e 25 de junho 2013

"Gás de Xisto"?! Sim? Não? Porquê? Como? Onde?

Cerimónia de escritura do Instituto do Petróleo e do Gás

A transferência de conhecimento e tecnologia para a sociedade faz-se mediante o reforço das relações entre as comunidades científica e empresarial. Para J. M. Pinto Paixão, diretor da FCUL, esta é a oportunidade ideal para constituir parcerias suportadas no conhecimento e no exercício de uma cidadania plena.

Acções de Formação em Geologia na FCUL / 2013

Departamento de Geologia da FCUL

Informações sobre o procedimentos de escolha de ramo na Licenciatura em Geologia, 2013-14, do Departamento de Geologia da FCUL.

Alunos de Estatística Aplicada da FCUL

Atualmente, o uso e a aplicação da estatística têm a sua razão de ser não apenas na legitimação da indução, mas também na possibilidade de incorporar a incerteza nas suas conclusões: outro testemunho da sua proximidade ao real.

 

O Departamento de Informática (DI), da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), convida as empresas e instituições para o estabelecimento de Parcerias e a submeter propostas de trabalhos na área de Engenharia Informática e da Seguranç

Sessão de esclarecimento dia 31 de maio 2013, 11h, anfiteatro 2.4.16

Colocação por unidade curricular- informação atualizada

 

Conhece as reais causas das expulsões de 1947? Como eram as relações da Faculdade de Ciências com o Instituto Superior Técnico? Uma das últimas edições da FCUL procura responder a estas e a outras questões.

Alexandre Ribeiro, criador do jogo Fangz destacado recentemente na App Store dos EUA, voltou àquela que foi a sua instituição de ensino superior, a FCUL, para partilhar experiências, curiosidades e dificuldades vivenciadas ao longo da conceção do jogo, aproveitando para responder às dúvidas dos interessados.

Conferência por Isabel Sacramento Grilo, Department of Geological Sciences SDSU, San Diego, California. EUA.

No âmbito do Ano Internacional de Estatística, a Sociedade Portuguesa de Estatística (SPE)  e o Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL)  promovem uma

Visitantes e colaboradores do Dia Aberto em Ciências comentam a iniciativa que em 2013 reuniu cerca de 1400 pessoas, entre alunos do básico e secundário e seus professores.

Inquéritos Pedagógicos. 2.º Semestre de 2012-13

Os Inquéritos Pedagógicos são uma ferramenta fundamental para a avaliação da qualidade do ensino na FCUL

Fangz, jogo criado por aluno da FCUL que conquistou a Apple

Alexandre Ribeiro, antigo aluno do Departamento de Informática da FCUL, é o primeiro português a conseguir destacar uma aplicação nacional na App Store dos EUA. Para além deste destaque, foi eleito jogo da semana no fórum da Touch Arcade, “o site de maior reputação no mundo dos jogos para plataformas móveis”.

Sessões de esclarecimento/apresentação

Secção Autonoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL

A Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências - SAHFC

 

DESAFIO SOCIETAIS 1, 2 E 5: HEALTH, BIO-ECONOMY, CLIMATE ACTION

IV Jobshop

“Os alunos e os responsáveis pelos recursos humanos das empresas participantes poderão dialogar e assim trocar informações úteis acerca dos métodos, oportunidades e critérios de recrutamento utilizados”, informa o presidente da AEFCL, Eduardo Matos.

Logotipo Cost

A próxima reunião do Comité COST, área de Chemistry and Molecular Sciences and Technologies realiza-se em  setembro, em Lisboa. Durante esse acontecimento a organização local prevê estudar, juntamente com os atuais e os antigos delegados a ações COST, novas formas de incrementar a participação portuguesa no Horizonte 2020.

“A parceria que temos [com a FCUL] contribuiu em larga escala para o desenvolvimento da Science4you”, comenta Miguel Pina Martins, a propósito do sucesso da empresa que soma novos galardões: o “Business Internationalization Award” e os Prémios Novos, na categoria Empreendedorismo.

Páginas