Entrevista com... Jorge Rezende

Prémio Abordagem Inovadora “SOS Azulejo 2012”

O Projeto SOS Azulejo existe oficialmente há seis anos. Para além de procurar combater a delapidação do património azulejar português – a Polícia Judiciária registou entre 2007 e 2012 uma diminuição de 80% dos furtos de azulejos históricos e artísticos – pretende igualmente sensibilizar a sociedade para a importância da conservação preventiva destes bens, por isso tem implementado várias iniciativas, como é o caso dos Prémios Anuais SOS Azulejo, instituídos em 2010.
A cerimónia de entrega de prémios aconteceu no passado dia 28 de maio, no Palácio Fronteira, em Lisboa. O trabalho de 14 pessoas e organismos foi alvo de distinção, mediante a atribuição de cinco menções honrosas, um prémio extraconcurso e outros oito prémios, entre os quais se destaca o Prémio Abordagem Inovadora, atribuído a Jorge Rezende. Em entrevista, o investigador conta como surgiu o seu interesse pela azulejaria artística portuguesa.

Como surgiu o seu interesse pelo património azulejar português?

Jorge Rezende (JR) - Eu sou membro do Grupo de Física-Matemática e colaborador do Departamento de Matemática da FCUL. Consequentemente, interesso-me por Matemática e por Física. Ora um dos temas que estão muito presentes em ambas as áreas são os grupos de simetria. Eu sempre gostei de fazer desenho geométrico e sempre me interessei pelos azulejos e seus painéis e pela calçada portuguesa pela sua beleza, pela arte, e porque têm potencialidades científicas, estéticas e didáticas praticamente ilimitadas. Os azulejos são particularmente adequados ao estudo das simetrias; com muitas cópias de um só azulejo pode-se fazer painéis de grande beleza e com diferentes grupos de simetria; nessa tarefa podemos envolver estudantes de todas as idades que, assim, se iniciam na Ciência e na Arte; uma arte com tradições tão portuguesas, afinal.

Comecei a estudar, sistematicamente, os azulejos e as calçadas de Portugal e do Brasil há pouco mais de dois anos. Decidi concentrar-me apenas nestes dois países porque temos um património comum extremamente rico e original. Fiz inúmeros desenhos de azulejos e calçadas já existentes, como pode ser visto no meu blogue “Polýedros”, que constitui uma espécie de “diário”.

 

Jorge Rezende durante a atribuição do Prémio Abordagem Inovadora “SOS Azulejo 2012”
Os Prémios Anuais SOS Azulejo foram instituídos em 2010
Fonte Paulo Fernando para o “Projeto SOS Azulejo”

Há apenas uma influência que veio de fora, que é a do holandês M. C. Escher. Há muitos anos que admiro os seus desenhos periódicos com as suas simetrias das cores e das formas. Fiz dezenas de painéis de azulejos geométricos com uma matemática mais sofisticada a que dei o nome de “Variações em azulejos”. Um deles esteve exposto no Museu Soares dos Reis, no Porto, de 19 de janeiro a 24 de fevereiro, deste ano, no âmbito da exposição “Ciência e Arte”.

O que é que lhe agradou mais no trabalho que submeteu ao Projeto SOS Azulejo?

JR - Em junho ou julho de 2011 dediquei-me a estudar em pormenor o azulejo de 1966 de Eduardo Nery. Este artista plástico tem obras por toda a cidade de Lisboa como por exemplo os pavimentos e os azulejos da estação de metropolitano do Campo Grande, bem perto do FCUL.

Rapidamente me apercebi que este azulejo de 1966 de Eduardo Nery só podia ser bem compreendido pelo estudo sistemático das propriedades geométricas dos seus painéis; assim, desenhei dezenas deles. Descobri propriedades inesperadas e interessantíssimas que depois levaram à definição/descoberta dos “azulejos articulados”.

Foi então que pedi uma entrevista a Eduardo Nery iniciando assim uma relação intensa de trabalho e até de amizade. Além de ter tido com ele uma longa conversa no seu “atelier”, trocámos dezenas de mensagens. No final de 2011 enviou-me uma que dizia o seguinte: «Não me posso esquecer de si neste final de ano de 2011, em que o conheci pessoalmente e em que passámos a dialogar em torno de azulejos meus que eu julgava esquecidos. Fico à espera em 2012 pelo artigo que pretende publicar sobre esta sua investigação». Tudo isto foi um grande incentivo e motivo de satisfação pessoal. O seu falecimento inesperado, em 2 de março deste ano, foi uma grande e irreparável perda.

Este não foi um trabalho que realizei para o submeter a um concurso, embora tenha acabado também por concorrer. O que me motivou foi a curiosidade e o prazer que me dava. O “convívio” com Eduardo Nery constituiu um grande incentivo; esses momentos foram os melhores. Houve gente que me escreveu, e não só de Portugal, lamentando a sua partida, queixando-se da “falta” que ele lhes fazia. Eu sinto o mesmo.

O ter feito um trabalho que foi científico, artístico e que pode ter aplicações na indústria cerâmica, faz parte, sem dúvida, também, do que mais me agradou.

Venceu na categoria de inovação, o que tem a comentar sobre este reconhecimento?

JR - Entreguei muito material para concorrer aos ‘Prémios SOS Azulejo 2012’: artigos científicos, desenhos originais de painéis e azulejos, vídeos, tudo o que fiz relativamente à classificação matemática e à divulgação, e que está no blogue “Polýedros”. Assim, só o júri, presidido pelo professor Vítor Serrão, da Faculdade de Letras, poderá dizer, ao certo, o que achou mais relevante. Na minha opinião, a descoberta dos “azulejos articulados” pode ter sido o fator que mais contribuiu para a atribuição do prémio “abordagem inovadora”. Os prémios não tinham propriamente “categorias”, o regulamento era muito aberto a todas as candidaturas que aparecessem. Fiquei muito grato ao “Projeto SOS Azulejo” dinamizado pelo Museu da PJ cuja diretora é Leonor Sá.

Quer deixar alguma mensagem?

JR - Gostaria de exprimir o desejo de que o trabalho que realizei tenha continuidade, contribua para o desenvolvimento e a renovação da azulejaria em Portugal. Só ficará completo se tiver, também, aplicação prática, industrial. Penso que, aí, a FCUL poderá ter uma palavra a dizer.

E para quem quiser saber mais sobre este material, deixo aqui as referências que pode consultar: [1] Jorge Rezende: Periodical plane puzzles with numbers, 2011. http://arxiv.org/abs/1106.0953; [2] Jorge Rezende: A contribution for a mathematical classification of square tiles, 2012. http://arxiv.org/abs/1206.3661; [3] Jorge Rezende: Um simples azulejo, 2012. (artigo para um livro de Teresa Saporiti); [4] Jorge Rezende: O azulejo articulado de Eduardo Nery, 2012 (revisto em 2013). (artigo publicado pela SBM no âmbito do Projeto Klein de Matemática em língua portuguesa) http://klein.sbm.org.br/o-azulejo-articulado-de-eduardo-nery-jorge-rezende/o-azulejo-articulado-de-eduardo-nery-1/; Filmes: [5] The magic of a Eduardo Nery tile (2012); [6] The magic of articulated tiles 13b02 (2012); [7] The magic of articulated tiles 15b01 (2012-2013); [8] The magic of articulated tiles 14b02 (2012-2013); [9] Intervenção na cerimónia de entrega dos Prémios 'SOS Azulejo' 2012 http://www.youtube.com/user/polyedros?feature=results_main; [10] Blogue: http://polyedros.blogspot.pt/

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt
Conceção artística de um exoplaneta semelhante a Vénus, em órbita da sua estrela

Uma equipa de investigadores escolheu um planeta a 106 anos-luz, com 1,37 vezes o diâmetro da Terra, descoberto em 2022, para apresentar a primeira simulação a três dimensões do clima de um planeta de tipo rochoso com as características que atualmente conhecemos em Vénus.

Grupo de alunos e professores

A 9.ª edição da final nacional das Olimpíadas Portuguesas da Geologia decorreu nos dias 3 e 4 de junho, no Centro Ciência Viva de Estremoz / Pólo de Estremoz da Universidade de Évora, com a participação de 25 estudantes vindos de diversas regiões do País, incluindo uma delegação dos Açores (São Roque do Pico).

Rádão

O professor do DQB Ciências ULisboa e investigador do BioISI Ciências ULisboa é o primeiro autor de um novo artigo publicado no jornal Physical Chemistry – Chemical Physics da Royal Society of Chemistry, onde foram estudados diferentes compostos de rádon e xénon - dois gases nobres – e onde as suas propriedades energéticas e de ligação química foram analisadas.

Fundo do oceano

Ricardo Melo, professor do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e investigador do MARE, integra o júri do Prémio Mário Ruivo – Gerações Oceânicas. As candidaturas da 3.ª edição deste prémio decorrem até 31 de julho.

Carlos Nieto de Castro

Carlos Nieto de Castro chegou à Faculdade em 1982 com a missão de criar uma escola de Termodinâmica e Processos de Transporte. Em abril de 2019 jubilou-se. Ainda assim, o seu trabalho enquanto investigador continua: todos os dias úteis chega à Faculdade pelas 8h30/9h00. Conheça o percurso do cientista.

3 alunos numa mesa, na semana da sustentabilidade

Neste Dia Mundial do Ambiente recordamos a Semana da Sustentabilidade, organizada por núcleos de estudantes da Faculdade, com o apoio da Associação de Estudantes e do Laboratório Vivo para a Sustentabilidade.

José Guerreiro, docente do Departamento de Biologia Animal e investigador do MARE, iniciou funções esta quinta-feira, dia 1 de junho, como presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Miguel Miranda e a plateia

O professor e geofísico Jorge Miguel Miranda deu a sua última aula na passada sexta-feira, e despediu-se do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, laboratório do Estado que presidiu nos últimos dez anos.

pessoas numa sala com computadores

Esta segunda-feira, dia 29 de maio, Ciências ULisboa recebeu a visita de Oksana Zholnovych, ministra da Política Social da Ucrânia, e Miguel Fontes, secretário de Estado do Trabalho. Os governantes visitaram uma turma durante uma ação de formação do programa UPskill, com o intuito de ficar a conhecer melhor este projeto.

12 finalistas do 3 MT

Patrícia Chaves foi distinguida com o segundo lugar, na primeira edição da competição 3MT – Três Minutos de Tese dinamizada pela Universidade de Lisboa. O pódio ficou completo com Catarina Botelho, em primeiro lugar, e Matteo Pisano, em terceiro lugar, ambos do Instituto Superior Técnico. Os nossos parabéns aos vencedores e a todos os finalistas!

Auditório com pessoas

Ciências ULisboa está de parabéns! 100% dos seus ciclos de estudos avaliados no segundo ciclo de avaliação (2017-2022) foram acreditados sem condições, pelo período máximo (seis anos), pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

Grupo de pessoas

Entre os dias 13 e 17 de março deste ano realizou-se a excursão geológica de campo na Bacia Lusitânica (bacia sedimentar mesozóica na região centro-oeste de Portugal), a pedido da SHELL e organizada pela empresa GeoLogica (Portugal), do geólogo Pedro Barreto, antigo aluno de Geologia da Faculdade.

Jorge Miguel Miranda

No próximo dia 26 de maio, pelas 11h00, terá lugar no Grande Auditório da Faculdade a cerimónia de jubilação de Jorge Miguel Miranda, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia na Ciências ULisboa, investigador do Instituto Dom Luís (IDL) e presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

oceano

José Guerreiro, professor do Departamento de Biologia Animal da Ciências ULisboa e investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), foi nomeado perito da World Ocean Assessment III junto da Division for Ocean Affairs and the Law of the Sea (DOALOS) – ONU.

Médicos avaliam funções respiratórias de bébe

Carlos Farinha, professor do Departamento de Química e Bioquímica da Ciências ULisboa e investigador principal do grupo de investigação em Fibrose Quística do Instituto de Biossistemas & Ciências Integrativas, foi distinguido com um financiamento de 220 mil USD (€ 204.100,57), pela associação Emily’s Entourage.

Filipa Rocha

A estudante de doutoramento na Ciências ULisboa e professora assistente no IST desenvolveu um sistema que utiliza blocos tangíveis para promover a aprendizagem digital inclusiva para crianças com deficiência visual, ensinando assim literacia digital e eliminando barreiras educativas.

cérebro

O primeiro grande modelo de Inteligência Artificial generativa para a língua portuguesa, para cada uma das variantes, do Brasil e de Portugal, gratuito, em código aberto e com acesso universal está disponível desde este mês e tem 900 milhões de parâmetros. "Trata-se de um marco histórico muito importante na preparação tecnológica da língua portuguesa para a era digital", diz António Branco, professor do DI Ciências ULisboa.

Joaquim Alvez Gaspar

Encontra a resposta a esta pergunta na exposição final do projeto Medea-Chart - As Cartas Náuticas Medievais e Renascentistas: origem, uso e evolução, inaugurada a 18 de maio, no Instituto Hidrográfico e em exibição até setembro deste ano. Joaquim Alves Gaspar, investigador principal do projeto, efetuou uma visita guiada à exposição.

Grande auditório com pessoas

A ULisboa é uma das melhores universidades portuguesas, segundo o portal Research.com, com 131 cientistas entre os mais influentes, dos quais 29 dizem respeito a investigadores, cujo trabalho tem sido realizado na Faculdade e nas suas unidades de investigação.

Rosto de Patrícia Chaves

Patrícia Chaves, atualmente no 3.º ano de doutoramento em Ciências ULisboa, está entre os 12 finalistas da primeira edição da competição Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa. A final tem lugar a 30 de maio, às 18h30, no Museu Nacional de História Natural e da Ciência da ULisboa. Patrícia Chaves está atualmente no 3.º ano do programa de doutoramento Biologia e Ecologia das Alterações Globais.

tejadilho de uma carro com paineis solares

Uma equipa de investigadores do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia e do Instituto Dom Luiz, está a recrutar voluntários para uma campanha de ciência cidadã, cujo objetivo é estimar o potencial da mobilidade solar, utilizando os próprios veículos. A campanha decorre no âmbito do projeto “Solar Cars”.

telescópio

Um grupo de cientistas da Ciências ULisboa e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, membros do CENTRA - Centro de Astrofísica e Gravitação, participam no desenvolvimento do Mid-infrared ELT Imager and Spectrograph (METIS), um poderoso instrumento que vai equipar o maior telescópio do mundo - o Extremely Large Telescope (ELT) – em construção pelo European Southern Observatory (ESO) em Armazones, Chile.

logotipo simpósio

O simpósio internacional sobre “Os impactos humanos na conetividade funcional dos ecossistemas marinhos” realiza-se entre 22 e 25 de maio, no Cineteatro Municipal João Mota, em Sesimbra. Mais de 100 investigadores, gestores marinhos e políticos de 30 países de todo mundo partilham as últimas descobertas na temática e discutem as políticas de gestão e preservação destes ecossistemas.

Sala de reuniões com várias pessoas sentadas

Volker Mehrmann esteve na Ciências ULisboa, em outubro de 2022, para participar na reunião do Comité Executivo da EMS, que pela primeira vez ocorreu em Portugal. “A comunidade matemática portuguesa orgulha-se de, ao longo das últimas décadas, ter colocado com cada vez maior intensidade e reconhecimento Portugal no mapa da Matemática europeia e mundial”, diz Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática da Ciências ULisboa, vice-presidente da EMS, presente nestas reuniões desde 2018.

imagem com linhas e ligações luminosas

O Centro de Matemática, Aplicações Fundamentais e Investigação Operacional em conjunto com o Centro de Estudos de Gestão do Instituto Superior Técnico tem vindo a organizar a série "Workshop on Combinatorial Optimization". A 4.ª edição do evento terá lugar no próximo dia 8 de maio, em formato online.

Páginas