Tejo recebe catamarã solar

Última Revisão —
 BARCOSOLAR.EU

Durante a Nauticampo, a BARCOSOLAR.EU realizou testes de navegação. As condições navais em Portugal são diferentes da Polónia. Sara Freitas e alguns membros do grupo Energy Transition do Instituto Dom Luiz participaram em alguns desses passeios

ACI Ciências

O Festival Solar Lisboa oferece atividades pensadas para toda a família, tais como a possibilidade de visitar uma casa autossustentável e degustar refeições confecionadas em fornos solares. Algumas delas são promovidas pela Faculdade de Ciências, caso da condução de protótipos de triciclos com painéis fotovoltaicos na cobertura; do relógio de sol representado ao nível do chão ou das atividades experimentais - robot pintor, cidade solar e carrinhos solares - pensadas para crianças e jovens. Nesta ode ao Sol de quatro dias não vão faltar exemplos do que de melhor se faz em ciência e em tecnologia, sempre com um cariz lúdico e pedagógico.

Em maio de 2018, entre os dias 17 e 20 de maio, acontece o Festival Solar Lisboa, na Central Tejo/Fundação EDP, antigo Museu da Eletricidade.

Sara Freitas, doutoranda de Sistemas Sustentáveis de Energia entregou a tese em fevereiro e neste momento colabora na preparação deste Festival, organizado conjuntamente pela Câmara Municipal de Lisboa, Lisboa E-Nova - Agência de Energia e Ambiente de Lisboa e Fundação EDP.

O Festival Solar Lisboa é partner event da EU Green Week 2018 e insere-se na estratégia Lisboa Cidade Solar. Entre as atividades a desenvolver neste Festival, todas de acesso livre, encontram-se passeios de catamarã movido a energia solar – o SOLLINER da BARCOSOLAR.EU, que esteve presente no Salão Internacional de Navegação de Recreio, Desporto, Aventura, Caravanismo e Piscinas, ocorrido entre 4 e 8 de abril, no Parque das Nações.

Durante a Nauticampo, a BARCOSOLAR.EU realizou testes de navegação. As condições navais em Portugal são diferentes da Polónia. Sara Freitas e alguns membros do grupo Energy Transition (ET) do Instituto Dom Luiz (IDL) participaram em alguns desses passeios.

“Foi muito agradável”, conta Sara Freitas, cuja área de investigação é o fotovoltaico. A jovem, premiada em 2013 com o Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian, estudou durante quatro anos como é que se podem colocar painéis solares fotovoltaicos em edifícios e como é que é possível maximizar essa produção de energia, uma tese integrada numa visão das cidades do futuro – cidades solares.

O ET do IDL, atualmente coordenado por Miguel Centeno Brito, conta com cerca de 27 membros, entre professores, investigadores e alunos de doutoramento e procura contribuir com conhecimento para a transição para um sistema energético com baixas emissões de carbono, em consonância com as prioridades da União Europeia em matéria de energia segura, limpa e eficiente.

As atividades de investigação deste grupo dividem-se em três áreas principais, incluindo energias renováveis, energia nos edifícios e análise de sistemas. A finalidade também é trazer ideias inovadoras para a sociedade e indústria e nesse sentido contam com vários parceiros empresariais e académicos, como é o caso da EDP e do MIT, em estreita colaboração com outros grupos do IDL, nomeadamente no que diz respeito à mudança de clima.

Passeios ecológicos pelo Tejo

Uma das viagens em abril durou uma hora, outras cerca de 15/20 minutos. Como a grande especialidade deste grupo do IDL é o fotovoltaico, “viemos dar uma visão crítica”, comenta a jovem “apaixonada” pela energia fotovoltaica e pela comunicação de ciência, declarando ainda que o mecanismo usado é o que estavam à espera.

A BARCOSOLAR.EU pretende investir no turismo sustentável em Lisboa, organizando cruzeiros turísticos, "amigos do ambiente", da Praça do Comércio até ao Oceanário. Em maio vão ser uma das apostas do Festival Solar Lisboa, proporcionando aos visitantes passeios de cerca de 15 minutos, em Porto Brandão-Belém. 

Beata Mordawska, project manager da BARCOSOLAR.EU, refere que há pessoas interessadas, por isso é importante realizar estes passeios. “Portugal tem muito potencial. Nós [polacos] temos 500 horas de sol e aqui são 3 mil! As baterias estão a carregar muito bem”, comenta acrescentando que “o rio Tejo é muito interessante”.

O SOLLINER pertence à BARCOSOLAR.EU, foi produzido na Polónia pela Green Dream Boats, ainda que o motor ecológico tenha sido fabricado na Alemanha. Esta embarcação leve inspirada no modelo 356 da Porsche é considerada um iate solar de luxo, com capacidade até dez pessoas. É silencioso e não emite gases poluentes sendo composto por quatro painéis fotovoltaicos na cobertura, que fornecem energia permanente ao motor e permitem carregar as baterias, possibilitando viagens até 18 horas sem sol. Em 2015 foi distinguido como melhor produto eco e em 2017 foi premiado como produto do ano, pelo seu bom desempenho.

Ana Subtil Simões com Raquel Salgueira Póvoas, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Entrevista com… Sara Freitas
Comunicar pelo telemóvel

Andreia Santos, psicóloga do Gapsi, menciona a importância de se resgatar a dimensão humana das relações, considerando um elemento muito importante para a sensação de descanso, especialmente em período de férias.

João Pires da Silva

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com João Pires da Silva, professor do Departamento de Química e Bioquímica que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia deste site.

Assembleia Geral da EMS em Praga

Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática de Ciências e presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, foi eleito membro da Comissão Executiva da European Mathematical Society.

Terreiro do Paço em Lisboa

A primeira iniciativa do ciclo Alterações Climáticas: Impactos Biológicos e Socioeconómicos é organizada por Ciências. O próximo evento desta rede ocorre em julho e está a ser preparado pelo Instituto Superior de Agronomia.

Centro Cultural de Montargil, Ponte de Sor

O Centro Ciência Viva do Lousal (CCVL) – Mina de Ciência recebeu o prémio Melhor Projeto Público 2017. A Faculdade é membro associado e fundador da Associação CCVL garantindo a atualização e o rigor dos conteúdos comunicados.

Marta Aido junto ao globo terrestre

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de junho é com Marta Aido, que trabalha no Instituto Dom Luiz.

Novos mapas de risco de incêndios florestais para 2018 resultam de um trabalho conjunto entre engenheiros florestais, estatísticos e climatólogos.

Fotografia do setup experimental

O professor do Departamento de Biologia Vegetal e membro da COST Action FA1306, que chegou agora ao fim, faz um balanço da rede transeuropeia e dá-nos a conhecer o projeto INTERPHENO e que poderá ser o primeiro passo para a constituição de uma rede nacional de fenotipagem.

Torre de pedras

"Associada à ideia de perfeccionismo surge a luta por objetivos elevados e irrealistas". Mais uma rubrica da psicóloga Andreia Santos.

Margarida Amaral

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com Margarida Amaral, professora do DQB e coordenadora do BioISI e que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia deste site.

“The Medieval and Early Modern Nautical Chart: Birth, Evolution and Use”

Joaquim Alves Gaspar, distinguido em 2016 com uma starting grant, a primeira a ser atribuída a um membro de Ciências, volta a “encantar” o Conselho Europeu de Investigação.

Uma mão com enguias

Ciências organiza a primeira reunião do projeto europeu, na qual participam mais de 50 especialistas portugueses, espanhóis e franceses, com o objetivo de debater formas de recuperação da enguia-europeia.

José Avelino Pais Lima de Faria,o proeminente cientista de 92 anos, antigo aluno de Ciências - licenciou-se em Ciências Físico-Químicas em 1950 - volta colaborar com a Faculdade, com um artigo sobre a atividade científica, selecionando para o efeito um conjunto de eminentes personalidades. Dois dias após a publicação deste artigo, J. Lima-de-Faria faleceu. A Faculdade lamenta o triste acontecimento e apresenta as condolências aos familiares, amigos e colegas.

Oradores do Ignite IAstro na Assembleia da República

No âmbito da efeméride ocorreu uma sessão do Ignite IAstro na Assembleia da República. O Dia Nacional dos Cientistas é celebrado desde 2016.

Grande auditório

A nova direção de Ciências para os próximos quatro anos tomou posse a 15 de maio de 2018. Luís Carriço é o novo diretor e a sua equipa conta com cinco subdiretores: Margarida Santos Reis, Fernanda Oliveira, Jorge Maia Alves, Hugo Miranda e Pedro Almeida.

Logotipo

A final nacional da 14.ª edição das Olimpíadas de Química Júnior ocorreu a 12 de maio no Departamento de Química e Bioquímica de Ciências. Os melhores classificados podem vir a integrar a equipa portuguesa que participará na European Science Olympiad, em 2019.

Pint

O Pint of Science traz para bares portugueses e internacionais assuntos científicos de forma descomplicada.

Beatriz Lampreia

O que fazem e o que pensam alguns membros da comunidade de Ciências? O Dictum et factum de maio é com Beatriz Lampreia, assistente técnica do Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica.

Marés

Investigadores de Ciências identificaram um novo ciclo global de marés que ocorre ao longo de grandes escalas de tempo geológico.

Sara Silva

Sara Silva, investigadora do Departamento de Informática, do BioISI – Instituto de Biosistemas e Ciências Integrativas e investigadora convidada da Universidade de Coimbra, ganhou o EvoStar Award 2018, um galardão que reconhece a qualidade e o impacto mundial do trabalho desenvolvido ao longo da sua carreira na área da computação evolucionária.

Pedro Castro

Nesta fotolegenda destacamos uma passagem da entrevista com o engenheiro químico Pedro Castro e que pode ser ouvida no canal YouTube e na área multimédia deste site.

Alunos no Campus de Ciências

"É necessário um equilíbrio entre aquilo que eu e o outro precisamos", explica a psicóloga Andreia Santos, na sua rubrica habitual.

CAP

A 8.ª conferência Communicating Astronomy with the Public, ocorrida em março, no Japão, juntou mais de 450 comunicadores de ciência, de 53 países. João Retrê, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço foi um deles.

relógio solar

“O que é o Planeta Terra?” foi a questão que marcou o início dos workshops “Relógio Solar” e “Robot/Pintor” que decorreram no passado dia 9 de abril na Faculdade de Ciências e que contaram com a participação de 15 alunos do Colégio da Beloura em Sintra com idades entre os 4 e os 5 anos.

Rosto do investigador

O prémio é concedido pelos editores do Journal of Coordination Chemistry a um jovem químico, autor do melhor artigo do ano. Pela primeira vez é atribuído a um português, no âmbito de um trabalho realizado por investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, nomeadamente no Centro de Química e Bioquímica e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas .

Páginas