Do incêndio da Politécnica aos C´s

A “outra” Faculdade

Escola Politécnica

Para os mais novos, o “fogo na Politécnica” é apenas uma história que ouviram contar. Para os mais velhos foi um pesadelo por que passaram, uma dor pela perda e uma angústia pelo desconhecido

Rui Santos, aluno do 3.º ano de Biologia, ano letivo 1977/1978
Rosto de Maria Amélia Martins-Loução
Maria Amélia Martins-Loução
Imagem cedida por MAML

Passaram 40 anos do incêndio da “outra” Faculdade. São já poucos os que vivenciaram, alguns os que ficaram marcados. Para os mais novos, o “fogo na Politécnica” é apenas uma história que ouviram contar. Para os mais velhos foi um pesadelo por que passaram, uma dor pela perda e uma angústia pelo desconhecido. Como esquecer as correrias entre o que restava da Politécnica, a 24 de Julho e os edifícios do Campo Grande? A dispersão e o afastamento foi marcante. Não sei o que custou mais: se o cansaço para motivar e dar alento aos estudantes, se a solidão por perda de identidade da Faculdade de Ciências. Cada grupo procurou arranjar o seu espaço, resolver o seu problema e assegurar a sobrevivência da sua investigação.

Em 40 anos construímos uma nova identidade e relançámos a marca FCUL: com força e determinação conseguimos ser como Fénix e renascer das cinzas. Com muito suor e lágrimas fizemos uma Escola que se orgulha do seu campus, com condições laboratoriais adequadas a uma leccionação e investigação moderna, com um corpo docente e não docente que pensa em termos de escola.

Somos actualmente uma pequena árvore, viçosa, resiliente à poluição, com algum raizame profundo que nos permite resistir a invernias e tempestades. Mas a manutenção não pode ser descurada: obras de conforto (elevadores, climatização de salas), remodelação de infraestruturas de rede (audiovisuais em salas e laboratórios, wi-fi contínuo, videoconferência), são pequenos e eternos ajustes que engrandecem a imagem.

Sem saudosismos e com lucidez devemos manter viva a memória da “outra” Faculdade. Sem complexos e com orgulho devíamos, também, saber manter vivas as ligações com a “Politécnica”.

Nota de redação: A autora não segue o atual Acordo Ortográfico.

Maria Amélia Martins-Loução, professora do Departamento de Biologia Vegetal de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Chamas na Politécnica – 1978

No penúltimo dia de março realiza-se a quinta e última sessão do workshop destinado a preparar os estudantes para a obtenção do 1.º emprego.

 

Alunos da FCUL

A Schlumberger realiza uma sessão de recrutamento em Ciências. As grandes empresas procuram os melhores profissionais. A FCUL apoia a inserção profissional dos seus diplomados.
 

O evento é uma organização conjunta da Norton/Symantec e do mestrado em Segurança Informática do DI-FCUL.

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas