Prémio Nobel da Física 2017

“Uma descoberta que abalou o mundo"

O Prémio Nobel da Física de 2017 foi atribuído a Rainer Weiss, Barry Barish e Kip Thorne

Ilustrações de Niklas Elmehed | Nobel Media AB 2017

Francisco Lobo
Imagem cedida por FL

O Prémio Nobel da Física de 2017 foi atribuído a Rainer Weiss (MIT), Kip Thorne (CalTech) e Barry Barish (CalTech), pelas suas “contribuições decisivas para o detetor LIGO (Laser Interferometer Gravitational wave Observatory) e a observação das ondas gravitacionais”. Ao anunciar o prémio, a Real Swedish Academy considerou-o como "uma descoberta que abalou o mundo".

De facto, o abalo surgiu no dia 11 de fevereiro de 2016, quando o LIGO anunciou uma descoberta histórica: a primeira deteção direta de ondas gravitacionais. O LIGO é um projeto que envolve mais de 1000 cientistas e tem como missão principal observar ondas gravitacionais. Estas ondas foram previstas por Einstein, em 1916, na sua teoria da gravitação, a Relatividade Geral. A descoberta das ondas gravitacionais é uma das últimas peças para a confirmação da teoria da gravitação.


Fases de uma fusão de dois buracos negros, registada nos sinais detetados pela LIGO. Durante a fase inspiral, ambos os buracos negros aceleraram a velocidades muito elevadas. A fusão final resultou num único buraco negro e na emissão de ondas gravitacionais 
Fonte LIGONSFAurore Simonnet (Sonoma State U.)

Weiss teve um papel predominante, na década de 1970, ao ser um dos primeiros físicos a desenvolver o conceito de interferometria de laser na deteção de ondas gravitacionais. Thorne foi o grande teórico do projeto e Barish tornou-se coordenador do LIGO a partir de 1997. Este último, reorganizou o projeto e fundou uma colaboração científica mundial, com o intuito de analisar os dados.

Mas, qual a importância e a utilidade desta descoberta? A sua importância é histórica, pois encaixa a última peça que faltava para provar a validade da teoria de Einstein. Abre uma nova janela para os cientistas estudarem objetos que não emitem luz e fenómenos violentos, tais como as colisões de buracos negros, permitindo explorar e compreender melhor o próprio Universo. É muito provável que a tecnologia de ponta desenvolvida e utilizada no LIGO, venha a ter aplicações no nosso dia-a-dia, no futuro.

Francisco Lobo, investigador do DF Ciências e IA
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

A cientista Ana Russo, investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), visitou duas escolas básicas do concelho de Sintra no dia 23 de abril para rea

Branca Edmée Marques, cientista alumna de CIÊNCIAS

Branca Edmée Marques, alumna de CIÊNCIAS, será homenageada no dia 20 de junho pelos Museus da Universidade de Lisboa

Margarida Fortes, docente do Departamento de Biologia Vegetal de CIÊNCIAS dá uma aula em frente a um quadro com uma projeção imagética

Margarida Fortes, professora de CIÊNCIAS, visitou a Escola Secundária de Carcavelos para dar uma aula acerca da edição genética.

Um grupo de membros de Instituições do Ensino Superior, onde se inclui CIÊNCIAS, está reunido em frente a um jardim, em visita à Siemens

 A iniciativa teve como objetivo aproximar a academia do tecido empresarial.

Nuno Gonçalves alcança o segundo lugar na competição 3MT ULisboa.

Nuno Gonçalves foi distinguido com o segundo lugar, na final da competição ‘Três Minutos de Tese – 3MT ULisboa’, que se realizou esta quint

Inês Ventura

Inês Ventura, a desenvolver o seu doutoramento no Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) e no Instituto de Biossistemas e Ciências Integrativas (

Universidade de Lisboa

A Universidade de Lisboa alcança a 260ª posição no QS World University Rankings (SUR) 2025, tornando-se na universidade portuguesa mais bem classificada neste ranking.

Signatários do acordo

Dia 5 de junho foi assinado o acordo para a construção do espectrógrafo ANDES (ArmazoNes high Dispersion Echelle Spectrograph – Espectrógrafo Echelle de alta dispersão do Armazones), entre o Observatório Europeu do Sul (

 Luís Carriço, Diretor de CIÊNCIAS, e David Gonçalves, Dean do Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ) assinam acordo sentados a uma mesa

CIÊNCIAS assinou no dia 5 de junho um acordo de cooperação com o Instituto da Ciência e do Ambiente da Universidade de São José (USJ), com vista à cooperação científica em várias áreas de interesse comum.

Equipa do projeto 'Ciências em Harmonia'

Esta terça-feira, 28 de maio, o projeto ‘Ciências em Harmonia’ assinalou o seu primeiro ano de atividades: um marco comemorado com um convívio informal com a comunidade, que

António Branco

António Branco, docente do Departamento de Informática de CIÊNCIAS, foi um dos oradores convidados da conferência que

Sabemos que no futuro um sismo de magnitude significativa voltará a atingir Lisboa. Não sabemos é quando. E se o pudéssemos prever? E se existisse uma probabilidade forte de ser já em 2027?

Ana Santos, finalista 3MT ULisboa

Ao longo dos próximos dias, daremos a conhecer os quatro finalistas de CIÊNCIAS que irão participar na final da competição

Painel e sessão de Perguntas & Respostas | Estreia de documentário

Perto de 120 pessoas assistiram este sábado, 25 de maio, à estreia do documentário ‘O que se esconde na luz? A ciência da missão espacial Euclid’, produzido pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Investigadores do Instituto Dom Luiz, de CIÊNCIAS, instalaram um sismómetro na Escola Básica Professor Delfim Santos, que se encontra a menos de um quilómetro do Estádio da Luz, em Lisboa, onde vão ter lugar os concertos.

Banner Bênção de Finalistas & Queima das Fitas 2024

Este fim de semana a Alameda da Universidade de Lisboa vai voltar a encher-se de finalistas de CIÊNCIAS e de tantas outras faculdades e universidades. A cerimónia de Bênção de Finalistas decorre amanhã dia 25 de maio, a partir das 11h30.

 

3MT ULisboa 2024

Quatro dos doze finalistas da competição ‘Três Minutos de Tese – Universidade de Lisboa’ são de CIÊNCIAS.

Pinguins-de-adélia

Num artigo agora publicado na Science, investigadores de instituições de renome a nível mundial propõem uma estratégia para envolver todas as partes interessadas na governança do Oceano Antártico através de um processo de ordenamento do espaço marinho (OEM) inteligente do ponto de vista climático.

Impressão artística da missão Euclides no espaço.

A 25 de maio (sábado), às 21h00, vamos ver e compreender as novas imagens de entre as maiores alguma vez feitas do Universo, no Grande Auditório de CIÊNCIAS (Edifício C3). A entrada é livre.

Redes Doutorais Marie Curie Projeto PROMOTE

CIÊNCIAS vai participar numa das propostas vencedoras do concurso 2023 das Redes Doutorais de Ações Marie Skłodowska-Curie (MSCA DN).

Páginas