Opinião

Colégio ULisboa POLAR2E

Reunião de arranque do Colégio POLAR2E

Reunião de arranque do Colégio POLAR2E

Gonçalo Vieira

Ciências ULisboa participa neste colégio com três centros de investigação: cE3c, IDL e MARE. A Faculdade está representada na Coordenação por Ricardo Trigo e na Comissão Científica por Emanuel Dutra, Vanda Brotas e Cristina Branquinho. O colégio dispõe ainda de uma Comissão Científica Internacional.

O lançamento do Colégio de Ciências Polares e de Ambientes Extremos (POLAR2E) ocorreu a 6 de março no Salão Nobre da Universidade de Lisboa (ULisboa). A reunião de arranque deste colégio decorreu uns dias antes, a 2 de março de 2020 em Ciências ULisboa.

O POLAR2E tem como objetivo criar sinergias entre equipas de investigação de excelência da ULisboa (IGOT, Ciências e Técnico) em áreas como as ciências da criosfera, a modelação climática, a ecologia de ambientes extremos, a deteção remota, a construção em ambientes extremos, a astrobiologia e a engenharia aeroespacial dentro da Universidade.

Uma das áreas estratégicas do POLAR2E é o estudo dos ecossistemas em ambientes polares e outros ambientes extremos como zonas áridas e zonas metalíferas onde a vida é altamente limitada pela disponibilidade hídrica e pelo excesso de metais, respetivamente.

Nesta área científica, pretendemos estudar e modelar os padrões de biodiversidade nestes ambientes extremos que estão sujeitos a uma rápida mudança global. A informação anterior permitirá construir indicadores globais dos efeitos destas mudanças nos ecossistemas de forma a rastrear o seu estado de saúde e avaliar a sua capacidade de fornecer diversos serviços de ecossistema à humanidade, como é o caso da regulação climática.

Outra área importante que vai ser abordada no âmbito do POLAR2E é a da modelação climática das regiões polares que são caracterizadas por algumas das taxas de aquecimento mais elevadas registadas nas últimas décadas.

Em particular a Península Antártica e todas as regiões polares acima do círculo polar Ártico registaram aquecimentos da ordem dos 30C nas últimas quatro décadas. Avaliar a resposta do fitoplâncton marinho às atuais condições de degelo por aquecimento oceânico é crucial para compreender o impacto das alterações climáticas na rede trófica marinha, bem na capacidade do oceano para fixar e sequestrar CO2 através da “bomba biológica do carbono”.

Perceber melhor os diferentes mecanismos de feedback positivo responsáveis por estes valores tão elevados é essencial para se modelar corretamente o clima da Terra.

Nota da redação:
Durante a cerimónia de apresentação do POLAR2E foi lançado ainda o Colégio Tropical (CTROP).

Cristina Branquinho e Ricardo Trigo, professores Ciências ULisboa; Catarina Guerreiro, investigadora MARE Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt

O DM está na Futurália

Para Duarte Flor, presidente da associação académica e aluno do 12.º ano em Ciências, é importante que os candidatos ao ensino superior visitem as instalações de uma faculdade.

Desenho de uma figura masculina

“Existe um espaço onde o sentimento de pertença a uma escola pode ser reavivado", afirma Miguel Ramos.

Aluna junto a uma das colunas do átrio do C6

A mostra pictórica da atividade científica da FCUL é inaugurada a 13 de março. Conheça as razões pelas quais deve visitar a exposição.

O que são líquidos iónicos? Num dos primeiros programas do ano, o Com Ciência entrevistou o professor e investigador da FCUL, Carlos Nieto de Castro sobre esta classe de solventes.

Desenho de uma figura masculina

A data de lançamento do livro ainda não é pública, mas o evento deverá ocorrer brevemente, na Faculdade de Belas-Artes da UL.

Ontem evocou-se o Dia das Doenças Raras. A fibrose quística é um desses males incomuns. A investigação científica é importante em todos os setores, mas ganha especial sentido em áreas como esta.

Cerca de 20 professores de Ciências da Natureza e Ciências Naturais de nove concelhos portugueses participam na atividade promovida pelo MNHNC-UL a decorrer até abril.

Imagem de um folheto promocional

A FCUL volta a marcar presença no evento, juntamente com outras unidades orgânicas da UL.

Fotografia com pontos de interrogação

Alunos finalistas aconselham Engenharia da Energia e do Ambiente. Testemunhos de Guilherme Gaspar e Ricardo Leandro.

Fotografia de mesa com cinco pessoas sentadas, na Reitoria da UL

A rede pretende formalizar colégios doutorais em áreas transversais. Opinião de Maria Amélia Martins-Loução.

Fotografia de pessoas sentadas num dos anfiteatros da FCUL

A iniciativa acontece a 17 de março e é organizada pelos Departamentos de Física e de Informática.

Fotografia de Dois voluntários, sentados junto a uma banca no átrio do C5

Em fevereiro estão abertas inscrições para a admissão de novos voluntários.

A FCUL participa em "Programa de Estudos Avançados" com mais quatro instituições universitárias portuguesas e brasileiras.

Vale a pena recordar a iniciativa do Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional da FCUL.

Fotografia de alunos a andarem, junto ao C8

A primeira edição do curso realiza-se já em 2012.

Outra forma de fazer turismo.

Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25.Artigo de investigadores do CeGUL e docentes do GeoFCUL no Top 25

O Encontro decorreu em Junho no GeoFCUL.

Páginas