Digital Health Summit 2022

Estudantes da Ciências ULisboa alcançam 3.º lugar em concurso de projetos H-INNOVA

grupo das raparigas e uma pessoa da organização

Raquel Rebordão, Mariana Oliveira, Leonor Pires e Inês Lima alcançaram um lugar no pódio do concurso

Premivalor

Quatro estudantes da Ciências ULisboa alcançaram o 3.º lugar no concurso de projetos da H-INNOVA - Health Innovation HUB, uma empresa de inovação no sector da saúde. O concurso decorreu no âmbito do Digital Health Summit 2022, um encontro internacional dedicado ao futuro dos cuidados de saúde, promovido pela empresa Premivalor.

O encontro, decorrido entre 14 e 17 de dezembro, aconteceu no Colégio dos Jesuítas e no Museu de Eletricidade, no Funchal. O programa contou com comunicações científicas, apresentações e mesas redondas sobre produtos, serviços e soluções, tendo como foco o potencial da utilização de tecnologia na saúde; foram igualmente abordados os principais desafios e oportunidades que a área enfrenta. Na iniciativa participaram especialistas de diversas áreas da saúde, ciência de dados e tecnologia, juntamente com decisores políticos nacionais e internacionais, incluindo da Comissão Europeia, e empresas públicas e privadas.

Mafalda e Rafael Cruz
Mafalda Cruz e Rafael Cruz concorreram com o projeto "The Golgi Printer"
Fonte RF

Durante o evento decorreu uma Pitch Ceremony, na qual estudantes, investigadores e startups apresentaram os trabalhos selecionados, no âmbito do concurso de projetos H-INNOVA. Na categoria dos estudantes concorreram dois grupos da Ciências ULisboa: Rafael Cruz e Mafalda Cruz com o projeto “The Golgi Printer - Development of extrusion-based bioprinter for surgery planning”; e Inês Lima, Leonor Pires, Mariana Oliveira e Raquel Sales Rebordão (IMAGI) com o projeto “Cloudia - A medical equipment for the control and relief of pain in pediatric patients with chronic pain”, grupo que ocupou o 3.º lugar do pódio nesta categoria, que lhes valeu um prémio no valor de mil euros em horas de mentoria com profissionais experientes na área.

A equipa IMAGI é constituida por quatro alunas do mestrado em Engenharia Biomédica e Biofísica, e contou com um mentor, o professor Nuno Matela.

O projeto apresentado tem como objetivo reduzir e controlar a dor crónica em crianças. A ideia nasceu na 3.ª edição do BioMind – Make it in 24 hours!, em fevereiro de 2021, concurso no qual as alunas alcançaram o 2.º lugar. O projeto foi depois desenvolvido no âmbito das aulas de mestrado, nomeadamente nas disciplinas Dispositivos Médicos I e Dispositivos Médicos II. Após pesquisa e contacto com pediatras, psiquiatras, terapeutas e pais, as alunas identificaram a importância deste problema, que afeta cerca de meio milhão de crianças em Portugal.

Uma vez que a dor crónica tem uma grande componente psicossomática, explicam as alunas, alguns exercícios de relaxamento permitem que a criança se abstraia, mudando o foco da dor para outras sensações. Fazendo uso de uns óculos de realidade virtual, o software Cloudia permitiria realizar exercícios, aceder ao histórico de tratamentos e estabelecer contacto direto com o médico.

Para as alunas, foi importante participar neste concurso para receber feedback sobre a validade e adequabilidade da ideia junto de investidores e médicos.

“A apresentação correu bem e o feedback foi positivo! Tivemos oportunidade de estar presentes em momentos de networking nos quais conhecemos outras iniciativas e startups interessantes!” Raquel Rebordão

Numa primeira fase, os grupos foram convidados a submeter vídeos de apresentação das ideias a concurso, cuja divulgação foi feita na página de Instagram da H-INNOVA, tendo os vídeos sido submetidos a votação por parte do público. O vídeo do projeto “The Golgi Printer” foi o vencedor deste desafio, o que permitiu ao grupo ser imediatamente seleccionado para apresentar o projeto na Madeira.

Rafael Cruz, aluno do mestrado em Engenharia Biomédica e Biofísica e a irmã, Mafalda Cruz, aluna da licenciatura em Química, desenvolveram a ideia de criar uma bioimpressora 3D para ajudar médicos no planeamento cirúrgico. A ideia surgiu ao aluno durante o mestrado, no âmbito da disciplina de Nanotecnologia, Robótica, Protésica e Medicina Regenerativa. Rafael Cruz começou a trabalhar neste projeto no FabLab Lisboa, onde se apercebeu da possibilidade de imprimir modelos 3D utilizando materiais biodegradáveis como ágar-ágar ou alginato de sódio. Neste campo, a irmã Mafalda contribui na produção das “receitas”, uma vez que se interessa pela área da Química Alimentar.

Com estes materiais, mais económicos e mais sustentáveis do que os plásticos atualmente utilizados, e com recurso a uma imagem médica, pensou em imprimir modelos anatómicos do cérebro humano, utilizando-os para fins médicos.

Nesta edição do concurso de projetos H-INNOVA participaram 175 estudantes, de 45 faculdades ou institutos, num conjunto de 448 concorrentes nas três categorias (estudantes, investigadores e startups). Na categoria dos estudantes, o 1.º classificado foi o projeto “PARAHEALTH”, da Universidade da Beira Interior e o 2.º foi o projeto “TouchRehab”, com estudantes do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Ao todo foram 18 os países a participar neste encontro internacional.

Após alguma pesquisa e prospeção junto de médicos cirurgiões, identificou a necessidade de utilizar estes materiais para replicar as características dos tecidos cerebrais, permitindo aos estudantes de medicina e profissionais simular uma situação real, testando a cirurgia antes de a realizarem. A impressão permitiria não só visualizar a anatomia das estruturas, como manipulá-las de forma mais tátil e real; permitiria uma preparação mais efetiva dos médicos para cirurgias específicas, reduzindo a possibilidade de falhas, o tempo de operação e o risco de infeção; permitiria igualmente contornar a escassez de materiais de prática médica, os cadáveres, atualmente muito utilizados pelos alunos.

“Acredito muito neste projeto, porque acho que esta ideia tem muito potencial e é uma ferramenta muito útil para os médicos.” Rafael Cruz

Embora o seu projeto não tenha “subido ao pódio”, Rafael diz que a participação valeu pela experiência e pela ajuda na criação de uma rede de contactos para futuros investimentos.

Nuno Matela enfatiza a importância do trabalho destes alunos, desenvolvido no âmbito das cadeiras do curso durante todo o ano letivo. Neste percurso, explica, os alunos desenvolvem várias vertentes de um projeto, incluindo a conceptualização, design, plano de licenciamento, auscultação de possíveis utilizadores e construção de um plano de negócios.

O professor acrescenta que, tendo em conta a experiência em participações passadas no mesmo programa, ainda que os grupos a concurso não vençam a competição, a presença na final pode ser muito importante para o prosseguimento do projeto, uma vez que alguns alunos beneficiam de contactos e apoios que de outra forma não teriam acesso.

"Da parte dos professores, é sempre um enorme prazer acompanhar estes projetos. Guiamos os alunos neste caminho e tentamos dar as bases para que os projetos sejam o mais sólidos possível, e é sempre um prazer ver reconhecido o mérito do trabalho desenvolvido. Resta-me dar os parabéns a todos pelo reconhecimento e pelo fantástico percurso que têm realizado na nossa faculdade.” Nuno Matela

Marta Tavares, Gabinete de Jornalismo Ciências ULisboa
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
ratinho ruivo

O ratinho-ruivo (Mus spretus) aprende a identificar que novos alimentos é seguro incluir na sua alimentação através do cheiro presente no hálito de outros ratinhos da sua espécie, segundo o artigo “Interaction time with conspecifics induces food preference or aversion in the wild Algerian mouse”, da autoria das cientistas Rita S. Andrade, Ana M. Cerveira, Maria da Luz Mathias e Susana A. M. Varela, publicado em agosto na revista Behavioural Processes.

vista de uma ilha para outra (Açores)

O Prémio Frederico Machado 2022-2023, o primeiro de índole científica a ser atribuído nos Açores, foi ganho pelas equipas lideradas por Mariana Andrade, aluna da Ciências ULisboa e investigadora do Instituto Dom Luiz (IDL), na área das Geociências, e por Pedro Afonso, investigador do Instituto de Investigação em Ciências do Mar da Universidade dos Açores (OKEANOS), na área das Ciências do Mar.

plantas com QR code do Relatório de Sustentabilidade

O primeiro Relatório de Sustentabilidade da Ciências ULisboa resulta da monitorização e análise de um conjunto de atividades enquadradas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), entre 2019 e 2021.

banner do evento

A EUPVSEC 2023 realiza-se de 18 a 22 de setembro de 2023, no Centro de Congressos de Lisboa. João Serra, professor do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da Ciências ULisboa, foi novamente convidado a ser o chairman da maior e mais importante conferência europeia dedicada à energia fotovoltaica. 

copa das arvores vista de baixo

Já são conhecidos os três vencedores da edição de 2023 do Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias, um prémio da Sociedade Portuguesa de Ecologia (SPECO) e da Fundação Amadeu Dias que procura valorizar o trabalho de recém doutorados ao longo do seu programa doutoral. No pódio estão duas alumnae da Ciências ULisboa.

apresentação do livro

Foi concluído recentemente o projeto “Aqua – O uso eficiente da água nos jardins da idade moderna”, um trabalho interdisciplinar que cruza as áreas da História da Ciência, a Engenharia Hidráulica e a Arquitetura Paisagista.

uma rapariga e um rapaz

Todos os anos a Faculdade atribui diplomas e prémios de mérito académico aos seus estudantes, com o apoio de várias entidades e empresas, que valorizam a missão da Faculdade e que passa por investigar, ensinar e estimular a transferência do conhecimento e da inovação e a abertura à sociedade civil.

Exoplaneta e núvens

A Agência Espacial Europeia validou o desenho dos instrumentos científicos da missão Ariel, que conta com a participação do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço. A missão vai observar a composição química de mil planetas em órbita de outras estrelas, e transformar a compreensão sobre como se formam e evoluem os sistemas planetários.

foto de grupo

No passado dia 26 de julho o Tec Labs - Centro de Inovação recebeu a visita de uma comitiva de representantes da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, Brasil, com o objetivo de conhecer em profundidade o ecossistema de empreendedorismo e inovação nacional e os seus principais stakeholders.

árvores no campus da Faculdade

Ciências ULisboa vai implementar no ano letivo de 2023/2024 o projeto “Ciências em Harmonia”. Comprometida com o bem-estar da sua comunidade estudantil e a promoção de competências individuais e sociais dos seus estudantes, a Faculdade vai procurar dar resposta a uma preocupação: a do bem-estar no ensino superior, envolvendo toda a comunidade académica na celebração da diversidade e promoção de inclusão. As atividades têm início já em setembro e vão prolongar-se durante todo o ano letivo.

logotipo do CWTS

ranking de Leiden, que avalia a produção científica de instituições de ensino superior a nível mundial, posicionou a ULisboa na liderança da Península Ibérica, colocando-a na 28.ª posição na Europa e no 131.º lugar a nível mundial.

enguia

No dia 26 julho, pelas 16h00, decorrerá na Ciências ULisboa a sessão de encerramento do projeto “Livro Vermelho e Sistema Nacional de Informação dos Peixes Dulciaquícolas e Diádromos de Portugal Continental”. O novo Livro Vermelho revela que os peixes de água doce e migradores diádromos se encontram numa situação preocupante.

3 raparigas a apontarem para um ecrã num laboratório

Acontece este ano mais uma edição do “Ser Cientista”. A 8.ª edição do programa, que decorre entre os próximos dias 24 e 28 de julho, visa proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica, pela integração no dia-a-dia dos cientistas de diferentes áreas de Ciências.

António Costa, Elvira Fortunato e Salomé Pais

Salomé Pais foi galardoada com a Medalha de Mérito Científico 2023, durante o Encontro com a Ciência e a Tecnologia em Portugal, decorrido no início de julho em Aveiro. Para a professora catedrática aposentada do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa esta distinção “simboliza o reconhecimento de uma vida dedicada à ciência”.

imagem de divulgação da exposição Mirabilia

É hoje inaugurada a exposição Mirabilia “Coisas Admiráveis”, que decorre no âmbito das comemorações dos 10 anos da ULisboa e do Dia da Universidade de Lisboa. A exposição integra objetos “admiráveis” das 18 escolas da ULisboa, entre eles um telescópio utilizado por um equipa da Ciências ULisboa na campanha internacional de observação “Venus Twilight Experiment”.

costa maritima

Carlos Antunes, foi nomeado vogal de reconhecido mérito da Comissão de Domínio Público Marítimo, um órgão consultivo da Autoridade Marítima Nacional que estuda e emite pareceres sobre os assuntos relativos à utilização, manutenção e defesa do domínio público marítimo.

Šima Krtalić

Šima Krtalić, aluna de doutoramento da Ciências ULisboa, afiliada ao projeto Medea-Chart, ganhou recentemente a décima edição do prémio "Imago Mundi" 2023 da referida revista académica, destinado a homenagear o melhor artigo em História da Cartografia.

Várias pessoas num sala

Ciências ULisboa participou na 3.ª edição do roadshow EA-IDEIA - Estrutura de Acompanhamento da Investigação, Desenvolvimento, Experimentação e Inovação da Armada, organizado pela Marinha Portuguesa.

Pedro Machado

Pedro Machado, investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e professor da Ciências ULisboa, foi homenageado pelo Grupo de Trabalho para a Nomenclatura de Pequenos Corpos (WGSBN) da União Astronómica Internacional (IAU), com a atribuição do seu nome a um asteroide, que tem quase três quilómetros de diâmetro e demora quatro anos e meio a dar uma volta ao Sol.

ave a voar em cima do mar

Um novo estudo internacional sobre a análise do risco de exposição ao plástico por aves marinhas identifica o Mediterrâneo como a região de maior risco a nível global. O artigo foi publicado na revista científica Nature Communications e conta com 18 cientistas portugueses, entre eles quatro investigadores da Ciências ULisboa.

foto dos tres finalistas

Filipa Rocha, estudante de doutoramento na Ciências ULisboa, alcançou o 2.º lugar do Prémio Jovens Inventores 2023, atribuído pelo Instituto Europeu de Patentes. O prémio corresponde a um valor pecuniário de dez mil euros. A cerimónia de entrega de prémios decorreu esta manhã, em Valência, Espanha.

fotografia de grupo

Foi assinado um protocolo de cooperação entre Ciências ULisboa, a FCiências.ID, o cE3c e a empresa dinamarquesa Copenhagen Infrastructure Partners, que visa a investigação e mitigação dos impactos da exploração eólica offshore ao largo da Figueira da Foz.

Logotipo da ACL

Cristina Branquinho e Isabel Trigo foram eleitas em 2023 respetivamente sócias correspondentes nacionais da Classe de Ciências -  Ciências Biológicas e Ciências da Terra e do Espaço – da Academia das Ciências de Lisboa (ACL).

O projeto EDUCOAST, promovido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera, desenvolve programas educacionais para diversos níveis de ensino e para profissionais, na área das geociências costeiras e marinhas, tendo como base o trabalho de campo e as práticas experimentais.

Conceção artística do telescópio espacial Euclid no espaço

A missão espacial Euclid da Agência Espacial Europeia (ESA) irá penetrar nos últimos 10 mil milhões de anos de história do Universo para tentar compreender pela primeira vez o que está a acelerar a expansão do Universo. O lançamento do telescópio espacial Euclid está previsto para 1 de julho. O telescópio vai observar durante seis anos mais de um terço do céu. A participação portuguesa na missão Euclid é coordenada pelo Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

Páginas