Projeto INTERPHENO pretende construir protótipo de fenotipagem

Entrevista a Jorge Marques da Silva

Fotografia do setup experimental

Montagem experimental para medição da refletância espectral em folhas de milho (Zea mays)

Margarida Calejo Pires

Sabe o que é fenotipar e por que razão é importante? De acordo com o comunicado de imprensa emitido recentemente pela Faculdade, fenotipar significa obter dados, sistemáticos e estruturados, preferencialmente quantitativos, sobre a estrutura e o modo de funcionamento das plantas, algo que deverá ligar o genótipo à performance agrícola, potenciando o melhoramento de culturas agrícolas e florestais.

Na entrevista que se segue, Jorge Marques da Silva, professor do Departamento de Biologia Vegetal, membro da COST Action FA1306, que chegou agora ao fim, faz um balanço da rede transeuropeia e dá-nos a conhecer o projeto INTERPHENO e que poderá ser o primeiro passo para a constituição de uma rede nacional de fenotipagem.

Jorge Marques da Silva
Jorge Marques da Silva
Fonte Vanda Silva

A Food and Agriculture (FA) COST Action FA1306, iniciada em 2014, terminou em maio de 2018. Que balanço faz da participação da Faculdade nesta rede transeuropeia?

Jorge Marques da Silva (JMS) - Esta, como todas as ações COST, teve uma estrutura aberta: houve uma comissão responsável pela gestão da ação, que incluiu representantes de todos os países aderentes (por Portugal, para além de mim, integrou o professor Miguel Costa, do Instituto Superior de Agronomia e a professora Carla Pinheiro, da NOVA), mas os participantes da rede foram todos aqueles que frequentam os cursos, integraram as missões científicas de curta duração ou estiveram presentes nas reuniões científicas que organizámos. Portugal destacou-se pela dinâmica da sua participação, e houve vários membros da FCUL – em particular, estudantes de doutoramento do BioSys – que participaram em várias iniciativas da ação. Além disso, a ação serviu também para que se continuasse a consolidar, em Portugal, uma comunidade de cientistas interessados na fenotipagem de plantas, e a nossa participação consolida o papel da FCUL nessa comunidade.

Portugal é um dos países mais ativos da Phenomen-ALL, no entanto, ainda não tem uma rede nacional de fenotipagem. Porquê?

JMS - Por várias razões, mas sobretudo por não existirem em Portugal plataformas de fenotipagem de alto débito. As redes nacionais e transnacionais têm-se organizado em torno desses equipamentos de alta tecnologia. Um conjunto alargado de instituições, liderado pelo ITQB/NOVA, submeteu, há alguns anos, uma candidatura para contemplar uma plataforma de fenotipagem no Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação, que não obteve financiamento. Em Portugal, como disse, há uma comunidade científica interessada em fenotipagem de plantas, com assinalável know-how, como o atestam as publicações de âmbito internacional que temos produzido, mas que recorre sobretudo a instrumentação ligeira, operada manualmente, que possibilita apenas uma fenotipagem de baixo débito, isto é, incapaz de processar um grande número de exemplares. Mas creio que, concluída esta ação – e tirando partido também da recente aprovação, pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, do projeto INTERPHENO, uma iniciativa do BioISI, que pretende construir um protótipo de fenotipagem – estarão reunidas as condições para avançarmos para a constituição de uma rede nacional.

 Na sua opinião, Portugal deve desenvolver recursos próprios nesta área e que permitirão participar em colaborações internacionais como parceiro plenamente capacitado. O que falta fazer para que isso aconteça?

JMS - A European Plant Phenotyping Network 2020 e o projeto EMPHASIS, em constituição, pretendem vir a oferecer serviços de fenotipagem de alto débito a investigadores de toda a Europa. Isso é, naturalmente, muito positivo, permitindo-nos aceder a tecnologias que não possuímos. Mas, estrategicamente, penso que não interessa a Portugal remeter-se a um papel de mero consumidor de tecnologia: temos recursos suficientes – inclusivamente na ULisboa – para participarmos ativamente no desenvolvimento desta tecnologia emergente. Não se trata de duplicar infraestruturas, mas antes de agir numa perspetiva de complementaridade. Em particular, estou convicto de que nos podemos individualizar através da incorporação da inteligência artificial no processo de fenotipagem, que é relativamente incipiente nas plataformas europeias já em uso. Para que isto seja possível, falta, sobretudo, vontade política e, concomitantemente, financiamento. O projeto INTERPHENO, que referi acima, poderá ser um primeiro passo na direção certa.

Ana Subtil Simões, Área de Comunicação e Imagem de Ciências
info.ciencias@ciencias.ulisboa.pt
Alunos informam-se sobre programas de mobilidade internacional

“É uma grande oportunidade que estou a ter, a Faculdade dá um grande apoio aos alunos. (…) Estou a gostar do convívio com os colegas, das aulas, das disciplinas e da cultura portuguesa”, sublinha Daniel Martins, aluno oriundo do Brasil a estudar Biologia na FCUL.

Pela 2.ª vez, o Dia Internacional proporcionou a divulgação de programas de mobilidade internacional junto dos alunos, esclarecendo dúvidas e curiosidades. Durante o acontecimento, trocaram-se experiências, conheceram-se hábitos e tradições de diferentes países e, acima de tudo, enalteceu-se o espírito de convívio em ambiente "além-fronteiras".

Candidaturas para Base de Recrutamento de Professores Auxiliares Convidados do DF

“MARAVILHAR-SE: reaproximar a criança da Natureza” 

Foi duplicado o espaço de armazenamento nas áreas de alunos. A nova quota é agora de 1 Gb.

 

Com o intuito de inovar e proporcionar os melhores temas aos alunos da Faculdade de Ciências no que diz respeito às novas tecnologias, a

David Luz e Pedro Machado, investigadores do Centro de Astronomia e Astrofísica da UL, fazem parte de uma equipa de investigadores que ao fim de dois anos conseguiu medir os ventos da atmosfera de Vénus a partir da Terra. Até então, só era possível fazê-lo recorrendo a sondas espaciais.

À semelhança dos anos anteriores o Departamento de Química e Bioquímica vai promover a realização de Ações de Formação para os professores do Ensino Básico e Secundário na modalidade oficina.

Encontram-se abertos concursos para recrutamento postos de trabalho de Professor Auxiliar, nas áreas disciplinares de Meteorologia, de Geofísica, de Engenharia Geográfica e de Oceanografia Física, Astronomia e Astrofísica, constantes do mapa de pessoal docente d

Empresa Outmind trabalha o conceito de marketing sensorial aliado à tecnologia

“Queremos dar a conhecer um novo espaço, uma nova marca, uma nova estratégia para o Tec Labs e também, claramente, incentivar as pessoas a terem uma atitude diferente face ao empreendedorismo”, sublinhou Luís Matos Martins, presidente do Conselho de Administração do Tec Labs.

Imagem alusiva à extração de óleos essenciais

Aquele que é hoje conhecido como o ISEO teve início em setembro de 1969, quando quatro cientistas da área da farmacognosia se reuniram, informalmente, em Leiden, na Holanda, para discutir problemas comuns, relacionados com a análise de óleos essenciais. Docentes/investigadores da FCUL participam, desde 1989, nesse congresso e já o organizaram por duas vezes.

Membros de uma tuna, durante uma atuação

Diário de bordo da nave Esperança. Uma viagem por um dos acontecimentos musicais da comunidade académica com especial tradição…

Pormenor de obra de arte

Invest in our future, invest in science”. A mensagem é clara, concisa e direta. Por um mundo melhor, um grupo de personalidades do Champalimaud Neuroscience Programme lançou recentemente um blogue no qual procuram sensibilizar a comunidade para a importância da ciência nas nossas vidas.

Está aberto concurso, até ao dia 07 de dezembro de 2012, para admissão de voluntários para a prestação de serviço em regime de contrato na Categoria de Oficial Técnico Superior Naval (TSN) e Oficial Técnico Naval (TN).

A sessão de encerramento contou com uma breve troca de ideias acerca dos novos desafios e possibilidades oferecidos pelo software Open Source, em particular, pela cada vez maior procura de formação em Quantum GIS.

Actividade no NanoLab do GeoFCUL

Dinâmica das zonas costeiras: conhecer para gerir

O Microsoft Windows 8 e Microsoft Office 2013 já estão disponiveis para download no seu Perfil de Utilizador (apenas Docentes e Funcionários).

Evolução da Complexidade Celular: Filosofia, Biologia Celular e Simbiose

Palestra no GeoFCUL

 

Paisagens do Mundo. Imagens da Dinâmica da Terra

 

Páginas