INEM - Formação em Suporte Básico de Vida

“Façam a diferença entre a vida e a morte, na vida de alguém”

campus anfiteatro
A sessão de formação teve uma componente teórica de 45 minutos onde foram esclarecidas dúvidas e transmitidas informações de grande importância sobre como salvar a vida de alguém
Fonte INEM

Sob a organização da Assessoria para a Segurança do Trabalho de Ciências em conjunto com o Instituto Nacional de Emergência Médica de Portugal – INEM -, a Faculdade realizou duas sessões de formação em Suporte Básico de Vida, no último mês de março. No total, nas duas sessões, houve 247 participantes, entre eles, alunos, professores, investigadores, funcionários não docentes e bolseiros.

A iniciativa deve-se, como explicou Júlia Alves, da Assessoria para a Segurança do Trabalho, “ao investimento que tem sido feito na implementação de medidas de primeiros socorros e no desenvolvimento dos elos da cadeia de sobrevivência: rapidez do socorro, ligando para a extensão 25205 para acionar a equipa de primeiros socorros, contacto com o 112, formação em suporte básico de vida e implementação do programa de desfibrilhação automática externa".

campus exercíco
“Era algo que queria fazer há muito tempo mas considero os cursos caros. Achei uma iniciativa muito boa, gratuita e que nos vai ensinar muitas coisas. Sinto-me mais segura agora para ajudar alguém que precise", partilhou Joana Rodrigues, aluna do mestrado em Biologia Humana e Ambiente
Fonte INEM

A sessão de formação teve uma componente teórica de 45 minutos onde foram esclarecidas dúvidas e transmitidas informações de grande importância sobre como salvar a vida de alguém, de acordo com a cadeia de sobrevivência, e foi completada com uma sessão de aplicação prática dos ensinamentos.

“Nestas formações, ensina-se, entre outros aspetos, a detetar situações de paragem cardiorrespiratória precocemente, a saber ligar o 112 rapidamente sabendo dizer o que é importante, e iniciar manobras básicas, como compressões torácicas, para manter alguma circulação e oxigenação dos órgãos vitais até à chegada de ajuda”, explicou o formador do INEM, Rui Rebelo.

Rúben Pedras, aluno do 3.º ano do curso de Biologia, deu conta de algumas informações que reteve na sessão teórica: “no auditório tivemos um briefing do que devemos fazer e do que não devemos fazer nestas situações de emergência. Aprendi imensas coisas. Tinha noção de que o número 112 era o número de emergência mas não fazia ideia que era um número europeu e não nacional, também não sabia que quem atendia estas chamadas era a Polícia e não o INEM. Acho que todos estes pormenores nos ajudam a perceber como é que, de facto, as coisas se processam e nos ajudam a evitar a crítica – ‘podiam ter vindo mais rápido’. Há toda uma hierarquia que tem de ser seguida e é importante que a percebamos”.
 

camçus exeercício
Legenda: Os ensinamentos transmitidos na formação podem ser conhecidos através do vídeo disponibilizado pelo INEM
Fonte INEM

No átrio do C3, alunos, professores, funcionários e investigadores, tiveram a oportunidade de assistir a uma demonstração de manobras de suporte básico de vida e posição lateral de segurança e de pôr em prática os ensinamentos.

Lisete Sousa, professora do Departamento de Estatística e Investigação Operacional, foi uma das participantes. “Todas as pessoas deviam ter esta formação, desde crianças”, contou. Quanto à aprendizagem adquirida, partilhou: “já presenciei situações em que percebi que se tivesse este conhecimento, talvez pudesse ter ajudado essas pessoas de uma outra forma. Depois desta formação, sinto-me mais capaz de poder intervir”.
 

Joana Rodrigues, aluna do mestrado em Biologia Humana e Ambiente, mostrou-se entusiasmada com esta oportunidade: “era algo que queria fazer há muito tempo mas considero os cursos caros. Achei uma iniciativa muito boa, gratuita e que nos vai ensinar muitas coisas. Sinto-me mais segura agora para ajudar alguém que precise”.

Para Inês Ramires, aluna do 2.º ano do curso de Biologia, a formação foi bastante importante já que já esteve em situação semelhante: “acho que na altura não ajudei muito, por isso decidi vir. Quanto mais souber, mais posso ajudar. Depois desta formação, acho que numa situação destas, não ficarei tão em pânico como fiquei [anteriormente]”.

Entre as várias mensagens a reter, Rui Rebelo assina a que “faz toda a diferença”: “salvar uma vida é a maior satisfação que existe para alguém. Como costumo dizer às pessoas, nas formações, que espero que nunca ponham em prática estes gestos mas, se for necessário, que façam a diferença entre a vida e a morte, na vida de alguém”.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt

“A inovação é tipo ‘ovo de Colombo’, depois de se saber, parece fácil. Só que ‘saber’ significa um longo caminho de amadurecimento do conhecimento”, declara Maria Filomena Camões, docente do Departamento de Química e Bioquímica da FCUL, a propósito da atribuição da Bolsa Europeia de Excelência de Investigação.

A. M. Galopim de Carvalho num dos geoparques

O pioneiro da Geoconservação em Portugal sente-se agradado pelo reconhecimento dos mais de 20 anos de serviço em prol da preservação e salvaguarda dos geoparques, considerando o tributo um importante incentivo para a defesa territorial, para a promoção da geodiversidade e para o desenvolvimento sustentável baseado no património geológico.

Isaac Carrêlo e Rita Almeida, alunos do curso de Engenharia e Energia do Ambiente e Eva Barrocas, do curso de Biologia, viajaram até Cabo Verde para fazer parte da equipa Turtle Foundation. Durante um mês de experiências intensas, protegeram tartarugas e levaram os ensinamentos apreendidos na FCUL até à comunidade local.

Mapa

O Memorando de Entendimento celebrado com Portugal estabelece oito áreas programáticas para a respetiva alocação de verbas para 2009/2014. A abertura de concursos para Portugal deve acontecer ainda este ano.

Palestra por Jennifer de Jonge

Centro de Biotecnologia Vegetal/IBB

Evolução Tecnológica e o Cadastro Territorial Multifinalitário no Brasil

VicenTuna anima Sessão de Boas-vindas

Receber os novos alunos numa sessão de boas-vindas é uma das tradições da FCUL. Agora, o espírito da cerimónia pode ser conhecido pela voz dos profissionais e alunos que fizeram parte da última sessão, através de uma reportagem multimédia presente na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

Pormenor de obra de arte

Atualmente, o antigo aluno da FCUL é post-doc na Universidade Federal do Rio Grande - Fundação Universidade do Rio Grande, no Brasil, sendo responsável por projetos na área da Biologia Antártica – Biologia Polar.

Miguel Ramos

Miguel Ramos, professor do Departamento de Matemática da FCUL, faleceu esta quinta-feira, dia 3 de janeiro. O corpo será velado no dia 5 de janeiro, entre as 17h00 e as 24h00, na Capela da Igreja das Furnas, em São Domingos de Benfica, assim como no dia 6 de janeiro, a partir das 12h00, seguindo-se a missa pelas 15h00. A cerimónia de cremação ocorre no Cemitério dos Olivais.

Miguel Ramos (1963-2013)

Estão disponíveis os calendários de exames do 2º ciclo para as seguintes áreas:

- Mestrados de Engenharia Geográfica e SIG

Repórter e câmara de filmar

Após as palavras , chegam os sons e as imagens  do dia em que a FCUL voltou a fazer parte da “Rota das Vocações de Futuro” da associação EPIS. A reportagem está disponível na página do YouTube da Faculdade, bem como na pasta de vídeos do Facebook.

 

O histórico de aluno no Portal da FCUL foi atualizado e renovado.

Relembramos que pode utilizar os vários meios ao dispor para deixar comentários ou sugestões sobre os serviços da FCUL.

Bruno Almeida, doutorado em História das Ciências pela Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências da FCUL e membro do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, ganha "Prémio Cultura 2012" atribuído pela Sociedade de Geografia de Lisboa.

Alunos informam-se sobre programas de mobilidade internacional

“É uma grande oportunidade que estou a ter, a Faculdade dá um grande apoio aos alunos. (…) Estou a gostar do convívio com os colegas, das aulas, das disciplinas e da cultura portuguesa”, sublinha Daniel Martins, aluno oriundo do Brasil a estudar Biologia na FCUL.

Pela 2.ª vez, o Dia Internacional proporcionou a divulgação de programas de mobilidade internacional junto dos alunos, esclarecendo dúvidas e curiosidades. Durante o acontecimento, trocaram-se experiências, conheceram-se hábitos e tradições de diferentes países e, acima de tudo, enalteceu-se o espírito de convívio em ambiente "além-fronteiras".

Candidaturas para Base de Recrutamento de Professores Auxiliares Convidados do DF

“MARAVILHAR-SE: reaproximar a criança da Natureza” 

Foi duplicado o espaço de armazenamento nas áreas de alunos. A nova quota é agora de 1 Gb.

 

Com o intuito de inovar e proporcionar os melhores temas aos alunos da Faculdade de Ciências no que diz respeito às novas tecnologias, a

Pages