Science Public Lectures

Simulação de uma proteína
Patricia Faísca

O projeto Ciência na UL lança uma nova iniciativa de divulgação científica – Science Public Lectures -, dedicada à multidisciplinaridade das proteínas, as moléculas da vida.

A primeira lição acontece sexta-feira, dia 25 de maio, pelas 18h00, no Amphiteatro de Chimica do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da UL. As próximas três lições realizam-se em junho, setembro e outubro e também se destinam ao público em geral.

Para as organizadoras do Ciclo - Maria José R. Gomes e Patrícia Faísca - “a compreensão do processo de folding (enrolamento e dobragem) de proteínas é considerado um dos problemas mais importantes da ciência atual (vide artigo “So much more to know”. Science 309:78-102, 2005) não só na sua componente mais fundamental, como também nas aplicações às ciências da saúde”. As investigadoras da FCUL acrescentam ainda que “mais que nunca, é preciso compreender este importante processo biológico, já que é um passo fundamental na procura de uma cura para patologias conformacionais”, como são o caso das doenças de Alzheimer, Parkinson, diabetes tipo II, etc..

Sophie Jackson, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido; Eugene Shakhnovich, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da Améria; Antonio Rey, da Universidade Complutense de Madrid, em Espanha e Marek Cieplak, da Academia de Ciências Polaca, na Polónia, compõem o painel de oradores da primeira série de lições, considerado pelas organizadoras um painel com “notáveis personalidades de reconhecido mérito internacional nesta área”, e que por sinal “têm colaborado com os Doutores Ciência da UL”.

Science Public Lectures é a quinta iniciativa do projeto Ciência na UL e tem como objetivo divulgar temas científicos de grande atualidade e importância. O próximo ciclo será dedicado às partículas.

Razões pelas quais não deve perder nenhuma lição do ciclo “Proteins, life's origamis”
Fonte: Maria José R. Gomes e Patrícia Faísca

1.ª “A Tangled Problem: the Structure, Function and Folding of Knotted Proteins”
Porque enrolar/montar uma proteína com um nó topológico é o processo de folding mais complicado e, por isso mesmo, o mais difícil de entender.
2.ª “Evolution: From atoms to organisms”
Porque aborda o problema da evolução biológica do ponto de vista meramente microscópico. Como é que as propriedades moleculares das proteínas de um dado organismo (incluindo folding, função e interações) afetam a fitness do mesmo (grosso modo, a capacidade de um organismo sobreviver e de se reproduzir).
3.ª ”Computers and proteins. Where the cyberspace meets structural biology”
Porque entender os processos do ciclo de vida viral, e, em particular, a entrada e desmontagem do capsídeo viral (uma concha protetora formada por proteínas) a um nível molecular é fundamental para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas para as doenças virais.
4.ª “Mechanostability of proteins and virus capsids”
Porque se mostra como é que a realização de experiências in silico (ou seja em computadores) contribui para a resolução do problema do folding.
 

Ana Subtil Simões, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL
info.ciencias@fc.ul.pt

Na cobertura dos edifícios da Universidade de Lisboa foi recentemente instalada a maior central fotovoltaica da cidade de Lisboa. Para além da bela vista sobre o Jardim do Campo Grande, vamos poder apreciar os desafios e o potencial dos telhados urbanos para produção de eletricidade solar.

A empresa SISCOG – Sistemas Cognitivos, SA, procura candidato para integrar a sua equipa.

J. A. Quartau

Na verdade, considerando apenas as abelhas, se estas fossem recompensadas pelo seu trabalho na polinização dos pomares e de outras plantas cultivadas, teríamos que lhes pagar como fatura anual global pelo menos setenta mil milhões de euros, a que seria ainda necessário adicionar várias centenas de milhões pelos lucros adicionais com a produção de mel e de cera.

Livre acesso a trabalhos dos cientistas laureados com o Prémio Nobel 2013

Palmira Carvalho, Raquel Barata e David Felismino

O Jardim Botânico deve, mais do que nunca e no futuro, ser encarado como um espaço de coesão urbana, fundamental e complementar ao espaço edificado e à sua articulação com a envolvente, em termos ecológicos, estéticos, culturais, históricos, sociais e económicos.

As aulas de Projeto Empresarial começam em fevereiro de 2014. Enquanto o 2.º semestre não chega, a FCUL desafia os alunos a testarem ideias no passatempo do Tec Labs Centro de Inovação da FCUL e quem sabe participar na 2.ª edição do YA Bootcamp.

8 de Novembro no GeoFCUL. Campo Grande, Lisboa.

Torre meteorológica

Para comemorar o seu aniversário, o IDL organizou uma pequena exposição com o título “160 anos do IDL: 150 anos do Observatório” a decorrer até ao dia 22 de novembro, no hall do edifício C6 da FCUL.

É fundamental que cada jovem se assuma como gestor da própria carreira, devendo ser dinâmico e proativo no que toca à sua inserção profissional.

Dynamics of calcite cementation

Conferência dia 14 de Novembro, 16h00, sala 6.1.36, C6, FCUL, Campo Grande, Lisboa.

Some scientific events are being organized by CIO's members.

To get a detailed list of those events and more informations, click here!

Para pesquisa de ofertas de emprego na área de Estatística consultar site:www.statjob.com

 

Nos termos previstos no Regulamento das Bolsas de Investigação do IHMT, informa-se que se encontra publicitado nos sites da FCT e do IHMT, o Edital do concurso para atribuição de uma

A FCUL vai ser representada pelas equipas Bytech e StackTracers compostas por alunos do segundo ano da licenciatura em Engenharia Informática.

Collapse Caldera Systems

Conferência no dia 28 de Outubro, 17h00, Edifício C6, FCUL, Campo Grande, Lisboa.

Teresa Chambel

“Multisensory Mixed Reality with Smell and Taste” é o título da palestra do orador convidado Adrian Cheok, professor de Pervasive Computing, na City University London, no Reino Unido.

A Corda Pelo Botânico

O encontro estava marcado para sábado, 19 de Outubro, pelas 16h para começar a esticar mais de 1 km de corda desde a Praça da Alegria e do jardim do Príncipe Real até ao Jardim Botânico.

A instalação de iluminação solar nas escolas remotas nas ilhas de São Tomé e Príncipe, perto do equador, na África Ocidental foi um dos objetivos deste projeto, que pretendeu contribuir para o aparecimento de um mercado local na área da energia solar fotovoltaica.

O modelo foi aplicado ao campus da FCUL mostrando que o aproveitamento da radiação solar nas fachadas dos edifícios permite duplicar o seu potencial solar.

A Qmetrics, SA, empresa de consultoria nas áreas de gestão, estudos de mercado e relacionamento com o cliente, oferece estágio profissional. O candidato deverá apresentar grau académico em

Apesar de já existir há dois anos e meio, numa altura do ano em que chegam à FCUL mais algumas centenas de novos alunos, é importante divulgar a existência do Sistema de Impressão da FCUL para alunos.

No âmbito da avaliação de unidades promovida em 2013 pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, o Centro de Matemática, Aplicações Fundamentais e

Oportunidades além-fronteiras

No decorrer do encontro entre a FCUL e o Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o professor João Graciano Mendonça Filho, responsável por este centro, em jeito de “convite” alertou: “O Brasil precisa de geólogos. Há falta de especialistas desta área no nosso país!”.

Pages