Verão na ULisboa

“Os sonhos são para realizar”

“Conhecer e experimentar o ritmo e espírito da vida académica” foi a proposta feita pela ULisboa, neste verão. Durante duas semanas, alunos dos ensinos básico, dos 8.º e 9.º anos, e secundário, dos 10.º, 11.º, 12.º anos, foram, veterinários, artistas plásticos, arquitetos, biólogos, advogados, escritores, engenheiros, entre outras profissões.

No total foram 21 os programas com diferentes atividades científicas, lúdicas e desportivas, à disposição dos estudantes, distribuídos pelas duas primeiras semanas de julho.


O Verão na ULisboa é uma iniciativa da Universidade de Lisboa que proporciona a oportunidade de conhecer e experimentar o ritmo e o espírito da vida académica
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

A Faculdade de Ciências da ULisboa participou nas duas semanas desta iniciativa convidando os alunos a “Investigar Ciências” na 1ª semana e, na 2.ª semana, a “Descobrir Ciências”.

Miguel Gonçalves, coordenador do Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura (GCIC) de Ciências, deu conta do processo de preparação do evento: “em Ciências, tudo foi preparado ao pormenor para que estes ‘futuros alunos’ pudessem desfrutar ao máximo esta sua experiência universitária, para muitos a primeira, de uma forma prática, objetiva mas também divertida”.


Os laboratórios de Ciências abriram-se para que os estudantes pudessem experimentar, investigar e descobrir
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Organizadas por áreas científicas, as semanas foram diversificadas em atividades. Quarenta “cientistas”, entre os 13 e os 16 anos, trocaram ideias com especialistas, manusearam equipamentos laboratoriais, participaram em workshops e atividades práticas, realizaram experiências, discutiram resultados e chegaram a conclusões.

“[Os estudantes] foram surpreendidos com conhecimento e confrontados com técnicas e laboratórios que os motivaram para voos mais altos. Isso transpareceu nos diálogos e atitudes, particularmente nos alunos do Ensino Secundário, [através] da dinâmica criada nos pequenos grupos, no gosto pelas experiências montadas, além do interesse geral pela ciência”, explicou o professor do Departamento de Física, Rui Agostinho.
 


"A avaliar pela satisfação no final das duas semanas, foi fácil constatar que alguns tinham pena de o tempo ter passado tão rápido", comentou o coordenador do GCIC
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Inês Ferreira, do 9.º ano da Escola Secundária Moinhos da Arroja, sempre gostou de ciências, quis “descobrir mais sobre esta temática”, e inscreveu-se no Verão da ULisboa. A área de maior interesse para si é a Biologia. Durante a sua passagem pela Faculdade quis perceber se seria esta a área a seguir no futuro. No final da semana, comentou: “consegui perceber que é mesmo isto que quero porque, para além das atividades, conversei com os monitores que me deram resposta a imensas dúvidas e curiosidades que trazia”.

Na área das Ciências da Vida e da Saúde, entre outras atividades, os alunos experimentaram a manipulação e clonagem molecular para estudo da função génica. Nas Ciências Físicas, compreender as aplicações dos lasers nas lentes oculares ou observar manchas solares com o telescópio, foram alguns dos desafios que entusiasmaram os jovens.
 


Durante duas semanas, os professores, investigadores e alunos de Ciências responderam às questões e curiosidades dos jovens cientistas
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Como é que o planeta Terra funciona desde o núcleo até à estratosfera? Como se desenvolve o aproveitamento da energia solar?, foram algumas das questões a que os alunos obtiveram resposta na área das Ciências da Terra e do Ambiente.

No que respeita às Ciências Químicas e Matemáticas, manipular elementos químicos que constituem a matéria, resolver enigmas matemáticos e compreender possíveis aplicações da Estatística e da Matemática no quotidiano, por exemplo, captaram a atenção dos participantes.
 


Organizadas por áreas científicas, as semanas foram diversificadas em atividades
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Nos dias dedicados às Tecnologias da Informação e Comunicação, os estudantes entraram no domínio da arquitetura de computadores e configuração de redes, superaram os diferentes desafios de programação que os engenheiros informáticos prepararam e compreenderam como a multimédia afeta o dia-a-dia da sociedade.

“Diversão”, “aprendizagem” e “experiência”, foram as palavras escolhidas por Ana Rita Ruivo, do 12.º ano da Escola Secundária Quinta do Marquês, para caraterizar a semana passada em Ciências. Para ela, passar alguns dias do seu verão aqui foi importante porque a ajudou a “clarificar que [assuntos] correspondem aos [diferentes] cursos” e também porque lhe permitiu “ [ter contacto com] experiências que nunca tinha feito”. Para além disso, a estudante de 16 anos reforçou as relações de amizade: “consegui fazer amizades com quase todos os colegas. Para melhorar este grupo, tivemos uns monitores ótimos, que nos apoiaram em tudo e que de certeza ficarão na nossa memória”. 
 


Nos dias dedicados às Tecnologias da Informação e Comunicação, enre outras atividades, os estudantes entraram no domínio da arquitetura de computadores e configuração de redes
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

O coordenador do GCIC acrescentou ainda que “a avaliar pela satisfação no final das duas semanas, foi fácil constatar que alguns tinham pena de o tempo ter passado tão rápido. [Percebeu-se que, para eles,] tinha sido uma experiência incrível que não se importariam de repetir”.

A reforçar esta satisfação, Dário Hipólito, aluno do mestrado em Biologia da Conservação e monitor central das atividades em Ciências, declarou: “o mais marcante é ouvir ‘é para aqui (FCUL) que eu venho!’”, é sinal que conseguimos passar algo e cativá-los”. Para Dário, outro aspeto importante do evento foi “passar a mensagem de que têm um longo futuro à frente mas que existem instituições, como a nossa, que estão de braços abertos para os receber e os guiar ao longo de vários anos”. Por isso, deixou a mensagem a todos os que acompanhou durante duas semanas: “os sonhos são para realizar senão para quê sonhar? Não desistam do que querem, mas sempre com respeito e humildade”.
 


Para além dos ensinamentos adquiridos, o Verão na ULisboa permitiu a interação de alunos de diferentes escolas
Fonte ULisboa, por Dário Hipólito

Para além das atividades desenvolvidas nas escolas, os participantes visitaram o Museu Nacional de História Natural e da Ciência, realizaram atividades desportivas no Estádio Universitário de Lisboa e um jantar convívio, onde se reuniram todos os grupos divididos pelas diferentes escolas da ULisboa.

Cada estudante recebeu um diploma de participação, - “o primeiro diploma que receberam de uma universidade, agora já podem dizer que são 'diplomados’”, como referiu, em jeito de brincadeira, o subdiretor da Faculdade, professor Pedro Ré.

Terminado o Verão na ULisboa, resta acrescentar que ao longo do ano as portas estarão sempre abertas para que todos possam continuar a descobrir e aprender com Ciências.

As fotografias com alguns dos momentos que marcaram a iniciativa estão disponíveis nos álbuns fotográficos do Facebook de Ciências1.ª semana e 2.ª semana -, e no Facebook da ULisboa.

Assista ainda à reportagem do Verão na ULisboa nas diferentes escolas no vídeo a seguir apresentado.

Raquel Salgueira Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura
info.ciencias@fc.ul.pt
Adultos e criança em atividade da Ciência Viva no Verão

Até 15 de setembro, a iniciativa Ciência Viva no Verão percorre o País organizando mais de 1700 atividades científicas gratuitas para toda a população. As inscrições permanecem abertas até 15 de setembro, de acordo com o calendário de atividades. Nesta altura, já são mais de 20 mil os inscritos.

Nos dias 9 e 10 de Agosto a plataforma Moodle da FCUL vai estar inacessivel devido a uma manutenção de rotina.

As nossas desculpas pelos possiveis incómodos causados.

Liliana Caldeira junto aos posters

A investigação sempre foi um objetivo, que ganhou força após o prémio para melhor poster ser-lhe atribuído numa importante conferência internacional. Até ao final do ano, Liliana Caldeira, aluna de doutoramento em Engenharia Biomédica e Biofísica da FCUL, deverá defender a tese.

Pontos de interrogação

"Aquando da candidatura, o projeto estava numa fase embrionária e foi o Programa de Estímulo à Investigação da FCG que deu força e motivação para avançar”, diz Jocelyn Lochon, um dos vencedores da edição 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

Aluna entrevistada, sentada numa rocha

“O mais importante é saber gerir o tempo, ter alguma disciplina, definir os objetivos a alcançar e não dispersar”. A declaração pertence a Ana Bastos, jovem investigadora da FCUL e uma das vencedoras em 2011 do Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

Cara do aluno entrevistado

“Acredito que o meu projeto vá ter efeitos na área da Saúde Pública. Ainda que não seja já nesta fase, espero poder contribuir para evoluções, por exemplo, ao nível da vacinação”, refere Tomás Aquino, um dos vencedores da edição de 2011 do Programa de Estímulo à Investigação.

A Bial, procura um Bioestatista para a oportunidade de emprego que pode ser visualisada em maior detalhe na página através do link:

Information dissemination in unknown radio networks with large labels

Professor Shailesh Vaya,
Xerox Research Centre, India,

July 20 at 10h00 on room 6.3.38

Estudantes sentados, junto a uma mesa

O pedido de apoio à formação pós-graduada na área da Geologia do Petróleo deve ser apresentado até 15 dias úteis, após o último dia do prazo de inscrição no respetivo curso.

Já é possível solicitar a criação de Unidades Curriculares na plataforma Moodle para o ano letivo 2012/2013.

Os pedidos podem ser realizados no Portal da FCUL, após inicio de sessão.

O Centro de Informática terminou, no passado dia 12 de Julho, a migração de um equipamento central na rede da FCUL.

A excelência de sempre na construção do futuro. Escolhe um dos nossos cursos de Física, Astronomia e Astrofísica, Engenharia Física, ou Engenharia Biomédica e Biofísica. [ + ]

Alunos da FCUL no pátio do C6

O “6th SPJ-OCS” realiza-se pela primeira vez em Portugal. Os organizadores do evento acreditam que “este congresso contribui para dar uma imagem do potencial científico de Portugal” nesta área.

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Chieko Asakawa and Hironobu Takagi

17 Julho 2012 - 10h30
Anfiteatro da Fundação da FCUL

Pormenor de obra artística

Os promotores do FP7 acreditam que “centenas de instituições científicas de toda a União Europeia irão apresentar propostas” e esperam captar novos participantes, nomeadamente pequenas e médias empresas, incrementando dessa forma a competitividade europeia.

Carlos Miguel Farinha, bioquímico docente do DQB e investigador do BioFIG , foi premiado em junho com o Romain Pauwels Research Award, atribuído pela European Respiratory Society.

 

2ª fase de candidaturas:  15 a 22 de Julho.

O mestrado em Matemática para Professores é uma excelente oportunidade para consolidar,  recordar e aprender muitos temas relacionados com a matemática escolar.

No dia 12 de Julho foram feitas as apresentações de quatro trabalhos feitos no âmbito da disciplina de Projecto em Matemática para o Ensino do Mestrado em Matemática para Professores.

A Universidade de Lisboa e a Fundação Amadeu Dias estão a atribuir bolsas aos alunos de 1º Ciclo de qualquer área do saber, leccionado na Universidade de Lisboa e que já tenham concluído o 1.º ano curricular, ou alunos que frequentem&n

Em 18 anos, o Programa de Estímulo à Investigação premiou 34 jovens investigadores e 19 instituições da Universidade de Lisboa. Na última edição, dos oito premiados, três são jovens cientistas da FCUL. As candidaturas à próxima edição decorrem até 21 de setembro.

Cartaz do Seminário

No dia dia 16 de Julho, pelas 11H00, na sala 6.4.30, realizar-se-á um Seminário organizado pelo Centro de Investigação Operacional com o título 'Lagrangian-Based Branch-and-Bound for Two-Echelon Uncapacitated Facility Location with Single Assignment Cons

Os resultados das experiências ATLAS e CMS divulgados recentemente pelo CERN, também foram apresentados publicamente na FCUL, numa sessão organizada pela professora do Departamento de Física Amélia Maio, a responsável pela participação portuguesa na experiência ATLAS.

Apresentações dos Projectos de Física dia 19 de Julho, às 10h, na sala 8.2.17:

Pages