“Rota das Vocações de Futuro"

Alunos EPIS experimentam profissões na FCUL

No passado dia 3 de julho, pela 2.ª vez, a FCUL abriu as portas dos seus laboratórios e departamentos a alunos apoiados pela Associação de Empresários pela Inclusão Social (EPIS), em mais uma “Rota das Vocações de Futuro”.

O programa de combate ao insucesso e abandono escolar nasceu de forma curiosa, tal como explicou a professora Deodália Dias, coordenadora do projeto na FCUL: “De manhã estava a ouvir a SIC Notícias para ver se ia chover ou não e eis que ouço um miúdo, durante uma entrevista, a dizer que queria ser biólogo marinho. Depois de dar um pouco mais de atenção à notícia percebi que havia uma associação que se preocupava em desenhar percursos escolares. Pareceu-me interessante, telefonei para a SIC para convidar o rapaz a vir até à nossa Faculdade e acabou por vir não só um, mas uma turma inteira!”.

Assim se iniciou esta descoberta pelo mundo das profissões que o diretor-geral da EPIS, Diogo Simões Pereira, destaca como sendo “um estímulo para descobrir as motivações dos jovens, aquilo que mais gostam e menos gostam, e uma ajuda para que possam encarrilar por uma vocação. Sobretudo quando estão no 9.º ano, altura em que têm de fazer a primeira escolha”.

Dos 2000 alunos ajudados pela EPIS ao longo do ano, 50 destacaram-se pela recuperação das suas notas académicas e foram premiados com uma passagem por diversas empresas e instituições durante a primeira semana de julho, sendo a FCUL uma das primeiras paragens.

Para receber os 50 alunos da associação EPIS vindos de norte a sul do País, nesta aventura pelo mundo das profissões, estiveram presentes, numa sessão de boas-vindas, os dirigentes da Universidade de Lisboa e da Faculdade de Ciências. Ambos quiseram transmitir uma mensagem de incentivo e apoio aos jovens que começaram a dar os primeiros passos na construção de um futuro sustentável.

Professora da FCUL orienta alunos durante uma experiênciaFonte: FCUL
Legenda: Na Química os alunos experimentaram os "Jardins de Sílica" e o "Pega monstros"

António Sampaio da Nóvoa, reitor da UL, referiu que “apesar das muitas dificuldades que existem não há nada que substitua o conhecimento. Uma boa formação, um bom conhecimento, uma boa preparação dão-nos uma capacidade de conseguir agarrar oportunidades, construir carreiras, de conseguir abrir e ver coisas que os outros não veem”. Por sua vez, o diretor da FCUL, J. M. Pinto Paixão, realçou a importância que a Faculdade tem dado a este tipo de atividades: “Faz parte da tradição da FCUL ter uma grande ligação às escolas, achamos fundamental despertar o gosto pela ciência, mas também consideramos importante conhecer a realidade dos alunos que podem vir a ser os nossos estudantes no futuro. Queremos olhar e perceber quem é a população jovem, como está preparada”.

Depois das mensagens serem transmitidas, a aventura começou de forma divertida com a apresentação do “Circo Matemático”. Uma atividade lúdica e, ao mesmo tempo, educativa que faz desta disciplina o ponto de interação entre monitores e alunos.

De diferentes idades e vindos de vários pontos do País, em comum estes alunos tinham a vontade de aprender e contrariar o passado de insucesso escolar pelo qual passaram, como é o exemplo de Paula, uma jovem de 13 anos a frequentar o 8.º ano: “Portava-me muito mal, o 1.º e 2.º período não correram nada bem. Depois, com a ajuda dos psicólogos, professores, pais e EPIS, fui-me portanto melhor, bem melhor! Consegui superar notas que nunca tinha conseguido, de sete negativas no 1.º período passei para quatro e acabei o 3.º período com duas. Agora é preciso continuar a lutar para alcançar objetivos!”.

E foi com esta mesma força de vontade que todos os alunos seguiram para os departamentos, e respetivos laboratórios de Matemática, Biologia, Química e Bioquímica. Em cada área, foram muitas as atividades que puderam experimentar.
Aluna mexe em material do laboratório de Química
Fonte: FCUL
Legenda: "Foi uma grande oportunidade para aprender coisas novas e esclarecer dúvidas quanto ao futuro", comentou um dos participantes

A 1.ª paragem fez-se no Departamento de Matemática. Aqui, os alunos realizaram jogos inseridos na atividade “Descobre a Matemática que anda por aí” e desvendaram os antepassados da disciplina através da exposição “O Cálculo de Ontem e de Hoje”.

Sofia, estudante de Biologia e uma das monitoras a apoiar as atividades, mostrou-se bastante satisfeita com a sua contribuição no projeto., “É sempre bom ter alguém mais novo para mostrar que isto, afinal, é divertido. Pensar que eles vêm para cá, através do nosso contributo, é ótimo!”, concluiu.

Para um dos alunos EPIS que até não gostava muito de Matemática esta foi “uma grande oportunidade para aprender coisas novas e esclarecer dúvidas quanto ao futuro”. Na Biologia, outros colegas puderam conhecer diferentes insetos e até répteis, que antes só haviam sido vistos na realidade distante da televisão ou da Internet. “Aprendi que há muitos insetos e que se podem conservar!”, referiu a esse propósito outro estudante vindo do Porto.

Após estas ações, seguiram-se outras, como aquela em que os alunos puderam apanhar borboletas no relvado da Cidade Universitária; ou o momento em que ouviram as músicas tocadas pela banda “Cherry Jam”.

“Pega Monstros”, "Jardins de Sílica", “Faz chuva ou faz sol”, “Azul fugitivo” foram as experiências finais, realizadas no laboratório de Química. Atenta à forma minuciosa com que os monitores trabalhavam as substâncias do laboratório, Diana, de 13 anos, comentou: “Um dia até posso explicar aos meus colegas como se fazem todas estas coisas novas!”.

Raquel Póvoas, Gabinete de Comunicação, Imagem e Cultura da FCUL

“A História do Pi em hipervídeo” está na Internet e pode ser consultada por todos e em toda a parte. O hipervídeo integra de forma estruturada e interativa vídeo e outros tipos de informação, nomeadamente, textos, imagens, áudio e animações. Saiba mais sobre este projeto lendo a entrevista com as professoras Suzana Nápoles e Teresa Chambel.

A dinâmica das epidemias é descrita por sistemas de equações diferenciais. Jorge Buescu, professor do Departamento de Matemática da Ciências ULisboa, apresenta neste artigo o modelo epidemiológico desenvolvido em 1927 por Kermack e McKendrick.

No próximo ano letivo, Ciências ULisboa irá utilizar novos modelos de ensino/aprendizagem, todos com horas de contacto entre docentes e alunos, mas que se diferenciam pela existência e forma da componente presencial, anunciou a Faculdade em comunicado de imprensa.

Um grupo de cientistas da Ciências ULisboa e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, membros do CENTRA - Centro de Astrofísica e Gravitação participa no desenvolvimento do METIS (Mid-infrared ELT Imager and Spectrograph), um poderoso instrumento que vai equipar o maior telescópio do mundo - o Extremely Large Telescope.

A equipa do projeto Lista Vermelha de Invertebrados Terrestres e Dulçaquícolas de Portugal Continental preparou a campanha de ciência cidadã - “Invertebrados da Lista Vermelha procuram-se” -, cujo lançamento ocorre esta sexta-feira, dia 5 de junho.

Duas pessoa dão as mãos

"A nossa necessidade de conexão e de afeto é singular, no sentido em que precisamos e procuramos o contacto com outros seres humanos", escreve Inês Ventura, psicóloga do GAPsi Ciências ULisboa.

Mulher sentada em banco junto ao rio Tejo

Um grupo multidisciplinar de cientistas propõe a criação de um roteiro nacional para a realização de testes serológicos em Portugal e defende que a avaliação rigorosa e concertada da prevalência da doença COVID-19 é a única forma de conhecer a real vulnerabilidade da população e monitorizar a dinâmica da epidemia.

Logotipo da rubrica Rardar

Quinta rubrica Radar Tec Labs dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a THEREUS.

ETAR de Serzedelo

A primeira etapa do COVIDETECT já está concluída e com sucesso anunciou esta quarta-feira a AdP - Águas de Portugal. Ciências ULisboa assegura a coordenação científica do projeto, financiado através do programa Compete 2020.

Papel e caneta, num ato de estudo

"Estudar em tempos da COVID-19 é novo e exigente. No entanto, temos recursos para tomar as rédeas, mesmo numa situação desta dimensão, e retomar o controlo", escreve Madalena Pintão, estagiária académica do GAPsi Ciências ULisboa. Conheça as suas sugestões...

Médicos e enfermeiros

"Independentemente das soluções adotadas, a crise sanitária da COVID-19 vem inequivocamente demonstrar que a Bioética, para além de uma vertente mais teórica e fundamental, tem uma vertente prática que atua no terreno e dá um contributo importante para a estabilização do funcionamento dos sistemas de saúde." Opinião de Jorge Marques da Silva, professor do Departamento de Biologia Vegetal da Ciências ULisboa e investigador do polo da Faculdade do BioISI. 

Centro de Testes

O Centro de Testes da Ciências ULisboa atualmente inteiramente dedicado à investigação, diagnóstico e rastreio do SARS-CoV-2 e suas variantes começou a sua atividade a 1 de maio, tendo já realizado mais de mil testes de diagnóstico à COVID-19, com a ajuda de cerca de 50 voluntários, sendo que mais de 300 pessoas manifestaram interesse em colaborar voluntariamente nesta nova infraestrutura da Faculdade.

Pormenor do protótipo da câmara de descontaminação transportável

A Delox foi distinguida recentemente com o Born from Knowledge (BfK) Awards no âmbito do protótipo de uma câmara de descontaminação transportável, que permitirá reutilizar máscaras respiratórias e que está a desenvolver em parceria com o Exército Português. A propósito desta distinção entrevistamos um dos fundadores da spin-off fundada há cerca de dois anos – Fernando Antunes, professor do DQB e investigador do polo da Faculdade do CQE.

Porta entreaberta

"Estar em casa, da forma como se tem estado, pode surgir como o 'único lugar' seguro, dando uma forte sensação de proteção. Em oposição, a ideia de sair torna-se ameaçadora. Esta é uma ideia que é preciso cuidar, para que não se torne avassaladora e angustiante no processo de retomar, no encontro entre o 'mundo cá dentro' e o 'mundo lá fora'", escreve a psicóloga Andreia Santos.

Páginas de livros

"Neste exercício permanente de experimentar será que ganhamos uma impressão do que é uma Teoria Geral da Complexidade?" Mais um ensaio "No Campus com Helder Coelho", em destaque no Dia Nacional dos Cientistas.

“A nossa Faculdade tem uma oferta vasta, diversificada e de enorme qualidade”, diz Fernanda Oliveira, subdiretora da Faculdade em comunicado de imprensa emitido recentemente a propósito dos dias virtuais que têm como público alvo sobretudo candidatos ao ensino superior e que acontecem nos dias 21 de maio e 3 de junho de 2020.

Figura humana em destaque

"No restabelecimento do contacto com o mundo alguns receios e ansiedades poderão estar presentes, a recuperação fisiológica e emocional é um processo, e como tal, leva o seu tempo." Mais um artigo do GAPsi, com nova sugestão, convidando a refletir sobre aquilo que era a vida de cada um de nós, exatamente, há um ano atrás.

4th International Conference on the Computational Processing of Portuguese

Rodrigo Santos, atualmente estudante de doutoramento em Informática na Ciências ULisboa, foi galardoado este ano com o prémio da melhor dissertação de mestrado sobre o Processamento de Língua Portuguesa no período de 2017-2019, durante a PROPOR – “14th International Conference on the Computational Processing of Portuguese”, ocorrida em Évora. 

Conceção artística do telescópio Euclid

O consórcio da missão Euclid, um telescópio que irá penetrar no lado escuro do Universo e que tem lançamento previsto para 2022, atribuiu o prémio Euclid STAR 2020 na categoria “equipa” a um dos grupos do consórcio com uma forte participação portuguesa, nomeadamente de investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e da Ciências ULisboa.

Balões com sorrisos

"Embora a realidade externa seja muito semelhante para todos, a forma como olhamos para ela não é igual. Por isso, alguns de nós estão desejosos que este período de isolamento termine e outros (secretamente ou não) desejam que a vida pudesse seguir um rumo parecido ao que se vive atualmente", escreve a psicóloga Inês Ventura na habitual rubrica do GAPsi.

“O cruzamento da história das ciências com a banda desenhada foi uma aposta arriscada e uma concretização genuinamente coletiva, cujo resultado final é mais do que o somatório das partes. É para nós uma grande satisfação que o universo da banda desenhada em Portugal o tenha reconhecido”, comentam Ana Simões e Ana Matilde Sousa, autoras da obra distinguida com o Prémio de Melhor Publicação Nacional com Distribuição Comercial.

Imagem gráfica da rubrica Radar Tec Labs

Quarta rubrica Radar Tec Labs, dedicada às atividades do Centro de Inovação da Faculdade. A empresa em destaque é a ONTOP.

Máscara respiratória

O consórcio REUSE coordenado pelo CQE Ciências ULisboa surge na sequência do apoio especial a projetos de implementação rápida para soluções inovadoras de resposta à COVID-19 e tem como objetivo a descontaminação de máscaras respiratórias para posterior reutilização.

Teletrabalho

"É verdade, as coisas precisam ser feitas, mas, se não fizermos uma boa gestão de nós próprios, estamos potencialmente a acabar com a única fonte que pode produzir - nós", alerta a psicóloga Andreia Santos, na rubrica habitual do GAPsi, deixando também algumas dicas para quem está em teletrabalho.

Imagem artística relacionada com uma nuvem de pensamentos

“Após pequenas ou grandes tempestades que se passem dentro de casa, vem o diálogo e a negociação para que os tempos de cada um sejam respeitados”, escreve Madalena Pintão, estagiária académica do GAPsi Ciências ULisboa, na rubrica habitual.

Pages