Alisu: A Algoteca da Universidade de Lisboa

Emiliania huxleyi
Ana Amorim

A Algoteca é uma infraestrutura científica que alberga uma coleção de microalgas em cultura: espécies de fitoplâncton marinho, algumas espécies de água doce e estuarinas que colonizam as zonas entre marés (microfitobentos).

O acrónimo Alisu – coleção de Algas da Universidade de Lisboa (UL) - reflete a sua ligação à coleção botânica da Universidade, internacionalmente referenciada como LISU, onde se inclui o herbário e banco de sementes, sediados no Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Pela sua especificidade e requisitos de manutenção, esta coleção foi iniciada e mantida na Faculdade de Ciências da UL pelo grupo de botânica marinha do Centro de Oceanografia (CO) e localiza-se atualmente no C2, piso cinco.

Iniciada há 16 anos, a Algoteca é uma coleção única, por incluir maioritariamente espécies de algas marinhas e estuarinas da costa portuguesa, sendo por isso um verdadeiro repositório de património genético nacional.

“As espécies foram todas recolhidas por nós, representa a diversidade presente nas nossas costas e é fruto do esforço de uma equipa dedicada”, explica a responsável pela Algoteca, Ana Amorim, professora auxiliar do Departamento de Biologia Vegetal e investigadora do CO-FCUL.
Algoteca UL
Fonte: Ana Amorim
Legenda: Cultura de algas em crescimento

A coleção centra-se em espécies que podem afetar negativamente o ecossistema marinho, a exploração de recursos e o próprio Homem (HABs, sigla internacionalmente usada para referir harmful algae), ou de particular relevância ecológica. Uma das espécies, o coccolitóforo Emiliania huxleyi, responsável por um dos blooms algais mais conhecidos em todo o mundo, “é atualmente um dos modelos mais usados para melhor se compreender o funcionamento e papel regulador do oceano no ciclo do carbono”, afirma a investigadora. A compreensão deste mecanismo regulador só tem sido possível estudando a espécie em cultura.

Muitas espécies são mantidas em cultura pelo seu interesse didático e científico. Outras, encontram-se ainda em fase de estudo. A coleção estará inscrita no nó português do Global Biodiversity Information Facility (GBIF) onde se encontra registada a biodiversidade nacional.

Sem financiamento próprio, dependente de projetos de investigação nacionais e europeus, esta infraestrutura científica é um reduto de valor para a UL. Permite e potencia o desenvolvimento de parcerias transversais intra e inter universidades, nacionais e estrangeiras, disponibiliza material didático de qualidade e oferece condições para manutenção de estirpes pertencentes a outras instituições.

Maria Amélia Martins-Loução, Departamento de Biologia Vegetal da FCUL

FCUL promove sessão de informação sobre oportunidades de financiamento no âmbito dos Desafios Societais 2 e 5.

“O principal objetivo é precisamente mostrar o que o EMBL tem para oferecer aos investigadores portugueses (e aos da FCUL, muito em particular) e também demonstrar o que pode ser feito em cooperação com o [laboratório].”, declara Margarida Amaral, docente da FCUL e membro do conselho de organização do evento.

Estão abertas as candidaturas à edição de 2013 do Prémio Academia Lx, destinado a trabalhos de investigação e estudos sobre temas com relevância prática para a cidade de Lisboa.  

Aceitam-se candidaturas de docentes para inclusão numa  Bolsa de Recrutamento, para a Área de Finanças e Economia - Secção Autónoma de Estatística, d

FCUL promove cooperação com EMBL

A passagem do diretor-geral do EMBL pela FCUL, foi registada através de uma reportagem multimédia. Fique a saber mais sobre esta visita bem como os pormenores do evento “Molecular Biology in Portugal and EMBL”!

De 8 de Julho a 30 de Agosto as bibliotecas do C4 e C8 têm alteração nos horários de funcionamento

Doctorate in Applied and Engineering Physics

Programa Doutoral em Física Aplicada e Engenharia Física

Arthur Vieira, estudante do mestrado integrado em Engenharia Física e Emiliano Pinto, aluno de mestrado em Física Nuclear e Partículas, são os diretores da revista trimestral do Departamento de Física da FCUL e  que integra uma equipa editorial constituída por outros 16 discentes.

Challenge4you desafiou estudantes dos cinco aos vinte anos

“Aquilo que aqui aprendemos faz parte da cultura geral e todos nós devemos ter algumas ideias sobre o local onde estamos inseridos e sobre esta união de que todos fazemos parte e que tanto nos ajuda”. A declaração é da estudante e participante Adriana Pereira de 17 anos.

Para uma crítica das perspectivas recentes da União Europeia sobre o Ensino Superior

Recomendações para melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem.

Implicações no Quebramento do Gondwana e sua Correlação com as bacias da Margem Atlântico Sul e Atlântico Central

É crucial que estatísticos e investigadores em Ciências do Ambiente mantenham uma colaboração estreita, para que continuem a ser desenvolvidos métodos estatísticos e computacionais adequados que permitam dar resposta continuada aos desafios presentes e futuros.

Está disponível a edição de 2012 do JCR (Journal Citation Reports).

O trabalho de cinco investigadoras portuguesas foi distinguido no início de junho em Boston, nos EUA. O congresso mundial contou com mais de 800 cientistas de 50 países.

[Tec Labs]i – Potenciar a Inovação

“Os alunos da FCUL tiveram uma experiência única que não vão esquecer ao longo da sua vida académica e profissional”, denota Rui Ferreira, administrador do Tec Labs – Centro de Inovação da FCUL.

Visita de Estudo à nova Universidade de Lisboa

“[Viveu-se um ambiente] muito propício ao debate onde o intercâmbio de ideias e de boas práticas foram muito gratificantes e uma mais-valia para os participantes e oradores do evento”, declarou Luísa Cerdeira, pró-reitora da Universidade de Lisboa e presidente do FORGES.

Álvaro de Campos

TABACARIA

O Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (DI-FCUL) vai organizar a 3 de julho deste ano a primeira edição do 

“Eu sempre gostei de fazer desenho geométrico e sempre me interessei pelos azulejos e seus painéis e pela calçada portuguesa pela sua beleza, pela arte, e porque têm potencialidades científicas, estéticas e didáticas praticamente ilimitadas”, conta o investigador do Grupo de Física-Matemática, distinguido recentemente com o Prémio Abordagem Inovadora “SOS Azulejo 2012”.

As bibliotecas do C4 e C8 têm horários alargados durante a época de exames de 1 a 29 de Junho.

Mestrados DBA 2013-2014

Investigadores do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour”

A equipa do projeto “Climate Change Iniciative – Ocean Colour” esteve reunida na FCUL, nos dias 21 e 22 de maio. Os investigadores avaliaram as ações em curso e discutiram alguns assuntos com a comunidade de end-users.

Pages